Selecione o tipo de erro abaixo

Saímos do campo de treinamento e voltamos para minha casa. Os gêmeos, Perez e Ramona.

Parecia que a sala de estar estava cheia de convidados depois de muito tempo.

— Meu pedido para uma luta de esgrima deve ter sido um fardo para você. Obrigado, Lady Brown.

Eu disse a Ramona enquanto servia o chá quente.

— Não, Lady Lombardi. Você está trabalhando muito para ajudar nossa família. Farei o que puder.

— Mas você sabe o que?

— Posso te fazer uma pergunta?

Mayron e Gillieu conversaram com Ramona com olhos brilhantes.

— Sim, por favor, fale, Jovem Lorde Lombardi.

— Lady Brown, quão boa você foi na Academia?

Ao contrário de Crane, que escolheu a academia para estudar, os gêmeos nunca foram educados fora de Lombardi.

Os Cavaleiros de Lombardi estão encarregados de aulas de habilidades com espada desde que eram jovens.

Parece que eles estão um pouco curiosos.

— Eu não era muito talentosa. Mal passei no exame de admissão à Academia.

Ramona respondeu com cautela.

Mas Perez, que estava ouvindo a conversa enquanto bebia chá, sussurrou.

— No começo era.

— O que você quer dizer, Sua Alteza, o Segundo Príncipe?

— Ramona se formou em segundo no departamento de esgrima.

Os olhos do gêmeo se arregalaram.

— Ramona foi a única que saiu para praticar mais cedo do que eu durante o ano escolar.

De mal passar no vestibular para se formar em segundo lugar.

Foi uma passagem que mostrou o quão dura era Ramona.

— Tive sorte. Recebi muitas coisas da academia que escolhi como refúgio para sobreviver.

Uma voz calma falou com calma.

— Os motivos que sempre me mantêm forte e os sonhos que quero realizar.

Por um momento, o olhar de Ramona, que disse isso, foi visto alcançando Perez.

— Não acredito que você entrou na escola para sobreviver…

— Você deve ter passado um tempo difícil.

— Mas um pouco atrás, a esgrima de Lady Brown era muito forte.

— Certo. Lady Brown é uma pessoa que tem uma mente forte e habilidade para manusear espadas.

Os gêmeos disseram para Ramona.

— Se houver algo que possamos fazer para ajudar, diga-nos.

— Lady Ramona é um dos poucos espadachins que reconhecemos.

O rosto de Ramona ficou vermelho novamente com as palavras.

Não posso acreditar que seja tão diferente quando ela segura uma espada e quando não a segura.

— Acredito que já estou recebendo a benevolência da família Lombardi que não será suficiente para pagar em vida.

Ramona olhou para mim dizendo isso.

Ela tinha olhos bons como um lago profundo.

— Só espero que chegue o dia em que possa retribuir esse favor.

— Lady Brown…

— Que pessoa maravilhosa…

Os gêmeos assentiram ruidosamente como se estivessem profundamente impressionados.

— Mas o que você realmente fez há pouco tempo? Sabe, de repente você estava ficando um pouco mais rápido.

— Você aprendeu na academia?

— Oh isso é…

Ramona sorriu um pouco.

— Eu não aprendi separadamente. É Esgrima Brown.

— Huh? Isso é Esgrima Brown?

Gillieu ficou surpreso.

— Mas não existe tal parte na esgrima Brown?

Mayron também inclinou a cabeça.

— O que vocês dois sabem é ‘ Esgrima Imperial’, não ‘Esgrima Brown’.

A resposta veio de Perez.

— Essas duas coisas… são diferentes?

Mayron perguntou em estado de choque.

— A Esgrima Brown é uma esgrima que requer uma base longa. Portanto, precisava de algumas melhorias para que todos pudessem aprender. O objetivo era melhorar o poder do Império, aprendendo a esgrima de qualquer pessoa no Império.

— Ah, então…

— Além disso, após o colapso da família, o povo da família Brown tem estudado e desenvolvido a Esgrima Brown, esperando o dia em que a família será reintegrada. Algumas pessoas, como meu pai, perderam a mão direita, mas começaram a treinar seus mão esquerda do zero.

A vida deles não teria sido tão diferente da de Ramona.

Eles perderam tudo e lutaram pela sobrevivência dia após dia, mas se prepararam para o dia em que a família se levantaria novamente.

E pensar que algum dia, esgrima mais avançado se tornará o poder da família.

— Uau…

— Surpreendente…

Os gêmeos ficavam constantemente maravilhados.

Os olhos cintilantes pareceram impressionados com a história da família Brown.

— Eu preciso acordar e treinar.

— A partir de amanhã, estudarei a esgrima da família Lombardi.

Eu acho que eles tiveram um bom estímulo.

— Ei, Lady Brown. Por que você não me mostra aquele movimento melhorado mais uma vez depois?

— Sim, vamos comprar algo delicioso para você.

Ramona caiu na gargalhada com a sugestão do irmão gêmeo.

E ela respondeu.

— Se você quiser, posso te ensinar as partes complementares?

— O que?!

Gillieu e Mayron ficaram surpresos e acenaram como se fossem cair para trás.

— Não, não, não! Como você pode nos ensinar isso!

Mas Ramona estava bastante indiferente.

— As pessoas da família Brown empunham espadas desde muito jovens. Não há necessidade de ser exigente com homens ou mulheres. E no primeiro dia de aula, há a primeira coisa a aprender.

Ramona disse uma letra de cada vez.

— Para manter o preto e ser fortes juntos.

Que credo da família Brown.

— Muito tempo atrás, o Senhor da família Brown revelou a Esgrima Brown a todos. E não tenho escrúpulos em manter essa palavra. Talvez alguém na família Brown pensasse assim.

Ramona ensinará aos gêmeos a verdadeira Esgrima Brown. Foi uma proposta.

— Lady Brown.

Chamei por Ramona.

— Você está falando sério sobre isso?

— Sim.

Ramona acenou com a cabeça brevemente.

— Isso é o que meu pai disse ontem. Assim que a família for reintegrada, ele revelará o aperfeiçoamento da espada Brown. Acho que é uma boa maneira de aumentar o orgulho de nossa família em declínio.

Então o plano se torna muito mais fácil.

Eu senti como se a peça final do meu plano estivesse sendo montada.

— Também é uma grande decisão para a família Brown, que foi um Cavaleiro Imperial por gerações até mais de quarenta anos atrás.

Eu sorri para Ramona e disse.

Talvez a estranheza tenha diminuído um pouco desde então, Ramona sorriu mais brilhante do que antes.

Apesar das palavras travessas dos gêmeos, a conversa continuou.

— A propósito, foi a primeira vez que vi, Vossa Alteza, o Segundo Príncipe beber chá. Achei que você não gostasse de chá.

— Não gosto muito de água, mas bebo o chá que a Flore faz de vez em quando.

Perez respondeu com indiferença às palavras de Ramona.

— Ah…

Ramona sorriu embaraçada.

Mas Perez não viu a figura.

Os olhos vermelhos estavam olhando para mim, não dessa forma.

Era vermelho e redondo como uma gota de sangue.

— Eu preciso falar com você, Perez.

Quando me levantei dizendo isso, pude sentir Perez seguindo silenciosamente atrás de mim.

Para onde íamos era meu escritório.

— Feche a porta.

Eu disse para Perez.

Ele fechou a porta silenciosamente.

— Sente-se aqui.

Apontei para a cadeira em frente à mesa.

Desta vez, como eu disse, Perez humildemente sentou-se na cadeira.

— Tire suas roupas.

Além disso, como eu disse, a mão do cara que inadvertidamente tentou desabotoar a camisa parou.

E ele olhou para mim com olhos redondos.

— Tire suas roupas.

— … Flore?

Os olhos de Perez tremeram descontroladamente.

Até seus longos cílios tremeram.

Eu encorajei tal sujeito.

— As pessoas estão esperando lá fora. Nosso tempo está acabando, então tire.

— Tem gente lá fora…

Perez murmurou em voz baixa, franzindo as sobrancelhas.

No entanto, ele logo começou a desabotoar os botões brincando com o dedo que havia parado.

As pontas dos dedos pareciam tremer um pouco.

Woosh.

O som da camisa escorregando da carne foi claramente audível.

— Huh.

Junto com a respiração curta que Perez exalou, o peito duro do cara subia e descia.

Perez e meus olhos se encontraram.

Abri a gaveta da mesa silenciosamente, olhando nos olhos vermelhos.

Havia ataduras e frascos limpos.

Estou feliz por ter preparado com antecedência.

— É o remédio que a Estella fez.

Eu disse, entregando a Perez uma pequena caixa redonda de remédio.

— Coloque-o.

Há apenas um momento, as feridas em seu antebraço não foram tratadas durante o confronto com os gêmeos.

Eu sabia que isso poderia acontecer.

Perez aceitou meu frasco de remédio e ficou sentado olhando para mim.

— Você não vai aplicá-lo?

— Remédio… Você ia me dar?

— Então, você gostaria de um pouco de chocolate?

Perez de repente soltou um grande suspiro.

Por que, o quê, por que você está suspirando?

Perez, que olhava os frascos de remédio alternadamente com olhos meio resignados, riu e sorriu em desespero.

Peguei o pote da mão de Perez e disse abrindo a tampa.

— Mesmo que não seja um ferimento tão grande, é definitivamente um corte de espada. Você tem que solicitar o remédio também.

Tirei a pomada pegajosa e apliquei bem na ferida.

— De qualquer forma…

— Não pense que não importa se você tiver mais uma ou duas cicatrizes de qualquer maneira.

A boca entreaberta de Perez fechou-se novamente.

— E o que foi aquele suspiro antes?

Perez ficou em silêncio por um momento sobre a minha pergunta.

E respondeu calmamente.

— … não, eu gosto disso também.

O significado da frase ainda era desconhecido, mas não achei que tivesse que desenterrá-lo.

Mas seu suspiro longo e profundo me incomoda.

Eu disse, colocando um curativo sobre a ferida em que o remédio foi aplicado.

— Se você receber bem o tratamento, vou te dar chocolate.

Perez respondeu com uma risada para mim.


Já passa da meia-noite.

Bate estava pegando e lendo os jornais um por um.

À primeira vista, eram pedaços de papel que pareciam estar esquentando, mas foram classificados e empilhados um a um pelos olhos de Bate.

O trabalho tedioso se repetiu por horas.

Mas o rosto de Bate não mostrava sinais de exaustão.

No entanto, com o tempo, rugas se formaram entre as sobrancelhas de Bate.

— Eh… Huh…?

Bate, que já estava há muito tempo olhando para um pedaço de papel, tirou outro pedaço de papel de outro pacote.

— Isso é estranho.

Resmungando baixo, Bate esfregou a testa.

Algo não está certo.

As informações enviadas pelas fontes não eram claras e sim confusas.

Mas Bate poderia classificá-los como reais e falsos e conectar coisas que pareciam irrelevantes à primeira vista.

E ele fez um ótimo trabalho.

Mas houve dias como hoje.

É difícil ver o percurso como se ele estivesse coberto de névoa.

Ele sabe que há algo além da névoa, mas não identificou o que era.

— Em momentos como este, você deveria fazer uma pausa.

Bate se levantou falando com ele mesmo.

E ele se aproximou e abriu a janela.

Quando o ar frio da madrugada entrou, sua cabeça cansada pareceu acordar um pouco.

— O sol já está nascendo.

Bate, olhando fixamente para o céu, acendeu um cigarro.

Mas o cigarro vermelho parou para fazer uma longa cinza.

Os olhos piscaram de vez em quando, fixos no céu.

Pensamentos e pensamentos seguiram um após o outro.

A linha que parecia irrelevante foi revelada.

A névoa estava se dissipando.

Então, um cigarro caiu da mão de Bate enquanto ele seguia o caminho que começava a ver.

— … droga!

Bate, que saltou de volta para sua mesa, procurou freneticamente o pacote de papéis.

— Chanton Sushou…!

Era o Patriarca Sushou, que o estava incomodando como se cutucasse sua nuca.

Depois da hora do chá no Palácio da Imperatriz, o paradeiro do Senhor de Sushou era desconhecido.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥