Selecione o tipo de erro abaixo

Abel se reuniu com seus subordinados, Zashya Dragon, Fraygher Arterpest e Cyrus Mistry – o doutor maluco que servia a ele como seu pesquisador pessoal – em uma sala branca muito parecida com um lugar de interrogatório, onde havia uma mesa de metal no centro e assentos para todos se acomodarem. Abel estava em completo silêncio desde que chegou com uma expressão nada boa, mostrando seu descontentamento. Claro, as pessoas presentes sabiam o porquê.

O motivo principal para essa atmosfera extremamente pesada era a falha nos experimentos e a perda dos humanos que haviam sido sequestrados para os próximos experimentos que fariam no futuro. Era uma quantidade de pessoas realmente grande que ajudaria muito Abel em seus planos, no entanto, agora teria que repensar em tudo novamente; mas havia algo que o incomodava mais do que isso, que era o fato de o Mundo Inferior ter notado-o depois de tanto tempo.

Ele não esperava que as coisas com o Mundo Inferior se desenvolvessem em uma escala tão rápida como essa. Claro, para seus planos futuros, o Mundo Inferior uma hora ou outra saberia sobre si mesmo, mas quando esse dia chegasse ele não iria se esconder nas sombras, porque consequentemente seu alvo era de fato aquele Mundo Inferior e, um dia seus planos fariam mais sentido ainda. Porém, neste momento, o fato de ser descoberto ao ponto de até seus planos de sequestrar os humanos serem de conhecimento deles era um grande problema.

Abel estava pensando em como iria contornar essa situação por agora. Entretanto, nada de útil surgiu em sua mente após um longo tempo em silêncio, somente quando ele e seus subordinados estavam sentados, com suor frio em suas bochechas e, muito nervosos, foi que ele levantou um pouco os olhos, mas ficou calado. Fraygher e Zashya Dragon sabiam que Abel não era alguém fácil de intimidar, portanto, o nervosismo e o receio em seus corações era justificado. 

Entretanto, esperar por tanto tempo Abel dizer alguma coisa era algo extremamente assustador, mesmo que o homem não fizesse nada e nem sequer os olhasse diretamente, embora pudessem sentir em suas peles um calafrio assassino como se destruí-los a qualquer momento não era nada para ele. Completamente incompetentes; era assim que se sentiam.

Abruptamente, Abel soltou um leve suspiro como se estivesse fisicamente esgotado e sem forças. Foi uma surpresa quando ele fez isso, mas assim que notaram que era apenas um suspiro… todos relaxaram novamente. Fraygher e Zashya jogaram fora o pensamento de que iriam ser mortos neste momento, seus receios eram tão arrepiantes que nem ousaram erguer seus olhos trêmulos em direção a ele que.

Não era preciso dizer para ele quem foi a pessoa que participou do resgate aos seres humanos que haviam sequestrados. Abel ouviu a explicação de início de Fraygher e Zashya e, depois de um tempo após a conclusão, foi sua vez de pensar um pouco sobre isso. Ele sabia que com a descrição que recebeu, uma das pessoas que participou da operação de fato foi seu filho, Yuji Himejima e, além dele, a única pessoa que poderia fazer algo assim seria o braço direito do Rei Demônio, Kyoko Agrias.

Mesmo que a intervenção dela não tenha sido diretamente na batalha final com o Yuji, Abel entendeu que o papel dessa mulher era somente resgatar os seres humanos e, além de tudo isso, havia outro ponto importante para essa atitude. Abel logo ligou um ponto ao outro e compreendeu que esse tipo de coisa seria obra de seu filho, já que Kyoko Agrias não podia machucar os humanos em uma batalha. Era preciso saber que se ela fizesse isso, seria o mesmo que violar o contrato de paz com o Clã dos Heróis e por motivos como esse que foi Yuji quem tomou a frente.

Yuji não tinha qualquer ligação definitiva com o Mundo Inferior e mesmo sua existência era desconhecida do resto das milhares de organizações ao redor do mundo que estavam de olho no Mundo Inferior, assim como o Clã dos Heróis que os viam mais como pragas do que realmente seres de outra raça. Estimava-se que, se não fosse pelo contrato de paz feito no passado com os antigos líderes de ambas as organizações, o Clã dos Heróis ainda estaria atacando o Mundo Inferior.

Entretanto, devido ao contrato, todos estavam vivendo bem e sem mortes desnecessárias como aconteceu no passado. Por causa disso, se Kyoko fizesse um massacre em larga escala como seria quando estava em operação salvando os seres humanos, o Clã dos Heróis viria em um contra-ataque extremamente poderoso contra o Mundo Inferior. Abel entendia tudo isso, mas de qualquer jeito ele também achou o plano de seu filho viável.

No final nenhum lado sairia prejudicado e a paz entre ambos continuaria sem mais problemas. No entanto, toda essa situação era muito frustrante para dizer a verdade, porque além de ter seu plano arruinado pelo Mundo Inferior, os humanos resgatados, ele não podia fazer nada quanto a isso. Abel não podia permitir que sua existência alertasse ainda mais o Mundo Inferior e o mais preocupante seria se o Clã dos Heróis descobrisse sobre si mesmo, afinal, ele era um demônio de nível primordial e o mais forte de todos do mesmo nível. 

Sua existência por si só era o suficiente para causar desastres não-naturais e até mesmo poderia chegar a destruição mundial. Um demônio nível primordial era algo comparável a um planeta inteiro extremamente forte em aura rica. Então, por motivos como esse, como o Clã dos Heróis poderia deixá-lo andar livre pela terra? Era impossível! Abel também não queria lidar com o Clã dos Heróis neste momento, senão, seus planos em primeiro lugar ficariam parados enquanto precisava fazer outras coisas irritantes. Sem contar que a força desses caras também não era brincadeira. 

Entretanto, suas ações contra o Mundo Inferior querendo ou não chamariam a atenção do Clã dos Heróis no futuro, isso era algo inevitável e também causaria uma comoção entre outras organizações mundiais, portanto, não era o momento para lidar com eles. Enquanto todos estavam calados, suando frio e sentido-se apreensivos, Cyrus olhou apenas para encontrar o abatido Abel Himejima em silêncio, e virando-se levemente para o outro lado, viu Fraygher e Zashya com suas cabeças baixas, seus corpos tão congelados que pareciam estátuas de pedra.

Embora pudesse sentir a tensão deles devido ao Abel, Cyrus suspirou levemente criando coragem e então quebrou o silêncio na sala branca.

“Senhor Abel!” O homem baixinho chamou, atraindo a atenção dos outros dois subordinados e da pessoa citada, enquanto continuava com um olhar envergonhado e apreensivo, já que não sabia qual seria a reação de Abel. “O que faremos… agora que nossas ‘peças importantes para as pesquisas’ foram levadas por terceiros?!” Abel olhou para ele sem saber o que responder, já que não esperava que as coisas iriam por um caminho não previsto por si mesmo.

Uhm…” Ele suspirou um pouco, revirando seus olhos em direção ao teto frio, suas pupilas dilataram assim que o foco da lâmpada entrou em suas íris. Então disse: “Para dizer a verdade eu realmente não sei o que fazer agora. Não esperava que as coisas fossem por esse caminho e, que meu filho travesso fosse se envolver em tudo isso ao ponto de lutar contra os meus subordinados.” Falando assim, voltou-se para Fraygher e Zashya, que sentiram seu olhar.

“No entanto…” Abel continuou. “Eu tenho culpa em tudo isso também, porque deveria ter pensado em todas as possibilidades possíveis para o que estamos fazendo até agora. Eu não esperava que fossemos notados tão rapidamente pelo Mundo Inferior ao ponto de até mesmo os nossos planos estarem sob seus conhecimentos, isso foi inesperado mesmo para mim. Mas tem algo que não entendo, que é o ponto em que o Mundo Inferior sabe sobre nós.” Todos ficaram um pouco pensativos.

Se fosse realmente ligar os pontos em toda a situação, não havia como o Mundo Inferior saber sobre seus planos. Abel vinha tomando todas as precauções contra ser exposto por muitos anos, mas de repente o Mundo Inferior surge interferindo ? Qual era o ponto que ele deixou passar em tudo isso? Então, a única coisa que veio à mente de todos era que seria possível ter um ‘traidor’ entre eles? Se pensar sobre seria impossível, afinal, tinham o mesmo objetivo.

Abel estreitou um pouco seus olhos, mas mesmo assim ele não tinha um palpite concreto sobre a suposta ‘traição’ de um de seu pessoal. Enquanto colocavam seus cérebros para funcionar, havia alguém na sala que não se importava com isso, na verdade algo mais importante estava em sua mente extremamente diabólica de um doutor louco, que falou: “Deixando um pouco isso de lado! Senhor Abel, aquele garoto, seu filho, vi que há um grande potencial nele…”

 “Mas percebi que havia uma aura de selamento no corpo dele… Por acaso, o Senhor Abel tem algum problema com o poder do seu próprio filho?!” Falando assim, Fraygher e Zashya se viraram para o homem em silêncio, porque ficaram curiosos sobre isso também. Abel raramente falava sobre o Yuji Himejima na mansão, era mais como se o nome desse rapaz fosse um ‘tabu’ para ele mesmo, chegava ao ponto de que ninguém mais poderia citá-lo. 

Por outro lado, Abel não havia pensado profundamente nessa possibilidade em que seu filho estaria se envolvendo com o Mundo Inferior. Porém, mais uma pergunta vinha em sua mente: como o Yuji Himejima sabia sobre seus planos? Abel tinha certeza que Zefhery Beelzebub não envolveria seu sobrinho em tudo isso se ele mesmo já não tivesse o conhecimento sobre suas ações. O que o levava a deduzir que, talvez, seria o rapaz quem levava as informações para o Mundo Inferior?

Isso não era um pouco suspeito demais? Pense nisso, se realmente fosse o Yuji Himejima quem passava as informações, isso levava a crer que havia alguém o ajudando com as informações do outro lado. Abel seria ingênuo e idiota demais se não pudesse nem mesmo ligar alguns pontos como esses. Mas agora vinha a questão difícil, quem seria a pessoa que estava informando o garoto?! Algumas pessoas surgiram em sua mente, porém, não podia dizer nada ainda; por enquanto iria investigar a fundo.

De agora em diante ele teria que pensar em como lidar com o Yuji já que seria possível que na próxima vez, o garoto pudesse vir a interferir novamente. Embora sua única preocupação mais complexa fosse Kyoko Agrias, Abel tinha meios para lidar com ela, mas com a introdução de Yuji que não era pior do que Kyoko, a única diferença era que ele podia agir livremente, Abel teria que pensar em formas de pará-lo no futuro. Era o que poderia fazer por agora.

Eu realmente deveria ter dado uma atenção especial para isso, já que meu filho não me suporta. De qualquer jeito, meu plano de pesquisa foi arruinado desta vez, no entanto, estou chamando atenção demais do Mundo Inferior e, se continuar assim consequentemente também atrairei os olhos do Clã dos Heróis. Isso não pode acontecer, não agora, não até eu ter completado o que venho há anos trabalhando para concluí-lo. 

Algo iluminou-se em sua mente, embora não soubesse se seria de benefício para si mesmo. Tocando o queixo como um pensador profissional, Abel falou: “Talvez, ehh, uhm. Não! Não há um ‘talvez’, isto tem que funcionar.” Todos estavam muito curiosos para saber mais sobre o Yuji Himejima de Abel, mas parecia que o homem não iria falar sobre o assunto, o que os deixou secretamente decepcionados, porque na verdade ele estava pensando em como lidar com a situação.

Então, suas palavras definitivas foram ditas: “Por enquanto, vamos dar um tempo sobre as pesquisas, isso vai nos dar tempo para repensarmos sobre os planos futuros e novas formas de lidar com os nossos inimigos. Vamos parar para nos organizar adequadamente para termos um melhor proveito de nós mesmos, além disso, precisamos, por enquanto, ficar fora do alcance de vista do Mundo Inferior.”

Fraygher e Zashya por algum motivo achavam isso ótimo por um lado, afinal, tudo estava indo por muito diferente do planejado. Então, parar agora para se reorganizar e repensar em tudo o que iriam fazer em diante seria um excelente plano para todos. Ou era assim que imaginavam, mas para o doutor louco, Cyrus Mistry, estava fora de cogitação. Parar?! Reorganizar?! Sobre o que Abel está falando?! As pesquisas não podem parar de jeito nenhum, como cientista isso é impossível.

“Senhor Abel, o que exatamente quer dizer com tudo isso?!” Cyrus estava com um olhar extremamente irritado e havia uma sombra sob seus olhos cansados. Abel de imediato entendeu os sentimentos profundos e obsessão desse cientista por novas descobertas através de sua profissão, mas tinha coisas mais importantes para agora, do que se importar com o que esse cara queria. “Entenda, Cyrus, isto é o que quero dizer: vamos parar por um tempo. Vamos nos organizar e pensar em como lidar com o Mundo Inferior estando de olho em nós.”

“Eles já sabem que estamos fazendo experimentos com humanos, mas devido ao acordo de paz com o Clã dos Heróis o Mundo Inferior não pode deixar que fazemos o que queremos. Portanto, precisamos ficar nas sombras até que possamos voltar futuramente, com o plano original. Ou será que… você esqueceu o que tem que fazer?” Cyrus engoliu em seco ao ouvir isso de Abel, então lembrou que havia uma coisa importante para fazer.

“N-Não, aquela ‘coisa’… Com certeza ficará pronta.” Cyrus assentiu nervosamente; Abel assentiu ao ouvir isso, então, falou novamente: “Muito bem, Cyrus, é bom que tenha entendido. Eu não vou proibir você de continuar com suas pesquisas e experimentos, pode até continuar usando este lugar para continuar com isso.” Ele ergueu os braços indicando tudo ao redor. “Portanto, você também pode usar este tempo livre para se focar naquela ‘coisa’, isso ajudará a aumentar o processo de construção, certo?!”

“Oh!” Cyrus assentiu apressadamente, pensando que ter esse tempo livre definitivamente seria muito útil para ele. “Parando para pensar sobre isso, realmente será benéfico ter um tempo mais longo e calmo para trabalhar naquilo. Também seria bom para os outros subordinados, já que teriam mais tempo para pensar em tudo, trabalhar em formas de lidar com inimigos e tudo mais. “No entanto, me pergunto se o Senhor Abel vai continuar se envolvendo com o que faço neste tempo?”

“Não.” Abel foi incisivo. “Por enquanto; não vou me envolver em nada que faça, mesmo enquanto trabalhar ‘naquela coisa. Deixarei tudo em suas mãos, Cyrus. Ah, também há aquela ‘garota’ que tem um físico especial sob sua tutela, espero que quando eu voltar para este lugar, tenha boas notícias para me dizer sobre ela.” Cyrus assentiu com a cabeça em satisfação, como um cientista, ele tinha um grande orgulho de si mesmo.

No entanto, Cyrus continuou sem entender o que Abel queria dizer sobre não se envolver naquilo, afinal, essa coisa era o trabalho mas importava que tinha para concluir até a batalha final começar; sem falar que era algo que ajudaria Abel e seus subordinados no futuro. Ele não via motivos para Abel não se envolver mais, já que estava nisso até o pescoço. Porém, já que essa era a sua decisão final, só restava aceitar.

Picture of Olá, eu sou o Ashura!

Olá, eu sou o Ashura!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥