Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 50/50


Klein voltou seu olhar para a floresta onde a luz mal conseguia penetrar em sua densidade, tendo obtido uma ideia aproximada de onde estava.

Esta era a Floresta Minguante que Groselle protegia quando estava na Corte do Rei Gigante.

As árvores da floresta tinham dezenas de metros de altura e a espessura das árvores era a envergadura de vários gigantes. No entanto, suas cascas estavam manchadas de sinais de podridão por toda parte. As folhas e galhos estavam quase todos murchados e caindo enquanto se entrelaçavam como uma nuvem escura flutuando no ar.

Groselle e gigantes de aparência semelhante vigiavam os limites da floresta, carregando machados ou espadas, concentrando-se totalmente na defesa da área.

“De acordo com Groselle, esta Floresta Minguante tem os corpos do pai e da mãe do Rei Gigante Aurmir enterrados nela. Além deste deus antigo, ninguém mais tem permissão para entrar, incluindo esses guardas… Sim, os pais do Rei Gigante Aurmir deveriam ser os chamados gigantes originais, o tipo que era o mais louco, o mais cruel e o mais feroz. Talvez… Eh, por que Groselle teria esse sonho?” Enquanto Klein pensava, de repente sentiu algo errado.

De acordo com suas conversas aleatórias em Pessote, o atual Groselle era um gigante nativo que nada tinha a ver com a Corte do Rei Gigante.

Portanto, ter tal sonho fez com que parecesse bastante anormal!

“A partir da teoria dos Alquimistas da Psicologia que a Madame Daly e Srta. Justiça discutiram antes, talvez o mundo dos livros use ou clone o subconsciente do personagem original ou o subconsciente coletivo ao criar um personagem. Então, faria pequenas alterações, fazendo com que a consciência cumprisse as configurações exigidas. Portanto, o sonho de Groselle será influenciado por seu subconsciente, reproduzindo a vida na Corte do Rei Gigante… se for esse o caso, só se pode dizer que este livro é um autor cruel…” No momento em que Klein pensou nisso, de repente ele teve uma ideia. Ele sentiu que esta era uma oportunidade para reunir informações relevantes sobre a Corte do Rei Gigante.

Anteriormente, planejava aprender diretamente sobre esses assuntos através de Groselle. Mas, antes de cumprir sua promessa, o Guardião Gigante morreu na batalha com o Rei do Norte, Ulisses. Depois que seu Corpo Espiritual deixou o mundo dos livros, ele rapidamente se dissipou sem lhe dar qualquer chance de se comunicar. Agora, ele finalmente tinha outro método, que era explorar o sonho de Groselle.

Tinha que haver partes ridículas ou exageradas, mas o conteúdo restante tinha que ser um verdadeiro reflexo da realidade. Desde que seja empregada uma abordagem de estudo cuidadoso, não é impossível distinguir os dois.

“Groselle nunca entrou na Floresta Minguante, então as cenas lá dentro devem ser fruto de sua imaginação. Não há necessidade de explorá-la…” Klein lentamente lançou seu olhar para a montanha onde ficava a corte do rei.

Não era alta, o que significava que a Floresta Minguante ficava em uma montanha bem perto da corte do rei. Provavelmente era apenas um caminho direto de lá até a residência do Deus Antigo.

Klein não perdeu tempo procurando enquanto caminhava direto até Groselle e agia como se o conhecesse bem. Ele perguntou em tom descontraído: — Como devo retornar à corte do rei?

Ele sabia que Groselle era um gigante honesto e seria ainda mais honesto em seu sonho.

Groselle ergueu a mão para coçar a nuca enquanto olhava para baixo com uma expressão confusa. Ele disse com um sorriso: — Não é simplesmente pegar o Túnel Estéril?

Ele apontou para frente e acrescentou: — Você verá quando contornar aquela pedra.

— Obrigado, — Klein suspirou enquanto dizia com uma reverência.

Enquanto observava Klein partir, Groselle coçou a nuca novamente, murmurando para si mesmo, confuso: — Quem é ele? Por que eu o acho tão familiar…

Depois de contornar uma pedra que se projetava da montanha, a cena se abriu diante dos olhos de Klein. Uma caverna gigantesca com pelo menos trinta metros de altura apareceu.

Erguida fora da caverna havia uma estela de pedra. Gravado nela havia um único olho vertical, nariz alto e lábios macios. Parecia que a cabeça de um gigante havia sido espremida para revelar as características faciais frontais.

Assim que Klein se aproximou, a boca da estela se abriu.

— Por que você está voltando para a corte do rei antes do tempo?

— Por ordens de Sua Majestade, — disse Klein em tom sereno. Afinal, o nível de inteligência de todos os seres vivos neste sonho era equivalente ao do dono do sonho… Groselle.

Os lábios da estela abriram e fecharam enquanto soltava um zumbido.

— Por favor, responda a uma pergunta; caso contrário, você não passará.

“… Se ao menos eu trouxesse Arrodes, seria muito divertido ver o que acontece…” Klein satirizou enquanto assentia calmamente.

— OK.

Os lábios da estela fecharam-se por três segundos antes de abrirem.

— Se sua esposa, filha e uma mulher que você cobiça lhe pedissem para julgar qual delas é a mais bonita, quem você escolheria?

“Isso é completamente diferente do estilo do espelho mágico…” Os lábios de Klein tremeram enquanto sua mente corria. Usando quase dez segundos, ele respondeu: — Minha inteligência é insuficiente para determinar este assunto. Vou designar alguém que seja mais inteligente do que eu para dar a resposta.

“Como posso responder a algo que pode me matar?” Ele cerrou os dentes enquanto acrescentava.

— … Quem é essa pessoa mais inteligente? — O rosto do gigante na estela congelou por alguns segundos.

Klein respondeu solenemente: — Claro que é o nosso rei.

A estela ficou chocada além das palavras. Demorou um pouco antes de dizer: — Tudo bem, considerarei isso como se você respondesse à pergunta. Você pode passar.

Klein imediatamente atravessou a estranha estela e entrou na caverna.

O chão da caverna era pavimentado com grandes painéis de pedra que haviam sido desgastados. As laterais e o topo da caverna estavam cheios de murais, contando histórias de gigantes e dragões lutando contra lobos demoníacos, mutantes, diabos e fênix. O estilo de desenho era grosseiro e a escolha da cor era escura. No entanto, foi extremamente vívido.

Klein avançou enquanto observava os murais. Ele descobriu que havia faixas de ervas daninhas secas, bem como todos os tipos de cascalho grosso entre os painéis de pedra e o fundo dos murais.

E a falta de água e o declínio da vida tornaram-se mais evidentes à medida que ele se aventurava no interior.

Depois de caminhar por um período de tempo desconhecido, Klein viu uma enorme porta azul-acinzentada aberta. De cada lado da porta havia um gigante de quatro a cinco metros de altura.

Os gigantes que guardavam este lugar eram diferentes de Groselle e dos outros. Eles usavam armaduras pretas de ferro resistentes e bonitas, e elmos firmes e requintados. Pareciam duas estátuas enormes.

Eles não pararam Klein e permitiram que ele passasse pela porta e entrasse no corredor.

O corredor não era muito espaçoso. As extremidades do corredor podiam ser vistas claramente e provavelmente só caberiam de cinco a seis gigantes.

Enquanto Klein observava o ambiente, ele parou de repente. Então, o corredor pareceu ser puxado por uma mão invisível enquanto subia rapidamente.

Ele cambaleou um pouco antes de encontrar o equilíbrio. Tudo o que viu foram paredes preto-acinzentadas passando enquanto desciam.

Em cerca de dez segundos, houve um baque quando o corredor parou de subir.

Neste momento, não era o túnel da caverna do lado de fora da porta, mas um magnífico palácio sustentado por colunas de pedra.

Klein saiu rapidamente do salão original enquanto avaliava o ambiente com interesse despertado.

“Este é o elevador da Corte do Rei Gigante? Este parece ser o lugar onde moram os guardas. Do lado de fora há uma longa mesa mais alta que os humanos, com cadeiras extremamente grandes. Nos dois lados há quartos e dentro deles há camas bem arrumadas…” Klein passou pelos vários itens no corredor antes de parar em um mural.

O personagem principal do mural era um gigante vestido com uma armadura prateada de corpo inteiro. Como não havia nada para comparar, Klein não conseguiu saber exatamente qual era sua altura.

O gigante estava ao lado de um penhasco, com uma espada na mão apontando diagonalmente para cima. Seu corpo emitia um halo brilhante, como um sol nascente iluminando os arredores.

Muitos gigantes estavam se ajoelhando ao seu redor, como se estivessem orando ou adorando-o e aguardando uma concessão.

“O filho do rei gigante, Deus do Amanhecer, Badheilbrunn?” Klein olhou pensativo para o rosto do personagem principal do mural e viu que seu rosto estava bloqueado por uma máscara. Havia apenas um halo semelhante ao amanhecer saindo de seus olhos.

“É muito semelhante à estátua do Deus do Combate nas ruínas subterrâneas de Backlund. Seu rosto está completamente escondido atrás de uma máscara… Heh, a Rainha Misteriosa disse antes que o Deus do Combate é um gigante que viveu desde os tempos antigos. Portanto, a sede de sua Igreja, o Grande Salão do Crepúsculo, lembrava a Corte do Rei Gigante… Poderia ser o filho do rei gigante? O Deus do Amanhecer escapou da destruição da corte do rei e, em determinado momento, conseguiu retomar a autoridade exercida por Seu pai?” Klein fez um palpite ousado, mas não tinha nenhuma evidência ou pista.

Ele usou o princípio da correspondência para olhar a parede oposta ao mural. Também havia um mural lá, mas o personagem principal não era mais o Deus do Amanhecer, Badheilbrunn. Em vez disso, era uma mulher gigante com colete de couro e saia longa.

Esta mulher gigante ficou de lado. Seus contornos faciais eram suaves e seu único olho vertical estava focado abaixo dela. Cabelos longos e castanhos escuros chegavam até as costas.

Sua mão direita estava estendida enquanto segurava itens como trigo e frutas. Ao seu redor havia campos dourados, lagos cristalinos e árvores cobertas de frutas e cogumelos coloridos.

“Rainha Gigante, Deusa da Colheita, Omebella?” Klein olhou em volta, mas não viu o mural representando o Rei Gigante Aurmir.

“Não há representação do deus antigo porque esta é a residência de guardas distantes? Então, saindo daqui provavelmente será o interior da Corte do Rei Gigante…” Klein caminhou cuidadosamente até a porta. Ele usou o método que empregou no mundo dos sonhos das ruínas do campo de batalha dos deuses, ativando a Fome Rastejante e usando a força de um Zumbi para abrir a porta.

No entanto, não havia nenhum palácio no crepúsculo congelado como imaginou lá fora. Em vez disso, era um mundo cinzento e nebuloso. Parecia ser um penhasco com um poço sem fundo.

“De acordo com a experiência anterior da Srta. Justiça, este é provavelmente o limite do sonho. A única maneira é descer e entrar no subconsciente de Groselle. Finalmente chegarei ao mar do subconsciente coletivo… A Srta. Justiça descobriu um dragão da mente no mar humano do subconsciente coletivo onde ela estava. Então, neste mundo no livro criado pelo Dragão da Imaginação, o que estaria contido no mar do subconsciente coletivo?” A mente de Klein zumbia enquanto ele conjurava uma escada que descia para o mundo nebuloso.

A escada não descia diretamente, mas serpenteava profundamente na névoa cinzenta. O fundo não podia ser visto, nem nenhum dos detalhes do mundo mental que fosse possível discernir.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥