Selecione o tipo de erro abaixo

Combo do 6º Aniversário da Vulcan – Capítulos → 84/175


Bip! Bip! Bip! O telegrama colocado no gabinete do capitão de repente ganhou vida, aparentemente tendo recebido um novo telegrama.

Mas Klein e Leonard não podiam se distrair. Eles estavam contando os movimentos do ponteiro dos segundos no relógio enquanto seus olhos vermelhos se enchiam de lágrimas.

— 10.

— 9.

— 8.

Nesse momento, Dunn Smith carregou a caixa quadrada prateada em forma de osso para o salão de recepção com uma expressão solene.

Megose, que estava arrancando mecha após mecha de cabelo loiro, abriu uma ferida profunda o suficiente para mostrar seus ossos. Era como se ela tivesse sido acionada por alguma coisa. De repente, ela se levantou e apontou para Dunn Smith em seu blusão preto. Ela gritou: 

— Você quer matar meu filho!

— Você quer matar meu filho!

Estrondo! A voz estridente e aterrorizante reverberou. Klein sentiu como se estivesse sendo atingido na cabeça por uma marreta. De repente, esqueceu-se de contar porque estava com dor de cabeça e tonto.

Sua visão ficou vermelha e parecia haver líquido escorrendo da ponta do nariz.

Ele inconscientemente olhou para o lado e viu o canto dos olhos de Leonard Mitchell. A ponta do nariz e os cantos dos lábios estavam cobertos de sangue fresco. Seu rosto estava extremamente pálido e seu corpo tremia como se estivesse prestes a cair.

“Provavelmente estou no mesmo estado…” Klein refreou seus pensamentos e continuou a contar em silêncio enquanto pulava dois números.

— 5.

— 4.

Impressionado com a voz terrivelmente afiada, os olhos cinzas profundos de Dunn Smith estavam cheios de veias vermelhas. Cada fio era cristalino.

Os vasos sanguíneos em seu rosto também se projetavam; cada um deles como uma cobra venenosa. Houve também um gorgolejo quando um líquido vermelho escorreu de suas orelhas também.

Apesar disso, ele se sentia tonto. Além da pausa da mão direita, sua forte força de vontade o levou a pressionar a urna de Santa Selena e abrir a tampa.

Dentro da caixa, havia uma escuridão profunda. Na escuridão, havia areia fina e resplandecente. A cena era magicamente linda, como uma noite estrelada guardada em uma caixa.

Os arredores de repente ficaram escuros e a escuridão engolfou todo o salão de recepção. No ar, havia incontáveis ​​fios pretos, frios e lisos flutuando.

Eles avançaram em direção a Megose e a enredaram quase instantaneamente.

Não era como uma teia de aranha, mas mais como os tentáculos de alguma criatura desconhecida!

Megose já havia arrancado o globo ocular direito. Pendurava-se por um cordão fino de carne debaixo de sua órbita ocular. Ela olhou para Dunn Smith com ódio enquanto rugia: — Você deve morrer!

Bang! Dunn foi jogado para longe por uma força informe e se chocou fortemente contra a parede oposta. A parede rachou e tijolos foram jogados para cima.

Ele cuspiu um bocado de sangue fresco no chão, mas ambas as mãos ainda estavam segurando firmemente a caixa com as cinzas de Santa Selena. Ele segurou-a para salvar sua vida e evitou que caísse no chão.

Aqueles incontáveis ​​fios pretos, frios e lisos apertaram e prenderam Megose firmemente no lugar. Não importa quantas chamas manchadas de praga surgissem de repente, ou como sua pele começasse a secretar um líquido que cheirava a enxofre, nenhuma dessas defesas causava qualquer dano aos fios que a prendiam.

— 3!

— 2!

— 1!

Klein e Leonard saíram correndo pela divisória simultaneamente. Um deles estava segurando uma fina fatia de ouro quente, e o outro já havia apontado seus cinco dedos com o Ladrão de Vasos Sanguíneos enrolado em seu pulso esquerdo para Megose.

Megose, que não parecia mais humana, lutou enquanto a carne se projetava de ambos os lados de seus ombros. Eram uma mistura de vasos sanguíneos e veias verdes, redondos como a cabeça de uma criança.

Acima das duas cabeças, rachaduras se espalharam rapidamente e aparentemente se transformaram em um par de olhos.

Megose de repente percebeu que o perigo se aproximava e abriu a boca. O canto de seus lábios estalou até as orelhas.

Ela iria lançar a Maldição da Blasfêmia para todos os inimigos que tentassem ferir seu filho!

Naquele momento, Leonard cerrou a mão esquerda em punho enquanto seu pulso dava meia volta.

Seu rosto pálido ficou lívido e os vasos se projetavam como um bando de minúsculos vermes venenosos.

— … — A Maldição da Blasfêmia de Megose ficou presa em sua garganta quando parou repentinamente.

Ela parecia ter perdido a habilidade de falar e a habilidade de evocar maldições.

Klein aproveitou a oportunidade e murmurou uma antiga palavra de Hermes em voz profunda.

— Luz!

“Eu quero luz, e haverá luz!”

De repente, ele sentiu a fina fatia de ouro coberta por padrões misteriosos ficar fervendo ao vê-la emitir uma luz ofuscante, como se tivesse se tornado um sol em miniatura.

Logo em seguida, Klein injetou mais da metade de sua espiritualidade nela e lançou o Amuleto do Sol Ardente na contida Megose!

A sala de recepção instantaneamente ficou transparente quando a escuridão e a melancolia desapareceram simultaneamente. Os finos fios pretos que emaranhavam Megose encolheram como se estivessem instintivamente evitando algo.

Mas antes de Megose obter sua liberdade, ela viu a luz do sol.

Em algum momento da luta, um buraco se abriu no teto da Companhia de Segurança Espinho Negro, e o buraco foi até o telhado do terceiro andar. O céu azul brilhante e a luz do sol ofuscante brilhavam simultaneamente.

A fina fatia de ouro combinou com a luz do sol acima de Megose e imediatamente expandiu de tamanho. Passou de uma luz esférica para uma esfera com inúmeras chamas espiralando ao seu redor.

Estrondo!

O prédio inteiro tremeu vigorosamente e as janelas de vidro das ruas próximas se estilhaçaram.

No entanto, o poder da luz esférica concentrou sua força em seu núcleo, sem se dissipar muito.

Envolveu Megose, e a luz era tão forte que Klein, Dunn e Leonard não conseguiam abrir os olhos.

Klein segurou as lágrimas e olhou com os olhos semicerrados. Ele viu que a luz havia se dispersado, mas as chamas ainda estavam subindo. Entre eles, havia muitas cinzas negras dançando no ar.

Megose e o bebê em seu estômago não estavam à vista. Assim como a mesinha de centro, copo d’água, jornal e sofá.

“Está acabado? Acabamos com o filho de um deus maligno antes que ele descesse a este mundo, levando Sua mãe ao mesmo tempo?” Klein ainda não conseguia acreditar.

Sua experiência em jogar videogames lhe disse que o chefe final não poderia ser resolvido tão facilmente!

De repente, ele sentiu arrepios por toda parte. Seus instintos de Palhaço lhe diziam que havia um perigo extremo se aproximando!

Sem pensar, Klein rolou para a esquerda abruptamente.

Nesse momento, um longo braço com uma lâmina de osso branco extremamente afiada cortou o local, aparentemente do nada. A monstruosidade tinha uma beleza anormal e flutuava no ar. Era incrivelmente rápido e quase impossível desviar de seus ataques.

Whoosh!

As roupas de Klein no lado direito do peito foram rasgadas, sua pele rompida e sua carne, junto com seus ossos, foi dividida em duas!

A ferida era tão profunda que ele quase podia ver um de seus pulmões.

Se não fosse porque ele sentiu o perigo se aproximando de antemão e se esquivou a tempo, aquele golpe o teria cortado ao meio.

Mas, mesmo assim, Klein desacelerou. Uma dor extrema encheu sua cabeça e dispersou sua consciência.

No final da lâmina de osso branco, uma figura voou rapidamente. Se não fosse pelo tamanho da barriga, talvez ninguém pudesse identificá-la como Megose.

Seu cabelo e vestido foram totalmente queimados. A pele de seu rosto e corpo estava carbonizada e descascando, escama após escama. Seu nariz havia derretido, deixando apenas dois pequenos buracos negros para trás. Seus globos oculares estavam longe de serem vistos, e havia fracas chamas brancas dançando nas órbitas vazias.

As duas cabeças que surgiram de ambos os lados dos ombros de Megose foram queimadas. Seu braço esquerdo havia se tornado a lâmina de osso branco que ela segurava; parecia demoníaca, mas sagrada.

Criiik!

Enquanto o chão tremia, Megose ignorou Dunn e Leonard, bem como os fios finos, pretos, frios e lisos que se lançavam contra ela novamente. Ela foi para Klein, que parou depois de rolar. Mirou a lâmina de osso branco no pescoço de Klein e estava prestes a cortar.

De repente, ela ouviu uma voz que continha um rico tom blasfemo.

“Renda-se!”

Leonard ergueu a mão esquerda e apontou a palma para Megose. O Artefato Selado 2-105 enrolado em seu pulso havia se transformado de um vaso sanguíneo grosso e pálido e manchado de sangue em um intestino carmesim que havia se expandido a ponto de parecer prestes a explodir.

Com a ajuda do Ladrão de Vasos Sanguíneos, Leonard havia roubado com sucesso a Maldição da Blasfêmia de Megose e estava tentando usar seu poder para assumir o controle dela!

Apenas uma habilidade do nível dela era eficaz!

Sob a influência da Maldição da Blasfêmia, Megose dobrou a cintura e seus joelhos tremiam constantemente. Seus movimentos pararam quando os fios negros a cercaram como se tivessem encontrado uma presa deliciosa. Klein também aproveitou a oportunidade para rolar na direção oposta, deixando um rastro de sangue carmesim fresco atrás de si.

No entanto, ele teve algum alívio de sua dor extrema e enfiou a mão no bolso. Pegou o último Amuleto do Sol Ardente.

Ele aproveitou a oportunidade quando Megose estava parada para acabar com ela, de uma vez por todas!

Se ela resistisse até que o bebê nascesse, o resultado estaria além da imaginação deles!

Estrondo!

A cabeça de Megose explodiu sozinha. Sua pele carbonizada e sua carne voaram em todas as direções.

Mas seu corpo sem cabeça aproveitou a oportunidade para se livrar do efeito da Maldição da Blasfêmia!

Estrondo! O corpo carbonizado de Megose se transformou em um projétil que disparou em direção a Leonard. Como a Maldição da Blasfêmia foi interrompida à força, Leonard foi temporariamente congelado no local.

Naquele momento, Dunn Smith ainda estava segurando a urna de Santa Selena com força. Seu rosto estava anormalmente pálido, e os fios pretos e frios que foram criados ainda estavam longe de cercar Megose.

Crick!

Megose se chocou contra Leonard, jogando-o contra a parede. A parede desabou com o impacto.

Os ossos de Leonard quebraram, e havia sangue saindo de sua boca incessantemente. Mesmo sem ter vontade de lutar, ele desmaiou instantaneamente.

Megose levantou sua lâmina de osso branco, mas os incontáveis ​​fios negros que emanavam da urna de Santa Selena a envolveram novamente e estavam prestes a prendê-la ao chão.

Sem o luxo de tempo para cuidar de seus ferimentos, Klein rapidamente pegou o amuleto.

Quando ele ia recitar o antigo encantamento de Hermes, algo de repente soou na sala profunda, escura, mas silenciosa.

— Waaa!

Era o choro de um bebê.

Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥