Capítulo 52: Palácio Imperial (3)

O Vilão Quer Viver

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

… Deculein foi embora.

Como prometido, não houve revanche ou retorno. Enquanto isso, Louina permaneceu em seu lugar.

Sophien olhou para ela.

“O que você acha dessa situação?”

“… Ele parece ser melhor que eu.” Embora seu orgulho estivesse ferido, ela respondeu honestamente.

“Ele está muito melhor. Não só ele estava melhor, mas nossa batalha também foi muito mais divertida. Você é muito covarde.”

“… Eu entendo. Sinto muito.”

“Você cresceu apanhando de alguém quando era jovem?”

“Não. É porque só leio livros em casa.”

Louina aceitou as palavras de Sophien com calma. Ela não mostrou nada em seu rosto.

“Ouvi dizer que a relação entre os Yuklines e os McQueens não é tão boa.”

“… Isso mesmo.”

No entanto, ela não se sentia confiante o suficiente para ser capaz de manter a compostura contra essa pergunta. Ela abaixou a cabeça para esconder o rosto.

Quinze anos atrás, na Conferência Bercht, o ex-chefe da família Yukline atacou o chefe da família McQueen e o eliminou roubando a fonte de mana de seu pai, o que acabou tornando-o um mago. Ele então afirmou que essa não era sua intenção e que tais incidentes aconteciam frequentemente em Bercht em primeiro lugar.

Yukline então exigiu a ‘visão mágica’ de McQueen, fazendo uma variedade de promessas que ele faria a ele assim que voltasse aos trilhos.

McQueen, na época, recusou. Era uma questão de escolher o menor dos dois males.

A família deles não foi a primeira a ser vítima das atrocidades dos Yuklines.

Mesmo depois que Deculein se tornou o chefe da família, tais ações eram regularmente executadas e, como resultado, muitas “visões mágicas” estavam adormecidas no subsolo da biblioteca de Yukline.

O objetivo principal de Louina era recuperar a ‘visão mágica’ de sua família.

“…”

Depois de um longo silêncio, Sophien se curvou e olhou em seus olhos.

“Ei, você está chorando?”

“…!” Louina balançou a cabeça surpresa.

A imperatriz percebeu seus sentimentos de raiva e ódio, que não eram tão difíceis de descobrir.

Eles não eram voltados para Deculein. Suas emoções eram opacas e esfumaçadas, como se estivessem cobertas de poeira.

Ela não mostrou nenhum fragmento, no entanto.

“Louina.”

“Sim.”

“Este é o seu presente?” Sophien pousou a mão no livro de feitiços que trouxera.

“Sim”, Louina respondeu com orgulho. Era algo que o dinheiro não podia comprar. “É sobre a epifania mágica que o Grande Ancião Dzekdan de Bercht escreveu em sua infância—”

“Vou ler. Agora você pode ir também. Promessa é dívida.”

“… Sim.”

Ela se levantou em silêncio e saiu.

Sophien apoiou o queixo na mão e olhou para o tabuleiro de xadrez. A sala agora ficou em silêncio depois que os dois bruxos saíram.

No entanto, ainda havia uma pessoa com ela.

“Keiron. O que você acha dessa situação?”

“…”

“Mesmo que eu me concentre nisso, não há saída.”

Nesse ponto, ela não tinha como virar a maré. Não importa o quanto ela pensasse sobre isso, sempre resultaria em sua derrota.

A única maneira de sair disso era não estar nesta situação em primeiro lugar.

Olhando para aquele rosto, Keiron disse: “O mundo é vasto, Vossa Majestade.”

“…”

Por algum motivo, parecia que ele estava de bom humor. Sophien torceu os lábios e olhou para ele.

“Eu não perdi.”

Ela agarrou seu rei. Em suas mãos, ele se transformou em pó.

Keiron ergueu as sobrancelhas com a manifestação de seu mana.

“Se eu tivesse ido devagar, eu teria vencido. Fui pega em seus truques.”

Sophien estava confiante que ganharia se eles jogassem novamente. Ela simplesmente perdeu seu ritmo original.

“Minha próxima aula começará na próxima semana?”

“Os cavaleiros chegarão em três dias.”

Sophien fechou os olhos sem responder e logo mergulhou em seus pensamentos. Keiron também não a incomodou.

#02#

“Ainda é muito?”

Perdi no xadrez.

Claro, eu poderia derramar mana em [Entendimento] para ler seu próximo movimento e deixá-la em um canto até certo ponto.

No entanto, todo o meu estoque de mana se esgotou em 20 minutos. Usei todas as gotas que consegui espremer, mas não consegui nem terminar o jogo.

Graças a isso, percebi algo novo.

A amplificação temporária de [Entendimento].

Durante a partida, essa minha habilidade subiu para um nível mais alto, me ajudando a travar uma batalha da qual eu não tinha conhecimento. No entanto, foi um ato extremamente desperdiçado. Agora que eu não estava mais usando [Entendimento], eu não conseguia nem lembrar como eu jogava.

Era um nível de expressão diferente de “aprender” ou “estudar”.

“…”

Vim para o estacionamento fora das paredes externas do palácio, sentindo os efeitos colaterais da minha exaustão mágica. Meu carro e o carro de Louina estavam estacionados lado a lado.

“Aqueles que andavam de carruagem estão obtendo suas licenças tarde demais.”

“Mesmo? Bem, hoje em dia, os nobres não andam mais de carruagem.”

Os motoristas conversavam entre si.

“Sim. Estou feliz por descobrir isso antes.”

“Você sabe quem começou essa tendência de carros?”

“Quem?”

“Professor Deculein. Todas as tendências começam com ele.”

Embora os dois fossem motoristas, a diferença era óbvia. As costas do meu motorista estavam retas e o motorista de Louina curvou-se.

“Oh, você está aqui!”

“É uma honra!”

Quando me aproximei, os dois motoristas se curvaram. Balancei a cabeça e entrei no carro.

“Vamos voltar para a mansão.”

“Entendi!”

O motor do meu carro ligou e logo deixou o local.

Pouco depois de nossa partida, olhei para o espelho retrovisor, encontrando o carro de Louina seguindo bem atrás de mim.

Eu casualmente olhei para trás.

“…?”

Certa energia estava brilhando fracamente nas capas de couro do banco dianteiro.

Era um traço de mana.

Olhei para ele com meus olhos estreitos enquanto tomava a forma de uma frase.

“Você nos abandonou?”

“Jeff.”

“Sim?”

Foi surpreendente, mas não dei sinais disso. Eu apenas olhei casualmente ao redor do interior do meu carro.

Não houve morte

“Você saiu do seu posto após estacionar o carro?”

“Não. Fiquei perto dele o tempo todo. Já que estávamos perto do palácio imperial…”

Mesmo que Jeff fosse meu motorista agora, ele costumava ser um mercenário.

Se a frase fosse gravada de tal forma que seus sentidos não pudessem detectá-la, não seria apenas qualquer pessoa que a fizesse.

— Você nos abandonou?

Além disso, apenas com base nas palavras, era altamente provável que fosse alguém das conexões originais de Deculein.

Se for esse o caso, é um pouco chato. Essa pessoa provavelmente veio da ‘família escura’.

“Ninguém chegou perto dele? Ou você ouviu algo útil?”

“… Ah.” Jeff acenou com a cabeça como se estivesse se dando conta. “Ouvi dizer que Louina comprou uma mansão. Ela parece querer ficar aqui agora.”

“…”

Olhei para fora da janela. No cenário que passava, a escuridão caiu momentaneamente. Acreditei que fosse por magia, mas era apenas a sombra das árvores.

“É ela?”

Olhei no espelho retrovisor. O carro de Louina havia desaparecido.

Abri um livro como de costume. Enquanto lia com calma, pensei no poder de Deculein.

“…”

Da perspectiva de um jogador, os subordinados de Deculein eram obviamente irritantes. Havia muitos vilões Nomeados com maior poder de combate do que Deculein.

Mas essas conexões eram muito superficiais. Mesmo depois que Deculein morreu, nenhum evento girou em torno da vingança de seu chefe. Eles simplesmente se espalharam.

Na verdade, desde que me tornei Deculein, sua rede de pessoas sombrias desapareceu assim que cortei aquele ‘patrocínio’.

Contudo…

“Eu deveria pensar sobre isso.”

Esses caras eram diferentes.

Alguns nomes me vieram à mente, mas parecia necessário evitar ações precipitadas até que eu os visse pessoalmente.

#02#

A noite estava mais escura do que o normal.

Terhal, a capital de Iliade, esteve ocupada esses dias com a abertura de Marik e apoio para a Purificação de Demônios. Como resultado, Glitheon no Castelo do Senhor ainda estava assinando a papelada.

– A competência que o Deculein está demonstrando hoje em dia é inesperada.

Em meio aos arranhões causados ​​por seus rabiscos com caneta-tinteiro, uma voz surgiu.

Glitheon concordou com a cabeça. “Eu sei.”

As habilidades práticas de Deculein já haviam sido “detalhadas” por um certo incidente.

Mas ele acreditava que as habilidades teóricas eram inteiramente suas.

Na verdade, desde que ele ‘morreu’, suas habilidades teóricas também foram cortadas.

“O Simpósio, hein.”

Foi uma mudança de opinião, seu movimento final ou uma nova mentalidade?

O que quer que tenha causado isso, Deculein declarou sua intenção de desafiar o Simpósio.

Resolver o Simpósio neste mundo mágico pode ser considerado uma conquista até certo ponto.

Claro, isso dependia do problema, mas pelo menos o 6º, o 9º e o 11º problemas que permaneceram sem resposta por 15 anos foram especiais.

“Qual problema ele está tentando resolver?”

– Isso ainda não foi revelado, ao que parece.

“… Eu me pergunto o que está em sua cabeça que o fez repentinamente desejar fazer isso e se opor à supressão da Caixa Vermelha.”

Glitheon colocou os papéis assinados na mesa e se encostou no encosto da cadeira.

Ele olhou para a escuridão fora do castelo e sorriu.

“Ele é muito imprevisível. Eu me pergunto se é devido ao sangue Yukline em suas veias…”

Os Yuklines e Iliades estavam em uma relação de gato e cachorro, de certa forma.

Mesmo se não fosse pelo incidente de 15 anos atrás, eles ainda teriam se enfrentado, matando e sendo mortos um pelo outro.

E ainda, uma estranha relação floresceu entre eles, apesar de se reconhecerem como inimigos.

“… O que aconteceu com o cavaleiro que morreu em Bercht?”

– Ele está em espera, mas provavelmente permanecerá em espera para sempre.

Glitheon riu baixinho.

“Haha. Quem diria que ele nutria ressentimentos por Deculein.”

– Sim.

Claro, foi o Reino Reok que instigou o ataque ao próprio Bercht.

No entanto, o irmão de Glitheon, Galak, adicionou uma peça ao quebra-cabeça para tornar a invasão perfeita.

Veron.

Era fácil manipular os impulsos de um homem, visto que ele foi varrido por suas emoções.

No entanto, a vitória de Deculein foi inesperada.

Se fosse uma batalha um-a-um em um espaço limitado, ele teria passado por maus bocados, mesmo contra um cavaleiro duas fileiras abaixo dele.

“Você tem uma personalidade muito forte, Galak.”

– … Cale-se.

Tudo isso foi obra de seu irmão.

Claro, Glitheon não interveio.

Tanto superficialmente quanto internamente…

– Atualmente, há rumores de que a relação de Julie e Deculein não é tão ruim quanto costumava ser.

“Eu sei. O filho mais novo da família tem muita sorte.”

Julie deveria ter morrido no ventre de sua mãe em primeiro lugar, mas de alguma forma ela sobreviveu a isso e até mesmo prosperou, apesar de ter sido atingida por aquela “maldição”.

Era para ser incurável, fazendo Glitheon se perguntar como ela o superou.

– Ela parece ser uma flor que floresce ainda mais forte quanto mais sofre.

“Ela sofreu muito… devido a Deculein e minha família.”

– Pelo contrário, pode ter sido graças a vocês dois que ela sobreviveu. Cada indivíduo tem origens diferentes.

Glitheon riu.

“Você é muito emocional. Essa é uma hipótese inútil. De qualquer forma, você pode ir.”

– Entendi.

A sombra que estava falando com ele silenciosamente desapareceu.

#02#

Manhã de quarta-feira.

Após acordar, Epherene tomou banho e saiu. Enquanto bocejava, ela se virou sem pensar e logo se assustou com o que viu.

“Puxa… as pessoas não se cansam?”

Havia muitas coisas escritas na porta. Cai fora, filha da Puta, vadia suja, idiota, etc.

Hoje em dia, esses valentões infantis estavam ficando cada vez piores.

Ela pensou que iriam parar se ela não prestasse atenção a isso, mas apenas se enfureceu ainda mais.

“Eles são realmente nobres?”

Ela já podia deduzir quem fez isso. Beck, Lucia e Jupern, uma gangue de filhos de algum visconde com muita influência.

No início, era simplesmente patético. No entanto, logo se tornou difícil para ela se conter quando eles começaram a fazer isso com os membros de seu clube.

“Crianças falsas.”

Epherene apagou as escritas com ‘Limpar’.

Pensando nisso, ela se perguntou se verdadeiros magos só existiam na Ilha da Riqueza dos Mágicos.

O ditado de que a identidade de alguém não importava na Torre da Universidade era apenas uma ilusão. Para eles permanecerem nisso em primeiro lugar, habilidades práticas e teóricas em magia não eram os únicos requisitos. O poder político era quase tão essencial.

Considerando o número de professores envolvidos na revisão do corpo docente, isso foi fácil de deduzir.

Sigh…

Epherene deixou o dormitório e caminhou pelo campus.

Havia algumas pessoas nas dependências da escola ultimamente porque o festival escolar adiado continuou até tarde da noite.

Todas as estradas foram pavimentadas e havia muito entretenimento ao redor, como bares, festas, peças de teatro e partidas de equitação no Departamento de Cavaleiros.

Thud-!

Enquanto ela caminhava para o teatro, seu tornozelo ficou preso em alguma coisa.

Ugh!”

Epherene caiu, uma bebida derramando sobre seu corpo. Fluidos pegajosos pingavam de seu cabelo e vestes.

“Isso dói…”

“… Puxa, quem fez isso?!”

Epherene esperava um pedido de desculpas, mas ela só ouviu maldições. Ao olhar para a pessoa, ela logo entendeu o porquê.

À sua frente estava um bando de nobres liderados pela família de Lúcia da condessa Leviron. Ela olhou para Epherene, que havia caído.

Sigh.” Enquanto suspirava, Epherene se levantou, escovou seu corpo inteiro com [Limpar] e sorriu. “É você de novo.”

“De novo, minha bunda. Ei! Mantenha os olhos abertos enquanto caminha. Derramei minha bebida por sua causa!”

Lucia pressionou o dedo contra o peito de Epherene. Ela ficou furiosa, mas acreditou que não valia a pena responder a essa vadia.

Mesmo se ela lutasse aqui, ela seria a única a receber pontos de penalidade, e se o imparcial Deculein interviesse, os rumores sobre eles iriam se espalhar novamente.

As crianças hoje em dia não tinham medo dele. Eles não conheciam sua notoriedade.

Talvez seja porque ele não deu diretamente ações disciplinares ou pontos de penalização.

“OK. Sinto muito. Você terminou?”

Epherene zombou dela e se virou. Atrás dela, enquanto caminhava, ela ouviu suas vozes.

“Aquela vadia não conhece o lugar dela.”

“Como era de se esperar da vadia arrogante que mexeu com a Sylvia no início do semestre. Quem ela pensa que é?”

“Isso mesmo. Você sabia que o pai dela estava sob ‘aquele’ professor até que ele se matou?”

Naquele momento, as pernas de Epherene pararam.

“Huh? Ela parou. Ei, acredito que ela está brava.”

“O que aquele idiota vai fazer? Suponho que é verdade que ela não tem orgulho.”

“Ei. Pare. Ela irá correndo para aquele professor novamente. Teremos problemas de verdade.”

“Hoje em dia, porém, ouvi que os professores estão se dando as mãos. Se o professor Deculein se tornar o chefe do escritório de planejamento e coordenação, nossas vidas na torre se transformarão em um inferno. Ele está tentando nos manter sob controle.”

“Oh, isso mesmo. Isso mesmo. Meu pai ia deixar passar, mas após ouvir que defendeu o inimigo durante a Conferência de Bercht, ele assinou contra ele…”

Para eles, Deculein era o vilão.

Deculein era, claro, um vilão para ela também, mas eles não eram diferentes dele.

“… Idiotas.” Epherene, que mal conseguiu se conter, começou a se afastar novamente. Ao chegar ao seu destino, ela comprou uma passagem e olhou para ela.

Nove horas amanhã à noite. Retrato de um dia melancólico.

Depois, ela comeu sozinha e pediu aos membros, que encontrou na beira da estrada, que fingissem não conhecê-la na torre.

Às três da tarde, ela voltou.

[Classe A]

Hoje, a sala de aula deles era uma área ampla e aberta.

Epherene tinha se acostumado a essas mudanças sutis agora.

Ela ficou sozinha, sem nem mesmo prestar atenção aos membros do clube que estavam olhando para ela.

“Prazer em conhecê-los.”

Às três horas, Deculein entrou, parado diante dos estreantes com indiferença.

“Os projetos que eu dei a vocês podem ser enviados mesmo após o término do exame final, então não se apresse e se esforce demais.”

Essas palavras foram agradáveis ​​ao ouvido.

Deculein continuou.

“O tema da palestra de hoje é o uso prático de elementos puros, também conhecido como aplicação em série.”

Aplicação em série. Era o ‘chefe final’, o ponto focal de suas palestras.

Os magos estavam bastante tensos.

“A aplicação em série pode parecer um pouco complicada, mas não há necessidade de pensar nisso de uma forma complicada. Deixe-me mostrar um exemplo.”

Deculein atingiu o pavimento com a ponta da bengala.

Thud-!

Com aquele som, [Fogo selvagem] apareceu em toda a sua vizinhança.

Sua aparência e a forma como balançava exalavam elegância.

Já que sua beleza era mais como arte do que mágica, os estreantes, sem saber, o olharam fixamente por um momento.

“Este [Fogo selvagem] é uma combinação de fogo e vento comuns, mas…”

Um deles ficou com Rondo.

Isso o assustou, mas não estava nada quente.

“Mover.”

Rondo fez como instruído, e seus olhos logo se arregalaram.

Seu corpo parecia leve.

Depois disso, o [Fogo selvagem] agarrou-se aos outros estreantes, incluindo Epherene. Eles reagiram da mesma forma que Rondo.

“É o que acontece quando essa magia é aplicada a uma série auxiliar ou de suporte. Se seus elementos de vento e fogo estão em perfeita ‘harmonia’ em sua fórmula, ocorre um ‘efeito especial’, que vai além de simples combinações.”

Foi essencialmente um efeito bônus.

Originalmente, no jogo, se um jogador usasse [Fogo selvagem] combinado com uma série de suporte, isso afetaria a velocidade de movimento e de ataque. Esse sistema também existia neste mundo.

“[Fogo selvagem] podem ser usados ​​para destruição, é claro, mas funciona melhor quando usado como uma habilidade auxiliar, pois cada um de seus elementos puros tem suas próprias vantagens exclusivas.”

Era um fato que Epherene não sabia. Não, olhando para a reação deles, parecia que todos os estreantes não sabiam disso.

Era um sistema de jogo comum para Kim Woojin, então de certa forma, era natural para ele.

“É necessário utilizar elementos puros e harmoniosos em séries adequadas de acordo com suas características. Fazer isso não é nada difícil. Você só precisa se lembrar dos circuitos da magia que você aprendeu.”

Ele irradiou mana e criou [Bola de fogo], uma magia de destruição básica.

“A chave para esta fórmula é o circuito da [bola de fogo]. Se eu fosse removê-lo…”

A chama que servia de núcleo desapareceu, e o elemento puro [Nuvem de Trovão] tomou seu lugar.

“Você só precisa conectar seu circuito central após transplantá-lo em uma fórmula elementar pura.”

… Um momento de silêncio envolveu toda a sala de aula.

A súbita combinação de circuitos e magia os fez sentir como se suas mentes estivessem temporariamente paralisadas.

“É natural que você ache isso difícil. Você só conseguirá, após fazer isso sozinha. Epherene.”

Deculein chamou Epherene. Ao recordar o que acabara de ouvir, seu corpo estremeceu.

“E Sylvia. Venham para a frente, vocês duas.”

O primeiro e o segundo colocados no exame de meio de semestre serviriam como bons exemplos.

“Vamos tentar aplicar a serie a qualquer magia elemental pura.”

Os dois concordaram. Epherene tentou aplicar [Nuvem de Trovão] para magia de destruição.

Sua magia criou [Nuvem de Trovão] no ar, mas…

Snap-!

Deculein estalou os dedos, interrompendo-o. Não, foi apagado imediatamente.

Interferência mágica.

“Huh?”

“Errado. Novamente.”

Ela não ficou brava quando ele disse a ela para fazer isso de novo. No entanto, não importa o quão inexperiente ela fosse na série de magia, o fato de que ela foi excluída apenas com um movimento rápido dos dedos feriu seu orgulho.

“OK.” Epherene acenou com a cabeça e condensou mana mais uma vez.

“Novamente.”

Snap-!

Deculein mais uma vez cancelou sua magia e disse a ela para fazer de novo, então ela o fez.

Sylvia começou a lançar magia também, mas…

“Novamente.”

Snap-!

“Novamente.”

Snap-!

“Isso é um pouco melhor. Novamente.”

Snap-!

Seu ‘novamente’ foi interminável.

Aviso do Tradutor:

Croollly

Rolar para o topo