Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 33/50


— Groselle!

Frunziar, que estava mais próximo do gigante, correu até Groselle e o pegou. Então, ele lentamente se soltou e se levantou, como se tivesse acabado de ter um sonho confuso.

Siatas se livrou dos braços de Mobet e, ignorando a dor por todo o corpo, correu para o lado de Groselle com a ajuda do vento.

Ela se abaixou e observou cuidadosamente por um momento. Então, cutucou o gigante e gritou histericamente: — Acorde! Acorde!

— É hora de partirmos!

Sua voz suavizou-se em silêncio.

Mobet ficou ao lado, vendo o gigante incapaz de manter seu corpo enquanto oscilava. Finalmente, caiu no chão com um baque surdo.

Ele ficou em silêncio por alguns segundos antes de expirar.

Naquele momento, Anderson e Edwina já haviam corrido até o Snowman. Um usou uma chama, enquanto o outro imitou a luz sagrada para descongelá-lo rapidamente. Como Klein estava por perto, ele chegou diretamente ao lado de Groselle.

Sua visão dos Fios do Corpo Espiritual lhe disse que o gigante estava morto. Apenas seu espírito permaneceu, mas estava começando a se dispersar. Isso tornou seus poderes de Transferência de Danos completamente inúteis.

“A partir do momento em que Groselle acendeu a luz do amanhecer e enfrentou o dragão de gelo em uma segunda batalha, ele deve ter se preparado para a morte…” Klein ficou em silêncio.

Mobet olhou para ele e disse com um sorriso triste: — Para ser franco, não vi muitos gigantes. A maior parte da minha impressão sobre eles veio de livros, professores e pais. Sempre pensei que esta raça era uma criatura cruel e violenta, pouco inteligente e mais próxima dos monstros. Porém, Groselle não era assim. Ele era franco, honesto e otimista. Embora pudesse parecer um tanto bobo, ele sabia melhor do que ninguém o que era certo e errado.

— Ele me disse que isso acontecia porque ele não era um daqueles gigantes antigos. Ele nem era um gigante de segunda ou terceira geração… Os gigantes cruéis e violentos também tinham a capacidade de se reproduzir e dar à luz. Quanto aos seus descendentes, haveria outros mais racionais aparecendo de tempos em tempos. Esses descendentes se reproduziriam e teriam mais descendentes, permitindo que toda a raça gigante escapasse dos limites de serem monstros.

— Hehe, não sei se devo acreditar nele, mas a existência dele provou a possibilidade…

Quando Mobet disse isso, ele fez uma pausa repentina, como se estivesse imerso em suas memórias.

Naquele momento, Edwina e Anderson ajudaram Snowman, cujo corpo ainda estava um pouco rígido, a se aproximar. O asceta lutou enquanto caminhava para o lado de Groselle.

Olhando para o único olho bem fechado, Snowman gesticulou o sinal da cruz em seu peito. Ele semicerrou os olhos enquanto sussurrava uma oração:

— Pai de todas as coisas, a grande fonte de tudo, aqui reside uma alma honesta e pura… Que ele entre no Teu reino e receba a redenção eterna…

Siatas abriu a boca como se quisesse dizer que a fé de Groselle estava no Rei Gigante Aurmir, mas ela finalmente optou por ficar em silêncio. Ela observou em silêncio enquanto Snowman completava a oração.

— Temos que sair o mais rápido possível. Ninguém sabe quanto tempo esta porta permanecerá aberta! A Cantora Élfica disse enquanto examinava os arredores. Sua tristeza e dor a deixaram de temperamento explosivo.

Ela olhou para o gigante e acrescentou com voz pesada: — Não podemos deixar a alma de Groselle se dissipar neste mundo ilusório. Temos que trazê-la de volta à realidade!

— Tudo bem, — Mobet concordou imediatamente. Klein e companhia também não se opuseram.

Edwina virou a cabeça e gritou para a caverna de gelo e neve na montanha.

— Danitz, você pode sair agora.

Naquele momento, os olhos de Siatas se voltaram como se ela tivesse se lembrado de algo. Ela virou a cabeça e disse para Klein: — Você tem papel e caneta?

— Sim. — Klein pegou a caneta-tinteiro e os papeis que trazia consigo. Essa era uma característica profissional de ser um Vidente.

Siatas recebeu e começou a rabiscar. Ela não parou, mesmo quando Danitz saiu correndo da caverna.

Danitz ficou em silêncio. Também estava desanimado, sem a alegria e o entusiasmo que deveria ter com a partida iminente deste mundo do livro.

Finalmente, Siatas parou de escrever e entregou papel e caneta a Klein.

— A fórmula que você queria.

“Não vamos concluir a troca somente depois de sair?” Klein murmurou silenciosamente, perplexo. Ele recebeu a caneta e a fórmula da poção Cantor do Oceano.

Como se sentisse a perplexidade dele, Siatas virou a cabeça e olhou para Groselle. Ela disse com uma voz pesada: — Agora somos companheiros.

“Então você pode me dar a fórmula da poção diretamente?” Klein guardou os itens e assentiu indiscernivelmente.

— Vou te dar a taça de vinho depois que sairmos.

Siatas não respondeu. Em vez disso, ela cutucou Mobet.

— Traga Groselle junto.

Mobet olhou para seu corpo que não era muito musculoso e para suas botas de couro afiadas e curvas. Ele deu um sorriso amargo de desamparo e caminhou até a coxa de Groselle.

Frunziar o seguiu silenciosamente enquanto se abaixava para abraçar o ombro esquerdo do gigante.

Anderson olhou em volta e fez uma careta.

— Todos vocês estão feridos ou fracos. Deixa comigo.

Ele então levantou o outro ombro de Groselle.

Klein estava prestes a ajudar com a outra coxa quando Danitz correu para ocupar o lugar.

Ao ver isso, ele parou no meio do caminho. Então observou Anderson e companhia levantarem Groselle enquanto caminhavam em direção à porta ilusória carregada de neve.

Klein; Edwina; Siatas, que tropeçou ao caminhar; e Snowman seguiu silenciosamente ao lado deles antes de chegarem à saída formada pelo cadáver de Ulisses.

Naquele momento, Klein examinou a área e descobriu que o sangue azul claro que fluía do Rei do Norte havia desaparecido. Era como se nunca tivesse existido.

“Na verdade, é um monstro conjurado que é quase real…” Klein caminhou para trás enquanto observava Edwina dar alguns passos à frente enquanto ela se curvava, colocando as palmas das mãos na porta.

Então, a Contra-Almirante Iceberg exerceu sua força e abriu a porta carregada de neve.

Silenciosamente, todos viram tudo desaparecer depois de se tornar ilusório e depois transparente.

Fileiras de estantes amarelo-acastanhadas apareceram rapidamente diante de seus olhos, junto com o sol amarelo-alaranjado que acabara de se pôr no horizonte e uma escrivaninha com caneta-tinteiro, tinteiro e papel.

Esta era a cabine da Contra-Almirante Iceberg Edwina!

Klein rapidamente viu o meio da mesa. Sobre ela havia um livro pele de cabra marrom-amarelada.

O livro chegou ao fim como resultado de um vento sem forma. Klein e companhia viram então o epílogo.

“Com a ajuda do aventureiro louco e do aventureiro mais forte, Groselle cumpriu sua promessa. Ele liderou seus companheiros e matou o Rei do Norte, mas também acabou dormindo para sempre na Nação do Gelo.”

— Nem deu o nosso final… Siatas, para onde você planeja ir a seguir? — Mobet soltou a coxa de Groselle enquanto virava a cabeça para perguntar à Cantora Élfica.

Os olhos de Siatas pareceram vidrados por alguns segundos antes de ela dizer com firmeza: — Procurar minha raça…

Assim que disse isso, de repente ela viu o cabelo louro de Mobet rapidamente ficar branco. Seu rosto originalmente liso tinha rugas óbvias.

Em apenas um segundo, Mobet estava morrendo de velhice.

O coração de Siatas apertou. Quando estava prestes a avançar, ficou surpresa ao perceber que havia perdido a força nas pernas em algum momento.

Com um baque surdo, ela caiu no chão e percebeu que as costas de suas mãos estavam cobertas de manchas de velhice.

Ela imediatamente entendeu o que estava acontecendo enquanto as lágrimas escorriam imediatamente pelo seu rosto. Ela lutou enquanto tentava rastejar em direção a Mobet.

Mobet também caiu no chão enquanto rastejava em direção a ela enquanto estendia a palma da mão direita.

Siatas estendeu a palma da mão direita e agarrou a mão enrugada e magra.

Eles ergueram a cabeça com grande dificuldade enquanto suas pupilas se refletiam.

Os cantos de suas bocas se curvaram simultaneamente antes de se soltarem fracamente. Suas pálpebras caíram e bloquearam a luz.

Klein, Edwina, Anderson e Danitz não conseguiram reagir a tempo a tais mudanças. Eles não tinham ideia do que poderiam fazer enquanto observavam impotentes o cadáver de Groselle apodrecer rapidamente enquanto sua carne e sangue evaporavam, deixando seu esqueleto e características de Beyonder. Quanto a Mobet, Siatas, Snowman e Frunziar, eles envelheceram em segundos antes de dar o último suspiro e repetir o que quer que tenha acontecido com o cadáver de Groselle.

Suas roupas desapareceram ou viraram pó. Suas almas se dispersaram em velocidades extraordinárias antes de partirem.

— Mesmo aquele que viveu dentro do livro por menos tempo já estava lá há 165 anos… — Edwina murmurou baixinho enquanto virava a cabeça para olhar aqueles ossos que ficavam de frente para o mar e o sol.

Não era outro senão o Paladino da Disciplina Frunziar. Ele estava sentado em uma cadeira voltada para oeste — onde estava Backlund.

Snowman estava sentado de pernas cruzadas de lado. Seu cadáver manteve a postura de oração.

“Isso mesmo. Eles viveram no mundo dos livros durante séculos ou milênios. Com as regras do mundo exterior, como não-semideuses, eles deveriam ter morrido há muito tempo… Eu deveria ter percebido isso… Por que não fui cauteloso com esse ponto? Será que…” Klein de repente se lembrou da influência psicológica sobre Mobet, Groselle e companhia quando começou a ter uma ideia.

Ele mais uma vez olhou para o livro encadernado com pele de cabra. Ele acreditava que havia muitos, muitos mais segredos.

— Esse sujeito é bastante interessante. Ele morreu assim… — Anderson olhou para o cadáver de Mobet enquanto sorria.

Naquele momento, todas as características de Beyonder se condensaram lentamente. Porém, Frunziar não produziu nada parecido com isso. Edwina observou por um momento antes de dizer suavemente: — A poção que ele consumiu era ilusória, assim como a força que obteve. É como aquele dragão de gelo.

“Provavelmente foi conjurado no mundo dos livros. Foi quase real…” Klein suspirou silenciosamente. Ele ficou momentaneamente sem palavras, então tudo que pôde fazer foi manter o silêncio de Gehrman Sparrow.

Nos dez minutos seguintes, ninguém falou na cabine do capitão do Sonho Dourado até que as quatro características de Beyonder tomassem forma.

Uma delas era do tamanho de um punho semelhante a um coração; estava coberta de buracos enquanto brilhava com a luz do amanhecer. Outra parecia uma água-viva; seu exterior translúcido parecia conter água do mar azul-celeste, e dentro dela havia vórtices que eram ocasionalmente agitados por furacões ou relâmpagos prateados enquanto emitiam uma canção fraca e etérea. Outra era um cristal puro e brilhante que exalava santidade. A última era a palma de um bebê com cinco dedos finos e esticados que mudavam de cor devido ao ambiente.

Fuuu, não podemos simplesmente continuar assistindo assim. — Finalmente, Anderson quebrou o silêncio. — Vamos dividir as características de Beyonder.

Assim como os olhos azuis claros de Edwina foram tingidos com pontadas de fogo, o caçador encolheu os ombros e disse com um sorriso irônico: — Acredito que eles terão desejos como este, já que éramos companheiros que lutaram juntos.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥