Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 49/50


Não se sentindo muito exausto, Klein esfregou as têmporas e acenou para uma pequena garrafa metálica da pilha de lixo.

Dentro dela havia um minúsculo tubo de sangue que ele fez um grande esforço para extrair de sua veia, e há muito tempo o trouxe acima da névoa cinza. Estava apenas esperando a oportunidade para usar seu Corpo Espiritual e entrar nas Viagens de Groselle para explorar o mundo dos livros.

Depois de abrir a tampa, Klein não teve pressa em manchar o sangue na capa marrom escura do livro. Em vez disso, convocou todos os itens da pilha de lixo que havia trazido para o espaço misterioso antes da Reunião do Tarô e os espalhou à sua frente.

Considerando como a forma do Imperador das Trevas era muito atraente, e como ele não tinha muita certeza da situação exata no mundo dos livros, Klein decidiu não trazer a Carta da Blasfêmia. Em vez disso, usou o apito de cobre de Azik para fortalecer seu Corpo Espiritual e evitar que não conseguisse retornar acima da névoa cinza antes de ser morto instantaneamente por algum poder desconhecido.

À medida que o antigo e requintado apito de cobre se fundia em seu corpo, o Corpo Espiritual de Klein inchou e tornou-se mais corpóreo.

Duas chamas negras brilharam em suas órbitas oculares como se possuíssem vida própria.

Com a ajuda da Cogitação, ele ajustou sua espiritualidade, convergindo o gelo que provinha do aspecto da Morte dentro de seu corpo. Logo, seus olhos voltaram ao normal.

Era como se um espírito maligno assumisse uma forma comum para atrair a presa para sua proximidade.

Logo depois disso, Klein usou a Fome Rastejante e segurou o Sentença de Morte enquanto escondia a característica de Beyonder do Pesadelo em seu corpo. Este último servia para procurar qualquer anormalidade ao explorar os sonhos das entidades vivas no mundo dos livros.

Depois de completar todos os preparativos, ele derramou algumas gotas de sangue e espalhou-as na capa de Viagens de Groselle.

Após uma breve espera, sua visão ficou embaçada, como se inúmeros objetos translúcidos estivessem escondidos dentro dela. Depois disso, ficou claro — havia céus azuis, nuvens brancas, muralhas da cidade marrom-acinzentadas e transeuntes.

“Esta não é mais a terra de gelo e neve de antes, mas uma cidade que parece muito normal na superfície…” Klein ficou ao lado da estrada de terra enquanto observava os moradores do mundo dos livros. Ele descobriu que a maioria deles usava camisas de linho, um casaco curto marrom e calças largas de cor escura. Seu estilo geral era semelhante ao do Reino Loen séculos atrás.

Ele olhou para o formato do fraque, da camisa engomada e da gravata-borboleta vermelha escura danificada enquanto mudava tudo silenciosamente. Instantaneamente, ele não era diferente das pessoas ao seu redor.

Ele então caminhou até os portões da cidade, preparando-se para entrar.

Naquele momento, um soldado vestido de couro no portão o deteve.

— Taxas de entrada! Um Lidi.

“Pareço rico? Eu nem sei o que é um Lidi…” Klein murmurou interiormente, divertido. Então se comunicou com ele em um nível espiritual, transferindo com sucesso a atenção do soldado para uma caravana mercante atrás dele.

Como um quase-espectro que poderia possuir qualquer um e controlá-lo, exercer uma influência psicológica sobre os outros não era nada extraordinário. Não era uma habilidade particularmente potente, mas era extremamente útil contra pessoas comuns.

Quando Klein entrou na cidade, ele andou pelas ruas de maneira aparentemente relaxada, mas interiormente permaneceu cauteloso. Ele sentiu que a higiene pública era ligeiramente melhor do que Backlund há alguns anos. Parecia ter um sistema de esgoto bem desenvolvido, evitando a situação de despejo de resíduos e lixo.

“Eu não poderia dizer que este é um mundo ilusório dentro de um livro. Todo mundo tem Fios do Corpo Espiritual…” Klein prosseguiu enquanto observava. De repente, notou um prédio de pedra com mais de dez metros de altura ao seu lado. Tinha apenas dois andares e o topo da porta tinha cerca de quatro metros de altura.

Ao lado do prédio havia uma placa. Foi escrito em um idioma completamente diferente de qualquer idioma do mundo exterior, mas Klein entendeu instantaneamente o que significava: — Guilda dos Ferreiros de Pessote.

“Há uma guilda de ferreiros. Este lugar realmente não entrou na Era do Vapor…” No momento em que Klein estava se sentindo comovente, ele viu a porta se abrir e saiu um gigante com quatro membros longos!

A pele do gigante era azul acinzentada e sua cabeça tinha o único olho vertical, uma marca registrada. Em sua mão havia uma marreta enorme e pesada. Ele atravessou a rua com os lábios curvados.

Os humanos que passaram por ele não demonstraram nenhum medo, como se fosse uma visão comum.

Eles até cumprimentaram o gigante.

— Boa tarde, Groselle!

“Groselle…” Klein, que era bastante cego para gigantes, teve suas pupilas contraídas. Só então ele percebeu a familiaridade!

Ele estava prestes a persegui-lo quando descobriu que o gigante havia entrado em outra rua, desaparecendo de sua vista.

Klein ficou parado, observando silenciosamente o cruzamento enquanto fazia alguns palpites.

“Existe outro Groselle no mundo dos livros?”

“Não, o fim das viagens é que Groselle morreu em batalha na Nação do Gelo…”

“Esta é outra história?”

Cheio de todo tipo de perguntas, Klein não tinha pressa em encontrar Groselle. Ele se virou e entrou em um bar ao lado da rua.

Esses lugares costumavam ser os locais com as informações mais confusas e variadas de uma cidade. Isso o ajudou a compreender rapidamente toda a situação.

A iluminação do bar era fraca e a ventilação não era das melhores, fazendo com que o ar parecesse um tanto turvo. Naquele momento, não havia muitos clientes bebendo. A maioria das pessoas estava no balcão do bar, conversando alegremente entre si ou com o barman.

Klein se aproximou lentamente quando seu olhar congelou.

Ele viu um homem usando um chapéu preto pontudo e um casaco assimétrico ao lado do balcão do bar. Ele parecia muito bonito com seu cabelo louro, olhos castanhos profundos, nariz alto e lábios finos. Ele não era outro senão o visconde do Império Solomon, Mobet Zoroast!

Ao vê-lo, Klein relembrou a cena do rápido envelhecimento do Ladrão de Sonhos antes de cair no chão enquanto lutava para rastejar em direção à Cantora Élfica Siatas e agarrar a mão dela.

Tudo isso permaneceu claro como o dia, como se tivesse acontecido ontem; ainda assim, Mobet apareceu mais uma vez diante de seus olhos.

A expressão de Klein ficou pesada quando ele se aproximou e sentou-se ao lado de Mobet.

Ele não disse uma palavra, pois sabia que Mobet era alguém que iniciava uma conversa.

— Forasteiro, primeira vez em Pessote? Juro que nunca te conheci antes. — Mobet largou um copo de licor destilado enquanto virava a cabeça para o lado.

— Eu venho da Nação do Gelo. — Klein inventou uma história aleatoriamente.

Mobet imediatamente riu alto.

— Você é engraçado. Esta é a Nação do Gelo, mas é claro, isso foi há muitos anos.

— Desde que o Rei do Norte foi morto por um bando de aventureiros, não… heróis, este lugar não é mais infestado de gelo e neve. Todos acreditam que deveria ser chamada de Nação de Neverwinter.((a tradução seria: nação de nunca inverno, mas como fica feio, vou deixar em ingles))

Klein ficou em silêncio sem responder.

— Por que tão sério? Parece que você tem seus próprios problemas. — Mobet bateu no balcão de madeira do bar, mostrando sinais de simpatia. Ele tomou um gole de bebida e disse: — Estou lhe dizendo. Os homens absolutamente não deveriam se casar. É o começo do sofrimento! Você sabe? Quando ela fica um pouco nervosa, ela me bate. Quando ela está feliz, ela me bate. O mesmo quando ela está envergonhada ou com raiva! De qualquer forma, ela me bate por qualquer motivo! A partir deste exato momento, decidi não voltar para casa!

“Isso significa que você se casou com Siatas?” Klein ficou em silêncio por dois segundos enquanto avaliava o rosto de Mobet. Ele descobriu que não havia sinais de hematomas e inchaço em seu rosto. Isso significava que a Cantora Élfica sabia que os homens precisavam ter boas aparências.

Ele perguntou com um suspiro: — Então por que você se casou com ela?

Mobet ficou surpreso ao sorrir ironicamente.

— Eu vim aqui com uma caravana mercante. Quando a vi pela primeira vez, ela era simplesmente linda. Seu canto era comovente e parecia esconder uma tristeza indescritível. Heh, estou com tanto medo dela agora quanto estava apaixonado por ela naquela época! Eu definitivamente não voltarei. Ei, por que você parece um pouco triste? Você não precisa ficar triste por mim. Já estou livre!

Naquele momento, a porta do bar se abriu de repente quando uma linda voz feminina gritou.

— Mobet, venha aqui!

— Estou contando a partir de dez. Nunca volte se não voltar para casa!

— Dez, nove…

Mobet imediatamente deu um pulo e correu para a porta. Enquanto corria, ele murmurou: — Eu sei que você não tem paciência. Você sempre pula para dois depois de contar até oito!

Klein virou o corpo e viu a figura de Siatas, mas não tinha mais intenção de se comunicar com ela.

Os verdadeiros Mobet e Siatas já estavam mortos. Os que viviam no mundo dos livros eram apenas dois personagens.

Levantando-se e saindo do bar, Klein chegou a um beco deserto próximo. Ele planejou confirmar o tipo de mundo espiritual que este mundo tinha.

Rapidamente delineou luzes esféricas em sua mente enquanto seus pensamentos gradualmente se esvaziavam e seu corpo e mente ficavam tranquilos.

À medida que sua espiritualidade se espalhava pouco a pouco, várias figuras ilusórias indescritíveis apareceram ao seu redor. No entanto, no alto do céu, faltavam-lhe as sete luzes brilhantes de cores diferentes que continham conhecimento infinito.

“As sete luzes não existem aqui… O número de criaturas do mundo espiritual aqui está faltando… Este lugar é de fato um mundo espiritual falso criado pelo livro…” Klein deu um passo à  frente e descobriu que as cores em sua visão estavam saturadas ao extremo, sobrepostas às diferenças óbvias.

Ele não estava com pressa de explorar o mundo espiritual. Ele saiu e começou a olhar as vitrines de Pessote e conversar com outras pessoas.

Em pouco tempo, encontrou a residência de Groselle.

O gigante tinha uma ferraria. Ele estava tirando uma soneca à tarde em uma cama enorme no segundo andar.

Klein entrou diretamente passando pela parede e chegou ao lado de Groselle.

Ele observou o gigante por alguns segundos e tirou a característica de Beyonder do Pesadelo de seu Corpo Espiritual. Com alguma dificuldade, usou alguns de seus poderes com os quais veio naturalmente equipado.

A escuridão profunda e serena rapidamente se espalhou, envolvendo instantaneamente Klein e Groselle. E em estado de Corpo Espiritual, Klein viu diretamente uma bolha de luz esférica nebulosa e irregular.

Sua espiritualidade imediatamente emanou e tocou a luz esférica.

Todos os tipos de cenas dispersas passaram instantaneamente ao seu redor antes de se fixarem em uma floresta com árvores altas, mas murchas. Do outro lado da floresta havia uma montanha e penhascos íngremes. No topo havia um magnífico palácio.

O palácio era enorme e opulento e não parecia adequado para humanos. Isso lhe deu a impressão de que era um mito, já que a luz do crepúsculo que se espalhava acima parecia congelada.

Klein já tinha visto esse palácio antes. Era a Corte do Rei Gigante que apareceu no mundo dos sonhos do campo de batalha dos deuses!

No entanto, esse ângulo era completamente diferente de antes. Mostrava atrás da corte do rei!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥