Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Os despojos após exterminar uma aldeia foram razoavelmente abundantes.

Os recursos e suprimentos obtidos foram secundários; o maior despojo foi, na verdade, o pequeno altar natural que obtiveram.

Água da Lua, também conhecida como Água da Fonte Lunar, era uma espécie de água de nascente especial produzida no território dos elfos.

Corria o boato de que a água da lua era uma energia inteiramente nova criada pelos elfos, combinando o Elementium mágico com o poder da fé. Essa energia se manifestou na forma de água de um poço.

Para os mortais comuns, a água da lua poderia trazer os mortos de volta à vida, mesmo que tudo o que restasse fossem ossos. Era praticamente um remédio milagroso. Para os feiticeiros, a água da lua era a poção de cura mais potente e segura do mundo.

Mesmo que um feiticeiro estivesse completamente exausto, sem Espírito ou vigor, tudo o que precisava fazer era beber uma garrafa de água da lua para se revitalizar instantaneamente. O Espírito deles estaria tão cheio que estariam prestes a explodir. Foi por isso que qualquer adepto de alto nível que pudesse trazer consigo uma garrafa de água da lua estava essencialmente proporcionando a si uma segunda vida.

Poderíamos facilmente imaginar um adepto usando a água da lua para recuperar suas forças depois de se exaurir em uma batalha com um igual. O súbito rejuvenescimento e prazer que adveio de torturar e derrotar o oponente com seu novo poder não se compara ao entretenimento comum!

O Mundo Adepto pode ser superior a Faen, mas as poções mágicas que criaram ainda eram do tipo que estimulavam o corpo e o Espírito a acelerar a velocidade de regeneração. Era totalmente diferente da água da lua, que poderia permitir que qualquer um virasse a mesa após o consumo: explodindo de tanto poder mágico, Espírito e vigor no máximo. Seria muito fácil esmagar o oponente.

Além disso, os medicamentos mágicos do Mundo Adepto causavam sérias resistências à poções. Beber vários frascos das mesmas poções também não teria efeitos acumulados. Seu desempenho regenerativo era totalmente inferior ao da água da lua em todos os aspectos. Eles eram como o céu e a terra, sem absolutamente nenhum ponto de comparação.

Foi por isso que a água da lua era uma poção de alta classe pela qual os adeptos de alto nível lutariam, mesmo no Mundo Adepto. A água da lua na mesma quantidade costumava custar de oito a dez vezes o preço de poções mágicas. Ainda assim, era um bem valioso sem mercado entre os círculos sociais de adeptos de alto nível.

A única causa para este fenômeno era a combinação de grandes quantidades de poder de fé no processo de criação de água da lua genuína. Os adeptos quase não tinham fé. Assim, não tinham controle sobre o poder da fé e não podiam replicar a água da lua em seus laboratórios mágicos.

Como não podiam replicar a substância por meios mágicos, o único método que restava para os adeptos obterem a água da lua era roubar dos elfos. No entanto, aqueles entre os elfos que podiam possuir Fontes Lunares e produzir grandes quantidades de água da lua eram geralmente grandes assentamentos de elfos.

As divindades frequentemente protegiam esses assentamentos!

Não importava quão poderosos fossem. Se um adepto provocasse problemas nesse lugar e atiçasse a fúria da divindade por trás dele, poderia facilmente causar seu fim e ter sua alma despedaçada por um mensageiro divino. O avatar que enviaram pode ter uma diferença de poder considerável em comparação com a própria divindade, dependendo do nível do canal de fé e do poder individual da divindade.

Ainda assim, uma divindade do Sexto Grau projetando sua consciência sobre um mensageiro divino de Terceiro Grau poderia facilmente massacrar vários oponentes de Terceiro Grau. Era uma questão simples, na verdade. A compreensão superior e a utilização de energia e técnica foram mais que suficientes para permitir-lhes combater numerosos inimigos e massacrar todos no caminho!

Era por isso que os assentamentos protegidos por divindades eram todos lugares proibidos para adeptos. Ninguém poderia se defender contra os mensageiros divinos e a temível magia divina que poderiam lançar.

O poder divino era considerado uma força mais potente e superior que a força mágica no sistema de poder dos adeptos. A única coisa que poderia se opor ao poder divino era o poder das leis que os Grandes Adeptos possuíam.

Foi por isso que Greem e os outros já estavam satisfeitos por obterem inesperadamente um pouco de água da lua de uma pequena aldeia.

Eles conseguiram encher cinco frascos padrão inteiros com água da lua. Cada um desses frascos seria vendido, pelo menos, pelo preço altíssimo de vinte a trinta mil cristais mágicos no Mundo Adepto. Além disso, mesmo com uma taxa tão elevada, seria dificilmente encontrada água da lua no mercado. Ninguém venderia a água da lua que se esforçaram tanto para obter.

Afinal, em momentos de crise, uma garrafa como essa poderia salvar suas vidas!

Ninguém reclamaria de suas vidas serem muito longas!

Foi por isso que os adeptos de alto nível os armazenariam em vez de vendê-los.

É claro que o valor da água da lua era, sem dúvida, imenso para Deserra e o resto. Porém, para Alice e Greem, o valor daquela estátua de madeira parecia ser ainda maior que a água da lua!

Como tiveram a sorte de chegar a um plano de fé governado por Deuses, seria uma vergonha para suas identidades como adeptos se não fizessem uma pesquisa adequada sobre esse “poder da fé” que era ainda mais poderoso que o poder mágico.

É claro que, se Greem pudesse ir aos reinos sagrados, implorar por alguns cristais de poder divino e fazer com que abrissem seus domínios para que ele fizesse um tour completo, seu progresso em pesquisa definitivamente dispararia.

Infelizmente, os não-crentes de outro mundo como ele não teriam outro destino senão a destruição se fossem pegos pelas divindades nativas daqui. Foi por isso que os caminhos de Alice e Greem para fazer contato com o poder divino eram muito, muito estreitos. Para ser honesto, quase não havia como entrar em contato com isso.

A estátua de madeira que obtiveram do altar da aldeia pode não ter poder divino suficiente para formar uma aura divina, mas mesmo assim era um tesouro em si.

Pode-se imaginar o que aconteceu no passado. O líder desta aldeia deve ter se ajoelhado diante desta estátua e orado religiosamente, dia após dia, ano após ano, comunicando-se e contatando o Deus do Luar em que acreditavam através desta estátua.

Dessa forma, depois de passar muito tempo imerso na fé no Deus do Luar, a estátua transcenderia suas raízes mundanas e se tornaria um item divino genuíno, independentemente de quão comum fosse seu material e quão mal feito fosse seu acabamento.

Uma pesquisa aprofundada não produziria apenas traços de poder divino do Deus do Luar. Também revelaria indiretamente os domínios legais nos quais a divindade estava envolvida, juntamente com a força de sua divindade.

Foi por isso que Alice selou imediatamente a estátua de madeira com tremendos poderes do destino ao encontrá-lo.

Ela não foi idiota o suficiente para pesquisar assuntos tão aterrorizantes em um ambiente tão perigoso e simples.

Se o Deus do Luar descobrisse um descrente espionando sua autoridade e poderes por meio de um objeto de fé, poderia lançar um castigo divino dessa maneira. Corria o boato de que o Deus do Luar era uma divindade de Quinto Grau. Mesmo que os limites de seu poder – quando projetado no plano – só pudessem ir até o Terceiro Grau, tanto poder já era demais para Alice no Primeiro Grau.

Todos os membros embarcaram imediatamente no navio voador depois de vasculhar a aldeia. Eles então escaparam para longe sem hesitação.

Duas horas depois da partida do navio, um esquadrão de elfas montadas em Leopardos Predadores da Noite chegou a aldeia.

O que os esperava, além das chamas ardentes, eram os restos destruídos das casas na árvore dos elfos. Os elfos que viviam na aldeia foram massacrados, sequestrados ou fugiram para a floresta circundante. Nem um único sobrevivente foi encontrado aqui.

“Encontre-os. Espalhem-se e encontrem-nos. Devemos encontrar um sobrevivente e descobrir o que exatamente aconteceu aqui.” A líder berrou. 

Todas as outras caçadoras imediatamente subiram nos Predadores da Noite e avançaram para as florestas vizinhas. Eles começaram a procurar e invocar o Vento Sussurrante único dos elfos.

Logo, alguns sobreviventes foram reunidos diante da líder. Entre eles estava a druida júnior que sabia como se transformar em um antílope.

“Cassan, o que exatamente aconteceu aqui? Por quem você foi atacada? Humanos ou bruxas? Por que as perdas foram tão grandes? Vocês não tinham batedores ao redor do perímetro?” A líder fez uma longa série de perguntas; ela simplesmente tinha muitas. A druida júnior, conhecida como Cassan não teve escolha senão responder cada uma com desânimo.

Na verdade, mesmo neste momento, Cassan ainda não tinha entendido como os acontecimentos de hoje aconteceram.

Ela apenas seguiu ordens e foi investigar os estranhos movimentos nas florestas do sul com Syd. Depois de se deparar com um grupo de estranhas formas de vida metálicas que estavam massacrando os animais de forma selvagem, ficou para trás para ficar de olho enquanto Syd voltava à aldeia para relatar a situação. Então, as estranhas formas de vida metálicas voaram para longe.

Quando ela percebeu que algo estava errado e correu de volta para a aldeia, o lugar estava reduzido a ruínas. Além de algumas pilhas fumegantes de chamas, não conseguia mais encontrar um único elfo sobrevivente.

A líder questionou outros dois ou três elfos, mas todos estavam atordoados e confusos. Ninguém tinha ideia de como o inimigo havia aparecido. Eles ficaram surpresos com a capacidade ofensiva feroz do inimigo logo no início da batalha. Eles então se espalharam e escaparam para os arredores depois de receberem a ordem da capitã para correr.

Infelizmente, a maioria dos elfos foi espancada e sequestrada. Apenas alguns tiveram a sorte de permanecer escondidos e escapar da calamidade.

A líder não pôde deixar de ficar chateada por não conseguir obter nenhuma informação precisa após questionar vários sobreviventes.

“Senhora, eu sei como esses bandidos chegaram.”

Só então, uma voz profunda e rouca soou de lado.

Os elfos se viraram para olhar com expressões confusas, apenas para descobrir que quem falava era uma jovem coberta de poeira. Seu corpo ainda tinha marcas de queimadura.

A líder questionou muitos elfos além dela precisamente devido a sua tenra idade. Não havia como ela saber muito sobre a situação. No entanto, foi esta jovem que lhes trouxe a surpresa mais agradável.

“Meu nome é Vena. Eu estava conversando com a Irmã Lyfaea no salão da árvore quando o inimigo chegou. O pequeno Mott ainda estava vivo.” A menina lembrou-se do amigo enquanto falava e não pôde evitar começar a chorar.

A líder estava impaciente e ansiosa, mas não insistiu no assunto. Em vez disso, pegou a garota nos braços e a acalmou com palavras gentis.

“Eles vieram dos céus.

“Eles de repente voltaram à realidade. O navio de metal cobriu completamente a lua.

“Muitos homens de metal saltaram do navio. Eles usaram armas desconhecidas e mataram muitos dos elfos no momento em que pousaram.

“Tanto a Irmã Lyfaea quanto o Irmão Syd foram mortos pelos homens de metal. Suas armaduras de metal eram muito grossas e flechas comuns não conseguiam perfurá-las. Somente o Tiro Duplo da Irmã Lyfaea poderia perfurar seus corpos.

“O irmão Syd se transformou em um monstro e morreu com um homem do metal. Ele teve uma morte terrível.

“Antes de morrer, a irmã Lyfaea gritou para todos correrem. Eu… eu me transformei em um pombo e escapei. Um buraco foi feito até no meu braço pela arma deles; esta é a arma com a qual nos atacaram.”

Ao dizer isso, Vena levantou a mão. Uma bala de metal redonda e brilhante, do tamanho de um ovo de pombo, estava no meio de sua palma empoeirada, ensanguentada e queimada.

[Combo: 05/200]

Olá, eu sou o Otakinho2!

Olá, eu sou o Otakinho2!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥