Selecione o tipo de erro abaixo

No começo, Deckard estava sendo realmente pressionado por ele; forçado a recuar, se defender e tentar esquivar, para minimizar os ferimentos que estava sofrendo.

Apesar de não estar ficando com as marcas dos ferimentos, ainda assim podia sentir a dor dos arranhões e dos ataques do tigre. Depois de algum tempo, ele começou a perceber sinais de cansaço por parte do animal. Mesmo estando em formas extracorpóreas, eles sentiam dor e cansaço.

Os ataques se tornaram mais fáceis de desviar, menos frequentes e o tigre passou a manter mais a distância e observar mais. Apesar de ser um animal selvagem, ele não era tolo. Era um predador justamente por saber quando lutar e quando recuar, por saber suas vantagens e desvantagens e estava se tornando claro para os dois que um combate longe era bem mais exaustivo para ele, que tinha ataques explosivos.

Com o ritmo mais calmo, Deckard pôde voltar aos poucos para o jogo e o que era uma pressão unilateral inicialmente passou a ser mais equilibrada.

Eles passaram horas naquela trocação de golpes, até o ponto em que os dois já estavam exaustos. Enquanto estavam se encarando, acabaram chegando em um consenso silencioso de que aquilo precisava acabar e se lançaram um contra o outro, com o restante das forças de ambos.

Depois de todo aquele tempo e esforço, tudo que conseguiram foi gastarem toda a energia que tinham e chegarem a um empate.

De repente, o tigre começou a encarar Deckard e ele passou a esperar pelo ataque que acabaria com aquele impasse, porém ele não veio. Quando encarou o tigre novamente, Deckard se deparou com ele de cabeça baixa, como se prestasse uma continência e ali ele entendeu que o animal havia reconhecido seu poder, o que o deixou extasiado.

— Finalmente, hehe. Você foi um baita oponente garotão — Deckard falou enquanto se aproximava dele e tentava tocar sua cabeça com a palma da mão.

Quando finalmente se aproximou e o tocou, Deckard foi surpreendido por um brilho azulado em suas mãos, que foi substituído por uma pequena marca que parecia com 3 arranhões. Assim que a marca apareceu em sua mão, uma notificação do sistema apareceu.

– NOVA FUNÇÃO DESBLOQUEADA: PET –
– NOVA PET OBTIDO: TIGRE SANGUINÁRIO –

— Quem diria que isso iria liberar uma nova função — ele estava realmente surpreso com aquilo.

Enquanto olhava para a tela do sistema, ele percebeu que a névoa começou a diminuir e o cântico que voltou a ouvir, foi se tornando um sussurro quase inaudível. De repente, a névoa se tornou um turbilhão, que parecia estar sendo sugado, levando os sons à volta embora.

Tudo começou a se tornar um borrão em volta. Tanto a paisagem, quanto as figuras de Diane e do tigre, tudo foi se misturando. Deckard foi tomado por uma sensação de exaustão física e mental, por um cansaço extremo e começou a sentir dor, muita dor, como se estivesse recebendo todos os ferimentos da luta novamente. E, assim que tudo começou a girar, tudo se tornou um breu e ele apagou outra vez.

Enquanto estava apagado, Deckard sonhou. Sonhou com tigres, sonhou com a floresta, com caçada, com o cheiro forte de sangue fresco, com rosnados e uivos, sonhou com o frenesi de uma batalha entre predadores, sentiu a dor da vitória. Ele já não era mais ele mesmo, tudo se misturava em sua mente, os instintos animais, a coragem, a vontade inabalável, a ambição humana.

Tudo ficou em silêncio outra vez. Um completo breu.

De repente, se pegou encarando o nada, até focar o teto e reconhecer a casa de Diane. Ele tentou se virar e fazer força para sentar, mas tudo que conseguiu foi resmungar e sentir a fraqueza bater outra vez.

— Oh ho, calma aí monstrinho — ele pôde ouvir o tom bem humorado de Diane à sua esquerda. — Nem acordou e já quer correr. Bem, tal pet, tal dono.

Deckard olhou para ela, sem entender muito bem.

— Parabéns pelo seu novo companheiro — ela lhe disse, enquanto apontava para o tigre enorme no canto da sala, que parecia aborrecido.

— Deu certo então, que bom — Deckard exprimiu tanta felicidade quanto podia, com a sensação de fraqueza.

— Sim, mas você lutou bem, depois de tudo. Levou dois dias nessa brincadeira, quase não consigo manter o cântico até o fim — Diane lhe estendeu a mão e lhe entregou uma caneca com um caldo que parecia ser de legumes e um pedaço de pão. — Aqui, coma e se recomponha. Afinal, sua última refeição foi quatro dias atrás.

— Quatro dias? Se foram dois dias para o contrato, eu fiquei apagado por mais dois dias? — essa notícia o pegou completamente de surpresa.

— É isso aí gênio. Bem, agora você precisa dar um nome pro seu companheiro, antes de mais nada. E, recuperar suas forças.

— E quanto ao meu treinamento?

Ele não era exatamente o maior fã dessa rotina desgastante, mas sabia o quanto isso seria importante para que ele pudesse viver nesse novo mundo, depois do que Diane havia lhe dito.

— Quando você estiver melhor, vamos ver isso. Vou precisar avaliar a sua evolução nesses últimos dias e ver o quanto esse contrato de sangue aumentou no seu poder, antes de continuar a te treinar.

— Bem, a ideia de recuperar as forças antes me agrada e muito — brincou, com um sorriso pálido.

Ele consegui forçar um sorriso fraco para ela.

— Bem, eu nunca poderia imaginar que você teria uma evolução tão monstruosa nesses 20 dias, Deckard. Seu potencial está sendo liberado de uma forma que até eu estou impressionada. Meu plano era te forçar até o limite neste mês, para então decidir como te treinar ao longo de um ano, afinal você tem que correr atrás de uma década de desvantagem em relação aos magos de Principale. Mas, a partir de agora, vou te treinar pessoalmente e te levar além de qualquer limite que possa imaginar.

— Eu nem me recuperei e você já está querendo me espancar — ele fingiu estar triste, antes de dar uma risada.

— Você é o primeiro que escolhi para treinar e vou fazer de você o maior guerreiro que puder. Vou te levar ao submundo, ao longo deste ano, para você poder alcançar os céus com suas próprias mãos. Então, se recupere e se prepare.

Assim que terminou de falar, ela se levantou e foi em direção ao quarto dos fundos.

Ele se sentou no sofá e ficou encarando o tigre enorme no canto da sala, pensando no nome dele.

De repente, percebeu uma coisa que levou um bom tempo para notar. A tela do sistema não estava aparecendo para ele, assim como nas outras vezes em que desmaiou, o que estava se tornando mais frequente do que ele queria admitir.

Mas, foi só ele pensar nela, que o brilho azul tão familiar retornou.

Deckard abriu a notificação de abertura da nova função e era mais explicativa do que qualquer outra coisa.

– NOVA FUNÇÃO DESBLOQUEADA: PET –

– O usuário agora pode formar contrato com bestas, para que se tornem companheiros em batalhas. Quando obtêm um pet, o usuário ganha pontos de atributos permanentes baseados no rank, nível e atributos do pet. Há 10% de chance de obter uma das habilidades de um pet acima do rank épico.

Apesar de ser uma função bem interessante e de achar todos os novos pontos de atributos bem vindos, ele não estava nenhum pouco afim de passar por tudo isso outra vez tão cedo.

Focou então na outra notificação, que fazia uma breve introdução às características do tigre sanguinário e trazia uma recompensa muito boa.

— Se um pet de rank épico já foi difícil assim de dominar, não quero nem ver como seria um lendário — ele se sentiu realmente arrepiado, só de imaginar. — Pena que não ganhei uma habilidade.
Ao que parece, para terminar o vínculo, eu preciso escolher um nome e só então vou ter um pet, propriamente dito, e poder receber os pontos de atributos.

Ele levou algum tempo pensando, antes de decidir. Quando escolheu, abriu a mensagem do sistema e escolheu a opção nomear.

Ele recebeu seus pontos de atributos. Três pontos de força, cinco pontos de destreza e dois pontos nos demais atributos. Essa quantidade de pontos o deixou realmente curioso sobre os atributos de seu pet.

Ele abriu a própria tela de status, só para ver como estavam agora e se planejar, pois sabia que eles estavam bem desbalanceados agora.

Nome: Deckard Crowford
Idade: 20
Nível: 3
Status (Saúde): Saudável
—————————————————-
Título: “Caçador fora do comum” (+1)
—————————————————-
Profissão: Não atribuído
—————————————————-
Atributos:

Força: 28 (+2)
Destreza: 30
Inteligência: 27
Carisma: 27
Magia: 27
————————————————-
PONTOS NÃO DISTRIBUÍDOS: 1

— Para equilibrar isso agora, preciso de mais 11 pontos. Como diabos eu consigo isso tudo?

Deckard se sentiu bem frustrado, mas não havia muito o que pudesse fazer.

PET
————————————————–
Nome: Fang
Nível: 5
Rank: Épico
————————————————–
Espécie: Tigre Sanguinário (Adulto)
————————————————–
Atributos:

Força: 38
Destreza: 43
Inteligência: 27
Carisma: 22
Magia: 27

— Mesmo antes de receber o bônus de atributo do contrato, esse desgraçado já era forte para caralho — ele olhou para Fang, só para ver o tigre dando um bocejo desinteressado, como se não soubesse do que Deckard estava falando. — Você brincou comigo o tempo todo, seu tigre maldito.

Picture of Olá, eu sou o Ricky Saintz!

Olá, eu sou o Ricky Saintz!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥