Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 11/115


— Contanto que você possa confirmar a localização dela, você poderá receber 1.000 libras! Esta é a primeira vez que vejo uma missão assim! — Na rua em frente ao Bar Folha de Amyris, Danitz esfregou as mãos com uma pitada de entusiasmo. Ele cerrou os punhos e bateu no alto poste de gás preto como ferro, desejando passear imediatamente pela cidade e encontrar a mulher ruiva chamada Helene.

Para ele, 1.000 libras não era uma quantia pequena. Era o suficiente para acrescentar mais uma casa à sua fila de propriedades em Bayam. Simplesmente não estaria localizada nos distritos mais prósperos e valiosos.

O Tapete Voador que ele havia obtido anteriormente custava apenas cerca de duas a três mil libras, e essa foi a recompensa que ele ganhou ao lutar contra companheiros perigosos como Steel Maveti e Hendry. Era completamente incomparável com a fácil missão de encontrar alguém.

Klein, que caminhava à frente, segurava um pacote embrulhado em jornal. Eram os materiais que lhe custaram quinze libras. Ele diminuiu um pouco o ritmo, olhou para Danitz e falou sem expressão: — 5.500 libras.

— …

A excitação de Danitz congelou em seu rosto.

Só então se lembrou de um problema importante. Aos olhos dos outros piratas e aventureiros, ele era tão atraente quanto a ruiva Helene.

Eles não precisavam lutar com ele. Assim que o reconhecessem, poderiam denunciar a sua identidade aos militares, à Igreja ou à polícia e receberiam uma recompensa no valor de mais de 1.000 libras. Afinal, ele já era um grande pirata que valia 5.500 libras.

Procurar a ruiva Helene seria equivalente a uma dama de belo corpo e boa aparência entrar no Teatro Vermelho para se divertir.

“Porra…” Danitz expeliu uma única palavra, com o rosto sombrio.

Ao mesmo tempo, automaticamente abaixou ainda mais o boné.

Klein, que havia derramado água fria em Danitz, retomou sua velocidade normal de caminhada e considerou a questão de encontrar a ruiva Helene.

A falta de um médium1 e das informações necessárias dificultou-lhe o uso da adivinhação, por isso teve que considerar outros métodos.

“Ativar meus subordinados para fazer uma investigação em toda a cidade? Isto é algo que só pode ser feito pela Igreja, pelos militares e pela polícia. Até mesmo as gangues locais achariam isso difícil de realizar… Espere, acho que posso…”

“Eu não sou o Deus do Mar Kalvetua. Meus crentes estão por toda Bayam e Ilha Montanha Azul. Eu só preciso fazer um anúncio, não, uma revelação a todos os meus crentes, e posso levá-los a procurar a ruiva Helene… Mas isso prejudicaria minha posição? Para fazer algo assim por 1.000 libras, até um deus quer um pouco de cara…”

“Se eu fosse o verdadeiro Deus do Mar, não me importaria com isso. No entanto, agora estou atuando como Kalvetua. Tenho que manter a dignidade de um deus da melhor maneira possível.”

“Na época em que Kalvetua estava à beira do colapso, nem sequer transmitiu uma revelação quando tentava urgentemente encontrar Letícia e seus subordinados. Em vez disso, apenas deu ordens aos seus adoradores nos escalões superiores… Posso mudar seus mandamentos como parte da reconstrução de uma imagem, mas não posso parecer de classe baixa… Bem, isso também deveria ser um requisito para uma atuação verdadeira.”

“Seria difícil organizar uma investigação apenas dando uma revelação a Kalat, Edmonton e aos outros. Além disso, eles definitivamente ampliariam a gravidade do problema e causariam uma enorme comoção. Isso só tornaria as coisas mais difíceis de lidar mais tarde.”

“Existe outra solução. Posso lançar o transceptor de rádio acima da névoa cinza e tentar entrar em contato com o espelho mágico, Arrodes. Vou perguntar a ele sobre a localização da ruiva Helene. Eu tenho que ter cuidado com isso. Preciso me preparar com antecedência e confirmar por meio de adivinhação. Não quero receber telegramas estranhos do Verdadeiro Criador ou da Demônia Primordial. Mesmo uma olhada nele provavelmente me deixaria louco.”

Tendo rapidamente tido ideias, Klein embarcou em uma carruagem alugada estacionada na esquina da rua. Danitz apertou o boné e o seguiu de perto.

Retornando à Pousada do Vento Azul, Klein tirou o chapéu e o casaco enquanto dizia a Danitz: — Se a sua capitã entrar em contato com você através de um sonho, peça informações sobre a ruiva Helene.

— Ela provavelmente não sabe. Caso contrário, eu teria conhecido essa Helene. — Danitz sorriu. — Não sei quem está procurando por ela, para estar disposto a pagar mil libras.

Seus pensamentos estavam girando, imaginando uma história de amor semelhante às que o Imperador Roselle havia escrito.

Klein olhou para ele e disse casualmente: — Farei o monitoramento hoje à noite.

— Você? — Danitz saiu de suas fantasias, perguntando-se se tinha ouvido errado.

— Sim. — Klein assentiu.

“Gehrman Sparrow percebeu que estou exausto demais? Embora esse sujeito seja um pouco maluco, ele ainda é uma boa pessoa de coração. Na verdade, decidiu arriscar sua vida para salvar aquelas pessoas quando estávamos no Porto Bansy por razões que não poderiam ser consideradas boas…” Danitz suspirou para si mesmo.

Carregando o transceptor de rádio e suas peças relevantes, Klein entrou no quarto, trancou a porta e jogou-os acima da névoa cinza com um ritual de sacrifício.

Depois de fazer tudo isso, não teve pressa em deixar o imponente palácio. Ele acenou com a mão e o Cetro do Deus do Mar voou da pilha de lixo. Examinou as orações de diferentes pessoas e reuniu experiência sobre como as pessoas tinham múltiplas personalidades.

No processo, ele ocasionalmente respondia, como uma criança que ainda tem grande interesse em um brinquedo novo.

À medida que a exploração de Klein chegava ao fim, ondas de luz começaram a se formar ao redor do assento do Louco.

“Alguém está orando para mim, para o Louco e não para o Deus do Mar…” Klein ergueu as sobrancelhas e emanou sua espiritualidade, examinando a cena dentro da luz ondulante.

Porto Enmat, em uma sala com cortinas fechadas.

Vestido com um clássico manto preto, Ed Sheeran resistiu ao impulso em seu coração e disse à doce e jovem Denise: — O dom de Deus está em nossos corpos, mas se quisermos obtê-lo, devemos ter um professor guia. 

— Sua alma é pura e amada pelos deuses. Eu irei guiá-la pessoalmente. No processo, não importa o que aconteça, você deve confiar em mim e me ouvir.

— Antes disso, você tem alguma dúvida?

Ed Sheeran era um vigarista. Sua especialidade era estabelecer um culto para enganar os outros por dinheiro e sexo. Ele então fugiria decididamente antes que atingisse uma certa escala que chamasse a atenção da polícia.

Desta vez, ele veio de Backlund, disfarçado como um dos Adoradores do Louco que muitos gangsters da capital procuravam. Ele também desenvolveu um grupo de crentes em seu grupo-alvo.

Ele alegou falsamente que O Louco era a encarnação do Senhor das Tempestades e que viria para salvar os fiéis durante o apocalipse. Este era um segredo que não poderia ser amplamente divulgado e só poderia ser divulgado em segredo; caso contrário, atrairia a atenção dos deuses das outras Igrejas. Somente aqueles que fossem escolhidos poderiam acreditar antecipadamente no Louco e ser o primeiro lote perdoados.

Para parecer mais persuasivo, gastou muito dinheiro em Backlund, comprando um pedaço de papel com o nome honroso do O Louco escrito nele.

Quanto ao que estava escrito no papel, seu comentário foi: — Parece que é real.

Denise perguntou com medo e expectativa: — Senhor Adorador, por que não obtivemos resposta quando lemos o nome honroso de Deus? Não somos aqueles abençoados que fomos selecionados e devemos nos banhar na graça de Deus?

“Eu lhe darei imediatamente a graça de Deus…” Ed Sheeran respirou fundo e suprimiu as imagens tentadoras em sua mente.

— Duas razões. Primeiro, você ainda não descobriu a graça de Deus que está escondida em seu corpo. Vou ajudá-la a concluir isso mais tarde.

— Em segundo lugar, você não é devota o suficiente. Não discuta, posso ver através de você.

— Depois de fazer tudo isso, você poderá recitar o nome honroso de Deus e receber uma resposta, assim como eu.

Sob o olhar idolatrado e curioso de Denise, Ed Sheeran pegou uma caneta na mesa ao lado dela e rabiscou uma linha de palavras.

Era a língua de Hermes usada para oferendas de sacrifício.

Para tornar o golpe um sucesso, Ed Sheeran adquiriu muito conhecimento religioso e até foi ao Departamento de História de uma universidade para participar de cursos de arqueologia.

Segurando o papel na frente de Denise, ele recitou com orgulho as palavras que havia escrito em Hermes: — O Louco que não pertence a esta época.

— O misterioso governante acima da névoa cinza.

— O Rei do Amarelo e do Preto que exerce boa sorte.

Depois disso, com os olhos semicerrados e os braços abertos, ele disse sonhadoramente: — Sinto as bênçãos de Deus.

Neste momento, um raio prateado desceu do céu e pousou bem na cabeça de Ed Sheeran.

Com um som crepitante, os minúsculos raios elétricos serpenteando por seu corpo dispararam. Com a bênção de Deus, ele caiu no chão e seu corpo rapidamente carbonizou enquanto seus músculos se contraíam violentamente.

Depois de alguns segundos, ele parou todos os movimentos, inclusive a respiração, enquanto Denise exclamava: — Lorde Ed Sheeran é realmente abençoado por Deus.

Denise finalmente percebeu que algo não estava certo. Deu um passo à frente com cuidado, levantou a saia e se ajoelhou, colocando o dedo na ponta do nariz de Ed Sheeran.

“Ele… ele está morto… Ele está morto!” Denise recuou e caiu no chão, aterrorizada.

Ela começou a chorar e saiu cambaleando da sala, indo para a delegacia de polícia próxima.

No topo da névoa cinza, Klein retraiu silenciosamente o Cetro do Deus do Mar.

“Você realmente se atreveu a usar meu nome para enganar os outros sobre sua riqueza e manchar as mulheres…” O canto de sua boca se contraiu, desejando poder dar outro raio àquele homem chamado Ed Sheeran.

Isso era chamado de mutilação de cadáver.

“A garota provavelmente chamaria a polícia, certo? Esse tipo de caso seria inevitavelmente encaminhado a uma equipe Beyonder correspondente. Eu me pergunto se serão os Falcões Noturnos, os Punidores Mandatários ou a Mente Coletiva da Maquinaria… Depois do que o Sr. A fez, minha reputação como O Louco não é pequena em Backlund. Talvez eu já tenha um dossiê nos órgãos oficiais. Bem, talvez eles juntem tudo e entreguem para os Luvas Vermelhas ou algo semelhante…” A identidade passada de Klein e sua visão como Falcão Noturno permitiram que ele considerasse os possíveis desenvolvimentos futuros.

No entanto, rapidamente deixou esse assunto de lado, porque não importava o que acontecesse, eles não seriam capazes de detectar que era ele.

Klein jogou o Cetro do Deus do Mar de volta na pilha de lixo, pronto para retornar ao mundo real.

De repente, uma das estrelas vermelhas escuras que flutuavam silenciosamente na névoa cinza sem limites acendeu-se de repente, emitindo uma luz tão brilhante quanto a água!

Ela inchou e encolheu repetidamente de uma maneira anormalmente visível.

Esta era uma estrela carmesim que não pertencia a nenhum membro do Clube de Tarô.

“Que dia agitado hoje… Quem poderia ser? Como Srta. Justiça, Sr. Enforcado e Jovem Sol, alguém está contando com um determinado objeto para se conectar com a névoa cinza?” A espiritualidade de Klein se espalhou conforme ele pensava. Ele não respondeu e apenas observou.

  1. no caso, um objeto[]
Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥