Selecione o tipo de erro abaixo

“Agora fudeu tudo, será que é devido às ervas? Eu não estava considerando roubar, caso isso evolua para algo pior, o carregamento da habilidade >criar mortos-vivos< já zerou e posso fazer mais seis, não posso criar liches por causa da Isabella.

Ela irá morrer quando os disparos foram feitos, fora que ainda tem os três irmãos e olhando para eles seis liches é apenas uma brincadeira, posso tentar criar algo parceiro com o goblletooth para ganhar tempo e posso criar mais cinco esqueletos para levá-la daqui”

Ele estava refletindo sobre o que fazer enquanto puxava uma cadeira, o ambiente da sala estava carregado.

A mesa destroçada ainda estava no mesmo local.

A sala estava sendo iluminada por duas pendentes de cristal estavam fixas nas laterais, mesmo sendo apenas duas, o ambiente estava bem iluminado.

— Íbis, relate tudo novamente sem deixar nada de fora. Ordenou o líder.

Com isso ele começou.

— Meu nome é Íbis Vaccini. Sou o líder dos Garoumorphos, responsáveis por coletar informações no reino humano.

Íbis era um homem de cabelos grisalhos longos e ondulados, que caiam sobre seus ombros como uma cascata de prata. Sua pele era pálida e marcada por rugas profundas, que lhe conferiam um ar de sabedoria e experiência. Seus olhos eram negros como a noite, e pareciam penetrar na alma de quem os olhasse.

Ele era um homem alto e magro, com um porte elegante e aristocrático. Seus movimentos eram lentos e precisos, como os de um felino.

— Voltei hoje depois de quase um mês, para ser exato, vinte e três dias. Neste último dia, uma carruagem do reino sagrado chegou ao império carregando a bandeira do batalhão dos exterminadores de monstros.

— Como o nome já diz, eles são uma força a ser temida. Os monstros não são o único foco deles, seus trabalhos consistem em matar monstros, bandidos e outros.

— Muitas especulações se espalharam por todo o império.

Enquanto ouviu isso, drake ficou aliviado por não ser devido às ervas que havia encontrado.

Contudo, ele já entendeu o motivo, mas apenas deixou Íbis continuar contando.

— Todos aqui sabem que o reino de Lasco era amigo do reino sagrado e do império do imperador solar, por isso os bandidos daquele lugar nunca tentaram fazer nada.

“Eu achei estranho no início, mas o que fazer, não é?” Pensou o portador.

Íbis fixou o olhar em Isabella, que estava sentada no colo do portador, com um sorriso no rosto. Ele interrompeu sua explicação.

Após alguns segundos ele disse.

— Eu gostaria que a criança saísse daqui. Contarei informações confidenciais.

Rapidamente o portador respondeu.

— Nem a pau, ela fica. Respondeu o portador.

“Eles querem tirar meu escudo para poderem me matar.” pensou ele.

Ele estava a um passo de usar sua habilidade de >criar mortos-vivos< para fuder todos ali, ou tentar.

“Usando uma criança como seu escudo humano, interessante” pensou Frida olhando para ele.

Após isso ela disse.

— Você está confundindo as coisas, nessa reunião não estamos decidindo se você vai viver ou morrer. O líder não fechou um acordo com você?

“Um acordo verbal, porra, como se não fosse simples fingir que nada aconteceu e me matar de repente” pensou o portador gritando em sua mente.

Ninguém com juízo acreditaria em outra coisa quando quatro líderes estavam olhando para ele com um olhar incompreensível.

— Foi um erro meu começar assim, peço desculpas. Só estamos compartilhando informações que recebemos de Íbis.

— Dei a minha palavra antes e cabe a você querer confiar. Mas ninguém irá mexer na sua irmã. Disse Fergus.

Após esse erro, ele mudou a expressão para uma mais ‘amigável’ e perguntou.

— Você tem alguma pergunta antes de revelarmos as informações?

“Agora que sei que eles não querem me matar, posso relaxar um pouco mais. Isabella também está mal, vou seguir o conselho do velho e mandá-la para dar uma volta” Pensou o portador.

Isabella, ouvindo tudo aquilo, estava um pouco tremendo de medo. Ela percebeu que até seu irmão estava em uma situação complicada da qual não poderia fugir sem problemas.

Ela indiretamente salvou a amizade de drake com a tribo.

Na primeira oportunidade, ele usaria suas habilidades de >criar mortos-vivos< >manipulação ácida< e até nos piores casos >aura do desespero<.

— Isabella, dê uma volta, mas fique na tribo. Disse o portador.

Ouvindo isso, ela pulou e já estava prestes a sair quando ouviu a voz de Fortis.

— Eu estava esperando para ver a reação dele, mas Deus me livre, vocês ficam com essa enrolação do cão.

Todos olharam para ele, mas não se pronunciaram. Fortis tinha esse hábito de ir em todas as reuniões para permanecer só cinco minutos ou menos.

— Vá com ela, você não precisa ficar aqui. Ordenou Fergus.

Ele levantou-se da cadeira e passou por Frida, que estava sentada em uma postura que a deixava ainda mais autoritária.

Uma pessoa nova acharia que ela era a líder da tribo, não Fergus, pois ela tinha uma postura autoritária e imponente.

Com as duas mãos, ele abriu os lábios dela, fazendo um sorriso forçado.

Íbis com as gêmeas arregalaram os olhos ao ver isso, não devido ao sorriso, mas sim porque ela não o impediu.

Mas isso mudou rapidamente, pois Frida levantou-se e correu atrás dele enquanto gritava.

— Vou te matar, seu miserável.

“Acho que isso é um código para sempre fugir das reuniões chatas, né? Participei muito das reuniões da vila, mas eram muito chatas, todo dia aquilo tava me matando.” pensou o portador.

Ele saiu dos seus pensamentos quando ouviu a voz de Fergus.

— Ariadne, acompanhe a irmã do senhor drake e hera pode ir também.

Elas acenaram com a cabeça e partiram silenciosamente com Isabella.

“Então, seus nomes são Ariadne e Hera, como são lindas, quero dizer, Beatrice também é linda, mas elas são diferentes.” pensou o portador.

Ainda dava para ouvir Ariadne conversar com Isabella.

— Você quer ver o quê primeiro?.

As gêmeas tinham uma voz calma e gentil como se fossem anjos.

A sala antes lotada agora estava quase vazia, restando apenas Íbis, Fergus e o portador da morte.

— Sente-se, íbis. Disse o líder.

— Vou perguntar outra vez, você tem alguma pergunta? Perguntou para o portador.

Acenando com a cabeça, ele fez três perguntas.

— O quão suas informações são verídicas?.

— O porquê devo me preocupar com isso?.

— E por último, quem é o líder por trás desse tal batalhão dos exterminadores de monstros.

Íbis ouviu tudo e após alguns segundos ele respondeu.

— Meus informantes no império estão certos em cerca de oitenta por cento das vezes.

— Você destruiu o Reino de Lasco, e isso é de conhecimento de todos no império e dos estados vizinhos. Mas ninguém quer fazer um movimento…ainda.

— O líder dos exterminadores é desconhecido. Ele nunca apareceu em público. Ele controla tudo por trás da cortina. Apenas o papa e alguns padres sabem quem ele é.

— Há rumores de que ele é

extremamente cauteloso. Poucos que o viram morreram. Isso se deve ao fato de que uma princesa de um reino vizinho morreu enquanto visitava o reino sagrado.

— É de extrema importância que você não fale sobre o incidente da princesa depois que essa reunião acabar. Isso pode se espalhar para todos os lados. Não queremos nos envolver em uma guerra.

— Mas, como eu disse anteriormente, esses são apenas rumores. Não pode acreditar nesta história, mas também não ache que é mentira. Fique em cima do muro sobre isso.

Picture of Olá, eu sou o Erick. Ks!

Olá, eu sou o Erick. Ks!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥