Capítulo 53: Movimento fetal (1)

O Vilão Quer Viver

Não carregou? Ative seu JavaScript
Atualizar

Epherene e Sylvia, que estavam tentando aplicações em série, agora estavam úmidos de suor. Sylvia conseguiu de alguma forma, mas Epherene estava um passo atrás.

“Beck. Lucia. Venham.”

Pedi a outras estreantes que aplicassem a série também.

Confusos, a próxima dupla apenas desenhou fórmulas. Havia mais intuição do que lógica em sua magia.

“… O suficiente.”

Desliguei o cristal que protegia a sala de aula. Ele desmontou sua barreira e reverteu o cenário ao nosso redor para uma sala de aula regular.

“Isso mostra onde estão seus níveis. É minha culpa por superestimar vocês. Sentem-se.”

Os estreantes obedeceram às instruções.

“Eu ia te ensinar a ver a magia como lógica, não intuição. Sem uma estrutura teórica, a intuição está fadada a se perder.”

Claro, esse era um método desconhecido, dificultando para eles compreendê-lo. Era ainda mais irritante, já que provavelmente voltariam à estaca zero.

“…”

Não poupei esforços para ensiná-los. Na verdade, provavelmente não havia professor mais fiel à educação do que eu.

Para isso, vasculhei todas as metodologias, o sistema de jogo e até mesmo livros de teocracias antigas, que, segundo rumores, seriam mais prósperos magicamente.

A lógica foi enfatizada no passado, e até pensei ser ‘sistematicamente correto’, mas na realidade, apenas cinco ou seis pessoas poderiam incorporar esse ensinamento.

Em suma, a realidade me atingiu na cara.

“Explicarei em detalhes novamente.”

Havia vários ‘sistemas de bônus’ no jogo.

Bônus de atributos, bônus de série, bônus de combinação, bônus de harmonia, etc.

Bônus de atributos, é claro, significava aumentar o desempenho e reduzir o consumo de magia ao usar atributos que combinavam com o talento do personagem, e os bônus de série não eram diferentes.

No entanto, os bônus de harmonia eram um pouco mais complicados.

Para começar, o sistema deste jogo tornou o aprendizado de magia muito mais complicado do que apenas ler livros de magia.

Exigia proficiência prática em magia e no processo de ‘internalizá-la’, que o pessoal de nossa empresa chamava de [Entendimento]. Esse processo demorou um tempo razoável, mesmo no jogo.

Os bônus de harmonia eram ativados quando a ressonância entre o [Entendimento] e a proficiência prática era perfeita.

Eu queria ensinar os estreantes como ativá-los.

“Observe atentamente.”

Peguei o giz com [Psicocinesia] e desenhei a fórmula de [Fogo Selvagem] em uma coluna do quadro-negro e a fórmula da série auxiliar na outra coluna. Em seguida, escrevi o processo de conectá-los em detalhes.

Esta palestra havia se transformado em uma aula analógica.

“[Fogo selvagem] tem um efeito especial quando aplicado a uma ‘série auxiliar’. Memorize toda a conexão entre esta fórmula e o circuito.”

Se fosse difícil de entender, eles deveriam começar pela memorização.

Os estreantes precisavam estar em um determinado nível para entrar na Torre da Universidade Imperial, considerando que haveria muitos casos em que teriam que memorizar informações difíceis e, na maioria das vezes, entendê-las posteriormente.

“Quando aplicado à série ‘Destruição’, [Nuvem de Trovão] tem um efeito especial. Memorize isso também.”

Escrevi sobre a ‘lógica’ de transplantar cada elemento puro em sua série apropriada.

Scratch

Seis pedaços de giz se moveram ao mesmo tempo. Em consideração à legibilidade e compreensão, as cores dos circuitos principais também eram diferentes.

Eu esperava que esse nível de detalhe ajudasse os alunos.

“[Ferrugem de metal], que trata o metal como uma lâmina, inesperadamente exibe um efeito especial quando aplicado à série de ‘invocação’. Você ainda não conhece sua profundidade misteriosa, então apenas o memorize.”

Escrevia sem parar, nem parando por um momento até que o quadro-negro se enchesse de objetos geométricos que pareciam padrões. Havia quase milhares de linhas e círculos aplicados em um total de oito séries mágicas.

Era uma aula de duas horas.

“Acabou o tempo.”

Não houve resposta.

Metade deles parecia exausta e a outra metade ainda estava fazendo anotações.

Um pouco depois, olhei para o quadro-negro.

O enorme quadro-negro de quase 5 metros de altura estava coberto de fórmulas.

“Sinta-se e aqueça-se na sensação de desamparo que não pode ser resolvido apenas pela intuição. Você tem que experimentar isso para saber o que falta e precisa.”

Eles continuariam pensando que seu plano era plausível até que atingissem uma barreira que não poderia quebrar.

Uma vez que o fizessem, eles mudariam de ideia.

“Darei um exame simples na próxima semana. Certifique-se de se preparar para isso.” Adicionei friamente.

Olhando para o relógio, percebi que já eram 11 segundos depois das 6 horas.

Saí da sala de aula me sentindo muito desconfortável.

#02#

Assim que a aula acabou, Epherene foi para a biblioteca. A aula de hoje foi bastante complicada e difícil.

[Aplicação ‘lógica’ do [Fogo selvagem] para oferecer suporte a séries.]

[Aplicação ‘lógica’ de [Nuvem de Trovões] à série de destruição.]

[Aplicação ‘lógica’ de [Ferrugem de metal] para invocar séries.]

[★ Importante ★ Devem ser feitos esforços para olhar ‘logicamente’, isto é, ‘magicamente’]

Segundo Deculein, na magia, se a intuição estava andando, a lógica estava abrindo o caminho. Só a intuição pode fazer com que alguém se perca.

É claro que magia e problemas básicos podem ser resolvidos apenas pela intuição. Em vez disso, pode ser mais eficiente fazer isso. O conhecimento que eles acumularam até agora os ajudaria a obter uma visão de qualquer maneira.

No entanto, quando confrontado com magia difícil que não poderia ser controlada pela intuição ou quando mergulhava no desconhecido mágico pela primeira vez, o ‘caminho’ chamado ‘lógica’ provaria ser muito mais útil.

“… Isto é difícil.”

Era uma ótima informação e poderia ser extremamente funcional no futuro.

O problema era sua dificuldade.

No início, tudo começou com algo tão simples como 1 + 1.

Ela sentiu como se tivesse fechado os olhos por um momento e os aberto em um quadro-negro cheio de fórmulas geométricas e operações matemáticas que explicavam o circuito.

“Como diabos Deculein sabia sobre isso…”

Não importa o quanto ela pensasse sobre isso, muitas coisas contradiziam a carta de seu pai.

Em caso afirmativo, ele também tinha algum grau de competência teórica?

Ou ele aprendeu com o pai dela?

Ou ele contratou outra pessoa para tomar o lugar de seu pai?

“… Vamos apenas estudar.”

Após aprender e se familiarizar com ele, ela decidiu tentar novamente mais tarde.

O professor Deculein parecia desafiá-los abertamente.

[12h00]

Ela começou ao meio-dia, mas quando terminou de estudar como uma louca, já passava da meia-noite.

Epherene colocou seu grosso caderno na bolsa e se levantou.

No caminho de volta para o dormitório, ela passou por um beco.

“…!”

Ao encontrar pessoas mantendo uma conversa interessante nele, Epherene se escondeu instintivamente.

Ela identificou a silhueta redonda como sendo do Professor Relin. A silhueta esguia era do professor Ciare.

“… O que você quer dizer com Louina está faltando? Isso é verdade, professor Ciare?”

“Sim, ela é. Eu até a vi sair após terminar as aulas de Vossa Majestade, mas seu paradeiro se tornou desconhecido depois disso.”

“Por que agora de todos os tempos… De jeito nenhum, de jeito nenhum! Professor Chefe Deculein?!”

“Shh. Shhhhhhh. ”

Os olhos de Epherene se arregalaram.

“A Associação Mágica tem mais informações. Seu desaparecimento ainda é um segredo. Há medo de que a torre caia no caos se vazar.”

“Sim. Mas este é um momento estranho. A referenda está chegando…”

Epherene, que havia fechado a boca e prendido a respiração, engasgou assim que eles saíram.

“… Sequestrar? Ausente?”

Até Epherene sabia sobre Louina.

Não era apenas o nome que ela leu na carta de seu pai, mas também era uma das pessoas especiais e talentosas do mundo mágico atual.

“De jeito nenhum.”

As palavras dos professores nem sempre eram verdadeiras, e ela não podia se dar ao luxo de se preocupar com os outros.

Qual era o saldo atual de sua conta bancária?

Ela recebeu apoio no valor de 100.000 Elnes no início do semestre.

Destes, 85.000 Elnes foram gastos em livros de magia, instrumentos de escrita para magos, departamentos e eventos, e 5.000 Elnes foram sacrificados por comida, então seu dinheiro restante foi de apenas 10.000 Elnes…

“Senhorita Luna?”

Assim que ela chegou ao dormitório, a governanta do saguão a chamou.

“Sim?”

Epherene se aproximou dela enquanto a governanta erguia seus óculos pontudos com os dedos, mas ao contrário da impressão que causava, ela era a pessoa mais confiável neste prédio.

“Recebi várias cartas endereçadas a você. Pegue. Não os coloquei na sua caixa de correio, pois as outras crianças podem rasgá-los.”

“Ah, sim. Obrigado por sempre ficar de olho em mim.”

“De nada.”

Epherene viu a carta enquanto subia as escadas.

Uma era uma carta de sua cidade natal e a outra era…

Os olhos de Epherene ficaram do tamanho de uma bola de pingue-pongue.

Foi um certificado de patrocínio.

Ela a abriu apressadamente e descobriu que desta vez valia 100.000 Elnes novamente.

“Uau…”

A ação brilhou como ouro, fazendo com que suas pupilas brilhassem.

– Por acaso, essa pessoa soube que terminei em segundo lugar nos exames de meio de semestre? Isso significa que, enquanto eu mantiver minhas notas no futuro, ele continuará a me apoiar?’

Epherene sorriu abertamente e colocou o certificado em seus braços. Então ela olhou para a carta de sua cidade natal.

“…!”

Assim que ela terminou, ela se virou e correu para o magistrado.

“E-ei!” Ela gritou enquanto abria a porta. O pessoal administrativo que cumprimentava as pessoas à noite olharam para ela aborrecidos.

“Sim.”

“Recebi meu certificado de patrocínio hoje…”

A carta de sua avó continha algo que ela não sabia.

300.000 Elnes foram depositados para eles em nome de ‘dinheiro de doação’.

Ela pensou que sua avó estava apenas dizendo: ‘Estamos bem agora. Obrigado e sinto muito. Você não precisa mais se preocupar com nossa família.’

“É anônimo de novo?”

“Sim. Anônimo.”

A equipe bocejou e acenou com a cabeça.

Epherene adicionado com urgência. “Você-“

“Apenas pegue isso. Você não está em uma boa situação. De qualquer forma, as pessoas geralmente não revelam seus nomes quando doam.”

“…”

Foi uma declaração fria, mas era verdade. Surgiram boatos sobre o chamado ‘plebeu louco’ Epherene.

A equipe olhou para Epherene e acrescentou algumas palavras quando ela a achou triste.

“Se você quiser fazer algo pelo doador, escreva uma carta.”

“… Uma carta?”

“Sim. Mesmo que seja um patrocínio anônimo, a carta será entregue. Se você tiver sorte, eles responderão. Você já recebeu 200.000 Elnes deles. Isto é muito dinheiro.”

“Ah… Sim, isso mesmo. OK!” Epherene ponderou e então acenou com a cabeça. Essa pessoa pode odiar a carta, mas se for assim, eles simplesmente não responderão.

Não havia nada de errado com o ato de enviar uma carta em si.

“Ei, e o papel? Você não fornece um?” Epherene perguntou.

“… Você tem que trazer um para você. Nós apenas cuidamos das próprias cartas. Não deve ser muito para você, pois você já recebeu 200.000 Elnes de qualquer maneira.”

“… Entendi. Obrigado.”

#02#

No dia seguinte. Na Torre da Universidade Imperial, onde festivais e festas estavam em alta.

♩♬♪♬♪♩[1]Em todos esses anos nessa indústria vital, isso é a primeira vez que me acontece. Nunca vi um autor usar isso~

Com a música do desfile fluindo de fora, a ‘correlação entre runas e circuitos’, que eu vinha falando ultimamente, estava quase completa.

Foi uma interpretação precisa.

Um total de 14 runas foram usadas na questão 6 do Simpósio. Entre eles, apenas três eram utilizados ​​como circuitos.

Parecia que eu poderia resolver o Simpósio com base neste estudo.

Lacrei os documentos com magia e os coloquei na minha pasta.

“… Hmmm.”

Inesperadamente, isso chamou minha atenção novamente.

[ ─ ]

O caderno sem título.

O que ele continha não era visível nem mesmo com meu [Homem de Grande Riqueza] e [O Destino do Vilão].

“Esse…”

Peguei-o, olhei atentamente para a capa e abri-o. Coloquei minha mão em uma página que não tinha nenhum texto escrito nela.

Eu não conseguia apenas pensar nisso.

“Saberei assim que fizer isso.”

Após me preparar, lentamente imbuí-lo de mana.

[… Você me desapontou.]

Uma voz severa soou. Eu levantei minha cabeça. Um homem que se parecia com Kim Woojin, mas mais imponente, estava olhando para mim.

O desprezo profundo brilhou em seus olhos.

[… Esta é a sua última chance. Obtenha resultados em ‘Marik’.]

Tentei responder, mas a pressão de seu poder mágico nem mesmo tolerou os movimentos dos meus lábios.

Quando abri meus olhos bem fechados novamente, já estava escuro dentro da mina.

As costas esguias me carregavam.

“… Quem é Você?” Eu perguntei.

“Vai tudo ficar bem.”

Essa voz era familiar. Abri bem os olhos e identifiquei a pessoa.

Julie.

#02#

Ela sempre foi bonita, mas não parecia estar bem. Seu sangue estava pingando de sua costela.

“Como foram as coisas?” Deculein perguntou a Julie.

Ele tentou recuperar ‘algo’ de Marik por ordem de seu pai.

Mas havia um problema. Um ataque surpresa os pegou desprevenidos.

“Sim. Meu colega o recuperou. Vamos nos encontrar no terreno.” Deculein deixou escapar um suspiro de alívio.

No entanto, depois de um tempo, uma onda mágica aterrorizante ecoou. Seu rosto estava calmo, mas seu coração batia loucamente.

“Me proteja.”

“Sim.”

“Você apenas tem que me proteger.”

“Sim.”

“Só eu.”

Ela o colocou na estrada próxima, e ele se encostou na parede com dor.

“Cumpra seu dever como um cavaleiro.”

Suas palavras inúteis não mostraram impaciência. Julie respondeu à sua vontade em um tom que lhe assegurou que o salvaria mesmo que se sacrificasse.

“Sim. Eu vou proteger você.” Ela se virou, segurando sua espada, e Deculein olhou para as costas dela.

Naquele momento, do outro lado da mina, uma poderosa força mágica avançou como uma onda.

“…!”

#02#

Todo o meu corpo voltou à realidade com a sensação de ser arrastado por um tsunami. As memórias e emoções daquele dia fluíram claramente.

Era o passado de Deculein.

Pressionei minhas têmporas com meus dedos. Não era minha, mas a anedota se estabeleceu como se sempre tivesse sido minha memória.

#sistema-roxo#

[Conclusão da Missão da Independência: Diário de Deculein]

◆ Moeda da loja +1

◆ [Yukline] Crescimento de atributos

#sistema-fim#

Aparentemente, este caderno era o diário de Deculein.

“Droga…”

Eu não queria sofrer com essas memórias novamente, então deixei a torre e vaguei sem rumo pelo terreno da universidade.

[… Esta é a sua última chance.]

A identidade da voz ficou clara.

Era a voz de seu pai.

Não era meu pai.

Não, era meu.

Foi porque reconstruí a memória de Deculein? Seu pai se parecia com meu pai…

Push

Meu ombro colidiu com um transeunte.

“Oh, me desculpe.”

Ele foi embora com apenas uma palavra de desculpas. Eu não gostei daquele cara sem nome.

No entanto, graças a ele, meu coração turvo se acalmou até certo ponto.

“Assistir à peça ~ Estamos ficando sem ingressos ~”

Notei um teatro próximo.

“Oh, você vai assistir? Ainda temos ingressos!”

Um estudante universitário me entregou um tíquete. Balancei a cabeça e entrei.

Enquanto eu estava sentado sem expressão em minha cadeira, a peça começou.

-Pai. Pai. Me desculpe eu…!

Nem uma única parte entrou em meus olhos e ouvidos.

Sniff… Sniff.”

A pessoa ao meu lado parecia bastante comovida, no entanto.

“… Sniff.”

Com sua fungadela ocasional me incomodando, eu olhei para ela e fiquei um pouco assustado.

Ugh…

Foi Epherene.

Entreguei meu lenço a ela sem dizer uma palavra.

“Huh? Oh, obrigado, sniff… “

Ela enxugou as lágrimas com ele e o devolveu. Joguei no chão.

─ Você não pode matá-lo assim! Muitas pessoas morrerão se isso acontecer! Meu pai sofreu o mesmo destino!

Comecei a ouvir as falas um pouco tarde demais. Eu não sabia do que se tratava, mas parecia uma peça de vingança, e a atuação da atriz era realmente muito boa. Também foi muito bom em termos estéticos.

Não muito depois, eles anunciaram uma pequena pausa.

Epherene fugiu, cobrindo os olhos, e voltou logo após o início da segunda parte.

“… Obrigado.” Ela olhou para mim, sussurrou e me ofereceu um pouco de pipoca. Com o capuz do meu manto, ela não conseguia ver meu rosto.

– Amo você, mas se ficar ao meu lado, terá muita dificuldade. Sou o criminoso que o matou. Eu sou o assassino.

A peça atingiu seu clímax.

Ela se inclinou para frente enquanto as lágrimas escorriam por entre seus dedos que agarraram seu rosto.

Ugh! Sniff! Sniff!”

Ela parecia estar mais emocional do que parecia.

Peguei outro lenço do bolso interno do meu terno e dei a ela.

“Oh, Sniff. Obrigado, sniff… sniff…

Ela parecia uma chaleira fervendo. Incapaz de aguentar mais, levantei-me e fui para fora.

Em seguida, voltei para o campus, sentei em um banco e fechei os olhos no escuro para limpar minha mente.

Não sei por quanto tempo fiquei assim.

#sistema-roxo#

[Missão Principal: Movimento Fetal]

◆ Recompensa por Conclusão: +2 Moeda da Loja

De repente, uma mensagem sobre a missão principal apareceu.

#sistema-fim#

#02#

23:00.

Assim que a peça acabou, Epherene apareceu, encontrando fogos de artifício mágicos explodindo no céu. Parecia que ia haver uma festa, mas ela não estava interessada.

Sniff. Oh, eu chorei muito.”

Ela voltou, enxugando as lágrimas com o lenço que um cavalheiro lhe deu. Ela tentou devolvê-lo porque parecia caro, mas quando ela voltou a si, ele já havia desaparecido.

“Eph!” Virando-se, ela encontrou Julia chamando por ela.

“Algo aconteceu!”

“O quê?”

“No início do semestre, aquela fórmula no dormitório… Não, vem comigo!”

Julia agarrou a mão dela e saiu correndo.

Depois que eles chegaram ao seu destino, Epherene ficou terrivelmente surpreso.

“O que é isso…?”

Uma parte do dormitório estava coberta por uma barreira vermelha-escura, incluindo a área frequentada por plebeus.

“No início do nosso semestre, tinha uma fórmula vermelha na parede do dormitório! Não é isso?!”

Wheeeeeeeeeeing— Booom—!

Fogos de artifício iluminavam constantemente o céu. De longe, os aplausos do povo ecoaram alto.

“O quê? O que está acontecendo?!”

Os professores que receberam o relatório com atraso vieram correndo. Relin, Ciare, Letran e Kamel estavam tendo uma reunião na torre mágica quando ouviram sobre isso. Assim que viram, seus olhos se arregalaram de espanto.

“Que tipo de força mágica é essa…”

“É por isso que eu não queria reabrir a Montanha das Trevas!”

“… a presidente… Onde está a presidente?” Relin perguntou a Letran.

“Provavelmente na ilha flutuante. Por que tinha que ser hoje …”

“….”

Os professores nem ousaram entrar na barreira.

Em uma situação onde eles não sabiam o que os esperava lá dentro, eles não deveriam agir precipitadamente. O que tornou as coisas piores foi que a concentração de força mágica que Epherene podia sentir de fora agora era incomum.

Uma máscara de gás era obrigatória. No mínimo, eles deveriam estar acompanhados por um cavaleiro em serviço ativo para maximizar a segurança, considerando que até mesmo a magia dos professores seria interrompida persistentemente pela magia negra.

Eles estavam apenas sendo razoáveis.

“Professor! O que você vai fazer?!”

Epherene gritou para eles. Relin se assustou, mas logo fechou os olhos.

“Por que você está me perguntando isso, garota?!”

“Tem gente lá dentro!”

“…”

Com a resposta de Julia, Relin mordeu o lábio e olhou para dentro. Ele parecia preocupado, mas já na meia-idade tinha muito a perder.

“… Quem descobriu esta situação primeiro?!”

“Esse não é o problema agora!”

“Sem problemas… Oh, Professor Ciare! Você não é do Departamento de Destruição?”

“… Meu corpo está fraco. Espera. Os cavaleiros virão em breve.”

Se esperassem, talvez chegassem mais cedo.

Ele sabia o que estava acontecendo lá dentro.

“…”

Com um suspiro, Epherene entregou a Julia sua bolsa e lenço.

“Eph, por que isso…?”

“Eu vou.”

“O que? Não!”

Naquele momento, uma voz trovejou pelo local, cortando as pessoas como um cutelo.

“O que está acontecendo?” Seu tom gélido pareceu congelar o ar abafado.

Todos se voltaram para ele.

“…”

Deculein.

Ele apareceu atrás da multidão, relaxado. Havia um arrepio em seu olhar enquanto caminhava pela área, sua postura permanecendo tão ereta que parecia arrogante.

Logo, porém, ele franziu a testa levemente quando descobriu a barreira da qual até mesmo os professores tinham medo.

“Essa comoção foi longe demais.”

Foi isso. Isso foi tudo que Deculein tinha a dizer sobre a situação.

Ele caminhou em silêncio, sem responder a ninguém e sem esperar por nada, os sons de seus passos dominando a área enquanto ele avançava em direção à barreira.

Os professores olharam para ele enquanto ele se movia sem hesitação ou medo.

Ele era a personificação da aristocracia.

Notas

Notas
1 Em todos esses anos nessa indústria vital, isso é a primeira vez que me acontece. Nunca vi um autor usar isso

Aviso do Tradutor:

Croollly

Rolar para o topo