Selecione o tipo de erro abaixo

Vivian se apressou imediatamente. Ela escreveu vários números e equações em um quadro negro por perto, junto com um desenho do formato do continente.

Ela conectou dois pontos no desenho com um giz, um no oeste e outro no norte, enquanto murmurava cálculos estranhos.

Roger ajudou ela em várias coisas que não entendi, mas meus instintos continuaram a gritar. Havia algo acima de nós.

O rastro azul vertical sempre piscava quando o teto e paredes do salão tremiam sob impactos desconhecidos.

Algo grande estava acontecendo, e apenas pude devolver o aperto de Stella. Sentamos no chão, apoiados na parede, um do lado do outro. Caedes se manteve flutuando até agora, mas desfiz os fios verdes e a coloquei no meu colo.

A garota descansou a cabeça em meu ombro após alguns segundos.

“Não está com medo, Sirius?” Indagou ao brincar com os meus dedos.

“Medo apenas me impediria de raciocinar em uma situação tão urgente.” Respondi indiferentemente. Olhei para o lado e encontrei a íris prateada preocupada de Stella. Os minúsculos pontos brilhantes e amarelos ainda remetiam às estrelas em uma galáxia branca.

“Não precisa se preocupar.” Declarei, aumentando a força do aperto, chamando a atenção da garota. “O poder que despertei quando te salvei é bem incrível.”

“Eu vi.” Stella sorriu. “Você conseguiu curar algo que nem minha magia de luz foi capaz.”

Ao falar isso, o rosto dela se tornou sombrio.

“Você acha que mestre Lívia está bem?” Perguntou com uma expressão extremamente preocupada. “Eles devem ter encontrado nossa cabana quando subiram a montanha.”

“… Eu não sei.” Respondi honestamente. “Mas ela é poderosa. Deve ter conseguido fugir, acredite nela.”

Minhas palavras de conforto pareceram funcionar quando Stella sorriu. “Verdade. Ela é incrível, se não fosse por ela eu nem estaria aqui.”

Sua última frase me deixou curioso, mas eu não estava no clima para conversar. Apenas apreciamos a companhia um do outro em um momento tenso como aquele.

Alguns minutos se passaram quando Vivian suspirou e limpou o suor de sua testa. O quadro negro agora estava lotado de cálculos e equações.

Tudo terminou quando Roger escreveu um último número no canto do quadro. Eu realmente não conseguia entender como eles raciocinaram fórmulas tão grandes.

“Vamos.” Vivian declarou, nos chamando. No entanto, quando ajudei Stella a se levantar, tudo tremeu. Mas dessa vez foi muito mais intenso.

O teto ameaçou desmoronar-se quando pedaços de sua estrutura caíram. Uma pedra quase caiu em cima dos botões e alavancas do mecanismo, mas Roger emaranhou um fragmento de gelo que pulverizou a rocha.

“Apressem-se!” A mulher ordenou e obedecemos. Eu e Stella ficamos parados, um do lado do outro de mãos dadas sobre uma plataforma metálica na frente do fino pilar de luz.

Vivian e Roger então se aproximaram.

“Por favor, se cuidem. Procurem Diego, diretor do orfanato Flores da Esperança. Fica perto da cidade de Rosent, talvez vocês se teleportem em alguma área perto, pode não ser muito exato.” A mulher declarou ao nos abraçar. “Fiquem fortes, explorem seus potenciais, evoluam como magos para honrarem sua criação no Exército Prismático. Se sobrevivermos, iremos atrás de vocês. Caso contrário, peço que esperem a maioridade para poderem se arriscar ao procurar informações sobre nós. Nem precisam, se não quiserem.”

Algumas lágrimas caíram pelas bochechas da mulher. Uma mão então tocou meu ombro e vi pertencer ao meu amigo.

“Todos nessa sala sabem que você marcará seu nome na história, Sirius. Isso já é óbvio. Eu sei que não preciso dizer nada motivador, afinal é da sua natureza perseguir o ápice.” O homem disse com um sorriso.

“As únicas palavras que tenho para dizer são de gratidão. Você me salvou daquele buraco, e graças a você poderei ajudar todos nessa luta final. Vá, garoto. Cuide de Stella e se torne o maior mago que já existiu.”

“Prove para todos desse reino imundo que eles atacaram o covil do monstro errado.”

Suas palavras ficaram marcadas na minha mente. Naquele momento a ficha caiu que era o fim. Minha jornada novamente teria um recomeço, mas dessa vez eu teria alguém para me apoiar.

Entretanto, outra tremulação fez a luz atrás de nós piscar. Vivian se apressou e andou até a superfície com botões.

Ela interagiu com eles de várias maneiras diferentes, e então o portal se expandiu para os lados em uma forma semicircular. Apertei a mão de Stella com mais força e ela retribuiu.

Caminhamos ao mesmo tempo até a luz. Aquela provavelmente seria a última vez que veríamos todos nossos amigos.

Foi tão repentino. Eu estava descendo a montanha quando encontrei aquele demônio polvo, e logo em seguida o maior medo de nosso grupo se concretizou sem qualquer explicação ou preparo.

Mas a vida era assim, no final. Eu também não previ nada do que aconteceu comigo até agora, e provavelmente continuaria assim por um tempo.

Prendemos a respiração quando estávamos quase entrando no portal, mas outro impacto fez ele piscar, e dessa vez o impacto foi seguido por vários.

Alguns segundos se passaram quando percebi que a razão por trás dos impactos contínuos era porque tinha algo se aproximando de cima.

Corremos até a luz azul, mas todo o teto desmoronou quando uma lança de osso gigante perfurou a terra e nos impediu. Uma cúpula de gelo feita por Vivian e Roger nos protegeu, mas a camada gélida e resistente não foi capaz de impedir a arma aparentemente divina.

Sua ponta atravessou a superfície acima de nós, mas parou antes que atingisse o chão.

O mecanismo ainda se manteve ligado, por mais que parecesse antigo e prestes a parar de funcionar. No entanto, raízes brancas cresceram do chão rochoso e nos prenderam.

Caedes atacou as raízes, mas não adiantou. Elas pareciam intangíveis quando eram atacadas, minha lâmina passou por elas sem causar danos.

Tentei agarrá-las e arrebentá-las, mas foi um erro. No momento que as toquei, elas se espalharam pelas minhas mãos e braços para prender meu corpo todo.

Stella sofreu o mesmo destino, mesmo permanecendo parada. Quando olhei para trás, não encontrei meus amigos, e sim dois buracos nas paredes de gelo.

A luz do sol iluminava o exterior da cúpula gélida, provavelmente por conta do teto desmoronado. 

‘Você não consegue absorver essas raízes?’

‘Consigo, mestre.’

‘Então as absorva!’ 

Me obedecendo, Caedes se aproximou das raízes brilhantes novamente e imagens de um buraco infinito numa massa de terra misteriosa surgiram em minha mente.

As raízes logo enfraqueceram e sumiram, repeti o processo com Stella, salvando-a.

“O que aconteceu?!” Ela perguntou, caindo no chão e abraçando minhas pernas. Eu não sabia responder sua pergunta.

Corri para fora da barreira e encontrei uma visão desagradável.

Vivian e Roger estavam pendurados pelo pescoço nas mãos do campeão. Ele voava no céu, sua capa branca agora completamente vermelha me mostrou as consequências do sangue que vazava de seu torso.

Metade de seu rosto estava queimado, sua armadura dourada era derretida em várias partes, e sua barba não mais existia.

Um olho completamente branco e lábios sem carne mostrou para todos a força de Hark Levit.

Meus amigos estavam envolvidos em raízes brancas, mas isso não explicava porque não usavam magia para fugir.

Eu escutei seus corações batendo daquela distância, eles não estavam mortos.

Olá, eu sou o Kalel K. Dessuy!

Olá, eu sou o Kalel K. Dessuy!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥