Selecione o tipo de erro abaixo

BUM*
Quando Selene e Irmin estavam já distantes da borda da ponte que flutuava entre as montanhas uma explosão fez as pedras no chão tremerem. Rapidamente ambas voltaram-se para trás, seus olhos encontram-se com os de Jihan, olhando-as imóvel.
— LI!
— VÃO! Deem a volta pelas montanhas, eu encontro vocês do outro lado.
TSK*
Sem muita escolha, Irmin, que carregava Selene, só pode acatar o pedido de Jihan e logo começou a correr.
— Agora… — Li virou-se para a floresta, 12 homens saíram das sombras.
— O que é isso? Um ato de sacrifício?
— Achei que vocês estavam em nove.
— Haha, eu tinha um grupo reserva caso alguma coisa desse errado, mas acho que não vou precisar disso dessa vez. — Joseph riu. — De qualquer forma… vamos acabar logo com isso e depois… iremos atrás daquelas meninas.
Li franziu a testa.
— Achei que eu era seu alvo!
— Ora, não fique com ciúme Jihan, você é o alvo, mas, veja bem, eu guardo rancor de quem fere meus homens… — debochou Joseph.
— Vocês nunca vão passar por mim.
— Pois bem — Li bateu a palma de suas mãos uma na outra. Dobrando levemente os joelhos, retraiu o seu braço esquerdo para perto de seu corpo, mantendo sua mão aberta horizontalmente. Enquanto isso esticou o direito e levantou sua mão verticalmente. Ambas cobertas por uma fina camada de mana. — Eu estava louco para testar algumas coisas novas que aprendi no último mês.
— É mesmo?
— Entretanto, acho que terei que me segurar, o que eu faria se quebrasse sem querer os brinquedos que acabei de ganhar — retrucou Jihan. Os bandidos se irritaram com a provocação do homem.
— Vocês cinco vão primeiro — ordenou Joseph.
— Senhor?
— E não cometam o mesmo erro de subestimá-lo novamente, eu não tolerarei outra falha.
— Não vai vir primeiro? — provocou Jihan.
— Um corpo continua vivo se perder uma dos membros, mas não se perder a cabeça — explicou.
— Só cuidado para não sangrar demais.
O líder continuava calmo. “Eu não poderia quebrar aquela ponte, e o moleque fez sem nem ficar ofegante, meus instintos estão gritando, mas não posso desistir aqui.”
Enquanto Joseph pensava, os cinco chegaram mais perto de Jihan. Quando chegaram a certa distância, começaram a se separar para cercar o homem.
— Acha que vou deixar isso acontecer de novo? — Li avançou com toda velocidade para o inimigo mais perto, que tentou reagir cortando-o com seu sabre.
As palmas das luvas de Jihan, revestidas de uma pequena camada de mana, aceleraram e deslizaram sobre a superfície da lâmina da arma, mudando sua direção. Cortando apenas o ar com toda sua força, o homem, já surpreendido, perdeu o equilibro.
Li, aproveitando o momento, encaixou a palma da sua mão no peito de seu oponente. Assim que o atingiu, a mana branca brilhou fortemente e, comprimida no pequeno espaço, subitamente expandiu-se repulsando com toda a força o corpo do bandido e atirando-o rapidamente para uma árvore perto de seu líder.
VUSHH
O corpo jogado cortou o ar perto de Joseph, que fez uma expressão de aflição.
“Droga…”
Do outro lado, Jihan sorriu.
— Venham os 11 juntos… vamos acabar logo com isso.

Enquanto a luta ocorria, Ambas as mulheres chegavam ao outro lado da ponte.
— Pode me colocar no chão, acho que consigo me mover agora — pediu Selene.
Irmin apenas obedeceu.
— Então, qual é o plano a partir daqui? — perguntou a conjuradora.
— Vamos dar a volta e encontramos ele na ilha seguinte.
Olhando de volta para a ponte, os bandidos e Jihan quase desapareciam no horizonte. A ilha de Cadmus tinha o formato de U; nesse momento, elas haviam acabado de cruzar de uma ponta para a outra. Havia outra ponte ligando a ponta ao meio, assim como havia uma ponte no meio que chegava ao outro lado.
Irmin pegou um graveto no chão e fez um desenho na terra para que Selene pudesse entender melhor.
— Nós só precisamos cruzar a ponte que liga os dois meios e voltar a outra ponta — Lind riscou entre as ilhas para indicar o caminho. — Acredito que foi isso que Li quis dizer com dar a volta nas montanhas.
— Wow, onde aprendeu a desenhar assim!
— Selene, não temos tempo para brincadeiras…
— É serio! Está ótimo, você deveria desenhar mais vezes.
Irmin olhou a menina sorrindo e depois olhou para o desenho. Fingindo uma tosse ela continuou:
— De qualquer forma, temos que nos apressar.
Se levantando, Lind adentrou a floresta, com Selene logo atrás.
— Não seria melhor ficarmos na borda? A floresta pode ser perigosa.
— É uma faca de dois gumes, se formos pela borda da montanha seremos facilmente vistas — explicou — nesse caso é melhor pegarmos o caminho direto, pelo menos chegaremos mais rápido.
— Ei, Lind, posso te fazer uma pergunta?
— É melhor que façamos silencio, conversa pode chamar atenção.
— Só uma pergunta…
Sem ter como recusar o pedido da mulher, ela concordou.
— Por que o contou daquela história?
— Hm? Aquilo? Não achei que teria problema.
— Bem… não tem, mas não é uma coisa que você geralmente compartilha com outras pessoas. Você confia tanto assim nele?
— Não completamente.
— Então…?
— Eu só senti que estava tudo bem… que ele não iria nos julgar nem nada do tipo — respondeu — e você… por que mentiu para ele?
— Eu não tenho tanta facilidade em julgar as pessoas como você.
Por alguns segundos ambas ficaram em silêncio.
— Acha que ele vai conseguir se virar sozinho? — perguntou Selene.
— Sinceramente… estou mais preocupada conosco do que com ele.

— CHICOTE LAMINADO! — o sabre de Joseph curvou-se no ar como um chicote e voltou-se contra as pernas de Jihan, que rapidamente saltou para evitar o golpe. Assim que pulou, dois outros homens já o esperavam no ar e, combinados, ambos tentaram atingi-lo na cabeça, mas, preparado para isso, Li usou ambas as luvas para bloquear as laminas.
No momento em que bloqueou, mais dois bandidos o atacaram por baixo.
— Che… — Usando o impulso gerado por defender os dois golpes vindo de cima, Li girou seu corpo e, com a vantagem de alcance de suas pernas, chutou as mãos que seguravam os sabres de ambos os homens. Ainda em queda e com os inimigos desequilibrados, agarrou seus pulsos e os puxou com toda sua força atirando-os no chão — GA! — Assim que os dois oponentes atingiram o solo, Jihan carregou ambos os punhos com mana e ajudou a enterrar os homens, afundando os na terra.
Assim que se recuperou da aterrissagem, Li rapidamente tomou distância dos inimigos que restavam para respirar.
Huff Huff
“Não vou conseguir manter essa luta desse jeito por muito tempo” pensou Jihan, ofegante.
— Já está se cansando, garoto? — debochou Joseph.
— Você não está em muita posição de falar alguma coisa, velhote!
TSK*
Olhando ao redor, vários corpos já decoravam o chão. Apenas Joseph e outros dois homens ainda restavam de pé. Li, no entanto, já estava se cansando e sua mana restante já se esgotava.
— Hahaha, você é realmente muito bom, moleque, mas não tanto quanto eu achava! — retrucou — Acha realmente que pode me vencer com o pouco de energia que te resta.
Li sorriu.
— Ahh… realmente é uma droga…
“Por que esse desgraçado ainda está sorrindo, perdeu a cabeça?”
— Eu não queria ter que usar isso agora, mas a senhorita Amélie realmente me avisou…
Uma forte sensação de perigo passou pelo corpo de Joseph.
— Ataquem, rápido!
Sem questionar, os dois bandidos ao lado de seu líder partiram para cima de Li, que apontava seu polegar para o próprio peito.
— Tarde demais — pressionando seu dedo, Jihan gritou: — LIMITADOR, QUEBRE!
Assim que terminou de falar, uma grande onda de energia empurrou ambos os inimigos que se aproximavam. A mana branca emanou do corpo do homem aos montes.
— Achei que conseguiria passar por esse teste utilizando apenas 30% da minha reserva, mas acho que subestimei demais essa fase.
“Mon… Monstro!”
— Venham! Veremos quem se esgota primeiro, eu… ou vocês!
Dobrando os joelhos para tomar impulso, o chão aos pés de Li racharam e ele avançou a toda velocidade em direção aos inimigos que restavam.

— Estamos quase chegando na ponte que liga as ilhas do meio, mas não encontramos nenhum inimigo — observou Selene.
— Não fale isso em voz alta, dá azar contar com a boa sorte antes da hora.
— Se nos apressarmos talvez consigamos ajudar o Jihan, não da para saber se não vão aparecer mais daqueles caras.
— É um tanto quanto esquisito, não acha? — disse Irmin — Digo, não faz muito sentido. Pela lógica básica não deveria ter tanta gente em uma mesma ilha e, mesmo que tivesse, qual a chance de todos estarem no mesmo grupo e caçando pela mesma pessoa.
— Pensando por esse lado…, mas os testes divinos existem por tanto tempo, quem teria o poder de infringir tanto as regras dessa forma?
— Talvez não seja só uma pes-
— Hm? Irmin?
— Fique atrás de mim! — Se posicionando a frente de Selene, Irmin ergueu seu escudo.
Das sombras, um machado de uma mão voou em direção à mulher, que recuou um passo com o impacto, quase tendo seu escudo perfurado.
— Ora Ora, vocês não são tão ruins assim.
O ar esquentou levemente e um homem saiu da escuridão das árvores.
— Parece que essa captura vai ser um pouco mais divertido do que eu pensei. — Com seus cabelos brancos e olhos vermelhos refletidos pela luz, Xu declarou: — me entretenham um pouco.

Olá, eu sou o Dealer!

Olá, eu sou o Dealer!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥