Capítulo 36: Exame (2)

O Vilão Quer Viver

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

“Desça daí, idiota!” Relin gritou de repente, usando uma linguagem mais abusiva do que Deculein. Seu rosto avermelhado estava prestes a explodir.

“Acalme-se, Professor Relin.”

“O quê? O-oh… Mas…”

Deculein acalmou Relin, caminhou lentamente e parou na frente de Epherene.

“… Posso, certo?” Ela havia perdido a racionalidade, mas Epherene ainda tinha dúvidas em sua voz.

“Eu disse que você poderia escolher qualquer um aqui. Eu não impus nenhum limite.” Deculein atirou sua bengala no chão.

Baque-!

O eco trovejante e a onda de choque desgrenharam o cabelo de Epherene.

“No entanto, eu preciso me colocar em uma condição desvantajosa adequada. Eu não vou atacar você, e se esta bengala cair no chão, será sua vitória.”

“… OK.” Epherene cerrou o punho enquanto assentia.

Deculein ficou do lado oposto dela. Ela podia sentir seu coração batendo loucamente.

Independentemente disso, para ela, este foi um momento de esperança. Era como se o dia com que ela sonhava tivesse finalmente chegado.

“Hooooo…” Após respirar fundo, ela primeiro imbuiu mana em sua pulseira.

“Começa.” rajadas de vento envolveram o corpo de Deculein.

Aceleração. Magia elementar pura também pode ser usada para acumular e aceitar elementos do vento.

As pessoas frequentemente se enganavam que a aceleração funcionava apenas nos movimentos do corpo. No entanto, também pode afetar a velocidade da magia. A lacuna entre os disparos de magia poderia ser encurtada por isso.

“…”

Epherene terminou o aquecimento silenciosamente.

Uma batalha entre magos geralmente não diferia de uma batalha entre atributos. Cada pessoa carrega para a batalha com o elemento apropriado para suas habilidades ou para contra-atacar seu oponente.

Mas Epherene não precisava fazer isso.

Seu atributo era um vessel e não um elemento. Sua própria pulseira era seu atributo.

Servia como um ‘catalisador’ que comandava a magia, permitindo que todos os quatro elementos fossem usados ​​sem penalizá-la ou reduzir seu desempenho.

“Huff!”

Epherene conjurou chamas lançando [Vento de Fogo], uma magia de classe intermediária. Ela então o deixou correr solto ao redor de Deculein, prendendo-o nas correntes abrasadoras tão densas que ele não podia mais ser visto.

Ela então adicionou propriedades terrestres à chama, soltando partículas de carvão que amplificaram as chamas e geraram uma alta concentração de oxigênio em seu interior.

Grrrrrrrr—!

Sua magia incineradora encheu o estádio, engolfando toda a poeira mágica inflamável e oxigênio, resultando em uma série de oxidação e combustão.

A poeira explodiu.

BOOM—!

Começando com uma única explosão, dezenas de outras erupções ocorreram no ar.

Boom-! Boom-! Baaaaaam—!

Sua magia foi destrutiva o suficiente para perturbar até mesmo o professor Relin. Mesmo sua intensidade e calor eram muito mais do que o membro do corpo docente esperava.

Booooooom—!

Epherene dominou a evocação dessas misturas mortais de magia.

Combinando três propriedades, ela criou um bombardeio de magia que maximizou o poder do elemento mais destrutivo, ‘Fogo’.

“… Haa.” Após usar seu mana, Epherene suspirou e olhou para a posição de seu oponente, mas apenas fumaça saindo do estádio que ela quase incendiou encheu sua visão.

– Ele conseguiu escapar? Ela não baixou a guarda, mas, ao mesmo tempo, ela se perguntou se ela o matou.

Ela não estava preocupada com ele, no entanto.

Um vento frio dissipou a fumaça, revelando uma bola de fogo semelhante a uma concha além dela.

Dadada— Dadada—

Entre as ondas furiosas de chamas, os olhos azuis de Deculein irradiaram enquanto ele a olhava apaticamente, parecendo como se a magia dela nem pudesse tocá-lo.

Foi exatamente como ela esperava.

Scwhiiiiii—!

Seus fogos morreram em um flash, extinguindo sua magia incineradora completamente. Ela não conseguia nem começar a entender como isso era possível.

“…”

Mordendo os lábios, ela lançou [Bombas de Balas Perdidas], que se espalharam como balas mágicas por todo o lugar indefinidamente.

Dududududu—!

No entanto, tudo o que estava ao alcance de Deculein parou e teve sua propriedade sobre elas confiscada. Ele então extinguiu todos eles sem nem mesmo usá-los. Afinal, ele prometeu não retaliar.

“Ughhh…”

Deculein apenas ficou lá e olhou para ela, fazendo-a sentir como se ele estivesse apenas brincando com uma criança.

“Já que chegou a isso..” Magia coerente com Epherene.

Ziiiiit—

Mas ocorreu um erro em seu processo de materialização, fazendo com que se dissolvesse com uma faísca em vez de se materializar.

Epherene rapidamente descobriu o motivo por trás disso: a interferência de mana de Deculein.

“Você tem o hábito ao usar magia.” Ele disse, observando os padrões da magia dela através de sua [Visão].

Era quase impossível interpretar e dissolver magia em tão pouco tempo, já que isso consumia mana severamente.

“Quanto maior for o seu movimento para a magia, mais seu hábito se torna proeminente.”

No entanto, após experimentar a magia do oponente algumas vezes, e se alguém tivesse certeza sobre seu ‘hábito’, seu consumo de mana seria reduzido exponencialmente.

Simplificando, Deculein com seu [Entendimento] tinha agora totalmente desvendado a magia de Epherene, permitindo-lhe encontrar instantaneamente seu ‘circuito central’.

“Magos de alto escalão sempre escondem seus hábitos. Não, eles nem têm um, ”Deculein continuou em um tom que soava como se ele estivesse falando com um fracasso.

Epherene continuou tentando formar magia, mas seus esforços foram em vão.

Ziiiii— Ziiiii—

Os sons de suas tentativas de curto-circuito ecoaram sem parar.

“Você não conseguirá usar magia na minha frente.”

“…”

Epherene cerrou os dentes, desistindo de materializar a magia. No entanto, ela não desistiu da batalha em si.

Ela ainda tinha seu último recurso.

‘Não dê a ele espaço ou tempo.’

E se ela se concentrasse em romper apenas uma parte dele e fechasse a distância entre eles? E se ela liberasse magia bem na frente de Deculein?

‘Tenho certeza de que ele não terá tempo para dissolver ou interferir na minha magia.’

Epherene não se tornou um mago ao se formar na academia. Portanto, ela não deixou seu corpo ficar fraco devido à atrofia. Treinamento físico e exercícios faziam parte da rotina de Epherene.

“Huuuph!” Com seu corpo acelerado pela [Aceleração], Epherene atacou e rapidamente alcançou Deculein. Quando ela estava prestes a liberar sua magia, Epherene ficou cara a cara com seu dedo.

Ele estava se aproximando cada vez mais, mas ela não conseguia se esquivar a tempo.

Baaam—!

A dor que ela sentiu foi imensa.

Epherene foi forçado a recuar enquanto agarrava sua testa e logo tropeçou e caiu no chão.

“Contudo.”

A voz de Deculein encontrou seu caminho em seus ouvidos.

Olhando para cima, ela o encontrou ele a olhando enquanto estava em frente a ela…

… Com um sorriso que não era familiar para ela.

Seus olhos pareciam mais serenos e satisfeitos do que nunca.

“Não foi ruim.”

Deculein deu-lhe um elogio tão elevado quanto seu gosto por sua nova bengala.

Incapaz de entender o que estava acontecendo, Epherene apenas olhou para o rosto dele enquanto ainda estava no chão.

– Eu… acabei de receber o reconhecimento dele? Ela desmaiou com esse pensamento em sua mente. Seus amigos logo vieram correndo e a levaram para o estádio.

“Próximo.”

“Uhm, professor, o estádio estava—”

Relin tentou apontar o óbvio, pensando que eles deveriam fazer uma pequena pausa, mas Deculein reparou o lugar rapidamente. Sua [Psicocinesia] fez a terra levitar, e por meio de [Ductilidade] e [Transformação], telhas foram feitas.

O que ele fez era ainda mais limpo do que os instalados na sala antes.

Não foi difícil de fazer, mas a velocidade com que ele o fez e seu ritmo foram incríveis. Esse ato por si só mostrou porque ele era o epítome da magia nobre.

“Próximo, Lúcia.”

A aula continuou depois como se nada tivesse acontecido.

A batalha anterior continuou se repetindo na mente dos magos, no entanto.

Todos olharam para Epherene, mas se concentraram muito mais em Deculein.

Eles ficaram mais certos sobre a razão por trás da fama e orgulho do Professor Chefe; ele levantou um trem usando [psicocinese], afinal.

Se Epherene era uma minhoca, Deculein era um dragão.

Essa era a grande lacuna que os dois magos tinham quando se tratava de seu calibre.

#02#

Na segunda-feira seguinte, primeiro dia de exames.

“Uhm… É assim, então?”

“Sim, é isso.”

Após terminar seu primeiro teste e tirar uma soneca na sala do clube, Epherene abriu os olhos ao som de uma conversa. Ela levantou a cabeça como se seu corpo estivesse grudado no sofá.

“Oh, eu estava tão confusa. Obrigada.”

“Não se preocupe com isso. Você pode me perguntar a qualquer hora.”

Ela encontrou Julia com um cara: um veterano gentil e bonito. Eles estavam flertando?

Epherene enxugou sua babá e se levantou.

“Oh, Ifi! Você está acordada. Você conhece Ifi, certo? ” Com a pergunta de Julia, ele olhou para ela.

“Claro, como não posso? Ela lutou com o professor Deculein. ”Drent, o mais velho deles, passou no teste de promoção no ano passado e estava na mesma posição que um ‘Solda[1]Rank/Posição que vem após Estreante’. Sua grande aparência e habilidades o tornaram famoso entre os magos plebeus, a quem ele não discriminava.

“Você é aquela garota, certo?”

“… Ah, sim!”

“Eu estava pedindo a ele para olhar a tarefa que Deculein deu. Seu prazo é de cinco dias.”

“Huh? Espere, cinco dias…?”

Epherene, coçando a cabeça, percebeu sua tarefa em sua mesa, fazendo-a lembrar que adormeceu enquanto respondia.

‘Esperar. Sem chance. Ele deu uma espiada?

Drent, aparentemente lendo sua mente, sorriu. “Eu não li. Não é educado, certo?”

“… O quê? Oh haha. hahaha… Bem, não é nada disso.” Epherene devolveu sua tarefa em sua bolsa.

– Não posso ficar babando assim. Ela só dormiu de 3 a 4 horas por dia nas últimas duas semanas, o que a deixou um pouco fora de si.

Ele sorriu quando estendeu a mão para ela. “Devo verificar a sua também, Epherene?”

“O quê?”

“Mostre-me. Eu vou checar isso.”

A reputação de Drent era bem conhecida. Ele era um mago do hexágono que dominava seis tipos de magia igualmente. Apesar disso, Epherene balançou a cabeça com um sorriso amargo de qualquer maneira.

“Não, eu estou bem.”

“Huh? Não, está tudo bem. Já verifiquei a atribuição de Julia.”

“Não, não. Não escrevi bem o suficiente para mostrar a ninguém.”

Julia, que observava os dois desconfortavelmente, intercedeu usando o tempo como desculpa. “Oh? São quase 4 horas. Nosso próximo teste está prestes a começar. Estamos indo agora, mas obrigado, sênior!”

“Huh? Oh, tudo bem. Aproveite ~”

Os dois saíram da sala do clube.

“Drent é bonito, não é?” Julia disse enquanto caminhava pelo corredor.

Epherene balançou a cabeça. “Acredito que não.”

“O quê? Por que não?”

“Ele é bom para todas as mulheres.”

“Ahhh ~ Isso é verdade. Ele comparecerá a uma audiência pública desta vez.”

“Defesa de tese?”

“Sim.”

As defesas da tese foram realizadas cerca de uma semana após o exame de meio de semestre. Alunos do último ano promovidos de estreantes a Solda apresentariam suas teses de mágica para serem avaliadas por professores da torre.

Para permanecer como magos na torre da universidade, Epherene e Julia inevitavelmente se submeteriam à mesma provação algum dia.

Epherene murmurou.

“Estou com tanto ciúme. Ele está um ano à nossa frente, certo?”

“Sim. Oh, Sylvia pode ser capaz de fazer isso em meio ano.”

“… Como assim?”

“Ela teve muitas aulas. Suponho que seu único dia de descanso é o domingo, o que mostra o quão louca ela é por magia.”

O elevador da torre logo chegou.

Ambos pressionaram o botão onde estavam fazendo seus testes. A de Julia ficava no 4º andar e a de Epherene ficava no 11º andar.

Ding—

Chegando ao 4º andar, Julia acenou e saiu. “Vou indo! Boa sorte no seu exame, Ifi!”.

“Sim, você também. Boa sorte.”

Hwaaaaaa… ..

Enquanto ela bocejava, a porta se abriu no 6º andar, revelando uma maga loira parada na frente dela.

Sylvia.

“…”

Sylvia entrou no elevador indiferentemente, resultando nas duas paradas lado a lado.

“…”

Hesitante, Epherene fez uma pergunta a ela. “Uh… Você se saiu bem no exame?”

“…”

Sylvia acenou com a cabeça.

Ela não tinha mais nada a dizer.

– Ela se saiu bem ou o quê? Epherene se sentia estranha de pé tão perto dela, então ela olhou para os nomes de cada andar em vez disso.

Foi quando ela percebeu.

[77º andar: Escritório do Professor Deculein / Laboratório de Pesquisa].

Ding-

A porta se abriu novamente, desta vez no 10º andar.

Epherene tentou se despedir, mas Sylvia estremeceu ao sair do elevador.

“Da próxima vez, não mexa com o professor. Você tem sorte de não ter morrido naquele dia.”

“…?”

Sua voz parecia cansada, mas permaneceu fria.

Ding-

O elevador fechou e Epherene olhou fixamente para ele.

“… O que há com ela?”

#02#

77º andar, laboratório de pesquisa do professor chefe.

Eu estava analisando um artigo de pesquisa.

Após enviar as perguntas do teste, esse foi o único trabalho restante que me restou na torre.

“Então…”

O esboço da tese, que era vago e distante, foi saindo aos poucos. Sua ideia em si era excelente.

No início, ele continuou contando histórias sobre madeira, fogo, carvão, lápis, diamantes e assim por diante, mas eu finalmente percebi seu verdadeiro ponto após estudá-lo por um longo tempo com a ajuda de [Entendimento].

Sua ideia estava relacionada ao carbono.

O potencial do elemento carbono era tão grande que, se conseguisse estabelecê-lo, conseguiria criar uma escola teológica sobre ‘carbonos’.

Claro, isso não significa que utilizaria o próprio carbono.

Em vez disso, ao combinar suas propriedades únicas, ou seja, sua combinação quase infinita com alótropo, ele forneceria magia com imensa flexibilidade e abriria muito mais possibilidades.

Mas foi difícil para eu aprender.

As mágicas ‘Memorizar’ e ‘Materializar’ criadas com base nesta tese exigiam talento em quase todos os atributos. Seu consumo mágico seria muito alto de outra forma.

Claro, a distinção entre ‘desenvolvimento mágico’ e ‘aquisição realista’ era fácil de apontar.

Era exatamente como “físicos teóricos” e “físicos experimentais” eram completamente diferentes na ciência moderna.

Linnel, que desempenhou um grande papel nas escolas de magia deste mundo, naturalmente tinha uma certa quantidade de poder prático, mas ele não era bom em lidar com a magia que criou junto com seus discípulos.

No entanto, ele estava na mesma posição que Einstein, a quem ninguém poderia acusar de não realizar experimentos com base em suas teorias.

“Esse discernimento é ótimo e tudo, mas…”

Neste mundo carente de ciência, o pai de Epherene, descobrindo que carvão, lápis e diamantes estavam, na verdade, sob o mesmo elemento, concebeu a ideia de usar suas propriedades para a magia.

“Ele desistiu no início da pesquisa?”

O procedimento que ele forneceu estava menos da metade. Ele também tinha vários erros e informações ausentes. A maior parte também se baseava na intuição.

Claro, as teses dos magos eram geralmente 70% a 80% intuitivas e 20% a 30% teóricas, considerando que esses números eram suficientes para entender suas pesquisas e lançar a magia que estavam analisando.

Deixando isso de lado, um mago me veio à mente que combinava com a magia que eu estava estudando.

“… Epherene.”

Uma estreante ousada da minha última aula com a habilidade de usar todos os quatro elementos principais usando sua pulseira como um catalisador.

“…”

Quanto mais ela fazia isso, mais profundas as perguntas de Epherene sobre seu pai cresciam, no entanto. Tirei o pingente que coloquei em uma gaveta no canto do laboratório.

Ele manteve com segurança uma imagem de Epherene como uma criança.

Mas, porque o rosto de seu pai foi cortado nele? Não foi estranho receber uma foto assim?

“…”

Após olhar para ele por alguns momentos, saí do laboratório, voltei para o meu escritório e peguei um livro.

Enquanto eu estava lendo, algo chamou minha atenção. Mudei meu olhar rapidamente para ele.

“…?”

Encontrei um falcão olhando para mim enquanto estava do lado de fora da janela do meu escritório.

Enquanto eu olhava para ele, ele inclinou a cabeça como se estivesse olhando para algo, fazendo-me inclinar um pouco a cabeça também de espanto.

Brrrrrr—

Ele logo voou com pressa, quase como se alguém o tivesse repreendido.

“Tem dono?” Suas penas pareciam bem cuidadas e bem limpas.

Fechei as cortinas da janela.

#02#

O Time de Aventureiros Garnet Vermelho esperava por um navio em Lukan, uma cidade costeira de propriedade de Yukline na parte oeste do Império.

“É aquele?” Ganesha apontou para um navio do outro lado. Uma criança deveria chegar ao Arquipélago hoje.

“Sim.”

Apenas um, entretanto. Dois parentes do garoto ainda estavam no arquipélago.

“Está se movendo muito devagar.”

“Você não está apenas correndo demais?”

“Você tem me respondido muito ultimamente.”

“Eu não estou respondendo. Estou apenas dizendo a verdade.”

O navio chegou enquanto eles discutiam, permitindo que a criança finalmente desembarcasse dele.

Assim que viu sua aparência fofa, Ganesha acenou para ela quando o vento começou a soprar em seus cabelos.

“Ei! Por aqui!”

A criança sorriu brilhantemente ao notar seu cabelo ruivo esvoaçando como asas.

“Já faz muito tempo, Ganesha.”

Ela conheceu muitas crianças no Arquipélago. Entre as três que tinham talentos especiais, ela era a favorita.

Ela parecia preciosa, seus dedinhos ainda mais. “Lia ~ Você não sentiu minha falta?”

Lia, uma criança de cabelos pretos e olhos castanhos, não era apenas talentosa, mas também madura para sua idade. Ela sempre parecia saber o que queria fazer e como fazer.

Suas ações por si só não eram mais as de uma criança, mas era exatamente isso que fazia Ganesha ter pena dela.

“Claro, eu senti sua falta – kukgh!”

Ganesha abraçou Lia com força antes que ela pudesse terminar a frase. “Senti sua falta, Lia!”

“Você está me machucando e sufocando. Isso é abuso infantil, realmente…”

Ela simplesmente não conseguia se conter. O rosto de Lia, saindo de seus braços como um coque, era muito fofo para ela resistir.

“Seu aniversário já passou! Você não é mais uma criança segundo a lei imperial.”

“Não, hein, o quê…? Ei, eu disse que dói. Me solta, sua idiota…!”

Ela era tão madura que seu comportamento só a fazia parecer mais bonita.

“Me solte já… Me deixe… ir…”

“Oh, desculpe”. Só então Ganesha a soltou.

“Você é uma idiota de verdade?” A garota olhou para ela.

“Desculpe, desculpe. Devemos ir? Comprarei algo delicioso para você.”

“… O que você vai comprar?”

Ganesha pensou que observar quanto e quão longe essa criança iria crescer se tornaria um de seus hobbies favoritos no futuro.

Notas

Notas
1 Rank/Posição que vem após Estreante

Aviso do Tradutor:

Croollly

Rolar para o topo