Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Neste momento, a pequena Aldeia Rut’theran já havia se tornado um local de encontro para vampiros e insetos.

Um mar preto se contorcia no chão enquanto enxames de vampiros serpenteavam entre as árvores.

Os líderes de suas respectivas facções discutiam silenciosamente algo na plataforma da árvore enquanto montavam guarda.

Embora o Adepto de Inseto Billis tivesse criado um exército de dezenas de milhares de insetos e tivesse vinte e cinco louva-a-deus mágicos ao seu lado, permaneceu tão respeitoso como sempre em frente a Rainha Sangrenta Mary. Ele não mostrou nem um pingo de arrogância ou desprezo.

Com esse exército de insetos e esses insetos de combate que ouviam todos os seus comandos, Billis não teria problemas em desafiar todos os Adeptos Carmesim de Primeiro Grau sozinho. Apesar de ter tanto poder, ainda não ousava desrespeitar Mary.

Isso porque, além de ser uma vampira de Segundo Grau, as ações de Mary enquanto Billis ainda era aprendiz deixaram uma impressão profunda em sua alma. Mesmo agora, quando Billis via Mary, sentia seus membros ficarem moles e suas mãos suarem. Ele forçou um sorriso no rosto e pareceu ainda mais obediente do que Vanlier.

Depois das últimas semanas, as aldeias próximas foram quase todas visitadas pelos dois.

À medida que seu poder aumentava exponencialmente, não estavam mais satisfeitos com batalhas tão pequenas e com a necessidade de se esgueirar. Eles escolheram especialmente se reunir aqui para reunir suas tropas e acumular força suficiente para atacar um posto avançado da Cidade Água do Céu.

Era uma pequena cidade a sudoeste dessa cidade – Quel’Lithien.

Aquele lugar ficava a quase cem quilômetros da Cidade Água do Céu e tinha uma população de quatrocentos elfos. Era uma das cidades satélites da Água do Céu e era responsável por fornecer à cidade abundantes frutas frescas diariamente.

A maioria dos elfos era vegetariano e nunca tocaram em carne ensanguentada durante toda a vida. Foi por isso que as frutas fornecidas por Quel’Lithien poderiam ser consideradas a principal fonte de alimento para os cidadãos da Cidade Água do Céu.

Foi levando em consideração esse fator que a Raposa Velha Vanlier sugeriu que Mary e Billis trabalhassem juntos e conquistassem esta cidade de grande importância. Uma vez que capturassem o Quel’Lithien, não apenas sua força militar aumentaria tremendamente, mas também seriam capazes de afetar o cotidiano da cidade principal.

Era um passo necessário que tinha que ser dado por dois adeptos ambiciosos que procuravam alcançar algo na costa oeste.

Além disso, a pessoa mais forte na guarnição de Quel’Lithien era apenas de Segundo Grau; não havia potências de Terceiro Grau presentes. Atacar um lugar como esse não os colocaria em muito risco. Mary e Billis não puderam deixar de ficar comovidos após ouvir a análise e apresentação de Vanlier.

Era benefício mútuo trabalharem juntos. Eles poderiam colocar imediatamente em ação qualquer um de seus planos assim que tomassem uma decisão.

No momento em que fizeram suas promessas, Billis se uniu com os ventos e desapareceu na floresta com seu estrondoso exército de insetos. O som de asas batendo veio do lado de Mary quando um enxame de mil vampiros se reuniu em uma enorme nuvem vermelha e voou para longe, pairando bem acima do topo das árvores.

Pouco tempo depois, este vale devastado finalmente recuperou a paz, restando apenas um silêncio mortal.

…………

Ilha isolada.

O navio voador ainda flutuava acima da ilha. Os sons de marteladas e o chiado da soldagem continuaram a ecoar, com o toque metálico o tempo todo.

A enorme batalha da última vez deixou muitos ferimentos no navio voador, escondidos ou não. Para o bem de todas as campanhas futuras, Greem precisava permanecer honestamente nesta pequena ilha, independentemente de quão impaciente estivesse. Ele tinha que esperar o momento em que os reparos do navio voador fossem concluídos.

Neste momento, todos os tipos de máquinas de construção trabalhavam dentro do navio voador sob as instruções de técnicos e engenheiros Goblins. Eles repararam incessantemente a fornalha espacial e todos os danos internos sofridos pelo navio, bem como remendaram as marcas horríveis da batalha que marcavam o convés.

A escala do projeto era incrivelmente grande!

Foi uma sorte que lingotes de metal e materiais de liga suficientes tenham sido armazenados dentro do navio voador antes de invadirem Faen. Só então encontraram uma maneira de consertar todos esses danos. Caso contrário, não teriam escolha senão retornar desanimados à Ilha das Sombras e pedir ajuda às Bruxas Pálidas!

Todos os adeptos claramente não suportavam um ambiente tão barulhento. Todos optaram por se mudar para alguma ilha isolada. Nesse lugar, podem usar esse intervalo temporário entre as batalhas para continuar experimentos e pesquisas nos quais estavam interessados.

Greem também ordenou que as pessoas cavassem uma pequena sala de pedra sob a prisão na ilha. Ele então criou um laboratório temporário lá.

O que precisava urgentemente pesquisar agora eram aqueles elfos da floresta!

Humanos, elfos, anões, homens-fera, halflings, gnomos, kobolds, goblins; grandes desvios aconteceriam com a mesma raça quando aparecessem em lugares diferentes. Como adepto, Greem acreditava já ter bastante conhecimento sobre os elfos. No entanto, todo esse conhecimento veio dos livros do Mundo Adepto.

Apenas as raças de elfos das quais Greem tinha ouvido falar através dos livros incluíam os elfos da madeira, elfos de ouro, elfos do sol, elfos da lua, os cinzentos, elfos selvagens, elfos das planícies e elfos da floresta. Sempre que uma raça era colocada em um ambiente extremo, evoluíam para novas aparências totalmente irreconhecíveis.

Por exemplo, os elfos negros que viviam no subsolo (também conhecidos como drow), os elfos do mar que viviam nas profundezas do mar (também conhecidos como naga) ou os elfos caídos que viviam em áreas de magia demoníaca (também conhecidos como satyrs).

Esses elfos que viviam em Garan se autodenominavam elfos da floresta por construírem casas na Floresta Fantasia. Eles ainda mantinham fundamentalmente o legado e a tradição dos elfos, estabelecendo-se através de suas excepcionais habilidades com arco e flecha. Todos os elfos da floresta, sejam homens ou mulheres, tinham corpos magros, mentes inteligentes, aparência bonita, movimentos graciosos e olhos aguçados.

Suas atividades favoritas era poesia, literatura e música.

Eles frequentemente viviam nas profundezas da floresta, e suas maiores tribos raramente ultrapassavam duzentos elfos.

As aldeias escondidas dos elfos misturaram-se milagrosamente com a floresta sem nunca danificar a própria floresta.

Quase todos os elfos da floresta eram vegetarianos e dependiam apenas de frutas naturais colhidas como dieta, raramente matando ou caçando criaturas na floresta. Assim, também não derrubariam árvores ou queimariam grama para cultivar como os humanos fariam.

Foi por se assimilarem perfeitamente à Floresta Fantasia que ganharam elogios e títulos de ‘Filhos da Natureza’ e ‘Amigos da Floresta’. Eles confiaram em seus talentos raciais únicos para viajar pela Floresta Fantasia, cheia de espinhos, densamente arborizada e mágica, sem deixar rastros.

A enorme floresta que era difícil de atravessar para um estranho não era problema algum para eles.

Eles poderiam até conversar intimamente com cada flor, cada folha de grama e cada árvore da floresta. Foi por isso que tentar rastrear um elfo na Floresta Fantasia era uma tarefa quase impossível!

Isso era basicamente tudo o que Greem sabia sobre os elfos da floresta. Além disso, conhecia apenas as classes básicas do exército dos elfos e suas respectivas especialidades.

Em geral, Faen era apenas um plano de médio porte com desenvolvimento decente. Não tinha as qualificações para ser comparado ao Mundo Adepto. A classificação das formas de vida aqui pode ser muito semelhante à do Mundo Adepto, mas a qualidade de cada classe era simplesmente muito diferente!

Após as diversas batalhas pelas quais passou, Greem obteve uma estimativa fundamental da situação. Os graus das formas de vida aqui eram cerca de meio grau mais baixas em comparação com o Mundo Adepto. O que significa que uma classe de combate iniciante de Primeiro Grau de Faen seria apenas um pouco mais forte do que os aprendizes avançados do Mundo Adepto. Eles mal eram iguais aos pseudo-adeptos.

Na maioria das vezes, o no Primeiro Grau de Faen não podiam nem se comparar aos pseudo-adeptos mais poderosos do Mundo Adepto!

Foi por isso que não era difícil ver como Greem poderia lutar contra vários no Segundo Grau de Faen como um adepto de fogo no Segundo Grau iniciante e esmagá-los totalmente na batalha.

Contudo, os elfos da floresta de Faen não eram apenas cheios de fraquezas. Eles também tinham suas vantagens e pontos fortes.

Era que todos os seus cidadãos sabiam lutar!

Quase todos os elfos da floresta, mesmo aquelas crianças pequenas que eram pouco mais altas que um arco longo, seriam mortais no mundo humano. Era essa característica racial única de ter toda a sua população sendo arqueiros que permitiu aos elfos da floresta manterem um controle constante sobre Garan, repelindo repetidamente múltiplas invasões de Faen.

Além disso, os elfos da floresta também eram uma raça forte protegida por Deuses. Eles tinham muitos espiritualistas em seu reino. Todos esses sacerdotes do templo e mensageiros divinos podiam tomar emprestado o poder divino de seus Deuses e combiná-lo com a magia da natureza na qual eram habilidosos. Isso lhes dava um poder considerável.

Na batalha anterior de Jintha’Alor, a Mensageira Xenia havia enviado a Bruxa das Trevas Uzzah correndo com o rabo entre as pernas, apesar de ambas serem do mesmo grau. Se não fosse por Greem convocar o dragão do trovão de Terceiro Grau a tempo, bem como o uso do canhão de energia mágica no navio voador, essa poderia ter sido a batalha final do Clã Carmesim.

Greem poderia ter conseguido escapar com seu poder, mas a maioria dos adeptos que o seguiam não teriam escapado da perseguição dos elfos.

Foi por isso que Greem, tendo visto o terrível poder de uma mensageira, escolheu correr para os mares e aproveitar a oportunidade de se esconder para encontrar as fraquezas dos elfos da floresta.

O que ele mais queria fazer agora era descobrir completa e definitivamente a estrutura corporal dos elfos da floresta, bem como as funções de seus órgãos mágicos. Ele então encontraria os meios mais diretos e práticos para feri-los e matá-los.

Claro, sua primeira escolha ainda era uma praga!

Afinal, este não era um plano particular que ele possuía. Mesmo que destruísse Garan inteira e reduzisse drasticamente a população dos elfos da floresta, não seria ele quem lamentaria a perda.

Assim, Greem convidou a Bruxa Venenosa Endor para seu laboratório e trabalhou com ela para pesquisar e inventar uma praga específica destinada explicitamente aos elfos da floresta.

[Combo: 40/200]

Olá, eu sou o Otakinho2!

Olá, eu sou o Otakinho2!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥