Selecione o tipo de erro abaixo

Fernando estava com seu rosto ardendo devido ao calor intenso e tentou se proteger colocando os braços em frente a si.

Então… isso é magia? Isso é absurdamente incrível e assustador.

Apesar do medo, o jovem pálido também estava deslumbrado com o que as pessoas desse lugar chamavam de magia. Inicialmente, tendo pessoalmente experimentado o fenômeno daquelas luzes, já acreditava parcialmente nas palavras de Claud, mas vendo algo tão magnífico como isso, ficou espantado.

As pessoas em volta estavam aterrorizadas com todo esse fogo próximo a seus rostos.

“Com essa pequena demonstração, acredito que é suficiente para provar minhas palavras. Esse mundo não é a Terra, e vocês terão que aceitar esse fato.” Kalfas disse vagarosamente, enquanto abaixava os braços e o fogo lentamente sumia.

Nesse ponto, ninguém ousava desacreditar de suas palavras. Esse fenômeno era simplesmente impossível de ser manipulado com truques de mágica. Isso, somado a visão de tudo que eles viram até agora, como essa fortaleza gigantesca com incríveis edifícios, que eles chamavam de ‘acampamento’, os fizeram acreditar. 

Porém, o medo e a ansiedade tomou conta das pessoas. Esse realmente era um mundo diferente? Quão absurdo isso parecia?

Fernando também estava ansioso, se esse era um mundo diferente, então o que aconteceria com ele? E mais importante, e quanto a seus pais e seu irmão mais novo? 

Eles o ajudaram tanto com seus estudos para que pudesse ter um bom futuro. E o mesmo queria retribuir proporcionando uma vida confortável para eles quando se formasse, mas tudo era inútil se estivesse preso nesse lugar.

Uma série de discussões irrompeu entre as pessoas, muitos lamentando sobre sua casa e família, outros assustados de estar nesse lugar diferente.

“Eu sei que vocês estão com medo e receio. Alguns de vocês estão provavelmente preocupados com suas famílias, mas isso não é necessário, suas famílias ficarão bem mesmo sem vocês, porque para eles, vocês realmente não foram embora.” Kalfas disse, enquanto sorria levemente.

O que o velho General disse surpreendeu as pessoas. O que exatamente ele quis dizer com isso?

“Anteriormente, eu falei que vocês foram ‘trazidos’ para esse mundo chamado Avalon, mas para ser mais exato, vocês foram copiados. O verdadeiro ‘eu’ de vocês ainda vive pacificamente na Terra, completamente inconsciente de tudo sobre esse lugar. Na verdade, todos vocês não são nada além de cópias.”

Todos estavam chocados, eles eram cópias de si mesmos?

Muitos queriam desacreditar das palavras dele, mas devido a chocante demonstração a pouco, quem se atreveria? As chamas que o homem mostrou era um fato incontestável.

“Você está mentindo! Eu me recordo perfeitamente de toda minha vida, da minha mulher e do meu filho. Você quer me fazer acreditar que eu sou uma cópia e essas memórias não me pertencem? Absurdo! Foda-se com essas mentiras, velhote!” Um homem repentinamente levantou e gritou com raiva em sua voz, claramente não convencido das palavras de Kalfas. Muitas pessoas em torno dele pareciam concordar com sua afirmação.

Um dos Guardas, que estava posicionado na lateral do anfiteatro, próximo ao palco, parecia descontente com a atitude do homem em relação ao General e estava prestes a tomar uma atitude, mas Kalfas acenou levemente com a mão indicando para parar seus passos. 

Percebendo isso, o Guarda retornou ao seu posto.

“Me diga, qual o seu nome?” O General perguntou calmamente, com um leve sorriso no canto de seus lábios. Claramente já esperava esse tipo de reação.

“Eu me chamo Frederic Montevas!” O homem respondeu.

“Muito bem, Frederic, suba aqui, vou lhe provar que o que estou dizendo é verdade.”

O homem ficou um pouco hesitante, principalmente ao se recordar das chamas, mas acabou criando coragem e subiu ao palco. Ao chegar diante de Kalfas, parou.

“Apenas fique parado por um momento.” Após dizer isso, O General tocou seu ombro levemente e ficou em silêncio, então fez alguns gestos com as mãos. O homem ficou um pouco irritado de ter que esperar, mas não falou nada.

Após 2 minutos, algo misterioso apareceu acima de Kalfas e Frederic. Como se uma miragem estivesse surgindo diante de seus olhos, uma imensa imagem, que lembrava uma daquelas projeções de filmes, apareceu.  

No início, apenas vagas imagens podiam ser vistas, mas logo os contornos tomaram forma e figuras Humanas podiam ser observadas na projeção, uma dessas pessoas era o próprio Frederic!

A visão disso surpreendeu a todos, mas o mais surpreso era o próprio homem, não por ver a si mesmo, mas as outras pessoas com aquele que era igual a si próprio, pois era sua família! O outro Frederic estava sentado no sofá junto a sua esposa e filho, eles pareciam estar assistindo TV e conversando.

“Estou usando a ligação que você tem com seu verdadeiro ‘eu’ para ver o que ele está fazendo em tempo real.” Kalfas disse.

O homem chamado Frederic estava em choque com o que foi dito. Ele se lembrou que hoje realmente era o dia em que assistia filmes com sua família. Ao perceber esse fato, ficou desesperado. 

Ele realmente era uma mera cópia? As memórias que possuía não eram realmente dele? Esses pensamentos o encheram de pesar e tristeza. Lágrimas começaram a cair de seus olhos, enquanto observava as imagens com muita dor. A emoção intensa fez suas pernas fraquejarem, de repente caindo de joelhos no chão, e seu choro pôde ser ouvido. 

No momento que ele caiu no chão, as mãos de Kalfas deixaram de tocar em seu ombro e a projeção subitamente desapareceu.

Todo o ato foi visto pelas pessoas abaixo, desde o momento que a projeção apareceu até o momento em que Frederic caiu de joelhos, chorando. Estava claro como o dia que realmente aquela era sua família em sua casa, e que as palavras de Kalfas foram provadas.

Apesar de ser difícil aceitar algo tão surreal, as pessoas não tinham escolha. Rapidamente, um sentimento de angústia se espalhou pela multidão, eles eram meras cópias de si próprios. Muitos definitivamente não acreditaram, vários choraram, outros estavam desiludidos e alguns pareciam aceitar a situação calmamente.

Fernando foi o último caso. Apesar da situação bizarra, não parecia ansioso ou com medo.

Se o que o General Kalfas disse é verdade, então esse outro ‘eu’ irá cuidar da minha família. Se for assim, não tenho nenhuma preocupação. Mesmo que eu não seja o verdadeiro Fernando, não me importo.

“Imagino que alguns estejam tendo crises de identidade, mas não fiquem aflitos, apesar de vocês serem cópias, você e seu verdadeiro ‘eu’ ainda são um e o mesmo, suas almas e mentes ainda são as mesmas. A prova disso é que se você morrer nesse mundo seu ‘eu’ também morrerá. Da mesma forma, se ele morrer na Terra, você morrerá aqui em Avalon! Se vocês estão preocupados com suas famílias, então não fiquem depressivos ou acabarão morrendo. Não vou mentir para vocês, esse mundo é muito perigoso e a taxa de mortalidade é alta.”

As pessoas ficaram surpresas com o que Kalfas disse. Se morressem ali, eles também morreriam na Terra? Se for assim, absolutamente não poderiam se deixar ser mortos! O que seria de suas famílias se eles morressem? 

Aqueles que estavam banhados em tristeza e não se importavam se viveriam ou morreriam, de repente foram picados pelo medo. Até mesmo Frederic, que estava desiludido há um momento, levantou a cabeça. Em seus olhos, a angústia substituiu a dor de um momento atrás.

Fernando também estava chocado, o sentimento de despreocupação subitamente sumiu, sua família precisava dele, ele não poderia morrer aqui e arrastar seu outro ‘eu’ com ele.

“Antes que eu esqueça, gostaria de lembrá-los que todos aqui vem de países do mundo inteiro. Ninguém sabe ao certo como conseguimos nos comunicar e entender um ao outro, as pessoas apenas conseguem, mesmo falando em idiomas diferentes. Quanto a isso, há diversas especulações, mas nenhuma informação é concreta. O importante é que além de se adaptar a esse lugar, vocês terão que conviver com pessoas de diferentes nacionalidades e costumes.”

Isso explica muita coisa, como aquela garota chamada Emily parecia falar português tão bem apesar de ser de outro país. Fernando ponderou em silêncio.

“Bem, tendo esclarecido suas dúvidas sobre como vocês chegaram a esse lugar, agora irei explicar algumas coisas sobre esse mundo e sobre o que acontecerá com vocês a partir de agora.”

Quando Kalfas falou isso, as pessoas que ainda estavam desnorteadas com as informações bombásticas uma atrás da outra, levantaram a cabeça para prestar atenção. Afinal, se eles já estavam nessa situação bizarra, tinham que enfrentar isso.

“Vocês provavelmente já ouviram o termo ‘recruta’. Todos que chegam a Avalon são chamados assim, isso porque esse mundo tem muitos conflitos e precisamos de mão de obra constante. Vocês serão treinados como Soldados básicos, depois desse período, vocês terão que tomar algumas decisões.” O General disse, parando por um momento e observando a reação dos que estavam abaixo.

Alguns se assustaram, principalmente ao saberem sobre terem de se tornar ‘Soldados’.

“Vocês podem escolher se alistar em uma Legião, como a nossa Legião Leões Dourados, porém, não são necessariamente obrigados a se alistar conosco, existem diversas Legiões e todos são livres para escolherem qualquer uma delas, apenas tenham em mente que cada uma tem termos de contrato diferentes. Outra opção é seguir profissões solo. Vocês podem escolher ser um mercenário, que recebe tarefas do exército; se juntar à associação de aventureiros; podem ser técnicos de matrizes; fabricantes de poções e elixires; ferreiros; comerciantes; entre outras várias profissões. Há diversos caminhos a seu dispor após se formar aqui, porém, vocês precisam lembrar que após terminar seu treinamento, estarão por conta própria.” disse, com uma expressão rigorosa “O mais recomendável seria servir a uma Legião, já que vocês receberão um bom salário, uma habitação e não terão problemas com necessidades básicas, entretanto, é claro, essa escolha tem seus riscos já que as Legiões constantemente estão em guerra.”

As pessoas estavam pensativas sobre as opções, escolher uma profissão solo seria o mesmo que ter que se virar nesse mundo estranho sozinho sem qualquer ajuda, porém se alistar numa Legião significava possivelmente ter que ir à guerra. Como a maioria deles vieram de lugares sem conflitos, do nada ter que participar de algo assim era simplesmente muito assustador.

“Tendo explicado tudo isso, vamos ao próximo passo. Agora iremos medir seus atributos. Com base nisso, no seu tempo de entrada no Salão da Recepção e alguns outros fatores, iremos definir as equipes. Cada equipe será constituída de 4 pessoas. A cada 5 equipes ou 20 pessoas, teremos um Esquadrão. A cada 5 esquadrões ou 100 pessoas, se forma um Pelotão. E por fim, com 5 pelotões ou 500 pessoas, temos 1 Batalhão. Geralmente as missões e treinamento serão feitas em Equipes, Esquadrões e Pelotões, essa é a organização básica nas Legiões.”

Depois de Kalfas dizer isso, Claud, que estava no canto, acenou para os Guardas. Logo uma espécie de tabuleta de pedra com uma esfera incrustada no centro foi trazida ao palco.

“Vamos começar por você, já que está aqui.” Kalfas disse em direção a Frederic.

“Vá até a tabuleta e coloque sua mão sobre a esfera.” O General disse de forma calma.

Apesar de ainda estar um pouco absorto nas imagens de sua família, Frederic obedeceu. Ao se levantar, foi até a tabuleta, colocando suas mãos sobre a esfera azul clara.

Assim que o homem tocou o objeto, a pulseira em seu braço, junto a esfera, se iluminaram, e uma projeção apareceu acima.

Nome: Frederic Montevas

Idade: 34 anos

Status: Recruta

Nível: 1

Atributos

Físico: 7

Inteligência: 6

Agilidade: 5

Magia: 1 (mana 10)

“Muito bom, rapaz, nada mal. Deixe-me dar uma explicação simples a vocês. Os três primeiros atributos são algo que qualquer pessoa normal tem. Em um indivíduo comum, eles variam de 1-10, sendo 5-6 o padrão de uma pessoa média. Quanto ao atributo Magia, ele só se manifesta em Avalon. Como vocês foram trazidos até aqui, acabam por receber esse atributo. O normal para recrutas é de apenas 1, sendo incomum alguém ter mais que isso.”

Logo Kalfas deu uma explicação básica sobre toda a projeção. O atributo Físico representava as diversas condições do corpo, como vigor, musculatura, ossos, estado do corpo e afins. Inteligência representa sua velocidade de cognição, memória, foco e intelecto em geral. 

Graças a magia de análise, era possível avaliar tudo isso. 

A Agilidade representa a velocidade que a pessoa conseguia atingir, sendo ela explosiva e contínua, também media a capacidade reativa, flexibilidade e agilidade em geral do corpo. 

Magia é o atributo mais misterioso. Ela está ligada ao seu mana, influenciando na quantidade, qualidade e controle. Sendo um atributo extremamente difícil de elevar, a Magia era utilizada em praticamente tudo nesse mundo.

Também foi explicado que a cada 10 pontos de atributo eram equivalentes a 1 nível. O nível era utilizado para avaliar a habilidade geral de um indivíduo.

“As informações deste teste serão gravadas em nosso sistema para calcular as equipes, porém, vocês podem, a qualquer momento, consultar seus Status a partir das pulseiras que vocês receberam, elas são acessórios mágicos. A magia é como se fosse a tecnologia nesse mundo e é usada para quase tudo. As pulseiras também podem armazenar uma pequena quantidade de itens. As que vocês receberam tem cerca de 10 metros quadrados. Posteriormente seus Instrutores irão lhes ensinar como usá-la.”

Muitos ficaram maravilhados ao olhar os objetos em seus pulsos. Essa pulseira simples era mágica? Ela podia ser usada para guardar coisas? Muitos pensamentos do tipo se passavam em suas cabeças.

As pessoas foram, uma a uma, chamadas por seus nomes para serem avaliadas pela tabuleta. A maioria tinha atributos normais que variavam entre 5-6, e 1 para o atributo Magia, com alguns sortudos às vezes aparecendo com 2 pontos. Esses ficaram imediatamente empolgados, já que o General Kalfas foi bem claro sobre quão incomum era isso, entretanto, essas pessoas eram poucas. De mais de 100 indivíduos avaliados, apenas 3 tiveram essa sorte. 

Também houve alguns que tinham Físico e Agilidade altos e estavam no Nível 2, porém apenas pouco mais de 10 pessoas atingiram esse padrão.

Fernando observava atentamente o processo, até que ele ouviu um nome familiar, Emily Woods, a garota ruiva de antes. Logo ela subiu ao palco e tocou a tabuleta.

Nome: Emily Woods

Idade: 18 anos

Status: Recruta

Nível: 2

Atributos

Físico: 5

Inteligência: 6

Agilidade: 6

Magia: 3 (mana 30)

As pessoas ficaram imediatamente surpresas, foi a primeira pessoa a aparecer com um atributo de magia 3. Até mesmo Claud, que estava chamando os nomes, ficou surpreso.

“Muito bom, mocinha, você certamente é um grande talento.” Kalfas sinceramente a elogiou.

Emily também estava surpresa por ter uma avaliação tão boa. Com um sorriso de satisfação no rosto, desceu do palco.

O processo de avaliação continuou, enquanto isso, Fernando já estava entediado. Ele não estava a fim de puxar conversa com estranhos para matar o tempo e também estava farto de aguardar essa avaliação, assim como estava pensando sobre o quão chato era isso, seu nome foi chamado.

“Fernando Nóbrega, suba ao palco por favor.” Administrador Claud disse.

Vendo que era sua vez, se levantou. Várias pessoas próximas o olharam, enquanto o mesmo se dirigia ao palco. 

Ele estava levemente nervoso pelo fato de ter tantos olhares sobre si, mas já havia decidido que iria superar esse tipo de medo, então continuou firme.

Após subir as escadas, chegou ao palco. Claud acenou levemente com a cabeça em reconhecimento, e Fernando o cumprimentou de volta também com um aceno.

O General Kalfas estava sentado na cadeira central do palco. Como as pessoas já haviam se acostumado, não tinha necessidade dele pessoalmente presidir o processo a todo momento.

Ao olhar para a multidão abaixo do palco, Fernando se sentiu tenso, suas pernas tremeram levemente. Para alguém que sempre foi tímido como ele, esse tipo de situação sempre foi um desafio, entretanto, logo retomou a compostura e se dirigiu para a tabuleta. 

Em frente ao item, o jovem pálido observou a esfera azul, então levantou a mão, colocando-a sobre e apertando firmemente.

Nome: Fernando Nóbrega

Idade: 18 anos

Status: Recruta

Nível: 3

Atributos

Físico: 7

Inteligência: 10

Agilidade: 6

Magia: 7 (mana 70)

Assim que os atributos apareceram na projeção acima da tabuleta, o silêncio reinou no ambiente. Todas as conversas e discussões subitamente pararam. Até mesmo Kalfas, Claud, toda a gerência do Salão da Recepção e mesmo os Guardas estavam em choque. Que tipo de atributos absurdos são esses?

Olá, eu sou o Glauber1907!

Olá, eu sou o Glauber1907!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥