Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Plano Lance.

Era um pequeno plano extremamente bonito.

Todo o plano era composto por pântanos, montanhas, planícies, florestas, vulcões e vastos mares.

Somente em termos de área, Lance tinha duas vezes o tamanho do Plano Goblin.

Os recursos biológicos aqui eram abundantes e as reservas de metais e minérios eram surpreendentemente altas.

Além disso, as reservas de cristais mágicos e recursos de Lance eram muitas vezes maiores que as do Plano Goblin devido à sua natureza como um plano de alta magia.

A tribo mais populosa e amplamente encontrada em todo o vasto plano eram os trolls, que tinham todos os tipos de ramos tribais.

Os trolls eram uma espécie temível e combativa, com média de sete pés de altura 1 e duzentas libras 2 de peso. Eles possuíam grandes estruturas esqueléticas e tinham uma força muscular notavelmente desenvolvida. Eles eram habilidosos no uso de dardos e lanças envenenadas e possuíam todos os tipos de habilidades raciais desejáveis, como berserk, regeneração, habilidades de matar bestas e proficiência em arremessar armas.

Médicos vodu com estranhas habilidades vodu nasceriam até mesmo em algumas grandes tribos de trolls. Eles exerciam algumas das artes mais primitivas de herbalismo e magia vodu.

Os trolls eram os governantes legítimos de Lance antes de enfrentarem uma invasão terrível. Na verdade, no auge de sua história, os trolls estabeleceram até mesmo um vasto Império Troll.

Infelizmente, tudo isso chegou a um ponto insuportável no 1.207º ano do calendário vodu.

A história do governo dos trolls terminou quando uma enorme revoada de dragões chegou, voando nos céus azuis.

O exército aliado de dragões destruiu rapidamente a capital e massacrou seu exército.

O enorme Império Troll desmoronou instantaneamente e foi dividido em centenas de territórios de vários tamanhos. Os dragões obtiveram terras diferentes dependendo de seu grau e poder. Os dragões de Quarto Grau poderiam reivindicar terras com mais de um milhão de quilômetros de tamanho como seu território, enquanto os dragões de Terceiro Grau só poderiam tomar terras de cem mil quilômetros.

Dragões de graus ainda mais baixos só podiam possuir uma ou duas aldeias ou uma grande tribo de trolls como suas terras, vivendo a vida de um lorde servido por uma horda de servos.

Os Lordes Dragões cultivaram intencionalmente um grupo de descendentes de dragões com uma linhagem nativa ao conquistar o plano – Draconatos. Era para suprimir a resistência dos trolls.

Os Draconatos se esconderam nos palácios e tocas de dragões que criaram com todas as suas riquezas e pedras preciosas acumuladas, enquanto a ordem dentro de seu território era mantida pelos servos Draconatos que possuíam sua linhagem.

Esses Draconatos eram os servos leais de seus lordes. Eles geralmente eram responsáveis ​​por cuidar da vida diária dos dragões dentro dos palácios e tocas, mas ocasionalmente deixavam as terras para recuperar as oferendas e contribuições das tribos de trolls.

A resistência e os tumultos dos trolls em pequena escala nem precisariam alertar os dragões. Os Draconatos tinham uma imensa força individual e possuíam poderes Elementium concedidos por sua linhagem de dragão. Esses distúrbios eram frequentemente resolvidos por um pequeno número de guerreiros e batedores Draconatos.

Como tal, a hierarquia em Lance se transformou em uma cadeia alimentar onde os dragões governavam do alto, Draconatos eram a classe média e os trolls eram os que eram explorados por aqueles acima. Quanto às outras tribos que eram ainda mais fracas que os trolls? Eles se tornaram alvo de exploração e roubo pelos próprios trolls.

Os dragões só se aventuravam a sair para brincar ou simplesmente escolhiam ficar em casa dormindo. Eles nunca pensaram na propagação da civilização de dragões. Era por isso que os nativos locais ainda viviam como pessoas primitivas, rudes, sem etiqueta, famintas e loucas, mesmo depois de mil anos de domínio dos dragões.

Nem um único lugar em Lance poderia sentir o calor da civilização!

O Ano 1723, Mês 4, Dia 11 do Calendário Dracônico.

Foi um dia misterioso que estava fadado a nunca ser esquecido pelas pessoas.

Uma grande porta planar de teletransporte se abriu lentamente em um vasto pântano que se estendia por dezenas de milhares de quilômetros.

Silhuetas brilharam na frente da porta e a figura tênue de uma pessoa alta lentamente tornou-se clara.

O homem era meio homem e meio dragão. A parte superior de seu corpo parecia a de um homem adulto com uma armadura de bronze dourado. O homem segurava uma lança elétrica na mão. Sua metade inferior tinha quatro membros grossos cobertos por escamas azuis brilhantes, e terríveis garras de dragão descansavam no final de cada perna.

O Draconato arrastou uma cauda de dragão grossa e ligeiramente achatada pelo chão atrás dele. Escamas lindas e resistentes também cobriam a cauda.

Aqui em Lance, um Draconato praticamente representava governantes que assassinavam e roubavam como desejavam.

Um Draconato de Primeiro Grau poderia facilmente usar seu corpo poderoso e temíveis poderes de Elementium para massacrar uma tribo de mais de algumas centenas de trolls. Um Draconato de Segundo Grau como Zacha poderia ser adorado como um mensageiro dos dragões, mesmo que fosse para grandes tribos de trolls com mais de dezenas de milhares de habitantes.

Como tal, as bestas abutres e os caçadores escondidos nas águas próximas fugiram rapidamente de medo quando viram o corpo de Draconato facilmente reconhecível de Zacha.

A única coisa que tribos nativas como essas mais temiam era a visão de um mensageiro dos dragões.

A chegada de um mensageiro significava que a riqueza da tribo que havia sido acumulada no ano passado, e mesmo nos últimos anos, seria toda desperdiçada. Esses mensageiros eram frequentemente criaturas excessivamente musculosas, mas mentalmente simplistas. Eles não tinham um conceito objetivo de números.

Eles andavam aleatoriamente pelo território, forçando qualquer tribo que encontrassem a desistir de todos os seus recursos: alimentos, minérios, pedras preciosas mágicas, tesouros misteriosos. A quantia que tiveram que entregar? Seria apenas qualquer número aleatório que viesse a mente do Draconato.

Se fosse apenas algo em torno de quinhentos quilos de carne seca variada, então a tribo que estava sendo extorquida ainda poderia desembolsar se apertasse os cintos. No entanto, se o mensageiro simplesmente dissesse algo como quinhentos quilos de pedras preciosas mágicas, a tribo estaria em sérios apuros. Eles nunca seriam capazes de acumular uma quantia tão alta, mesmo que quebrassem seus cofrinhos e se vendessem.

Como tal, apelar aos mensageiros tornou-se a única maneira de uma tribo continuar a viver. Matar um mensageiro e rebelar-se contra a tirania dos dragões era um pensamento que seria melhor permanecer apenas em suas mentes. Se alguém não conseguisse suprimir suas emoções e atacasse um mensageiro, então o que os aguardava seria o extermínio total e o genocídio pelo exército Draconato.

Zacha rapidamente explorou a área enquanto se movia pelo pântano úmido com seus passos pesados.

Cada passo de Zacha no lodo onde residia matéria podre fazia com que sujeira e água negra e pungente espirrassem em todas as direções. Poças e uma névoa persistente eram visíveis por toda parte.

Tudo um pouco mais distante estava envolto em um fino véu de névoa, dificultando a visão.

A sensação genuinamente relaxante de retornar ao plano de onde veio deixou Zacha incrivelmente feliz. No entanto, sentiu seu coração pesar ao se lembrar da tarefa que carregava sobre os ombros. Parecia que caminhar se tornou muito mais difícil.

Nenhum traidor jamais apareceu entre os Draconatos, que viam a lealdade como o único credo em suas vidas. Eles prefeririam perder suas vidas do que perder seu orgulho e glória como Draconatos.

No entanto, como um Draconato escravo subordinado a Arms, ele foi doado por seu mestre a um adepto humano. Este evento sem precedentes deixou Zacha extremamente perdido e confuso.

A quem ele deveria ser leal?

O Lorde Dragão que lhe concedeu sua linhagem? Ou o adepto humano que possuía seu contrato de alma?

A alma de Zacha estava perdida!

Ele estava pensando, procurando uma resposta.

Antes que pudesse responder, seu novo mestre o mandou de volta para a casa em que estava pensando, mesmo em seus sonhos.

Zacha sentiu uma sensação de relaxamento e tranquilidade ao absorver o ar podre do pântano, embora fosse um ambiente completamente diferente das terras do Lorde Arms.

Zacha permitiu que seus sentimentos se libertassem por um momento antes de finalmente retornar à porta de teletransporte com passos pesados. Ele enviou um sinal de ‘tudo limpo’ para a porta de acordo com o plano.

Quinze minutos depois, ondulações apareceram na porta de luz, tanto que parecia quase o próprio mar. Um monstro de metal incomparavelmente massivo se encolheu e se espremeu para fora do estreito espaço de teletransporte.

O tamanho do monstro de metal ainda era muito, muito, grande demais para a porta de teletransporte de dez metros de altura.

Ele já havia tentado ao máximo comprimir seu corpo, chegando ao ponto de distorcer seu corpo de metal em um monstro de metal que lembrava uma lula. Ainda era tão difícil e doloroso passar pela porta da luz.

Seu corpo maciço dividiria o espaço planar se ele usasse um pouco de força demais, causando o aparecimento de violentas rajadas espaciais.

Vários pedaços brilhantes do espaço se reuniram ao redor do monstro de metal, devorando continuamente seu corpo de metal. Algumas das fendas espaciais mais substanciais vagavam, cortando em pedaços a espessa casca de metal do monstro de metal onde quer que fosse. O metal não durou nem um segundo.

No entanto, apesar da dificuldade da jornada, o monstro de metal ainda estava abrindo caminho até Lance sem qualquer hesitação.

O monstro de metal levou três horas inteiras antes de finalmente emergir daquela porta de teletransporte quebrada. Zacha estava mantendo guarda e certificando-se de que nenhum inimigo interromperia o processo.

Esta ação bárbara também causou danos indescritíveis ao monstro de metal.

Apenas as partes cortadas e devoradas pelas fendas espaciais ocupavam mais de 31% do seu corpo.

A porta de teletransporte finalmente se quebrou em pontos brilhantes de luz e desapareceu no momento em que o monstro de metal arrastou seu corpo danificado para fora da porta.

No segundo seguinte, Gazlowe, Greem, Endor, Billis, Deserra, Dana e os outros adeptos grunhiram em uníssono, mesmo permanecendo escondidos dentro do monstro de metal. Todos sentiram a hostilidade sem fim deste mundo.

A supressão do plano desceu sobre eles sem mesmo dizer oi!

Lance era pequeno em termos de área. Era um plano clássico de pequeno porte entre as dezenas de milhares de mundos planares. No entanto, a aura mágica aqui era extremamente viva. Era evidente que tinha um ambiente de alta magia.

Os dragões provavelmente tomaram muito cuidado para mudar as leis do plano deste mundo ao conquistá-lo. Eles criaram um quintal quase perfeito para os dragões. Caso contrário, Lance nunca teria tido uma aura mágica tão poderosa com seu nível mundial.

Como a principal ofensa enviada pelo Clã Carmesim a Lance, todos os adeptos, incluindo Gazlowe, ficaram severamente enfraquecidos. Eles eram quase incapazes de fornecer qualquer apoio de combate antes de se adaptarem lentamente às leis do plano daqui.

No entanto, o corpo de metal controlado por Gazlowe não estava na lista dos afetados pela supressão do plano.

Depois de recuperar rapidamente alguns pedaços de metal que ainda poderiam ser usados, o monstro de metal caminhou para a névoa e em direção ao sudoeste com Zacha na liderança.

[Combo: 10/25]

  1. Aproximadamente dois metros[]
  2. Aproximadamente noventa quilos[]
Picture of Olá, eu sou o Crimson!

Olá, eu sou o Crimson!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥