Capítulo 411 – História Secundária – Capítulo 31 – O Menino e a Espada (Parte 5)

O Tutorial é tão Difícil

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

 

Capítulo 411 – História Secundária – Capítulo 31 – O Menino e a Espada (Parte 5)

Tradutor: Otakinho

 

[Isso não pode estar acontecendo…?!]

A espada murmurou.

Aparentemente, foi um choque e tanto.

[Não, você quer dizer que os coelhos não vão vir nem mesmo quando sentem o cheiro do açúcar queimado? Isso não faz sentido!]

O Grande Buscador suspirou.

Ele ergueu a cabeça e olhou para cima.

Ele já estava na encosta, mas a localização do planalto estava obscurecida por nuvens.

É um lugar muito, muito alto.

Os coelhos que lá vivem podem ficar mesmo sentindo o cheiro de açúcar queimado?

Era improvável.

Mesmo se você queimar um cadáver em vez de açúcar aqui, o cheiro não chegaria lá.

[Não, a obsessão dos coelhos por açúcar vai além do bom senso, como isso aconteceu…]

Não era algo que a espada não tivesse ideia.

O tempo em que a espada estava ativa como um humano era um passado distante.

Talvez tenha havido uma mudança aqui também durante esse tempo.

Demora menos de uma década para uma região florescer e cair.

Em casos extremos, a ascensão e queda podem ser diferentes dentro de um ano.

Considerando a passagem do tempo, não era difícil adivinhar que algo havia mudado aqui.

Por alguma razão, os coelhos que vivem aqui estão mais fechados.

Se sua preferência pelo açúcar diminuiu.

Não foi estranho.

“Eu não sei o que está acontecendo. Vamos voltar para a aldeia primeiro.”

Ele perdeu muito tempo tentando escalar a montanha sozinho.

Ele achou que deveria voltar para a aldeia e se lavar e descansar.

Ele precisava encontrar mais comida e perguntar aos aldeões como chegar ao planalto.

O Grande Buscador voltou para a aldeia no início das Montanhas Azuis.

Era uma cidade pequena, mas havia uma pousada.

Era uma estalagem de um andar com cozinha e sala, e dois quartos pequenos no canto.

O estalajadeiro preparou uma refeição para o grande buscador e começou a fazer perguntas.

Em vez de fazer perguntas para interrogatório, foi a curiosidade peculiar da população rural.

O Grande Buscador também sabia disso, porque tinha muita experiência no campo quando era menino.

A maioria das pessoas na área isolada do lado de fora pela rua era muito indiferente ao mundo exterior ou, ao contrário, muito curiosa.

O dono desta pousada parecia mais curioso do que indiferente.

Felizmente, o Grande Buscador era uma pessoa que conhecia muito bem a situação no continente.

Ele foi capaz de satisfazer a curiosidade do estalajadeiro.

Os dois rapidamente se tornaram amigos.

Talvez seja porque eles têm a mesma idade.

Bebendo vinho com gosto de vinagre, com o estalajadeiro, o buscador indagou sobre o planalto das montanhas Azuis.

“Hahaha, você foi lá por uma semana? Na verdade, se você mora nesta cidade, deve ter subido aquelas escadas pelo menos uma vez. Uma pessoa teimosa sobe as escadas por dois ou três dias e acaba desistindo. É a primeira vez que vejo uma pessoa!”

O estalajadeiro deu uma risadinha.

“De alguma forma, eu senti que poderia subir.”

“Huh, todo mundo é assim. É como um mundo em um conto de fadas misterioso. Talvez eu possa escalar. Todos devem ter tentado escalar com essa ideia.”

O estalajadeiro parecia entender os pensamentos do Grande Buscador.

O Grande Buscador perguntou o que ele deveria fazer para chegar ao planalto sem a ajuda dos coelhos.

“Bem, eu não tenho certeza sobre isso também. Não tem como subir sem a ajuda dos coelhos.”

O estalajadeiro afirmou.

O problema era que os coelhos não desciam mesmo com o cheiro do açúcar.

[Já que é assim, vamos para outro lugar. Não há razão para subir ao planalto.]

A espada disse.

Foi a intuição da espada que o Grande Buscador havia chegado ao planalto das Montanhas Azuis.

A única razão era que sua intuição estava presa ao planalto das montanhas azuis marcado no mapa.

[Minha intuição congelou até a morte. Você não queria apenas viajar até a borda do continente? Se for esse o caso, vamos para o oeste novamente. Do extremo leste ao extremo oeste. Vai ser uma viagem muito boa. Vamos para o Salão do Xamã na extremidade oeste juntos.]

A espada tentou convencer o grande buscador.

O Grande Buscador estava preocupado.

Sobre essa intuição.

Anomalias estavam ocorrendo em todo o continente.

O Imoogi que ele conheceu no vale era um deles.

Recentemente, houve muitos incidentes estranhamente relacionados à ‘Divindade’.

Havia cada vez mais incidentes em que as pessoas renasciam como seres divinos por meio de treinamento, ou ocorriam comoções para renascer como seres divinos.

O problema é que em alguns desses eventos havia seres verdadeiramente divinos misturados entre os absurdos.

A Rainha das Fadas, a rainha das fadas, tornou-se a divindade guardiã do lago e está mudando o clima da vizinhança como lhe agrada.

Também há um boato de que o mais destacado entre os Goblins do oeste se tornou um guerreiro.

Ele até confirmou com seus próprios olhos o boato de que os Imoogi do vale comiam pessoas e animais na floresta, depois criaram asas e começaram a voar no céu.

Era surpreendente que meros mortais quisessem se tornar Deuses, ainda mais surpreendente que eles tivessem resultados tangíveis.

Três já em uma era.

Aconteceu em menos de uma década.

Mesmo que aconteça uma vez a cada mil anos, coisas incríveis acontecem em sucessão em um período muito curto de tempo.

O Grande Buscador estava preocupado.

Se mais disso estiver acontecendo.

O mais preocupante é que a mesma coisa aconteceu com o próprio buscador.

Um dia, coisas misteriosas estavam acontecendo com ele.

Ele estava experimentando habilidades que não seriam possíveis a menos que ele fosse um ser verdadeiramente divino, ao invés de simplesmente ser um super-humano forte.

Ele ouviu os pensamentos das pessoas.

Ele previu o clima do dia seguinte.

Uma ou duas vezes, ele descartou isso como apenas seu humor ou sorte.

Era um fenômeno que não podia ser explicado em palavras, simplesmente porque ele era forte ou porque era um super-humano.

Assim que o buscador desceu de seu trono, ele foi para onde sua intuição apontava.

Ele quer aprender mais sobre o fenômeno misterioso que está acontecendo com ele.

[Vamos para o oeste.]

Disse a espada.

O Grande Buscador balançou a cabeça.

[Ora, você não pode subir de qualquer maneira.]

Ele será capaz de escalar.

O Grande Buscador pensava assim.

Sua própria intuição ainda apontava para o planalto das Montanhas Azuis.

Ele podia sentir isso.

Ele sabia que alguém viria para conduzi-lo até o planalto.

[É porque estou ficando muito velho… estou senil, senil. Ou é demência?]

A espada estava derramando palavrões.

No entanto, a porta da pousada se abriu, apesar do juramento.

A identidade do visitante em pé de costas para a luz do sol.

Era uma coelha

Longas orelhas de coelho penduradas acima da cabeça.

Mas, exceto por aquelas orelhas, não parecia diferente de uma pessoa normal.

Roupas de viagem simples.

Não só as roupas, mas também os olhos, nariz e boca no rosto não eram nada diferentes dos de um ser humano.

Eram apenas as orelhas.

Era estranho que ela carregasse uma mochila grande que parecia ter sido puxada por uma vaca ou um cavalo ao invés de uma pessoa.

A garota com orelhas de coelho lançou um olhar para o Grande Buscador quando seus olhos se encontraram.

“Hunf!”

Era uma coelha mal-humorada.

A coelha, que bufou, ergueu a cabeça e entrou na pousada.

Teria sido, se não fosse pelo fato de ela estar carregando uma mochila três vezes maior que a porta da pousada.

“Kyang!”

A coelha, que andava sem ideia de que a mochila ficaria presa na porta da pousada, caiu com um ruído estranho.

A mochila se rompeu e os itens dentro dela derramaram.

O Grande Buscador se levantou para ajudar a coelha que havia caído, embora estivesse envergonhada com o que havia acontecido por causa do contato visual.

Felizmente, o Grande Buscador foi capaz de rapidamente fazer amizade com a coelha.

Não havia nenhum motivo particular.

Ele deu açúcar a ela como a espada havia aconselhado, e a coelha gostou.

O Grande Buscador perguntou se ela poderia levá-lo ao longo do planalto depois que ela partisse.

A coelha recusou firmemente.

Foi uma recusa tão firme que ele nem pensou em perguntar de novo.

Em vez disso, a coelha pediu ajuda em sua jornada.

A coelha disse que ela havia descido do planalto e foi para as cidades do continente humano para obter os suprimentos de que precisava.

Ela disse que poderia levá-lo ao planalto se ele pudesse guiá-la até a cidade.

Não foi um mal negócio.

O Grande Buscador aceitou a oferta.

A coelha também estava muito feliz.

Parece que ela estava ansiosa para visitar uma cidade humana.

A coelha se apresentou como Kirikiri.

* * *

“Ummm…”

A história continua até aqui?

Eu estava ouvindo por precaução, mas no final, até Kirikiri apareceu.

Depois disso, todos os deuses do Templo dos Cem Deuses sairão para comparecer.

“Que diabo é esse planeta? Todos os deuses que conheço estão reunidos lá. É um planeta completamente estagnado.”

Não é apenas um ou dois.

A maioria dos deuses do Templo dos Cem Deuses estava sendo falada como se fossem daquele planeta.

[Muitas pessoas de lá sobreviveram.]

Sobreviveu, disse ele.

Essa foi uma palavra interessante.

Não é apenas que o planeta produziu muitos Deuses.

É que muitos Deuses daquele planeta sobreviveram.

Eu pensei que talvez a história de Ahbooboo iria além dos dias humanos do Deus do Céu e levaria à guerra dos deuses que se seguiu.

[Haha, bem, é verdade que existiram muitos deuses. Minha cidade natal é incrível.]

Haha, o que quer dizer ‘haha’?

Ahbooboo parece ter interpretado minhas palavras de ‘por que há tantos deuses lá’ como um elogio à sua cidade natal.

Nunca foi um.

Um lugar com muitos deuses nunca pode ser um bom lugar.

Além disso, os tempos eram sérios.

É como um mundo cheio de pessoas loucas que estão dispostas a fazer qualquer coisa para se tornar um Deus ou uma divindade superior.

Mesmo antes do nascimento do Templo dos Cem Deuses, não haverá nenhum sistema ou regra para controlar os Deuses.

O grande buscador da história estava preocupado com a chegada dos Deuses.

Mas, na minha opinião, já é tarde.

Aqueles próximos a Deus devem ter tentado comer mortais à primeira vista para se tornarem Deuses de alguma forma.

Mesmo a vaga divindade deve ter lutado para renascer como uma divindade mais poderosa.

Deuses fortes comem uns aos outros, Deuses fracos comem mortais.

Não haverá nada além do inferno.

[Sim, não era assim naquela época, no entanto. Quando passou um pouco mais de tempo lá, isso foi um problema real.]

Parecia que sim.

Eu levantei.

[Você está saindo?]

“Sim.”

Agora era hora de se mover novamente.

A história de Ahbooboo era interessante o suficiente para que eu tivesse curiosidade sobre ela, mas agora eu realmente precisava me mover.

[Ei, ouça um pouco mais. É divertido. Você ficará curioso.]

Ahbooboo me convenceu.

Certamente, a história de Ahbooboo era certamente interessante.

Foi muito emocionante e estimulou minha curiosidade.

Mas agora tenho um motivo para agir rapidamente.

“Eu tenho que resolver isso o mais rápido possível.”

[Existe realmente uma necessidade de fazer isso?]

Existe.

Exatamente, simplesmente aconteceu.

“Hochi está aqui.”

Eu senti a existência de Hochi.

Não sei o que diabos ele estava pensando em vir aqui.

Hochi não vai durar muito aqui.

Mesmo que Yong Yong ou vovó viessem.

Mesmo que ele não venha mais desde o início.

Havia um limite para quanto tempo ele poderia durar.

Uma semana, aconteça o que acontecer.

Agora, eu não poderia voltar atrás e salvar Hochi.

Eu vim longe demais para isso.

Para salvar Hochi, tive que olhar para frente, não para trás.

O Deus da Ordem teve que ser morto antes que o maldito Hochi morresse aqui.

“Merda”

Eu estava lutando até a morte porque já era difícil, mas de repente tive uma briga com o tempo.

Aviso do Tradutor:

Otakinho

Otakinho

Boa Leitura S2 S2
Chave Pix copiada!
PicPay copiado!
Rolar para o topo