Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 349

Tradutor: FireFox l Revisor: —

“Kim Woojin.”

Lia chamou seu nome. Então seu olhar alcançou os miosótis azuis. Ela não conseguia nem olhar para o rosto dele, então, em vez disso, manteve os olhos fixos nele.

“…”

Deculein não disse nada. Na mente de Lia, as expectativas cresciam como pequenas gotas de água, e os pensamentos sobre o que poderia acontecer borbulhavam no silêncio prolongado. De repente, ela abriu os olhos e olhou para cima.

“…Ah.”

“Kimurin? O que é isso, Lia?”

eéo perguntou. Era um nome que as pessoas neste continente talvez nem soubessem que era um nome. A reação de Leo foi tão natural, e o mesmo aconteceu com Deculein.

“…”

Agora, ele parecia tão seco. Pelo menos ele não parecia estar afiliado a ela. Como Leo, ele nem sabia se era um nome ou um objeto. No entanto, Lia tentou ler a reação de Deculein, desde as rugas do rosto até as batidas do coração, a expansão da íris, o movimento da pupila e até as sutis mudanças na atmosfera. Ela cresceu vivendo neste continente como uma aventureira, com as habilidades que aprendeu…

“Não há tempo para ficar ocioso.”

Disse Deculein. Lia finalmente percebeu a realidade. Ela sabia que era uma ilusão.

[36:03:23]

O cronograma da missão ainda estava refletido em seus olhos. Lia cerrou os punhos. Ela olhou novamente para Deculein e o céu além dele. O que originalmente parecia um pequeno ponto agora estava claro como a velha lua.

“Yuli.”

Deculein a chamou. Lia respondeu inexpressivamente.

“…Sim?”

Como se isso fosse patético, ele balançou a cabeça.

“Eu acho que você tem algo para fazer.”

Lia voltou a si um pouco tarde. O tempo estava passando, então ela não deveria se confundir com esse assunto pessoal.

“Este farol, aquele cometa destruirá o continente.”

Lia disse. Leo e Carlos assentiram atrás dela.

“…Sim.”

Deculein concordou, sorriu e pegou alguns cadernos de sua mesa.

“Eu sei. Mais do que você.”

“Mas por que?”

Lia perguntou.

“Ainda não entendo. Você pode conseguir o que quiser… sem destruir tudo.”

Ela sentiu que sabia vagamente o propósito de Deculein. No entanto, ele não precisou ajudar a completar o farol.

“Você acha que sabe o meu objetivo?”

Deculein perguntou, e então ele olhou em volta. Lia seguiu seu olhar. Embora fosse bastante simples para o gosto de Deculein, as estantes ainda pareciam antiquadas e elegantes. Estante, estante, estante. Era como uma biblioteca.

“Eu posso estar enganando você. Fazendo você entender mal o meu propósito e ganhando tempo.”

Lia continuou a encará-lo.

“…Você não mente.”

“Eu minto.”

Disse Deculein.

“E, eu já fiz.”

Ele se virou para Lia.

“Assim como você fez.”

“?”

Lia franziu a testa. Por que ele estava falando sobre isso de repente? Deculein sorriu e apontou para Carlos.

“Você disse que pode transformar aquele meio-sangue em humano. Mas ele ainda é o mesmo.”

“Ah.”

Carlos ainda era meio humano e meio demônio. Apesar de incontáveis ​​esforços para purificar a energia escura em seu sangue.

“Não é possível.”

Deculein balançou a cabeça.

“Você não pode transformar alguém que já é meio demônio em humano. Mesmo se você pudesse, perder a si mesmo seria como a morte.”

Carlos olhou para Deculein. Como se o medo instintivo não pudesse ser ajudado, assim que Deculein olhou para trás, ele imediatamente baixou o olhar.

“Yuli. O meteorito não pode mais ser parado.”

Deculein virou-se para observá-lo rompendo a atmosfera.

“Mesmo que eu morra, mesmo que este farol se quebre, sua queda é inevitável.”

“…”

“Pessoas revoltantes e humildes. Aqueles que não conheciam seus lugares atacaram nobres, magos insultados e cavaleiros rebaixados.”

Ele falou devagar.

“Aqueles insetos que vivem neste continente.”

Olhando para o céu, ele zombou.

“Eles eventualmente serão extintos.”

“…”

Lia brincou com seu colar. A bola de cristal dentro pegou tudo o que ela testemunhou.

“… E então vai começar de novo.”

Deculein encontrou o olhar de Lia.

“Um novo mundo onde todas as coisas humildes desaparecerão.”

Se isso foi atuação, foi uma ótima atuação.

“Mas antes disso.”

Bang-!

Deculein bateu com seu cajado no chão e a mana aumentou. Subindo como névoa, envolveu Lia, Leo e Carlos.

“Uh, hein?!”

“Eca!”

Leo e Carlos gritaram e sumiram. A bola de cristal também parou de funcionar. Agora, Lia era a única que restava.

“Agora somos só nós.”

Ela olhou para Deculein.

“Yuli.”

Ele chamou o nome dela, sua voz de repente quente.

“Eu tenho algo a dizer.”

“…Algo para dizer?”

“Sim.”

O rosto de Deculein estava tão relaxado e suave que a surpreendeu quando ela começou a tremer, mas a próxima coisa que ele disse foi…

“Eu te amei.”

Foi um choque, como uma dor repentina apertando seu coração. Uma dor que nem ela conhecia. Mas, quer ele soubesse ou não.

“Não é mentira.”

A confissão sincera de Deculein foi simples como sempre. Lia não sabia o que dizer.

“Eu amei apenas você…”

Um pequeno sorriso se espalhou pelos lábios de Deculein. Como se estivesse relembrando o passado, relembrando entre memórias adoráveis.

“Tive sorte de ter você.”

Ele tinha um sorriso de menino. Lia sentiu-se atordoada, mas logo desabou. Ele não era Kim Woojin; ele era Deculein.

“E eu fui capaz de sobreviver por sua causa.”

Não foi Kim Woojin dizendo isso para Yuli.

“Pensei muito sobre isso, desejando poder vê-la novamente pelo menos uma vez.”

Era Deculein dizendo isso para Yuli.

“…”

Yuli mordeu o lábio. Seu coração batia forte, e seu olhar já estava nublado com lágrimas. Ela não conseguia controlar essas emoções que nem sabia que tinha. Mesmo sabendo que ele era Deculein, ouvir isso a deixou feliz, triste e com ciúmes.

“…Sim.”

Lia respondeu assim. Não importa o quanto ela pensasse sobre isso, ela não poderia trair os sentimentos de Deculein, então ela agiu como Yuli.

“Mas, você faz isso sabendo disso?”

Ela perguntou, repreendendo-o de brincadeira.

“Porque eu não sabia que você estava aqui.”

A resposta de Deculein imediatamente deixou uma marca maior no coração de Lia. Seu rosto se contorceu enquanto as lágrimas escorriam por suas bochechas.

“Se eu soubesse que você estava aqui, eu teria apreciado mais este corpo.”

Dizendo isso, Deculein entregou o caderno em sua mesa. Lia enxugou os olhos com a manga e pegou.

“O que é isso?”

“Leia mais tarde.”

Apenas a palavra diário estava escrita na capa.

“Diário…?”

No momento em que Lia murmurou, a mana de Deculein cintilou em azul e a envolveu.

“…Huh?”

Lia tinha um olhar vazio em seus olhos enquanto olhava para Deculein.

“Essa conversa acabou.”

Seu rosto estava um pouco estranho. Não, era muito estranho.

“Por que…?”

Por que ele estava sorrindo? Com a expressão mais feliz que ela já o vira usar.

“Eu gostaria de ter sabido antes.”

Por que ele estava dizendo isso assim…?

* * *

A imperatriz Sophien escalou o farol. A espada pendurada em sua mão já estava molhada de sangue e seus olhos estavam cheios de intenções assassinas. Todas as pessoas do Altar, bestas e quimeras que tentavam bloquear seu avanço foram derrubadas enquanto ela subia os degraus um por um.

Kwaaaaaaa-!

Quando uma quimera do Altar veio correndo com um rugido.

Swooosh-!

A espada de Sophie caiu como chuva que não podia ser evitada e contida. Cada barra cortava outra.

“…Uau.”

Os cavaleiros atrás dela estavam apenas admirando. A Grande imperatriz demonstrou um nível de esgrima que transcendeu todos os outros cavaleiros, sem precisar de sua ajuda.

“Não temos tempo para admirar! Apresse-se!”

Maho exclamou. Em sua mão estava um mapa do farol. Ela estava guiando a imperatriz com ele, que ela obteve de algum lugar.

“Sim!”

Lawaine respondeu. Delric os seguiu enquanto subiam as escadas do farol.

Estrondo-!

Uma enorme vibração sacudiu a torre enquanto uma poderosa onda de mana abalou a terra. Outro desastre não natural foi causado pela descida do cometa. Não foi apenas um fenômeno, mas ocorreu dentro dos corpos dos cavaleiros. Em outras palavras, despertou a mana que circulava em seu sangue.

“Eca-!”

“Kugh-!”

Vários gemeram quando o sangue vazou de suas bocas. Os corpos de incontáveis ​​cavaleiros, magos e Sangu Demoníacos caíram escada abaixo, deixando apenas Ganesha e a Imperatriz Sophie intactas. Como resultado, o exército parou momentaneamente.

“…Você é fraco.”

Disse Sophie. Ela tirou um pedaço de pano do bolso.

“Falta pouco tempo.”

Ela disse enquanto limpava o sangue de sua espada.

“…”

No entanto, seus súditos leais não disseram nada. Por causa da dor que o cometa infligiu, suas palavras morreram em seus lábios.

“Hmph.”

A Imperatriz os encarou, parado com os olhos tingidos de vermelho.

“… Você acha que é inútil?”

“Sim…”

Um dos cavaleiros respondeu inexpressivamente. A imperatriz perguntou com uma voz mais fria.

“Você não acha que o cometa chegou perto demais para ser parado?”

“…”

Houve apenas silêncio. Como ela disse, o fim já estava se aproximando. O cometa desapareceria se destruíssem o farol? O continente poderia escapar da destruição?

“…Não importa.”

No entanto, Sophie falou com total confiança.

“Apenas confie em mim.”

Ela olhou para o telhado, para ele esperando no topo do farol.

“Você só tem que fazer o que tem que fazer.”

O que ela tinha que fazer e o que Deculein faria. E o que ela faria.

“…Eu farei o resto.”

Sophie sabia o que Deculein queria e o que aconteceria com este continente.

“Eu vou cuidar de tudo.”

Sabendo que Sophie disse isso. Porque ela foi a imperatriz mais nobre deste continente e porque foi ela quem assumiu a maior responsabilidade que havia.

“Deixe tudo comigo, e você só precisa seguir.”

As mesmas palavras foram ditas aos cavaleiros patéticos que caíram deste lugar e ao homem amado olhando para eles.

“…Vou me dedicar a você.”

Sophie prometeu.

Olá, eu sou o Firefox!

Olá, eu sou o Firefox!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥