Capítulo 409 – História Secundária – Capítulo 29 – O Menino e a Espada (Parte 3)

O Tutorial é tão Difícil

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

 

Capítulo 409 – História Secundária – Capítulo 29 – O Menino e a Espada (Parte 3)

Tradutor: Otakinho

 

O menino aceitou a oferta da sacerdotisa.

Surpreendentemente, a sacerdotisa, que irritou o menino, presidiu o juramento do paladino como bispo.

A cerimônia foi realizada na presença de vários sacerdotes do Deus da Luz que vieram ouvir o boato de um menino empunhando uma espada brilhante.

Foi uma cerimônia bizarra de votos em que estranhos fogos de artifício foram disparados contra o céu noturno.

No final da cerimônia, o menino deu um passo à frente.

O procedimento final permaneceu.

[Você realmente vai fazer isso?]

A espada perguntou.

Era uma voz preocupada.

“Sim. Eu nunca fui educado de qualquer maneira, então não sei o que dizem os nobres. Vou apenas dizer o que quero dizer.”

[Não…]

A espada queria dizer que não era o problema.

Não era uma questão de discurso e formalidade.

Mas antes que a espada pudesse deter o menino, ele caiu de joelhos e juntou as mãos.

O menino orou a Deus.

“A força deve ser exercida.”

Foi mais uma declaração do que uma oração.

“Essa é a única maneira de brilhar com valor.”

O poder do Deus da Luz era enorme.

O menino que fez os votos achou que sim.

Mas o Deus da Luz não se moveu.

Não foi mexido.

Quando usado corretamente, um grande poder que poderia salvar inúmeras pessoas, talvez até mesmo todo o continente, estava silenciosamente adormecido.

“Se Deus não quiser exercer esse poder, eu o exercerei. De certa forma, isso beneficia as pessoas”.

Foi uma oração extraordinária.

Se fosse qualquer outra religião popular, não haveria nada a dizer, mesmo que o menino tivesse seus pulsos e tornozelos cortados e amarrados a um poste e queimados na fogueira.

No entanto, os sacerdotes que adoravam o Deus da Luz não se importaram nem um pouco.

Pelo contrário, eles ficaram muito felizes com as palavras que o menino havia mencionado várias vezes, ‘Eu exercerei’.

Parece que o menino estava tentando empunhar a espada brilhante e eles gostaram.

Sentindo-se como um estudante esperando sua vez de ser derrotado, a espada olhou para o céu noturno.

Ele pensou que um raio poderia cair na cabeça do menino a qualquer momento.

Mas o raio não caiu.

Deus ouviu a oração do menino e não respondeu.

* * *

O menino se tornou um paladino depois disso.

No dia seguinte, o menino saiu das muralhas da cidade.

Em um dia escuro e sombrio com nuvens de chuva, o menino correu sozinho em direção aos Goblins.

A batalha começou.

Um confronto final entre milhares de Goblins e um menino.

A diferença de poder era avassaladora, mas a composição da batalha era exatamente o oposto.

Cada vez que a espada do menino era balançada, ela brilhava e explodia.

Até aquele ponto, a maioria das pessoas que defendiam a cidade a tinha visto uma ou duas vezes.

As nuvens de chuva clarearam

Só um pouco.

A luz do sol brilhante caiu através das nuvens de chuva.

O sol estava brilhando bem sobre o menino.

Enquanto o menino se movia, a luz do sol o seguia.

Em um mundo escuro, o menino brilhou sozinho

Ele se movia sozinho e parecia existir sozinho.

As pessoas na parede ficaram emocionadas, sentindo a presença de um Deus com a visão surreal.

Os Goblins fugiram da misteriosa luz ofuscante e da espada explodindo ocasionalmente.

A história do menino rapidamente se espalhou pelas canções dos menestréis.

Logo, a história do menino paladino cobriu o continente.

Um justo e glorioso cavaleiro da luz.

Um herói que usa espada e armadura reluzentes para salvar pessoas e derrotar vilões e monstros.

O menino vagou pelo continente sem um único dia de folga para ajudar as pessoas.

Como resultado, suas histórias heroicas começaram a se acumular.

Suas histórias heroicas, que foram transmitidas na forma de contos, amontoaram-se e amontoaram-se para se tornarem um livro grosso.

As pessoas sempre podem sorrir quando falam sobre o Cavaleiro da Luz.

O herói que saltava para qualquer perigo sem hesitação.

As canções feitas com o profundo favor dos menestréis eram todas misteriosas e emocionantes.

Em cada taverna, uma música foi ouvida elogiando a história heroica do menino.

Na praça da cidade, uma trupe interpretando uma história heroica do menino divertia as pessoas apresentando uma história heroica diferente a cada dia.

Tornou-se rotina as crianças se reunirem em frente à praça todos os dias para assistir à apresentação da trupe.

“Uau!”

As crianças aplaudiram ao ver o anfitrião no palco.

Ocasionalmente, havia até adultos que gritavam como crianças.

O anfitrião sorriu satisfeito com a resposta entusiástica e explicou sobre a peça de hoje.

Os aplausos das pessoas ficaram mais altos.

Numerosas histórias dos Cavaleiros da Luz.

Entre eles, a maior e mais dramática história, a história de descobrir o doppelganger que engolfou a cidade subterrânea e matar até mesmo o Grande Demônio que estava por trás dela, foi a peça preparada pela companhia de teatro hoje.

* * *

“Está acabado?”

[Sim.]

A espada respondeu.

Ao ouvir a resposta, o menino ajoelhou-se no chão como se estivesse dilacerado.

As pernas bambas não conseguiam mais suportar o menino.

Suas calças pegaram fogo e começaram a queimar.

Havia um mar de fogo ao redor.

Envolvendo os arredores do menino e até mesmo a cidade inteira.

[Isso é incrível. É duvidoso se este é um fenômeno que apenas um ser humano pode criar. Seria impossível até mesmo para o maior dos magos fazer isso.]

A técnica que o menino chamou de Espada da Luz varreu os arredores com luz e calor.

Por mais poderoso que fosse o Grande Demônio, ele não suportava essa luz.

Era uma luz com poder divino.

O Grande Demônio desapareceu sem deixar vestígios.

Apenas o padrão do enorme círculo mágico que convocou o Grande Demônio permaneceu.

É um padrão que simboliza o Deus da Colheita.

O menino se lembrou do nome divino.

Era um deus que queria intervir diretamente além de espalhar seus ideais no mundo humano.

A intervenção divina em si mesma não poderia ser um problema.

Mas seria uma história diferente se o deus incitasse demônios a massacrar pessoas.

Os olhos do menino estavam cheios da confusão em chamas da cidade.

Devido às habilidades de construção dos anões e aos abundantes recursos minerais, a cidade que outrora ostentava a melhor fortaleza do continente foi agora completamente destruída.

Esta cidade logo entrará em colapso e desmoronará

[Você salvou as pessoas. Se o Grande Demônio não tivesse desaparecido, um ou dois reinos teriam sido eliminados.]

A espada confortou o menino.

O que a espada disse era verdade.

Mas também era verdade que o menino que destruiu esta bela cidade.

Também é verdade que ele queimou com as próprias mãos os sobreviventes escondidos na cidade.

[Sempre há um sacrifício inevitável.]

Disse a espada.

O menino não assentiu para as palavras da espada.

“Não existe tal coisa.”

O menino acha que toda essa devastação é porque ele não tinha poder o suficiente.

As pessoas não teriam morrido se o Grande Demônio pudesse ter sido morto com um único golpe.

[Impossível. Os humanos têm limites. Não importa o quão grande você seja, você não pode salvar a todos.]

Disse a espada.

O menino percebeu que as palavras da espada se sobrepunham às dos outros.

Essa é uma palavra que ele ouviu muito.

Muitas vezes.

“Eu vou fazer isso. Algum dia.”

* * *

O menino agora se tornou uma celebridade continental.

Uma força surgiu para prejudicar o menino.

As forças colidiram com a base de apoio do menino.

A base de apoio do menino eram as próprias pessoas.

As pessoas começaram a colidir.

Uma nova linha foi traçada entre as pessoas.

Aqueles que apoiam o menino e aqueles que o caluniam.

Aqueles com direitos adquiridos e nenhum.

Os ricos e os pobres.

Os nobres e as reles.

Havia pessoas que apoiavam e amavam o menino, embora fossem aristocratas, ricos e tivessem interesses particulares.

Por outro lado, havia pessoas que tinham ciúmes do menino, embora não tivessem nada.

Mas a linha foi traçada.

As pessoas se separaram e começaram a lutar.

Eles deixaram clara sua posição para sobreviver e vencer.

Diante do grande arauto da guerra, o menino teve que sair por conta própria para evitar um grande sacrifício.

A guerra não aconteceu.

Reis e nobres odiavam o menino, mas seus homens o amavam.

O suficiente para jogar fora o sistema existente ao qual pertenciam.

No fluxo complexo, as pessoas ao redor do menino renasceram como uma nova classe.

Eles se tornaram as pedras angulares de um novo reino.

O menino se tornou um reino.

* * *

O rei acariciou sua longa barba.

Ele parou e ficou com um olhar solene, agora ele vai ter que cortar a barba a deixando curta.

Era como quando ele era menino.

O reino escapou por pouco de um longo período de caos.

Foi um novo reino que reorganizou a hierarquia de classes e as leis e a ordem existentes.

Não poderia haver confusão.

Há muitos ratos no mundo que querem se aproveitar da lei, por mais nobre que seja a vontade, para aumentar a barriga.

O rei percebeu.

Que ninguém pode ser perfeito.

Não importa o quanto você seja solidário e dedicado à paz.

Embora tivesse visões brilhantes em seu passado, ele não tinha certeza de como seria seu futuro.

Leis e sistemas também não serão perfeitos antes do tempo.

Afinal, são os humanos que o mantêm e reparam.

Visto que é feito pelo homem, o homem encontrará uma lacuna.

Não importa quão perfeita seja a lei, com uma pequena modificação torna-se um método maligno para molestar as pessoas.

“Haa.”

O rei sentiu seus limites.

Ele estudou e pesquisou muito.

Ele tentou cuidar do reino, acabar com o caos e inaugurar uma era de paz.

O rei ainda tinha grande poder e simbolismo.

O apoio do povo era forte e os funcionários ainda não esqueceram seu respeito pelo rei.

Mas ainda havia limitações.

O rei reconheceu que havia se tornado a engrenagem de uma escultura gigantesca chamada reino.

Embora ele fosse uma engrenagem muito maior e mais importante do que outras engrenagens, não era diferente de um acessório pertencente à escultura no final.

Devia haver um limite para o que a engrenagem poderia fazer.

A questão de saber se era melhor para o rei ser amado e elogiado o atormentou por muito tempo.

O rei, que finalmente acabou com o caos e trouxe estabilidade ao reino, só poderia decidir hoje.

O rei providenciou sua sucessão.

Seu herdeiro não tinha sangue próprio, mas era a pessoa mais confiável.

Ele era um homem sábio, um administrador brilhante e alguém que sabia que o rei poderia retornar a qualquer momento.

Depois de fazer todos os preparativos, o rei encontrou seu amigo a quem não procurava há muito tempo.

Seu próprio amigo estava esperando por ele há muito tempo, preso na bainha.

[Faz tempo que não vejo, garotinho.]

“Se você ainda me chamar de garoto, pode ser jogado na fornalha por insultos.”

A espada riu.

O velho rei também sorriu depois de muito tempo.

[Sim, o que está acontecendo?]

A espada perguntou como se fosse insignificante.

É como pedir a um amigo de quem você se separou ontem.

“Estou pensando em vagar novamente.”

[E sobre o trono?]

“Eu deixei para alguém que era melhor do que eu.”

Embora ele não seja um rei que receberá muito amor e apoio do povo, ele se tornará um rei capaz.

Ele pode até ser capaz de liderar o reino melhor do que o próprio rei.

Por outro lado, o próprio rei.

Ele poderia ter salvado muito mais pessoas andando pelo continente com uma espada do que sentar em um trono e cuidar de assuntos governamentais.

Dizer que as perambulações de um indivíduo são mais benéficas para a paz do continente do que os assuntos do governo do reino parece um absurdo à primeira vista, mas a história é diferente se a força do indivíduo exceder a categoria humana.

[Ehyo, se você está cansado de ser rei, apenas se aposente e desfrute da riqueza e da glória. Por que você está se esforçando tanto de novo?]

A espada estalou a língua e disse.

Mas sua voz era muito brilhante e leve, ao contrário das palavras.

“Então, você gostaria de se juntar a mim? Exatamente como naquela época, quando eu ainda era jovem.”

A espada parou por um momento antes de responder.

[Claro.]

O rei, não, o menino, agora um homem velho, sorriu brilhantemente e colocou a espada em volta da cintura.

[Então, você decidiu aonde ir primeiro?]

O velho respondeu à pergunta da espada.

“Eu quero ir para as terras altas das Montanhas Azuis.”

[Porque lá? O Deus da Luz deu a você um oráculo?]

“Não, não é isso.”

O oráculo do Deus da Luz não desce facilmente.

Mesmo um velho que havia sido paladino do Deus por um longo tempo nunca tinha experimentado isso algumas vezes.

[Então por que você quer ir para lá, é tão longe.]

“Bem, é apenas minha intuição apontando para isso.”

O velho disse que era sua intuição e deu uma resposta um tanto absurda.

A espada falou como se ele estivesse bravo.

[Intuição? Você faz profecia agora? Você, por acaso, tem algum tipo de poder sobrenatural?]

“Bem, talvez.”

O velho sorriu e seguiu.

Ele se sente assim atualmente.

Ele poderia adivinhar o futuro.

Ele vê um lugar além de seu campo de visão.

Ele pode ver o coração honesto de uma pessoa.

Foi estranho, mas o velho decidiu não se importar.

Ele tinha habilidades que poderiam ajudar a salvar pessoas.

“Você sabe o que existe no planalto do cume das Montanhas Azuis?”

Perguntou o velho.

A espada achou que foi uma sorte poder responder a essa pergunta.

A extremidade oriental do continente.

As terras altas das Montanhas Azuis, onde as pegadas humanas foram interrompidas por causa de sua natureza alta e acidentada.

Existem raças que estão separadas do mundo e vivem vidas pacíficas em seu próprio mundo.

[Se os coelhos não estiverem extintos, será exatamente como eu me lembro.]

Aviso do Tradutor:

Otakinho

Otakinho

Boa Leitura S2 S2
Chave Pix copiada!
PicPay copiado!
Rolar para o topo