Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Foi necessário um esforço hercúleo para trazer o enorme dragão de volta à fortaleza de metal, mesmo para as máquinas de construção de Gazlowe.

Aquela devoradora de dragões também retornou à base dos adeptos sob o caloroso convite de Greem.

Em apenas sete dias, as máquinas de construção de Gazlowe escavaram a montanha e transformaram-na numa base escondida. O enorme buraco escavado na montanha também foi tampado com uma parede de metal. Inúmeras portas secretas foram criadas na parte inferior da parede, permitindo que as máquinas de construção entrassem e saíssem constantemente.

Grupos madeireiros, grupos de reconhecimento, grupos de caça, robôs de geoexploração, inspetores geológicos de solo, biodistribuição; as tarefas comuns foram deixadas para as máquinas de construção inquestionavelmente leais e com cabeça de aço, mas a amostragem e a investigação do meio ambiente, das formas de vida e dos recursos geológicos não poderiam ser deixadas para elas.

Um dispositivo de teletransporte Goblin de grande porte foi rapidamente construído dentro da base, permitindo que a fortaleza de metal possuísse um meio de comunicação estável e ininterrupto com o Plano Goblin. O primeiro grupo de indivíduos a se teletransportar foram os técnicos e engenheiros Goblins que a fortaleza de metal precisava desesperadamente.

Assim como esperado, todos os Goblins foram atingidos pela “embriaguez mágica” ao passarem repentinamente de um mundo de baixa magia para um mundo de alta magia. Todos os tipos de condições anormais começaram a afligir os cem Goblins. Eles tiveram febre, vomitaram e até seus humores azedou. Os Goblins finalmente conseguiram se adaptar ao ambiente de Lance após a morte de mais de quatro dúzias deles.

Com a chegada desses ajudantes, as diversas máquinas de construção e mágicas que Gazlowe construiu passaram a ter comandantes. Um técnico Goblin comandaria quatro ou cinco máquinas mágicas, executando perfeitamente as várias tarefas que Gazlowe atribuiu a elas – reconhecimento, investigações, amostragem, extração de madeira, caça e muito mais. Além disso, esses oficiais poderiam fornecer a Gazlowe um relatório detalhado e abrangente da missão após cada missão.

Aumentou tremendamente a eficiência do trabalho. Era muito mais fácil do que fazer com que Gazlowe mantivesse à força um traço de sua consciência mental em torno das máquinas para controlá-las remotamente.

Além disso, a origem da alma de Gazlowe ainda vinha daquele velho Goblin. Como tal, suas preferências pessoais e hobbies ainda tendiam para a invenção e a criação de novas tecnologias. Ele não se incomodava em assumir a tarefa simples e ineficiente de supervisionar as operações em circunstâncias normais.

Para garantir que pudesse se livrar dessa tarefa repetitiva, ineficiente e exaustiva de um oficial, Gazlowe construiu especialmente uma sala escondida dentro da área central da fortaleza de metal. Ele converteu o lugar em um misterioso reservatório e começou a cultivar um novo cérebro secundário.

O cérebro secundário seria capaz de ocupar o seu lugar na supervisão dessas tarefas diárias, uma vez que tivesse crescido e amadurecido. Isso permitiria a Gazlowe retomar seu cargo preferido de inventor, cientista e engenheiro.

Tudo na fortaleza de metal já estava funcionando de maneira ordenada quando Greem retornou. Junto com ele vieram seus dois subordinados, uma convidada inesperada, o Dragão do Vento, e a equipe responsável pelo transporte do dragão.

Era quase como se esta fosse a primeira vez que a assassina via uma civilização tão estranhamente metálica. Ela avaliou cuidadosamente essas máquinas de metal com corpos forjados em aço e ferro. Ela não conseguia sentir nenhuma vida ou carne dentro delas.

No entanto, meros pedaços de metal como estes possuíam uma consciência comportamental semelhante à dos humanos. Elas conseguiram se reunir, carregar um enorme tronco de madeira, formar grupos para levantar uma gaiola de metal cheia de bestas ou até mesmo formar filas organizadas sob o comando de um técnico.

O caminho de metal que levava às diversas áreas da fortaleza de metal podia ser largo, mas ainda era estreito em relação a essas gigantescas máquinas de aço. Mesmo assim, essas máquinas sabiam esperar e deixar os outros passarem quando passavam uma pelas outras. Não houve colisões ou acidentes.

Esta cena extremamente ordenada naturalmente atraiu o choque e o respeito da devoradora de dragões.

Civilização!

Embora fossem apenas um monte de pedaços de metal sem alma, ela sentiu a existência de uma civilização sobrenatural através dessas máquinas.

Somente a civilização poderia fazer com que cada membro da sociedade demonstrasse tal ordem e disciplina. Só a cultura poderia permitir que um grupo ultrapassasse o seu estado primordial e se tornasse uma existência única respeitada pelos outros.

A maioria das espécies que possuíam suas próprias civilizações eram dispersas e pequenas. Elas exigiam a união da maioria para acender as chamas da civilização. No entanto, a civilização diante de seus olhos parecia estar concentrada e unificada. O brilho da inteligência e a luz da cultura pareciam ter-se reunido em torno de um único indivíduo poderoso. Este indivíduo era autorizado a dirigir e atribuir o poder de toda a espécie.

Civilizações como estas eram raras, mas não eram únicas!

No entanto, o que surpreendeu esta assassina foi o fato de que a classe baixa desta civilização eram todas máquinas de metal. Ela não podia deixar de querer conhecer o mestre desta civilização.

“Mestre, você trouxe uma estranha? Precisa que eu faça preparativos especiais?”

A consciência mental de Gazlowe conectou-se silenciosamente com Greem enquanto ele fazia um tour pela assassina enquanto caminhava em direção ao salão central.

“Não há necessidade! Esta é uma devoradora de dragões. É muito provável que ela se torne nossa aliada no futuro. Estou confiante de que ela não nos entregará aos dragões porque é mais provável que esses dragões a exterminem primeiro!” Greem respondeu com confiança.

“Devoradora de Dragões?”

Gazlowe não tinha dados ou informações relacionadas em sua memória. Como tal, Greem teve que enviar conjuntos de informações que organizou sobre o assunto.

Gazlowe parou apenas por um ou dois segundos antes de digerir completamente o conhecimento. Ele não pôde deixar de sugerir a Greem: “É verdade que essa devoradora tem o poder, motivo e direito de ser nossa aliada aqui em Lance. No entanto, mestre, você deve ter cuidado. Ter nosso relacionamento prematuramente com esta devoradora exposto aos dragões antes de estabelecermos uma posição segura, é muito provável que cause problemas.

“Mm, eu sei! É por isso que você enviará outro grupo de máquinas mágicas para os dois picos. Limpe aquele lugar mais uma vez. Capture todos os seres vivos lá ou mate-os. Nenhuma testemunha pode escapar!”

“Entendido. Farei o que você diz!”

A comunicação mental deles foi rápida e silenciosa. Todo o processo não demorou mais do que breves oito segundos.

No momento em que Greem chegou ao salão central com a assassina, um esquadrão de cinquenta máquinas mágicas já havia saído da fortaleza de metal sob a liderança de um Goblin. Eles estavam indo direto para os dois picos.

“Posso saber…” Greem não pôde deixar de fazer uma pergunta depois que todos se sentaram.

“Eu sou Oliven. Sou uma devoradora de dragões de Segundo Grau e venho do Mundo dos Desastres. Os membros da minha família foram todos devorados por aqueles malditos Lordes do Flagelo. Eu fui a única que escapou e acabou vagando aqui em Lance. Então, se estão de olho nesses dragões, podem contar comigo. Posso ser uma ajuda decente para vocês!” A assassina era uma pessoa bastante direta. Ela imediatamente forneceu todos os seus antecedentes sem mais perguntas de Greem.

Não havia como verificar a veracidade de suas palavras, mas por algum motivo, Greem optou por acreditar nela. Greem também notou algumas coisas extremamente interessantes na narração da assassina.

Mundo dos Desastres. Lordes do Flagelo.

Era importante notar que havia apenas alguns planos de grande porte no multiverso que poderiam ser comparados ao Mundo Adepto. O Mundo dos Desastres era um desses mundos. Na verdade, era um plano ainda mais poderoso que o Mundo Adepto.

Foi dito que aquele lugar era muito mais maligno, caótico e poderoso que o Mundo Adepto.

Monstros andavam livremente por lá e criaturas mágicas existiam em hordas. As leis do tempo e do espaço também eram totalmente diferentes da maioria dos outros planos. Era quase impossível que formas de vida comuns vivessem ali. Eles mal conseguiam sobreviver se escondendo entre as brechas das poderosas e temíveis criaturas e monstros mágicos.

Quase não havia países ou cidades lá – apenas um monstro absurdamente poderoso após o outro.

Esses monstros se autodenominavam Lordes do Flagelo. Cada um deles era um indivíduo dominador e mau. Mesmo o mais fraco dos Lordes do Flagelo não era inferior ao Sexto Grau. Eles já haviam devorado a maior parte dos recursos do Mundo dos Desastres em que residiam. Como tal, os recursos do mundo secaram e as leis do mundo se tornaram caóticas e estranhas.

Eles passavam a maior parte do tempo dormindo dentro do plano, acordando apenas uma vez a cada mil anos para invadir outros planos em busca de alimento; sua comida era a origem do plano em que todos os planos dependiam para sobreviver! Como tal, nenhum destino além da destruição aguardava o infeliz plano visado pelos Lordes do Flagelo.

Os adeptos eram considerados diabólicos, expandindo continuamente suas terras fora de seu plano, roubando recursos e escravizando raças inteiras. No entanto, todos esses mundos planos poderiam recuperar parte de seus recursos se tivessem tempo para descansar e se recuperar. Por outro lado, os Lordes do Flagelo devorariam diretamente o poder de origem que sustentava as funções do plano, fazendo com que um mundo inteiro se dirigisse ao extermínio e à destruição.

Os adeptos podiam ser maus, mas ainda eram um grupo de indivíduos que perseguiam a ordem, mesmo que fosse uma ordem sobre a qual governassem.

Seu caminho de desenvolvimento era completamente diferente dos Lordes do Flagelo que procuravam destruir tudo. Era por isso que os adeptos frequentemente lutaram contra os Lordes do Flagelo em vários lugares, iniciando batalhas sangrentas e intensas por todo o multiverso.

Ainda assim, não havia como superar a rivalidade entre os Lordes do Flagelo e os Titãs. As batalhas que eclodiram entre eles foram as mais severas e brutais de todo o multiverso.

Ambas as facções lutaram com tudo o que tinham em numerosos planos exteriores, destruindo incontáveis ​​mundos planos no processo.

Foi por isso que Greem definiu os Lordes do Flagelo e os Titãs como a fonte mais significativa de caos no multiverso ao ler todos os livros sobre.

[Combo: 18/25]

Picture of Olá, eu sou o Crimson!

Olá, eu sou o Crimson!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥