Capítulo 44: Hadekain (2)

O Vilão Quer Viver

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

… Voltando para a residência do Senhor, Yeriel tirou seu diário de infância.

Coberto de poeira e guardado em uma velha gaveta, continha memórias de muito tempo atrás.

─ Eu não fui repreendido quando tomei café da manhã hoje, então meu irmão falou comigo. Fiquei feliz o dia todo por causa disso.

— Deixei cair minha faca enquanto jantava. Meu irmão me olhou como se eu fosse patética, o que me deixou triste. Foi minha culpa. Agora, mesmo que meu irmão não me repreenda, tenho que ter certeza de que posso fazer melhor por conta própria.

─ Farei amanhã o que não consegui fazer hoje. Tenho que trabalhar muito.

— Meu irmão não gosta quando eu choro, mas eu gostava mesmo quando não deveria. Por que não consegui segurar…

“… Idiota.”

Ela fechou o diário, pois não suportava mais lê-lo.

‘Por que eu estava tão fraca naquela época? Por que diabos eu agi como uma idiota?’

Yeriel suspirou e olhou para as luvas no canto da mesa. Foi um item de luxo que Deculein deu de presente.

“Presente, minha bunda.”

Yeriel praguejou.

Ela nem conseguia se lembrar do passado quando ansiava pelo amor. A criança cujo mundo foi abalado por cada palavra sua já estava morta.

Tudo o que restou foi a dor que ela queria esquecer.

“Eu não vou ser enganada, seu idiota.”

Yeriel agarrou seu presente e tentou jogá-lo fora.

“… Caramba.”

Mas ela não conseguiu mover os braços.

Foi o primeiro presente que ela recebeu na vida, pois nunca havia recebido um ‘feliz aniversário’.

Yeriel colocou as luvas na gaveta.

“Só não preciso usar de qualquer maneira.” Ela resmungou e acenou com a cabeça.

#02#

21h.

Pessoas se reuniram na floresta atrás de [Hadekain Romance]. A primeira atividade em seus três dias e duas noites de estadia aqui foi assistir a fogos de artifício mágicos.

Com aplausos poderosos, raios cintilantes mágicos subiram para o céu.

Fizz- Hiss- Boom-!

Eles explodiram no ar e bordaram lindamente a escuridão da noite.

“Uau…”

“Tão bonito…”

O lugar estava cheio de exclamações puras. As três crianças do arquipélago – Carlos, Leo e Lia – estavam entre a grande multidão que assistia aos fogos de artifício.

“Como esperado de Sylvia. Isso foi impecavelmente perfeito.”

Cada um dos sete professores do Departamento de Magia deu à sua equipe uma pontuação perfeita para cada fogo de artifício.

“Ifi. Você está pronta?”

“Sim.”

A equipe de Epherene foi a última. Trazendo fogos de artifício que eles gravaram com um encantamento com antecedência, Epherene, a líder da equipe, gritou.

“Usamos magia de destruição e magia harmônica para…”

“Basta atirar.”

“… OK.”

Os professores nem fingiram estar interessados. Sentindo-se para baixo, ela concentrou sua magia em sua pulseira.

Seu crescente poder mágico permeou a pilha de fogos de artifício, fazendo-os explodir imediatamente.

Fizz-!

A magia atingiu o céu e explodiu.

Boooooom-!

Como explicou Epherene, a festa de destruição e harmonia que se seguiu fez cortinas tão bonitas quanto a aurora.

Era um resultado que poderia ser comparado ao da equipe de Sylvia, mas seus professores não pareciam satisfeitos.

“É bonito, mas o som é muito alto. Meu ouvido dói.”

O professor Siare do Departamento de Destruição deu 6 pontos.

Letran do Departamento Espiritual deu 4 pontos.

“Quero dizer porquê?!” Julia exigiu uma explicação, mas eles apenas a olharam em silêncio. Ela fez beicinho e voltou.

“Tudo bem.”

Epherene confortou Julia.

Ela esperava muito de qualquer maneira. Os professores odiavam o clube dos plebeus.

Contudo…

“10 pontos. Eles encontraram o equilíbrio perfeito entre magia de destruição e magia harmônica.”

Eles receberam uma pontuação perfeita do nada.

Deculein.

Surpresa, Julia perguntou. “O quê?! Dez pontos?!”

Enquanto Deculein assentia, os professores se entreolharam lentamente. Relin, ao lado de Deculein, elogiou e deu 10 pontos. Os professores depois dele também fizeram o mesmo.

Apenas Siare e Letran, que deram 6 e 4 pontos respectivamente, começaram a suar frio. Eles interpretaram isso mal como o ‘novo método de Deculein para ferrá-los’.

“Aqui estão os resultados do concurso Magic Fireworks! O 1º lugar é o Time Sylvia com 70 pontos, o 2º lugar é o Time Epherene com 60 pontos, o 3º lugar é o Time Beck com 58 pontos… ”

Graças a isso, a equipe de Epherene ficou em segundo lugar. Seus membros riram, mas ela olhou para Deculein com um sentimento ligeiramente complicado.

“…”

No entanto, ele já havia saído sem olhar para ninguém.

“O que foi isso?”

“Puxa, isso é ridículo.”

“Ei, eu estava certo. Ela é a favorita de Deculein.”

“Isso mesmo. No início do semestre, ela deveria ser punida, mas não foi devido a Deculein. Há rumores de que ele deu aulas particulares para ela.”

“Puxa. Eles estão saindo ou algo assim?”

“… De jeito nenhum. Ela é bonita, mas não acredito que seja o tipo do Professor Deculein.”

Um grupo de nobres magos sussurrava enquanto fofocavam, o que era impróprio para sua origem aristocrática.

Epherene ficou furiosa, mas ela não disse nada.

“Ifi, olha isso! Esta é a recompensa por chegar em segundo lugar! ” Antes que ela pudesse fazer algo imprudente, Julia veio com o segundo prêmio. Era um licor forte.

Epherene o agarrou, abriu e já tirou um gole.

“Caramba! O que há de errado com você, Ifi?”

“Espera. Tenho que ir a algum lugar.”

Assim que Epherene o devolveu a Julia, ela correu a toda velocidade, lembrando-se de onde veio.

Ela tinha inúmeras perguntas que precisava fazer a ele e inúmeras coisas que ela queria saber.

Hoje foi apenas um gatilho.

“Pant, pant, pant[1]Onomatopeia de arfar…”

… Ela se sentia como se tivesse corrido por cerca de 30 minutos antes de encontrar Deculein em um banco à beira da estrada escura. Havia um cavalo parado ao lado dele.

Ela engoliu em seco.

Ele não parecia se importar com ela, mas ela hesitantemente se aproximou e se sentou no banco em frente.

“… Professor.”

Deculein não respondeu. Epherene continuou sem hesitação.

“Sei que é rude da minha parte, mas tenho uma pergunta sobre o teste de promoção.”

Só então Deculein olhou para ela.

“Você quer dizer sobre Drent?”

“Sim.”

Epherene sentiu que algo não estava certo sobre sua tese.

A “Preservação do Fogo” e seu método de fundição apresentado por Drent fez com que uma certa suspeita ficasse mais forte nela a cada dia que passava.

“O conteúdo de sua tese…”

“É semelhante à sua tarefa. Não, é quase idêntico. Você acabou de perceber isso agora?”

Deculain olhou para ela como se ela fosse patética.

“Um…”

Epherene tentou falar, mas nenhuma palavra saiu.

Claro, ela não pensava que ele iria afirmar isso com tanta certeza, mas, no fundo, ela já sabia ser dela.

Ela baixou o olhar, sentindo a tristeza crescendo dentro dela.

“…”

Os nobres que não conheciam nada melhor fofocavam que Deculein a favorecia, rotulando suas ações como afeto.

Isso realmente poderia ser chamado favoritismo?

Se sim, por quê?

Por que diabos?

“… Porquê?”

Epherene olhou para as pedras caídas na calçada enquanto uma brisa passava por seu manto.

Ela podia ouvir as risadas dos bruxos não muito longe deles.

“Isso não é diferente com a minha punição, o clube e a tese de Drent…”

Ela precisava fazer uma das perguntas mais importantes que ela estava morrendo de vontade de encontrar a resposta.

“É devido ao meu pai? É pelo seu senso de dívida?”

Epherene perguntou com coragem enquanto orgulhosamente erguia a cabeça.

Deculein, o professor mais odiado, estava olhando para ela, seus olhos azuis fazendo seu corpo tremer só de olhar para eles…

“Descubra por si mesmo.”

“…”

“Não seja teimosa. Você não é mais uma criança. ” Deculein se levantou de seu assento enquanto deixava aquelas palavras saírem de seus lábios com frieza.

Em um instante, parecia que toda a tensão em seu corpo havia sido drenada.

No entanto, ela logo se encheu de raiva.

Epherene cerrou os punhos.

“… Eu ia de qualquer maneira!”

Suas palavras fizeram Deculein se voltar para ela.

Ela não evitou seu olhar. O fogo em seu coração não congelou desta vez.

“Estarei propondo ficar sob sua supervisão.”

“…”

“Ao fazer isso, vou revelar o que aconteceu e a razão pela qual meu pai cometeu suicídio!”

Deculain apenas olhou para ela. Não houve a menor mudança em seu rosto.

“Você uma vez disse que eu sou uma joia.”

Ela não sabia. se arrependeria de dizer essas palavras um dia.

“Você é, então não desperdice seus talentos.”

Lágrimas brotaram de seus olhos enquanto seus lábios fechados tremiam.

“Se for assim, então eu definitivamente irei te ultrapassar. Eu me tornarei maior do que você enquanto você me observa de seu cavalo -!”

Epherene, que vomitou todas as suas emoções antigas e reprimidas, ficou sem fôlego.

Sem querer, ela enxugou as lágrimas com a bainha do robe.

“…”

O ar noturno soprando suavemente em sua vizinhança esfriou seu calor.

Sob as estrelas, Deculain ficou imóvel, seu silêncio assustando Epherene. Ela percebeu o que fez um pouco tarde demais.

Contudo…

“Essa é uma boa atitude.”

Ele não tentou quebrar sua vontade.

Ele não a desprezou ou zombou dela.

“Desafie incessantemente a própria vida.”

Pelo contrário, ele parecia bastante respeitoso.

“O que quer que esteja esperando por você no final do seu caminho, use-o como sua coroa de louros.”

Deculein montou em seu cavalo.

Epherene observou suas costas recuarem em silêncio enquanto o cavalo vermelho que o carregava rapidamente se afastava.

“… Eu vou.”

Epherene sorriu e acenou com a cabeça.

Como ele disse, ela desafiava incessantemente a própria vida.

– Portanto, quero que você alcance uma posição muito mais elevada do que qualquer outra pessoa. Depois que você atingir o auge de seu crescimento, quero ser eu mesmo quem vai acabar com você, e não mais ninguém.’

Até então, ela…

“Ai!”

Ela sentiu uma dor surda nas omoplatas.

Epherene deu um tapinha em seu ombro e olhou para o chão, encontrando uma pedra ainda rolando na terra.

“O que é agora…”

Ela olhou para uma árvore próxima, encontrando um falcão olhando para ela.

– É aquele que jogou isso? Parecia ridículo, mas fazia sentido. Uma pedra segurada pela garra do falcão voou em minha direção.

Aquele falcão o havia jogado.

“O que você está— ai! Ei, pare de jogar— Argh, este pássaro—”

#02#

Cheguei na entrada do Desfiladeiro Crebas em uma hora devido ao incrível desempenho do Cavalo Vermelho.

“Isso é tudo por hoje. Volte para os estábulos e volte ao meio-dia.”

Mandei o Cavalo Vermelho de volta. Eu não sabia se ele iria ouvir minhas ordens ou não, mas não havia nenhum sinal de cansaço em seus movimentos.

“… É uma morte”

Fiquei parado e me lembrei do recente incidente.

A declaração de Epherene hoje não foi uma variável de morte. Mas foi um tanto desconcertante.

Ela planejava se colocar sob meu controle?

Não foi ruim. No entanto, não estava claro se ela seria uma adaga pressionada contra minha garganta ou uma adaga embainhada para eu empunhar.

Foi tão repentino e eu ainda não sabia o que “exatamente” Deculein fez com seu pai.

Ele poderia ter cometido um crime digno de morte ou algo que poderia ter sido consertado com uma simples repreensão.

Eu queria saber, mas não havia como fazer isso…

#sistema-roxo#

[Missão independente: Complete o curso]

◆ Moeda da loja +4

◆ Recompensas por conquistas adicionais

#sistema-fim#

Uma mensagem do sistema apareceu.

Charlotte e seu grupo estavam se aproximando de longe. Cobertos de poeira, eles suspiraram de alívio quando me viram.

“…?”

No entanto, seu grupo  tinha apenas Maho, Charlotte e Roen. As outras escoltas não estavam em lugar nenhum.

“Vocês são apenas três?” Perguntei a Charlotte, mas ela não respondeu.

O resto morreu no caminho para cá?

Que vergonha.

Atrás de Charlotte, Maho colocou a cabeça para fora.

“Olá, Professor Deculein ~ Professor, certo? Obrigado por nos ajudar. Eu ouvi muito sobre você através de Charlotte…” Maho sorriu.

Foi bom vê-la falando muito assim que nos conhecemos.

Ela parecia exatamente como eu a havia projetado para ser, e sua personalidade era a mesma que eu vi no jogo.

“Sim. Prazer em conhecê-la. Meu nome é Deculein de Grahan Yukline. Sou o Professor Chefe da Torre da Universidade Imperial.”

“Uau, você é o Professor Chefe. Isso é impressionante. Você deve ser ótimo em magia.”

Eu apenas sorri para ela em resposta antes de voltar minha atenção para Charlotte, cuja expressão permaneceu sombria.

“Pegue. É uma nota da equipe de aventura.”

Charlotte estendeu um pedaço de papel.

[Cerca de 37 assassinos e um ‘deanant’ estão perseguindo você.]

Deanant. Assim que vi a palavra, eu fiz uma careta, um desgosto instintivo surgindo dentro de mim.

“A Família Reok se tornou corrompida demais.”

“… Sei direito?”

Deanant era uma subespécie de meio fantasmas e demônios.

Parecia e falava como um humano, e até tinha inteligência de nível humano. No entanto, tudo o mais sobre eles não era diferente de um demônio.

Os deanant também eram mais nojentos do que os demônios, porque eram produtos de um contrato. Uma magia de “Evocação de Demônios” realizada pelos magos das trevas das “Cinzas”.

Monstros que só podiam ser convocados pela mistura de um corpo humano com membros intactos e chifres de demônio, eram difíceis de derrotar fisicamente e magicamente.

“… Você está bem?” Charlotte perguntou.

“Estou bem.” As chances estavam a meu favor.

Afinal, uma vez que entrássemos no cânion, minha ‘qualidade de mana’ seria atualizada para [Classe 4], e minha velocidade de recuperação de mana sobrecarregaria meu consumo. Meu poder mágico e produção geral também seriam amplificados.

Ainda mais, uma vez que os deanant eram do tipo demônio, eu conseguiria separá-los completamente.

“Princesa Maho.”

“Sim? Sim, Sim?”

Coloquei minha pasta na estrada. Quando a bolsa se abriu, 15 sacos de aço de madeira emergiram no ar.

Seus olhos se arregalaram quando ela testemunhou.

“De agora em diante, este aço irá acompanhá-la.”

“Uau.”

Charlotte murmurou: “Essa é a magia perfeita para os acompanhantes.”

Ela puxou uma máscara de gás de mineração.

“Você não precisa disso? Trouxe quatro destes.”

Balancei minha cabeça.

#02#

O grupo entrou no Desfiladeiro Crebas.

Sua entrada não era diferente de outras trilhas de montanha. Era um pouco apertado e difícil, mas era só isso.

“Acho você uma pessoa muito gentil, Professor Deculein.”

“Eu?”

Charlotte ficou surpresa com a atitude inesperada que Deculein estava demonstrando agora.

“Claro, claro ~ Os outros nobres no império pareciam me odiar e sempre me desprezavam, o que me deixava triste. Mas você é diferente.”

“Você deve simplesmente ignorar esse tipo de pessoa.”

Ele tratou Maho com grande respeito. Cada palavra continha respeito e suas ações eram cheias de dignidade.

“Quanto mais baixo, mais eles tentam se exaltar ao desprezar os outros.”

“O quê? Hum… Sou baixa?”

“Não. Os patéticos nobres do Império são. A princesa Maho é, claro, uma pessoa de valor inestimável, mas não apenas devido ao seu sangue. Você tem qualidades únicas.”

“Uau… É a primeira vez que alguém me diz isso…”

Sentindo-se desconfortável, Charlotte interveio.

“Ei. Pare com isso.”

Ele poderia acabar seduzindo-a neste ritmo.

“…”

Deculein acenou com a cabeça e caminhou em silêncio. Seus passos, guiando-os através do desfiladeiro, eram imparáveis. Ele nem hesitou, quase como se tivesse trilhado o mesmo caminho por 20 anos.

Quanto mais eles avançavam no cânion interno, mais as florestas e a vegetação se tornavam mais roxas.

O ar estava pungente, mas respirar não era problema, graças à máscara de gás que prepararam. Mesmo assim, Deculein ainda estava com o rosto descoberto.

Seria esse o ‘exorcismo Yukline’ de que ela só ouviu falar?

“—!”

Um macaco saltou em direção a eles de um lugar desconhecido. Roen rapidamente balançou sua espada, mas a lâmina pairando ao redor do grupo o perfurou primeiro.

Kerrek-!

Era o estranho aço que Deculein empunhava.

“Uau!” Maho ficou pasma.

Deculein disse, olhando apenas para frente.

“Sua vizinhança está bem protegida, então não há necessidade de se preocupar. De qualquer forma, a este ritmo, levará cerca de quatro horas para chegar à fronteira de Yuren.”

Charlotte mordeu o lábio com força, achando aquela duração problemática.

“Quatro horas é muito tempo.”

“Não há nada que possamos fazer sobre isso. Se corrermos, podemos nos tornar viciados em magia.”

“E o deanant?”

“Sem problemas. Vou matá-lo.”

“… Você?”

“Sim.”

Charlotte balançou a cabeça. Se aparecesse, ela estava disposta a se sacrificar.

“Não. EU-“

“Cale-se.”

“… O quê?”

A voz de Deculein mudou em um instante.

Flap, flap—!

Um enxame de morcegos logo apareceu. Havia centenas deles, mas o item querido de Deculein moveu-se graciosamente e penetrou em todos eles.

O enxame de morcegos caiu contra o poder de seu aço furioso antes mesmo que eles pudessem lançar um ataque contra eles.

“Fantástico! Que tipo de magia é essa? Professor, Professor, eu—”

Maho falou com Deculein enquanto ele estava de costas para ela.

Deculain respondeu suavemente. “Princesa.”

“Sim, Sim?!”

“Cale a boca e espere.”

“Oh, tudo bem.” Assustada, Maho fingiu trancar o zíper da boca. Seus lábios continuaram se movendo, mas nenhum som saiu.

‘Calo minha boca ~ estou te ouvindo ~’

Fweeeeewww—

“…?!”

Um apito soou à distância.

Charlotte ergueu sua espada, sentindo a energia demoníaca se aproximando deles.

Os passos de Deculein pararam.

“… Ei.”

Seus olhos azuis se iluminaram instantaneamente. Sua expressão destemidamente distorcida parecia ter conseguido conter sua raiva.

Charlotte tinha muito mais medo dele.

Fweeeeewww— Fweeeeewww—

O som de assobio lentamente se aproximou deles.

Toque, toque, toque, toque, toque.

Passos leves também podiam ser ouvidos.

Uau…

Enquanto os galhos da árvore balançavam, Charlotte abraçou Maho e se cercou com um escudo de aço.

“Deixe-me dizer isso agora.” Deculein calmamente deu um aviso aos seus oponentes. “No momento em que você se aproxima, seus membros vão se desintegrar.”

O outro lado não recuou, no entanto. Em vez disso, eles mostraram uma infinidade de provocações como se estivessem ridicularizando Deculein.

Naquele exato momento…

───!

Uma ruptura de aço rasgou a atmosfera, vibrando dezenas de vezes por segundo e percorrendo a área a uma velocidade que os olhos humanos normais não podiam mais perceber.

Toda a sua vizinhança foi devastada como se uma bomba tivesse pousado e explodido.

As ondas de choque causadas pela velocidade de sua psicocinese, sozinhas, fizeram com que o desfiladeiro fosse revirado e todos os tipos de coisas surgissem: sangue, carne, vísceras.

Notas

Notas
1 Onomatopeia de arfar

Aviso do Tradutor:

Croollly

Rolar para o topo