Selecione o tipo de erro abaixo

Reunidos no salão da Residência do Batalhão Zero, estavam todos os membros importantes. Cabos, Oficiais, Sargentos e Subtenentes. Sentado no assento central da grande mesa, seu líder, Tenente Fernando Nobrega, tinha uma expressão fria em seu rosto.

“Expliquem exatamente o que está acontecendo.” disse, num tom calmo, mas cheio de ordenança.

Nesse momento, Kelly levantou-se.

“Deixem eles entrarem!” gritou.

Logo dois homens adentraram no salão.

“Esses são alguns dos soldados sob o comando de Emily, eles presenciaram o ocorrido.” Kelly falou, gesticulando para os mesmos. “Falem.”

Os dois homens, com expressões assustadas e hesitantes, ficaram trêmulos ao receberem os olhares de todo o alto escalão do Batalhão.

“Bem, deixe-me explicar então.” Um dos sujeitos, um pouco mais velho e contido falou. “Fomos ao centro comercial de Belai, para reabastecer suprimentos de treino, bem como nos preparar para quando sairmos da cidade. A senhorita Emily comprou uma série de coisas diferentes em várias lojas, até então não tivemos grandes problemas, entretanto, quando chegamos a loja de armas…”

“Continue!” Noah gritou, irritado com a hesitação do homem.

Tremendo, o sujeito tornou a falar.

“Enquanto escolhiamos alguns arcos e bestas para o esquadrão, alguns homens entraram na loja. Um deles, provavelmente o líder, ao nos ver, começou a importunar a senhorita Emily. Em resposta, o homem foi insultado por nossa líder de esquadrão e logo uma luta estourou. Além da senhorita Emily, todo nosso grupo foi subjugado rapidamente, eles estavam em grande número e o homem em questão era muito forte. Mesmo que não tenham nos matado, feriram quase todos com facilidade. No fim, ela foi levada à força por aquele sujeito.”

Enquanto o soldado dava seu relato, a expressão de Ronald escureceu e seu punho apertou-se com firmeza.

“Fernando, me permita liderar um grupo e ir atrás dessa pessoa, eu vou descobrir quem é e trazer a Emily de volta.”

Todos ficaram surpresos ao ver Ronald levantar e fazer tal pedido, mas levando em conta que ambos estavam juntos há algum tempo, muitos acharam razoável.

Enquanto todos aguardavam a resposta de Fernando, que estava em silêncio, um dos homens de Argos entrou silenciosamente na sala, cochichando em seu ouvido. Após isso, retirou-se.

“Você não precisa fazer isso.” Argos disse, levantando-se.

“O que quer dizer?” Lance retrucou, com uma voz elevada. “Está dizendo para ele ignorar alguém sequestrando um dos nossos? Além disso, é a namorada dele! Qual o seu problema?!”

Argos, que ouviu isso, ficou em silêncio de forma calma, com um sorriso claramente provocativo.

Isso fez alguns ficarem descontentes. Afinal, algumas poucas pessoas sabiam que Argos anteriormente havia tentado emboscar Fernando, então muitas dessas pessoas não confiavam nele.

“Líder, se me permite…” Argos disse, olhando para o jovem Tenente, que havia estado em silêncio todo esse tempo.

Fernando acenou com a cabeça. O que fez tanto Lance, quanto Ronald ficarem descontentes.

“Fernando, isso…” Lance disse.

“Deixem-no falar. Gritar e discutir entre si não resolve nada.” respondeu o jovem Tenente, fazendo com que todos se calassem.

Argos sorriu cheio de satisfação. Inicialmente estava preocupado sobre como seu ‘mestre’ iria tratá-lo, afinal, ele tinha sua vida na palma de sua mão, literalmente. No entanto, ao contrário de suas expectativas, não só Fernando não o suprimiu, como deu-lhe recursos, uma alta posição e até mesmo mão de obra. 

Eram tantas beneficies que mesmo ele questionou-se sobre a inocência e ingenuidade de seu líder, ele próprio não confiaria em si mesmo, então entendia o porquê de outras pessoas não confiarem. 

Apesar disso, sentiu-se confortável em servir a Fernando, muito mais do que quando trabalhou para os Lobos de Batalha. Então deu o seu melhor em realizar o pedido de seu líder, em criar uma rede de inteligência e informações para o Batalhão Zero.

“Meu pessoal já rastreou a posição da Cabo Emily.”

Todos ficaram chocados ao ouvirem a notícia.

“Onde?” Ronald gritou, batendo com as duas mãos na mesa.

Argos não se intimidou, então calmamente continuou.

“A pessoa responsável é o líder da Guilda Fúria.”

“Quem é não importa, vamos até lá agora e iremos exigir que a libertem, se tiverem tocado num fio de seu cabelo…” Noah falou, num tom cheio de raiva. Mesmo que discutisse por várias vezes com a pequena ruiva, ele ainda a considerava como uma grande amiga.

“Bem, isso pode não ser tão simples.” Argos falou.

“Como assim? O que há para ser mais simples? Alguns fodidos estão procurando encrenca e encontraram!” Lance falou, seu braço metálico rangendo enquanto gesticulava, apertando o punho na palma.

Nesse momento, Trayan levantou, interrompendo a discussão.

“Líder, isso realmente não é tão simples. Mesmo que não sejam uma Guilda forte como a Valorosos, a Fúria ainda era uma das melhores guildas de Belai. Seu líder está muito próximo do nível de um Capitão e eles têm muitos membros fortes, um confronto não é ideal. Devemos pedir ajuda do Salão de Belai.”

Todos ficaram em silêncio ao ouvirem Trayan falar, como um Oficial, que representava os antigos membros da antiga Guilda Valorosos, ele conhecia muito bem a situação da cidade. Para ele dizer algo assim, o oponente não deveria ser alguém simples.

“Talvez devêssemos seguir a sugestão do Oficial Trayan. Um conflito antes de partirmos de Belai não é algo bom para nós.” Gabriel falou.

Ronald queria dizer algo, mas as palavras não saiam de sua boca. Mesmo que quisesse dizer a todos que deveriam ir atrás de Emily, sabia que não poderia. Se o fizesse, todo o Batalhão poderia ser prejudicado, implicando muitas pessoas, mesmo sendo namorado dela, sentia que não poderia pedir isso.

Lance, que estava ao lado, assim como Noah, entenderam os pensamentos de seu velho amigo. Quando estavam prestes a falar algo em prol de Ronald, Kelly levantou-se, tomando a palavra.

“E o que você acha que vai acontecer com ela, Oficial Gabriel? Você acha que alguém que rapta mulheres, vai ficar de braços cruzados esperando o Salão de Belai ir lá apaziguar a situação? Você acha que ele não vai fazer nada com ela?!!” gritou ferozmente, com um rosto cheio de fúria.

Para aqueles que conheciam Kelly de longa data, sentiram-se surpresos com sua atitude. A garota tímida, que havia anteriormente, não estava em lugar algum.

Gabriel, que ouviu isso, ficou sem fala. Mesmo que quisesse dizer que nada aconteceria, sabia que estaria mentindo.

“Podemos negociar com eles, evitar conflito.” disse, tentando apaziguar a situação.

Dessa vez Argos falou.

“Meus homens já entraram em contato com a Guilda Fúria. Em suas palavras, eles dizem que ‘seu líder gostou da mulher e que pagará por ela, basta o Batalhão Zero dizer um valor e caso estejamos insatisfeitos com isso, enviem alguém de nível Capitão para falar com eles’.”

Toda a sala ficou silenciosa com as palavras de Argos. Nesse ponto estava claro que uma negociação pacífica com a Guilda Fúria era impossível de acontecer. 

Muitos tinham expressões furiosas em seus rostos, mesmo Lina, que era calma e gentil na maior parte do tempo, estava cheia de raiva.

“Eles sabem que são fortes e que somos um Batalhão recém formado, receio que não irão ceder sem a interferência do General Dimitri ou do Salão de Belai.” Argos completou.

“Esses cretinos! Estão tentando usar sua influência e força para fazerem o que querem!” Archie falou, bufando de raiva…

Olhando para Ronald, que estava com uma expressão pálida e perdida, conseguia entender sua situação, se fosse Louise no lugar de Emily, provavelmente marcharia sozinho em busca dela.

Logo uma discussão começou sobre como lidar com o assunto. Enquanto alguns tinham a opinião de buscar a ajuda do Salão de Belai como mediador, outros não suportavam a ideia de abandonar Emily.

Bam!

Nesse momento, uma forte batida soou, fazendo todos ficarem em silêncio. A pessoa responsável não era outra, senão Fernando. Até então ele estava quieto, sem opinar a respeito, mas agora parecia que tinha tomado uma decisão.

O jovem Tenente tinha um rosto pálido, com uma expressão fria, enquanto varria seu olhar sobre a multidão.

“Há algum tempo atrás, quando estávamos cercados de inimigos e com a vida por um fio, eu fiz uma promessa. Eu, Fernando Nobrega, jamais obrigaria vocês a ficarem ao meu lado, nem impediria aqueles que querem partir.” disse, com um rosto calmo e sereno ”Entretanto, para aqueles que confiarem suas vidas nas minhas mãos, eu lutaria até o fim! Não serei um covarde e não tolerarei aqueles que tentam prejudicar meus companheiros!”

Ouvindo aquilo, Lina, Cintia, Karol, Tom, Noah, Ugo, Archie, Louise, Ronald, Lance, Leo, Theodora e Kelly, todos tiveram uma grande mudança em suas expressões. As palavras de seu líder os lembraram de uma noite negra, no qual perderam muitos amigos e até mesmo familiares. Naquela noite, sob o fio das espadas de seus inimigos, Fernando fez aquela promessa. Foi quando eles fizeram as suas próprias, lembrando que o seguiriam dali em diante.

“Ouçam minhas ordens.” Fernando falou, num tom de voz firme e poderoso.

Todos os membros do Esquadrão Zero original levantaram-se, cheios de vigor. Mesmo aqueles que vieram depois, sentiram seu sangue ferver com as palavras de seu líder.

“Reúnam as tropas! Hoje será o dia em que todos irão entender o que acontece com quem toca em um membro do Batalhão Zero!”

Olá, eu sou o Glauber1907!

Olá, eu sou o Glauber1907!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥