Selecione o tipo de erro abaixo

Jack seguiu Kyotaro com entusiasmo, ansioso para explorar a escola de bruxaria e conhecer melhor seu novo colega, que apesar de sua atitude indiferente, era um dos veteranos no qual ele teria que contar. Enquanto Kyotaro guiava Jack pela escola, ele começou a compartilhar algumas lições com o novo aluno.

— Nunca se apegue a nada, cara. Nós, bruxos, vivemos em um mundo cheio de perigos, e nunca sabemos quando a morte pode bater à nossa porta — Kyotaro falou com uma seriedade surpreendente. — Levar tudo na brincadeira vai te fazer sofrer. A mente de um bruxo precisa ser forte, ou você vai acabar perdendo muito mais do que imagina.

— Tá, saquei — respondeu Jack, as palavras entrando por um ouvido e saindo pelo outro.

Kyotaro guiou Jack até o armazém onde eram guardadas armas especiais. Enquanto adentravam o armazém, Jack ficou instantaneamente impressionado com a visão diante de seus olhos. O ambiente era vasto e aberto, preenchido por uma miríade de armas reluzentes que refletiam a luz suavemente, criando um espetáculo de brilho e beleza. Cada arma parecia ter sido meticulosamente trabalhada, exibindo uma qualidade artesanal e um design elegante que destacava sua natureza.

Espadas com lâminas de um metal desconhecido, mas radiante, adornadas com entalhes intricados que brilhavam à luz. Lanças longas com pontas afiadas e reluzentes, prontas para perfurar qualquer ameaça que se atrevesse a se aproximar. Adagas delicadas, mas letais, com punhos adornados com gemas cintilantes que pareciam capturar a própria essência da magia.

Enquanto Jack observava maravilhado, Kyotaro começou a explicar sobre a natureza especial dessas armas.

— Estas não são armas comuns — começou Kyotaro, sua voz ecoando no amplo espaço do armazém. — Elas são feitas de solárium, um metal raro e misterioso, que possui propriedades únicas. Este metal, que é encontrado nas mais profundas cavernas, é capaz de ferir demônios, que são imunes às armas convencionais.

(NOTA: Solárium é uma liga de prata, ouro e platina. enriquecida com um elemento químico desconhecido, encontrado apenas em um meteorito que caiu na Terra há milhares de anos. O Solárium tem uma cor dourada, mas que brilha com um tom arco-íris quando exposto à luz solar. O metal tem a propriedade de absorver a energia solar e armazená-la em seu interior, podendo liberá-la sob a forma de calor, luz ou eletricidade. O solárium é um metal raro, valioso e poderoso, cobiçado por muitos que querem usá-lo para fins nobres ou egoístas.)

Kyotaro explicou brevemente:

— No entanto, lembre-se do que te falei, não se apegue a nada. — Ele olhou seriamente para Jack, enfatizando a importância de não criar laços com coisas superficiais.

Jack assentiu, entendendo a mensagem de Kyotaro, mas não pôde deixar de ficar impressionado com a variedade e o poder das armas. Foi quando ele viu uma espada que parecia ter saído de outra dimensão, poderosa e reluzente.

— Uau! Isso é incrível! — Jack exclamou enquanto admirava a arma.

Ren soltou um suspiro, um tanto cansado da empolgação de Jack.

— O que eu disse sobre não se apegar? — ele murmurou, mais para si mesmo do que para Jack.

Kyotaro continuou a mostrar a escola para Jack, e eles passaram por diversos ambientes impressionantes. Primeiro, visitaram a sala de poções, onde os alunos aprendiam a criar misturas químicas usando alquimia. Jack ficou fascinado com as poções borbulhantes e os ingredientes exóticos. Kyotaro comentou:

— Cuidado aqui. Uma poção errada e você poderia acabar sendo explodido. — Ele estragou a diversão de Jack que apenas fazia uma expressão triste.

Em seguida, eles exploraram a sala de transmutação, onde objetos eram transformados em outros por meio da magia. Jack viu escovas se tornando canecas e canecas se transformando em rosas diante de seus olhos. Ele perguntou a Kyotaro:

— Isso é incrível! Como eles fazem isso? — dizia enquanto apontava interessado para o vidro, sorrindo para Ren.

Kyotaro respondeu com uma pitada de desinteresse:

— É só coisa básica, Jack. Você vai aprender a fazer essas coisas com o tempo — Novamente cortando seu barato.

Após a sala de transmutação, Kyotaro levou Jack até a biblioteca da escola. Ao adentrarem o majestoso recinto, Jack olhou ao longe a vasta coleção de livros que se estendia até onde a vista alcançava. As estantes estavam repletas de volumes encadernados em couro, alguns deles emitindo uma aura mágica perceptível até para os menos sensíveis.

— Esta é a nossa biblioteca, onde reside o conhecimento ancestral e contemporâneo de nossa arte — explicou Kyotaro, com um tom solene, como se estivesse prestes a revelar segredos milenares.
Jack olhou ao redor, pensativo.

— Incrível! Quantos livros! — exclamou Jack.

— Sim, é impressionante. Aqui você encontrará tudo o que precisa para aprimorar seus conhecimentos sobre a alma e… — disse Kyotaro, com um leve sorriso, indicando as diferentes seções da biblioteca.

— Pena que eu não gosto de ler.

— Eu já sabia — Ren fez uma expessão de desdém.

Ren o levou até uma sala de repouso, onde tinha uma fonte termal para descanso.

— Isso é muito foda! — exclamou Jack, pensando que Ren não seria capaz de estragar mais seu interesse.

Ren acenou com a cabeça novamente com o mais puro tédio e disse:

— É um lugar para preguiçosos.

Eles saíram do local, enquanto só passava pela cabeça de Jack uma única coisa: “aquele cara era realmente tão chato assim?”, mas logo seguiram para o pátio da escola, passando pela quadra onde um corvo os observava de longe. Enquanto eles se afastavam, o corvo se transformou em um homem estranho que estava apoiado em uma árvore. Ele era coberto de tatuagens pelo corpo e tinha um olho mais fechado que o outro, com uma cicatriz enorme atravessando o olho esquerdo. Quando eles se aproximaram, ele os olhou com curiosidade e disse:

— Parece que tudo está ficando mais interessante — disse enquanto dava um sorriso bizarro, lambendo sua própria bochecha.

Jack e Kyotaro pararam por um instante antes de continuarem seu caminho. Eles seguiram pelo corredor vazio, onde haviam poucos estudantes e funcionários da escola, observando os dois. De repente, um homem usando roupas extravagantes claramente destinadas a uso social, com cabelo arrumado e um olhar cansado de quem não dorme a dias apareceu correndo em desespero:

— Tô atrasado, tô atrasado! — Ele marchava pelo corredor enquanto gritava, claramente não tendo noção de que os outros estavam ouvindo o que ele dizia.

Jack olhou surpreso e perguntou a Ren:

— Quem é esse maluco?

Ren explicou:

— Esse é Marium Vergarossa, professor do segundo ano. Ele é um sujeito excêntrico, mas extremamente talentoso na magia. É um classe Alta.

Jack absorveu a informação sobre as classes e perguntou a Kyotaro sobre a classe do seu professor. Kyotaro respondeu com uma expressão séria:

— Ele é… — deu um suspiro com um pouco empolgação — SUPERIOR!

Olá, eu sou o LFzin!

Olá, eu sou o LFzin!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥