Selecione o tipo de erro abaixo

“Por que os outros gatos apenas miam enquanto você pode falar?” Aran perguntou a Reaper, o Manticore, o rei do sul.

“Pela centésima vez, não sou um gato!” Reaper tentou parecer assustador, mas o garoto de quatro anos não percebeu suas presas mortais, focando apenas na juba macia na cabeça do leão do Manticore, nos grandes olhos redondos do felino e nos longos bigodes em seu focinho.

“Você é tão fofo.” Leria abraçou o lado da Besta Imperador, destruindo os últimos resquícios de sua dignidade enquanto ela subia em suas costas e brincava com suas asas emplumadas.

“Crianças são incríveis.” Phloria estava rindo loucamente ao ver a expressão miserável de Reaper enquanto as crianças tentavam interessá-lo em seus jogos e brinquedos.

“Meus soldados molhavam as calças cercados por bestas mágicas como aquela, enquanto …” Ela apontou para as crianças agora divididas em duas equipes de três cada para seu próximo jogo.

Metade deles estava montando Shyfs (bestas mágicas do tipo puma) e os outros Rys (tipo lobo). Os dois times iriam perseguir uma bola de couro em uma mistura estranha de futebol, pólo e luta livre.

As regras não eram claras, assim como as condições de vitória, que mudavam de acordo com o dia, o clima e a direção do vento. As crianças aproveitaram cada segundo de seus jogos e assim que a partida terminou, principalmente devido ao cansaço físico dos pilotos, Lith os levaria de volta para casa.

Suas respectivas mães estavam em êxtase por terem seus filhos cansados demais para se comportar mal ou para tentar evitar seus deveres de casa. Além disso, a ameaça de ficar de castigo e perder o jogo seguinte foi um grande motivador.

Phloria decidiu tirar um ano sabático e estava usando esse tempo para se reconectar com Lith e sua família. A crise dos mortos-vivos estava longe de ser resolvida, mas, por mais que ela se importasse, o exército poderia muito bem despedi-la.

Phloria não sentia que precisava se provar para ninguém mais. Ela prefere parar para cheirar as rosas e planejar seu futuro do que continuar arriscando sua vida para buscar um emprego sem futuro.

Assim que terminasse com as crianças, Lith passaria a tarde na torre de Solus, estudando os dois novos andares e praticando Forja. Ela havia ganhado um segundo andar acima e abaixo do solo, mas ele tinha pouca utilidade para eles, então eles se concentraram mais no último.

Com seu agora profundo núcleo de mana ciano, Solus poderia manter sua forma humana por mais tempo e usar esse tempo para Forjar junto com Lith. Eles compartilhavam a mesma assinatura de energia e tinham um martelo cada, então em teoria, juntando as mãos, eles poderiam dobrar a força de suas criações.

Na prática, entretanto, eles tinham duas formas completamente diferentes de Forjar e eles tiveram que aprender como se adaptar um ao outro. Além disso, Solus tinha que manter o círculo mágico, capacitar ambos os martelos e Forjar, enquanto Lith era o único capaz de moldar pseudo núcleos poderosos.

Eles precisaram de várias tentativas apenas para criar uma versão atualizada da armadura Skinwalker porque eles estavam tão sincronizados que tentariam consertar juntos a mesma imperfeição que surgiu no pseudo núcleo enquanto se fundia com o Orichalcum.

O golpe duplo transformaria inchaços em amassados e vice-versa, desperdiçando muita energia e fazendo com que brigassem. No final, decidiram dividir as tarefas e acabar com aquela bagunça.

Com sua força mágica superior, Lith se concentraria exclusivamente em harmonizar o pseudo núcleo com a armadura, enquanto Solus com sua delicadeza cuidaria das imperfeições.

Depois que Kamila voltava do trabalho, Lith passava a noite com ela em um jantar em família ou a levava para sair.

Só depois de não receber nenhuma notícia de Faluel por mais de uma semana, ele foi verificar a Hydra.

“Está tudo bem?” Ele perguntou assim que terminaram com as sutilezas.

“Sim, desculpe se fiz você se preocupar, mas estou um pouco em apuros. O clima ainda é bastante rígido e Xedros acabou de levar meu filho, Sedra, como seu aprendiz.” Disse Faluel.

“Isso não augura nada de bom.” Lith disse.

“De fato. Eu não gosto de frio e aquele idiota não percebeu que ele é basicamente um refém.” Faluel suspirou.

Lith contou a ela tudo sobre seu último encontro com Wyvern e as coisas que Xedros havia pedido a ele.

“Por que você nunca me contou sobre os bolsos omni e sobre a origem de Nalrond? As Franjas podem ter o conhecimento de que preciso para consertar minha força vital, a do Protetor, e talvez até mesmo uma maneira de restaurar as memórias e o poder de Solus.” Lith perguntou, enquanto Solus estava sentada em seu ombro.

Junto com o núcleo ciano profundo, ela não apenas obteve novos andares para a torre, mas também uma nova massa para sua forma de pedra. Solus tinha agora uma aparência humanóide reduzida que se assemelhava a uma boneca de pedra de 0,6 metros de altura.

Ela estava completamente sem traços, exceto por dois profundos cristais de mana ciano onde seus olhos deveriam estar, duas pedras verdes profundas nas costas de suas mãos e cabelos de pedra que chegavam até a cintura.

“Pela mesma razão, nunca perguntei ao Protetor por que ele mentiu para mim sobre você, ou nunca perguntei como você conseguiu Forjar uma armadura Skinwalker tão poderosa, nem sobre os poderes de Solus como Legado Vivo.

“Porque eu respeito a privacidade das pessoas e suas decisões. Nunca forcei ninguém a se abrir comigo, nem exponho seus segredos, a menos que haja um motivo realmente bom. Acho que Nalrond deve contar a verdade apenas quando se sentir pronto para fazê-lo e não porque você o obriga.

“Dê um tempo a ele e o relacionamento entre vocês três será melhor.”

Faluel assumiu sua forma humana, balançando seu cabelo cor de arco-íris em frustração. Ela não gostava de ser autoritária ao repreender um de seus aprendizes ou da atitude egoísta de Lith.

“Quanto aos bolsos omni, não tenho um, então não sei como funcionam. Xedros sabe sobre eles porque é um mago dimensional e mesmo assim não tem ideia de como fazer um bolso omni.

“Eu nunca te falei sobre eles porque eu nem sabia que você tinha um. Lith, ainda não começamos seu aprendizado e já estou avisando pela primeira vez. Não se torne como o Xedros, ou eu vou cortar os laços com você.

“Não deixe que sua sede de conhecimento se transforme em uma ganância tão forte que atrapalhe seu julgamento. Xedros está disposto a sacrificar tudo para atingir seus objetivos e está tão perdido em sua obsessão que acredita que todos pensam como ele.

“Não confunda gentileza com decepção, nem respeito com uma agenda oculta. Quando você tiver dúvidas, basta perguntar e eu responderei com o melhor de minhas habilidades, desde que não comprometa a privacidade de outra pessoa.

“Eu respeito você, mas ainda não confio em você. Pontos negativos por duvidar de mim, mas pontos extras por dar um passo à frente em vez de tentar me manipular. O total é zero. Mais alguma coisa?” Ela perguntou.

“Na verdade sim.” Lith contou a Faluel sobre o iminente auto-despertar de Phloria e o quanto ela, Quylla e Friya importavam para ele.

“Eu deveria ser capaz de fazer Phloria sobreviver ao seu Despertar e, uma vez que ela já sabe tudo sobre mim, exceto os pequenos detalhes, colocá-la em dia deve ser fácil.

“O problema é que ela precisa de um professor para sobreviver como um Desperto e eu queria saber se você poderia recebê-la também.”

Picture of Olá, eu sou o Dogone!

Olá, eu sou o Dogone!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥