Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 105: Fantasma (2) 

Tradutor: FireFox | Revisor: —

Nos arredores da Ilha Flutuante.

Um mago dirigindo em direção ao centro viu uma pessoa estranha refletida em seu espelho retrovisor: uma mulher muito alta. Estava um pouco frio, mas não havia nada para se preocupar na Ilha Flutuante. Afinal, era um lugar onde tantos eventos mágicos aconteciam.

O mago continuou a dirigir sem pensar muito nela. Depois de algum tempo assim, ela casualmente olhou no espelho retrovisor novamente.

“…?”

Mesmo assim, a mulher muito alta estava parada no canto do espelho retrovisor. O carro continuou, mas a mulher não se afastou mais.

“O que…”

O mago, percebendo tardiamente essa estranheza, pisou no acelerador.

Vroom—

Seu carro correu para se afastar da mulher.

“!”

Mas, ela apareceu bem diante de seus olhos.

Grito—!

O mago girou o volante, empurrando-o para os arbustos ao lado da estrada.

“Há, há, há…”

O carro saiu ileso graças à rápida aplicação de magia auxiliar. O mago prestou pouca atenção, entretanto, enquanto recuperava o fôlego e procurava adiante. A mulher não estava lá. Ela estava longe de ser vista, nem na frente, nem atrás, nem nas laterais.

“Uau…”

Ele imaginou? O mago suspirou, recostando-se na cadeira do motorista.

Rustle- Rustle-

El sentiu um movimento atrás do carro. O mago enrijeceu, seus olhos injetados de sangue se arregalaram quando olhou para o espelho retrovisor.

“…”

Sentada com seu corpo enorme meio curvado, o fantasma sorriu bizarramente para ele, suas pupilas vermelhas brilhantes piscando violentamente.

“Ahhhhhhhhh-!”

* * *

Epherene recebeu alta imediatamente. Por mais que falasse sobre o fantasma, Allen e Drent, muito menos os médicos, não acreditavam nela.

“Ah~, amanhã é o início da aula~.”

No caminho de volta para a torre, Julia, que ela conheceu por acaso, caminhou ao lado dela. Epherene olhou atentamente para a pulseira em seu pulso, outro novo acessório que nunca tinha visto antes. Todo o seu corpo se transformaria em um Artefato nesse ritmo.

“Mas, Ifi. Era um fantasma? Você não viu as coisas? Você está tendo um tempo muito difícil com Deculein.”

“Eu vi.”

Aquele rosto terrível não era mentira, nem uma alucinação. Claro, ela estava cansada na hora, mas…

“Então, Ifi, por que você não tira um dia de folga? E se você vir o fantasma de novo?”

“…Não.”

Epherene balançou a cabeça, determinada.

“Eu tenho algo para verificar.”

Pouco antes de ver o fantasma, havia a carta que ela encontrou no escritório de Deculein. Era feito de um material familiar por algum motivo, mas ela não conseguia colocar onde já tinha visto antes. Isso continuou incomodando Epherene .

“Ifi, você está tão sobrecarregada de trabalho… oh! Se eu! Lá! Olhe para lá!”

Julia fez um barulho, apontando até que Epherene olhou.

“Um, dois—Um, dois—”

Um cavaleiro loiro estava correndo pelo campo de esportes. Gawain, famoso por sua boa aparência em todo o continente.

“É Gawain! Que sonho.”

“…Sim. Ele é bonito mesmo.”

Epherene assentiu. Gawain dos Cavaleiros Templários e Deculein da Torre. Esses dois eram considerados os homens mais bonitos da Universidade. A habilidade daquele cavaleiro combinava com seu rosto como o do Professor Deculein?

“Uau… olhe para ele correndo. Tão bonito…”

“Mantenha sua velocidade—!”

Gawain liderou seus cadetes como instrutor do Departamento de Cavaleiros. Julia o observou com uma expressão nebulosa enquanto Epherene sorriu e balançou a cabeça.

“Eu vou primeiro. Você continua assistindo.”

“Sim… eu quero vê-lo…”

Então, ela chegou à entrada da torre depois de deixar Julia para trás. Entrando, Epherene encontrou Allen no saguão do primeiro andar.

“Huh? Professor Allen, quando você chegou?

Os olhos de Epherene se arregalaram. Ela deveria ter feito uma viagem mais curta do que Allen, mas ele apenas sorriu brilhantemente.

“É porque eu ando um pouco rápido~. Mas o que é isso~?”

“Oh.”

Epherene escondeu a carta que ainda segurava nas costas.

“Esta é uma carta para o meu patrocinador…”

“Ah, entendo~. A caixa de correio de suporte foi aberta hoje, então você deve ter recebido suporte novamente. Parabéns, Epherene.”

“Ahaha… estou apenas agradecida.”

Epherene colocou a carta na caixa de correio de patrocínio. Enquanto isso, Allen desapareceu em algum lugar.

“Ela anda rápido… é isso, mas não tem jeito, certo…?”

Epherene olhou para a caixa de correio e teve um pensamento estranho, mas logo balançou a cabeça.

Se, por alguma possibilidade… de jeito nenhum, Deculein não poderia fazer isso com ela.

“Vamos apenas preparar o relatório…”

Era hora de focar no relatório novamente.

* * *

…O uso do atributo chamado Criptografia no jogo provavelmente era simples: bloquear e armazenar itens. No entanto, neste mundo onde o grau de liberdade era infinito, e eu estava sob o poder mental único de Deculein, sua versatilidade foi amplificada.

A primeira foi a digitalização. Claro, este foi apenas um nome que usei. Precisamente, converteu um objeto tangível em um código mágico intangível. Esse código estava armazenado na minha cabeça e funcionava como uma espécie de inventário. Até minha bengala poderia ser armazenada simplesmente com essa digitalização se o código pudesse ser revertido.

O segundo foi Bloqueio Mágico. Simplesmente, estava introduzindo uma senha para um circuito ou rito mágico para que apenas as pessoas que eu permitisse pudessem usá-lo. Ao combinar os dois métodos acima, também foi possível codificar certos feitiços e liberá-los instantaneamente. No entanto, consumia uma grande quantidade de mana e causava enxaquecas se mal utilizado.

Mesmo com o [Homem de Ferro], estava um pouco além de se tornar algo confiável por enquanto. Em outras palavras, estava claramente além do escopo das capacidades do jogo.

TOC Toc-

Naquele momento, ao analisar o atributo Criptografia de batido. Eu instintivamente olhei para a porta do escritório.

TOC Toc-

Não estava vindo da porta, no entanto, mas da janela.

TOC Toc-

Claro, isso não seria um problema se eu não estivesse no 77º andar da torre. Eu olhei para fora da janela.

TOC Toc-

… Não era um fantasma, mas um bruxo vestido e não identificado. Seus lábios se moveram quando nossos olhos se encontraram.

-Posso entrar?

Estavam saindo dela, nem parecia ser ativamente hostil. Eu não precisava permitir que ela entrasse também. Ela passou direto pelo vidro.

O vidro na torre deve ser um produto de engenharia mágica, mas ela escorregou facilmente.

“Deculein . Não estou feliz em vê-lo, mas já faz um tempo.

A convidada a falou sem abaixar o capuz. Eu ainda não sabia quem era.

“Sou eu, Idnik.”

Idnik. felizmente, eu sabia o nome. Companheira de Rohakan e um dos personagens envolvidos na missão principal. Ela estava segurando uma gaiola escondida por um pano em uma mão.

“E-“

-Estou com ela também, Discípulo.

A voz estranha soava como se tivesse respirado hélio.

“É isso, Deculein.”

Idnik colocou a gaiola na minha mesa. Uma voz vazou por baixo do véu escuro.

— Tire este véu.

Eu tirei.

“…?”

O que foi revelado foi uma pequena cabana com jardim. Dentro da miniatura, mais ou menos do tamanho de uma casa de Lego, um Rohakan igualmente reduzido estava olhando para mim.

-Faz tempo, meu discípulo.

“…Rohakan?”

-Sim. Hahaha.

Rohakan riu. Fiquei pasmo por um momento.

“O que você está fazendo aí?”

— É uma forma de evitar ser notado. Você sabe, eu estou no nível ‘Fera negra’, certo? Como a cabana não cabe dentro, reduzi um pouco o tamanho.

Olhei para Idnik, com o capuz levantado como sempre.

“… Vejo que você também trouxe seu subordinado.”

“Sou uma colega, não um subordinado.”

─Haha!

Idnik me corrigiu enquanto Rohakan sorria.

— Deculein, você leu o diário de aniquilação que te enviei?

“Sim, eu li.”

Eu já conhecia a maioria. Embora eu fosse designer, também testei o jogo, e algumas coisas chegaram aos meus ouvidos através dos membros da equipe e de Yoo Ara.

-Sim. Aqui, minha subordinada e eu temos algo para lhe dizer-

“Não sou subordinada. Eu sou uma colega.”

-Você se adiantou um pouco, hein.

“Há. Sem mim, você não pode fazer nada.”

-Huh. Sério?

Rohakan estendeu o dedo indicador para Idnik.

Siiiiim…

A mana liberada de seu dedo atraiu Idnik para a cabana em miniatura, tornando-a tão pequena quanto ele.

─…Rohakan, estou te avisando. Vire-me de volta.

— Você não pode se virar sozinho? Você disse que eu não poderia fazer nada sem você.

Idnik rangeu os dentes, mas Rohakan a ignorou com um encolher de ombros.

─…Eu vou contar até três. Tenho algo a dizer ao Deculein. Vire-me de volta.

-Faça isso. Se eu morrer, você será pequena para sempre de qualquer maneira.

Idnik e Rohakan rosnaram, olhando um para o outro. Eles pareciam fofos, presos em sua batalha em miniatura.

— Rohakan, me faça voltar.

— Idnik, só se você admitir que é minha subordinada.

— Meu único professor é Demakan.

— Fui eu que te apresentei ao Demakan.

TOC Toc-

Então, alguém bateu. Desta vez foi realmente na porta. Cobri a pequena cabana de Rohakan com o pano.

—É Epherene.

Abri a porta com Psicocinese, revelando Epherene com seu relatório na mão.

“Este é o meu relatório de pesquisa.”

Eu li, mas apenas as três primeiras linhas foram suficientes para me fazer suspirar. Eu ainda não estava satisfeito.

“…Novamente?”

“Sim.”

“…”

Então Epherene estendeu outro pedaço de papel. Ele foi coberto por várias fórmulas e cálculos complicados.

“Este é um problema acadêmico apresentado nesta edição de Mago Acadêmico por Telgend, o autor de [A Harmonia dos Quatro Elementos]. Pode me ajudar?”

“…Problema?”

“Sim.”

O pensamento de Epherene fazia sentido. Foi a mesma sensação que experimentei quando era designer. Se você continuar recebendo uma rejeição, um sentimento como: ‘Meu chefe está tentando me intimidar?’ vai aparecer.

“…”

Eu olhei para o problema de Telgend. Ao mesmo tempo, ativei [Compreensão].

“Huhu.”

… Ouvindo a risada insolente de Epherene, calculei a proporção dos quatro elementos sugeridos pelo examinador, assumi uma estrutura na qual os elementos se harmonizavam e previ o circuito com base na hipótese. Em seguida, apresentei a resposta.

“22,1935%, 23,1105%, 27,8505%, 26,8455%.”

“…Sim?”

O rosto de Epherene ficou em branco. Ela se inclinou para frente com o ouvido primeiro como se tivesse ouvido errado.

“A-de novo.”

“22,1935%, 23,1105%, 27,8505%, 26,8455%.”

“Uh…”

“É um problema revelar a proporção áurea necessária para a harmonia dos quatro elementos. Você não resolveu?”

“N-Não. Eu fiz, mas…”

Ela murmurou baixinho. Este era um problema que eu já tinha resolvido antes? Como pude resolver tão rápido? Não, foi um problema lançado há apenas quatro dias…

“Epherene .”

Essa garota atrevida.

“Sim, Sim.”

“Eu sei o que você sabe.”

“…”

“E eu sei o que você não sabe.”

Pelo menos, em teoria, seu nível ainda não era suficiente para me refutar. Talvez nunca fosse. Epherene coçou a nuca, parecendo deprimida.

“Seja humilde. Se você duvidar assim, você não será capaz de me alcançar.

“…Sim. Eu sinto Muito.”

Epherene saiu. Quando a porta do escritório se fechou, enrolei o pano novamente e Rohakan espiou.

— Foi Epherene agora mesmo?

“Sim.”

─Huh…

Rohakan e Idnik estavam sentados a uma mesa no jardim, tomando chá juntos como se estivessem totalmente reconciliados. De repente eu me perguntei.

“Posso entrar na cabana também?”

─ Não. Isso é possível porque Idnik e eu temos um contrato um com o outro. Claro, eu posso puxar as pessoas comuns à força, mas um cara com forte resistência como você é impossível.

“Então por que você veio até mim? Antes, devo ter dito que seria a última vez que deixaria você ir.

Quando conheci Rohakan, eu o avisei. Bem, as palavras eram um aviso, mas, na realidade, era uma preocupação. Preocupações sobre não morrer depois que ele se intrometeu.

─…Quem deixou quem ir? Deculein , você? Este velho?

Idnik murmurou desconfiada, e Rohakan continuou sério.

-Eu sei. Mas tenho algo para lhe dizer.

“O que é?”

—O Altar está se movendo, e uma grande ameaça cairá sobre o Império. Especificamente no inverno. É hora das ondas de monstros virem.

Inverno, e a missão principal. Assim que vi Rohakan, esperei. Rohakan era um personagem cuja existência não era diferente de uma missão.

— Então, gostaria de lhe pedir um favor.

“Um favor?”

-Sim. Vamos nos encontrar no inverno quando ele se aproximar. Para mais detalhes, avisarei quando nos encontrarmos.

“O que eu ganho?”

Eu perguntei, mas Rohakan ponderou apenas por um momento antes de responder.

─…Vida. Não só você, mas todos neste continente.

A missão principal flutuou na minha frente ao mesmo tempo que ele falava.

[Missão Principal: Vida]

◆ Catálogo de Atributos Raros

◆ Armazenar Moeda +5

Eu nem pensei duas vezes antes de assentir.

“Eu vou pensar sobre isso.”

-Espero uma escolha positiva.

Em resposta, Rohakan liberou Idnik da cabana. Idnik, voltando ao normal, olhou para mim.

— Idnik disse que ela tem algo para te contar a sós, então eu vou embora. Até nos encontrarmos novamente, fique bem, meu discípulo.

Rohakan riu suavemente. Imediatamente depois disso, sua cabana flutuou no ar e desapareceu.

“Mas Deculein. Você é tão pobre em receber visitas?”

Idnik olhou ao redor do escritório enquanto pegava um cigarro.

“É normal que hóspedes indesejados sejam desprezados, não tratados.”

“…”

“Apenas me diga o que você precisa dizer.”

Eu roubei o cigarro de Idnik com Psicocinese. Ela estalou a língua antes de continuar.

“Sylvia está em perigo.”

“…”

Eu silenciosamente assisti Idnik, provocando uma carranca dela.

“Deculein, lembre-se do que você prometeu então.”

“Então?”

“Quando você matou Sierra, eu conclui minha parte na promessa e não matei você.”

“…”

Eu não poderia dizer nada sobre isso. Era uma parte do passado de Deculein que eu não conhecia.

“Você não vai ficar com ela?”

“…”

Eu balancei minha cabeça. Imediatamente, a expressão de Idnik se iluminou.

“Bom… a propósito, você ainda tem aquela criança com você?”

“’Aquela criança.’ Você quer dizer Epherene?”

“Sim.”

“Existe alguma razão pela qual eu não deveria?”

“Não.”

Idnik deu de ombros, mas notei a expectativa em seus olhos.

“Mas, eu pensei que você ia matar aquela criança.”

Minhas sobrancelhas se ergueram, mas mantive minha compostura e perguntei novamente.

“O motivo é?”

“Porque a primeira pessoa a descobrir aquela criança foi Decalane. De qualquer forma, voltando ao ponto, Sylvia está em perigo.

Idnik habitualmente pegava outro cigarro, que também roubei com Psicocinese.

“Maldito-“

“No meu escritório, a boca só serve para falar. Continue falando.”

“… Bastardo arrogante. Sim, houve um assassinato na Ilha Flutuante.

“Então?”

As pernas de Idnik tremeram. Parecia ser um evento proibido de discutir.

“Um dos principais suspeitos é Sylvia.”

“…”

Eu apenas pisquei. Definitivamente era um caso novo.

“Eu vou te contar em detalhes sobre a Ilha Flutuante. Primeiro, me dê meu maldito cigarro…”

* * *

Tarde da noite, laboratório do assistente.

“Haaam—”

Epherene acordou. Ela tinha adormecido enquanto trabalhava.

“Ah… já é noite… mas sério… como ele resolveu…?”

Epherene relembrou o incidente recente. Deculein resolveu o problema sobre o qual estava refletindo por 24 horas em apenas 30 segundos.

“Eu sonhei com isso?”

“Sonho?”

Allen respondeu à conversa interna de Epherene enquanto ela esfregava os olhos. Epherene, assustada, imediatamente riu.

“Haha. Não, bem… vou tomar um ar e volto~.”

“Sim tudo bem.”

O sorriso de Allen era sempre agradável. Epherene deixou o laboratório do assistente.

“Huh?”

Mas no final do corredor, a porta do [Escritório do Professor Principal] estava aberta mais uma vez.

“…”

Epherene engoliu em seco, contemplando. Havia algo que queria verificar. Ela deveria dar uma olhada rápida? Não, claro, Deculein nunca faria isso, mas só deixou um gosto ruim na boca dela…

‘OK, vamos lá. Não haverá nada de qualquer maneira.

— Vou ver com meus próprios olhos.

‘…Oh espere.’

E se o fantasma aparecesse novamente?

“E daí?”

O professor Allen também estava no laboratório.

‘Eu vou ficar bem.’

Epherene se esgueirou até o escritório do professor-chefe. Ela olhou pela abertura além da porta aberta inclinada. A escuridão que nem o luar podia penetrar a saudou, mas Deculein estava ausente.

“Uau…”

Respirando fundo, Epherene usou sua mana como uma lanterna e entrou no escritório, prendendo a respiração e movendo-se lentamente para acompanhar seus passos.

“Ufa… ufa…”

Encharcada de suor frio, Epherene conseguiu alcançar a mesa de Deculein. Primeiro, ela se inclinou sobre a mesa.

“Onde eu vi isso…?”

O papel de Deculein era um material difícil de esquecer quando você o via, porque era muito luxuoso. Procurando por aquela textura fácil de reconhecer, Epherene abriu a gaveta de sua mesa.

“…”

Não havia necessidade de vasculhar. No entanto, no momento em que encontrou algo na primeira gaveta, o coração de Epherene afundou.

“…Espere um minuto.”

Epherene murmurou inexpressivamente e olhou para o papel. Estendendo a mão trêmula, ela pegou uma carta cuidadosamente dobrada.

“De jeito nenhum isso é…”

Ela leu a primeira frase, [Patrocinador! Desta vez, é Epherene novamente—]. Era a carta ao doador anônimo que ela colocou na caixa postal hoje.

“…Ahhhh!”

Mais chocada do que se tivesse visto um fantasma, Epherene apertou suas mãos e jogou a carta no chão. Seu corpo tremeu quando uma onda de tontura a invadiu.

“Meu patrocinador…”

Ela cobriu a boca com as mãos trêmulas e murmurou:

“…Por que?”

Olá, eu sou o Firefox!

Olá, eu sou o Firefox!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥