Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 48/50


Ao retornar ao mundo real, Klein apagou as velas, guardou os itens restantes e verificou cuidadosamente a situação no armazém.

Felizmente para ele, o redemoinho de água do mar criado por Kalvetua limpou completamente a área, deixando apenas os jatos de chuva subsequentes, as manchas enegrecidas dos relâmpagos e as esparsas pilhas de cinzas, bem como os rastros produzidos pelos dois pés de Klein.

“Os rastros são fáceis de lidar. Posso fazer com que Danitz use sua bola de fogo para limpar o local mais tarde, disfarçando-o como um conflito interno entre piratas…” Klein assentiu  indiscernivelmente e puxou uma das poucas estatuetas de papel restantes. Ele balançou o antebraço e sacudiu o pulso.

A estatueta de papel voou e queimou sozinha antes de se transformar em cinzas negras.

Depois de fazer tudo isso, Klein caminhou em direção à porta, franzindo a testa enquanto caminhava.

As solas de suas botas haviam sumido e o resto de suas roupas estava esfarrapado e rasgado, molhado ou carbonizado.

Isso era inevitável nessas circunstâncias, pois não era algo que uma estatueta de papel pudesse suportar — o rasgo era resultado da sucção potente do redemoinho, a sensação de umidade vinha da chuva torrencial de Kalvetua e as marcas pretas carbonizadas eram resultado de ser atingido por raios no intervalo em que Klein estava usando seus Substitutos de Estatueta de Papel. Mesmo agora, apesar de ter se acalmado, seu antebraço direito ainda sofreu alguns espasmos devido ao choque elétrico.

“Custou-me 8 libras e 6 solis… Tenho que comprar um novo conjunto de roupas… Eu tinha adivinhado o perigo e fiz os preparativos, mas não esperava que Kalvetua fosse mais poderoso e mais louco do que eu esperava… Espero que eu ganhe algo mais tarde.” Klein balançou a cabeça silenciosamente. Conteve sua expressão e suportou a dor antes de chegar à porta e bater três vezes.

Danitz, que estava constantemente inquieto, hesitou por dois segundos antes de abrir a porta.

Ao descobrir que Gehrman Sparrow havia retornado ao seu estado frio e reservado, sem mais emitir a fome e a loucura que aterrorizavam sua espiritualidade, Danitz soltou um suspiro de alívio. Ele deu uma olhada para dentro e perguntou: — Acabou?

— Não. — Klein curvou os cantos dos lábios e revelou um sorriso gentil.

“Ainda não?” Danitz deu um pulo de medo.

— O-o que mais precisa ser feito?

Klein manteve o sorriso que escondia a loucura.

— Uma limpeza ainda é necessária.

— Isso é cortesia básica.

“Uma limpeza…” Danitz ficou atordoado. Erguendo a mão direita, ele apontou para si mesmo e disse: — Eu?

Os cantos da boca de Klein se arregalaram.

— Ou devo fazer as honras?

“Então eu seria comido pela Fome Rastejante!” Danitz soltou uma risada vazia.

— Como devo limpar este lugar?

— Use uma bola de fogo, — Klein respondeu simplesmente.

Como pirata de meio período, Danitz não precisou de muito esforço para entender as intenções de Gehrman Sparrow. Passando por ele, dirigiu-se para o interior do armazém.

Durante esse processo, tinha algumas perguntas em mente, que eram bastante intrigantes.

“A Capitã disse que a Fome Rastejante precisa devorar uma pessoa viva todos os dias, mas Gehrman Sparrow só pode satisfazê-la depois de uma batalha. Ele geralmente não se preocupa com isso. A-além disso, naquela batalha agora há pouco, Gehrman Sparrow usou os poderes de gelo de Steel Maveti. Ele não a alimentou depois… Estranho… Que segredo está por trás disso?”

“Um selo de um certo nível? Ou será que a organização por trás dele é capaz de selar a Fome Rastejante?”

Enquanto Danitz limpava o armazém, Klein ficou do lado de fora, olhando para as nuvens escuras pendentes, ansioso pelo que aconteceria a seguir.

“Eu já enviei a cigarreira de ferro que está contaminada com a aura da névoa cinza, então tudo que preciso fazer é esperar que Kalvetua, um falso Deus do Mar, entre em colapso e morra… Espero que os Beyonders da Igreja das Tempestades e os militares do reino não terão tempo de encontrá-lo a tempo, nem deixarão para trás alguns itens de certo valor que eles consideram pouco…” Klein respirou fundo lentamente, ouvindo os sons surdos de bombardeio vindos de trás dele.

Num hotel, Alger estava à janela, olhando para o céu nublado.

“Recebi o gás anestésico do Sanguíneo pouco depois da última Reunião de Tarô. Eu estava preparado para ir ao mar buscar ingredientes, mas uma semana se passou e ainda estou preso em Bayam…” Os cantos de sua boca se contraíram quando ele balançou a cabeça.

Primeiro, houve o incidente do Mundo caçando Steel Maveti. Isso lhe rendeu uma quantia considerável de dinheiro e então ele teve que esperar pela recompensa. Depois disso, quando a recompensa foi obtida, ele encontrou o colapso daquela serpente marinha, Kalvetua, e recebeu ordem de procurar os aventureiros e arqueólogos — Letícia e companhia.

“Ouvi dizer que durante a investigação de ontem de manhã Letícia e os demais foram encontrados. Os Punidores Mandatários e os militares pareciam ter obtido algumas pistas importantes, e um grande número deles foi para a Ilha Symeem… Heh, isso é algo que eu nunca terei direito…” Alger retraiu o olhar, puxou para cima seu manto curto que não alcançou os joelhos e murmurou para si mesmo.

— Deixe isso acabar o mais rápido possível.

Assim que Kalvetua estivesse completamente morto e o tsunami não fosse mais um risco latente, ele poderia deixar o porto. Depois de deixar a Cidade da Generosidade, Bayam, ele poderia trabalhar para avançar para a Sequência 6: Abençoado pelo Vento.

Enquanto sua mente zumbia, o coração de Alger disparou e ele se virou para olhar pela janela.

Ele viu as nuvens altas no céu se dissiparem rapidamente, com a lua vermelha pairando silenciosamente no céu.

Klein dormiu até meia-noite, quando de repente acordou. Ele sentiu vagamente alguma coisa.

Saiu da cama, foi até a janela e abriu as cortinas.

O luar carmesim brilhou, cobrindo tudo como gelo. Estava frio e onírico.

Klein olhou para fora e viu que as nuvens baixas haviam desaparecido. A brilhante lua carmesim estava alta no céu em meio às estrelas esparsas.

“Isso significa que o confronto entre o Deus do Mar e o Rei do Mar terminou?” Klein ponderou por dois segundos, retraiu o olhar, fechou a cortina, deu quatro passos no sentido anti-horário e passou por cima da névoa cinza.

Ele sentou-se na ponta da mesa comprida e manchada, tirou uma moeda de ouro e começou a recitar uma declaração de adivinhação em voz baixa.

— Kalvetua está completamente morto.

Depois de repetir isso sete vezes, sacudiu a moeda de ouro e a observou saltar para cima e cair.

A moeda de ouro pousou na palma da mão de Klein e a cabeça do rei ficou voltada para cima.

Isso significou um resultado positivo!

Isso significava que o Deus do Mar Kalvetua estava completamente morto!

“Como esperado, as antigas ruínas élficas na Ilha Symeem e o esconderijo que Kalvetua usou para manter sua existência estão intimamente ligados… Os Punidores Mandatários e os militares acabaram de receber o Livro da Calamidade, e como só aprenderam sobre as ruínas por um pouco mais de um dia antes de Kalvetua não aguentar muito mais… Achei que ele poderia sobreviver à força por mais dois ou três dias…” Klein suspirou e tentou adivinhar se os Beyonders oficiais já haviam entrado no esconderijo de Kalvetua.

Infelizmente, devido à falta de informação, a sua adivinhação falhou e ele não conseguiu obter quaisquer revelações.

Depois de pensar um pouco, Klein mudou seu ângulo, desamarrou o pêndulo espiritual e começou a adivinhar se era perigoso para ele procurar e explorar o esconderijo de Kalvetua.

Como isso o envolvia, rapidamente chegou a uma conclusão.

O pingente de topázio girava no sentido anti-horário em uma frequência não tão rápida e com baixa amplitude.

“É perigoso, mas é aceitável… O perigo é ainda menor do que o ritual de sacrifício…” Klein assentiu gentilmente, retornou ao mundo real e começou os preparativos para a operação.

Ele trancou a porta do quarto primeiro e depois organizou o ritual para se convocar.

Mais uma vez entrando acima da névoa cinza, Klein pegou a carta do Imperador das Trevas e colocou-a dentro de seu Corpo Espiritual.

De repente, ele se tornou corpóreo como se fosse de carne e osso. A névoa negra circundante grudou na superfície de seu corpo e formou uma aura majestosa. Era como se ele estivesse inteiramente vestido com uma armadura física, mas em sua cabeça havia uma linda coroa preta como breu.

Olhando para a luva de pele humana sobre a mesa, Klein hesitou em calçá-la.

Acima da névoa cinza, a Fome Rastejante estava quase em estado selado. Não se atreveu a fazer nenhum movimento incomum, mas assim que saísse da área, a fome incontrolável causaria danos ao seu portador, quer ele estivesse vivo ou na forma de Corpo Espiritual.

Entre as considerações de Klein estava se o alto nível da carta do Imperador das Trevas poderia suprimir a Fome Rastejante dentro de seu Corpo Espiritual e mantê-la normal.

“Vou dar uma chance. Se não funcionar, encerrarei a invocação e voltarei aqui… Isso dificilmente exigirá tempo e não há perigo…” Klein pegou a Fome Rastejante e colocou-a sobre a manopla da armadura preta de ferro.

Ele não hesitou mais e entrou na Porta da Invocação. Com a ajuda da chama da vela em expansão, chegou ao mundo real.

Sem ser descuidado, a primeira reação de Klein foi verificar o estado da Fome Rastejante. Ele achou ela calma e submissa, subserviente ao alto nível do Imperador das Trevas.

“Nada mal…” Com um suspiro de alívio, Klein colocou os itens místicos, como o apito de cobre de Azik, o Frasco de Veneno Biológico e o Broche do Sol, em seu corpo, um por um.

Finalmente pegou sua bengala preta de madeira e se preparou para usá-la para procurar sua cigarreira de ferro perdida que havia sido contaminada com a aura da névoa cinza.

Claro, para encontrar o lugar onde Kalvetua estava escondido, era preciso primeiro entrar no mundo espiritual e identificar a localização por dentro. Caso contrário, apenas falharia.

Quanto a como entrar no mundo espiritual, Klein não considerou os três métodos fornecidos pelo Sr. Azik. Sendo um Corpo Espiritual com inteligência e capacidade de pensar, como não seria capaz de encontrar o mundo espiritual e entrar nele?

Ele se acalmou um pouco e relembrou a cena de incontáveis ​​​​luzes esféricas. Seu corpo e mente rapidamente ficaram tranquilos. Seus pensamentos gradualmente se tornaram vazios à medida que sua consciência gradualmente se estendia e se expandia.

Ele logo descobriu que estava cercado por coisas indescritíveis, ilusórias e transparentes. Todas as cores tornaram-se brilhantes, distintas, mas sobrepostas, e a névoa cinza tornou-se tão tênue que parecia cobrir tudo de uma forma etérea.

Nas profundezas, no alto do céu, havia sete raios de brilho lustroso que brilhavam com cores diferentes. Eles pareciam possuir vida e continham imenso conhecimento.

Este era o mundo espiritual. Ele se sobrepunha completamente à realidade e era onipresente.

“Se acontecer de eu encontrar os Punidores Mandatários ou militares, encerrarei imediatamente a convocação e retornarei acima da névoa cinza…” Klein deu um passo à frente. Após entrar facilmente no mundo espiritual, sentiu seu corpo se tornar ilusório.

A capa preta atrás dele tremulou ligeiramente e a bengala de madeira em sua mão ficou em pé.

Ele disse em voz baixa e digna: — A localização da minha cigarreira de ferro única.

Enquanto recitava, Klein sentiu-se tenso por um motivo desconcertante. Nas cores saturadas e distintas do ambiente, pares de olhos indiferentes e misteriosos o observaram.

Depois de repetir sete vezes, Klein soltou e esperou pela revelação.

A bengala preta de madeira flutuava, flutuando para frente a uma velocidade adequada que não era nem muito rápida nem lenta.

Klein a seguiu, voando pelo mundo espiritual real, ilusório, estranho e misterioso.

Aqui, se ele perdesse o rumo, era muito fácil acabar completamente perdido e nunca mais poder sair.

Claro, não havia problema para Klein. Se ele realmente se perdesse, poderia encerrar a convocação e retornar diretamente ao espaço acima da névoa cinza.

Klein perseguiu a bengala preta, que às vezes era solta e às vezes caía, indo e voltando entre cores distintas e sobrepostas. Ele passou por criaturas semiocultas do mundo espiritual que não podiam ser descritas com precisão, e era difícil saber até onde ele havia viajado.

De repente, ele viu um olho. Era redondo, com cores pretas e brancas bem distintas.

O olho olhou para ele sem piscar. Não havia cabeça, nem corpo correspondente.

Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥