Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 14/50


Sob uma chuva persistente, misturada com a fina neblina, as fileiras de postes de luz se esforçavam ao máximo para brilhar em meio à neblina. A ocasional carruagem puxada por cavalos que descia pelas ruas era uma visão comum à noite em Backlund.

Além disso, Klein notou algumas mudanças gratificantes enquanto estava atrás da janela.

Riing!

Um som nítido ecoou no ar quando um dispositivo mecânico de duas rodas desceu correndo pela lateral da rua até o outro lado da rua. Sua moldura era preta, com algumas partes revelando aço branco-acinzentado. Sob a iluminação dos postes de luz e da chuva, brilhava com a beleza do metal.

Neste dispositivo estava sentado um homem vestido com uniforme de carteiro. Ele continuou pedalando com as pernas, aparentemente usando muita força. Atrás dele havia uma caixa de madeira pintada de verde.

“Foi muito bem promovida…” Klein, de camisa branca, colete preto e aparência madura, suspirou interiormente ao ver essa cena.

Poucas horas depois de regressar a Backlund, notou muitos dispositivos mecânicos semelhantes, e não eram outros senão as bicicletas que ele tinha promovido e nas quais tinha investido!

Pelos jornais, Klein sabia que a Companhia de Bikes de Backlund havia feito muitos anúncios. Até realizou uma competição de bicicleta em burgos como Cherwood e Ponte de Backlund para atrair a atenção de outras pessoas. Além disso, também a promoveram ativamente junto dos departamentos governamentais, como os correios e os departamentos de polícia. Os resultados foram considerados muito bons.

Sua estratégia de preços seguiu a sugestão original de Klein, evitando a classe média-alta, que costumava usar carruagens puxadas por cavalos. Em vez disso, direcionaram o seu público-alvo para aqueles com salários semanais de 1 libra e 10 solis ou mais, como trabalhadores técnicos, estudantes com antecedentes familiares decentes e funcionários administrativos que muitas vezes precisavam de viajar para fora. Portanto, uma bicicleta no valor de 3 a 5 libras era acessível para as pessoas desse grupo demográfico, se elas se arriscassem um pouco. E, ao mesmo tempo, podiam exibi-la às massas que tinham rendimentos inferiores aos deles.

“A questão atual é que em Backlund chove frequentemente. É difícil segurar um guarda-chuva enquanto anda de bicicleta… O próximo passo deve ser uma capa de chuva.” Klein retraiu o olhar, balançou a cabeça e riu.

O lugar onde ele se hospedou era um hotel sofisticado no Burgo Hillston. Custava-lhe 10 solis por noite, o que o fazia sentir-se bastante angustiado. No entanto, para combinar com sua personalidade, tudo o que pôde fazer era aguentar.

Seu personagem, Dwayne Dantès, acreditava na Deusa da Noite Eterna e era um magnata misterioso que veio da Baía de Desi. Ele havia vendido suas terras e minas originais, planejando buscar novas oportunidades em Backlund. Ele tinha um certo interesse em obter um título aristocrático, mas não possuía riqueza abundante para tal. Ele teve que primeiro expandir seu círculo social e começar a fazer alguns investimentos.

Os benefícios dessa identidade eram que ela era claramente diferente dos personagens com os quais Klein havia atuado anteriormente. Isso lhe permitiu interagir muito naturalmente com pessoas da classe média-alta, especialmente membros do clube de oficiais militares e os bispos da diocese de Backlund da Igreja da Deusa da Noite Eterna. Tornou conveniente para Klein continuar suas investigações sobre a Grande Poluição de Backlund enquanto reunia informações antes de fazer planos detalhados para roubar o caderno da família Antigonus.

Também havia desvantagens óbvias. Um magnata tão misterioso definitivamente chamaria a atenção dos Falcões Noturnos e dos Punidores Mandatários, então havia um certo nível de verificações de antecedentes que ele teria que passar.

De acordo com a experiência de Klein, tal investigação seria feita pelas organizações de Beyonder oficiais sob a premissa de que nada de importante havia acontecido. Também poderia ser entregue ao departamento de polícia, mas em resumo, não seria feito muito esforço, pois seria considerado uma verificação de rotina.

Portanto, Klein, considerado um grande especialista em disfarces, preparou uma segunda camada para sua identidade como Dwayne Dantès para seus projetos, para poder lidar com a inspeção de antecedentes.

Esta segunda camada de sua identidade era que Dwayne Dantès era uma pessoa que se aventurou em Balam Leste e Oeste no Continente Sul por algum motivo particular. Ele usou um apelido e passou mais de dez anos naquela terra bastante perigosa e cheia de oportunidades para acumular uma grande riqueza.

Como a origem de sua riqueza não era exagerada, ele retornou secretamente para a Baía de Desi e forjou uma nova identidade. Ele planejava começar uma nova vida em Backlund e legalizar gradualmente sua riqueza.

Não era raro ver pessoas assim em Loen. Suas histórias eram aceitáveis ​​e imagináveis ​​para uma investigação. Para esta camada de identidade, Klein deixou algumas pistas imperceptíveis na Cidade de Conant para revelar indiretamente a verdade.

Essas pistas incluíam, mas não se limitavam, aos registros de suas passagens de Balam Leste para a Cidade de Conant, hábitos resultantes de viver no continente sul por longos períodos de tempo, bem como sua riqueza de origens desconhecidas.

Klein acreditava que, desde que Dwayne Dantès não se envolvesse em nenhum assunto sério de Beyonder, preparativos como esse seriam suficientes para enganar a maioria das inspeções rotineiras de antecedentes.

E se ele encontrou um Beyonder oficial extremamente dedicado que investigou tudo e estava até disposto a buscar a ajuda de colegas do Continente Sul, então Dwayne Dantès tinha uma terceira camada de identidade. É que ele era um Trapaceiro que tinha medidas anti-adivinhação até certo ponto. Ele se disfarçou de magnata misterioso e gastou grandes quantias de dinheiro em investimentos para esse golpe final.

Essa identidade foi suficiente para prender Dwayne Dantès, mas o nível de atenção dispensado a ele não seria muito grande. Isso permitiu que Klein saísse do palco sem muitos problemas.

“Comparada à minha primeira vez em Backlund, a criação de uma identidade de três camadas mostra como eu realmente amadureci significativamente…” Klein caminhou lentamente até o meio da sala enquanto olhava para um espelho de corpo inteiro no canto.

Seu reflexo tinha cabelos pretos e alguns fios de cabelos grisalhos. Seus olhos eram profundos, mas suas experiências deixaram marcas indeléveis em seu rosto. Ele era um homem encantador de meia-idade com uma postura madura.

O planejamento da identidade de Dwayne Dantès não foi difícil para o atual Klein. No entanto, roubar o caderno da família Antigonus atrás do Portão Chanis da Catedral do Santo Samuel era praticamente uma tarefa impossível para qualquer Beyonder externo. Mesmo um Rei dos Anjos não poderia garantir o sucesso.

É claro que, diferentemente de outros Beyonders, Klein tinha duas vantagens. Primeiro, ele já foi um Falcão Noturno. Tinha um bom entendimento dos procedimentos internos que seguiam e sabia quais assuntos poderia explorar. Portanto, a primeira solução que ele eliminou foi se tornar um Falcão Noturno específico, infiltrar-se e encontrar uma chance de passar pelo Portão Chanis.

Havia um problema nisso. Os Falcões Noturnos não eram capazes de entrar aleatoriamente no Portão Chanis, mesmo para os capitães e diáconos. Algo tinha que acontecer primeiro, antes de receberem a autoridade correspondente. Além disso, o Portão Chanis tinha seus Guardiões lá dentro. Entrar ou pegar coisas aleatoriamente resultaria em um ataque contra ele, causando o início de uma batalha. Klein não queria que seu roubo resultasse em mortes ou ferimentos aos membros da Igreja da Deusa.

Após uma consideração cuidadosa, ele voltou sua atenção para os Guardiões.

Esses anciões eram Falcões Noturnos aposentados que se ofereceram para entrar no Portão Chanis. Eles estavam encarregados de vigiar os Artefatos Selados e eram de um departamento diferente dos Falcões Noturnos. Entravam e saíam usando a passagem subterrânea através da catedral e nunca interferiam no trabalho dos Falcões Noturnos, nem seriam perturbados pelos Falcões Noturnos.

Talvez como resultado de permanecer atrás do Portão Chanis por longos períodos de tempo, todos esses Guardiões tinham certas características. Eles tinham auras frias e expressões inexpressivas. A pele deles era pálida e pareciam monstros da escuridão profunda que estavam na fronteira da vida e da morte. Klein acreditava que não seria difícil para ele localizar seu alvo caso encontrasse um.

Seu plano inicial era alugar uma casa no Burgo Norte, perto da Catedral do Santo Samuel. Ele contrataria um mordomo, um criado, uma criada, um jardineiro, um chef e um motorista de carruagem para ter uma aparência de magnata. Depois, iria à catedral para rezar piedosamente, participar da missa, doar dinheiro e se familiarizar com os bispos e padres.

Durante esse processo, trabalharia duro para encontrar Guardiões suspeitos. Ele escolheria dois ou três alvos e observaria seus hábitos. Quando surgisse a oportunidade, aprisionaria um deles, mudaria para sua aparência ou o possuiria diretamente, passaria pelo Portão Chanis e tentaria folhear ou levar embora o caderno da família Antigonus.

Este era um plano muito rudimentar que era apenas uma linha de pensamento. Precisava ser aperfeiçoado de acordo com a informação que Klein iria adquirir lentamente.

Nesse sentido, a segunda vantagem de Klein era o Clube do Tarô. Ele tinha assistentes nos quais a Igreja da Deusa da Noite Eterna e os Falcões Noturnos nunca pensariam. Além disso, ele poderia considerar estender o recrutamento de um Falcão Noturno ou Guardião da diocese de Backlund para a Reunião de Tarô. Ele poderia então completar o roubo através deste traidor, assim como o Imperador Roselle foi usado para obter o caderno da família Antigonus por Zaratul.

“Tenho que ir frequentemente à catedral. Somente fazendo isso poderei encontrar um alvo…” Klein encarou o espelho enquanto assentia silenciosamente.

Era preciso dizer que ele se sentia em conflito. Se um verdadeiro Falcão Noturno ou Guardião traísse a Igreja para servir ao Sr. Louco, seu primeiro pensamento seria desencadear o castigo divino para se livrar desse traidor desprezível!

Depois de expirar, deu uma risada autodepreciativa. Vestiu a sobrecasaca trespassada e o chapéu, saiu da sala e foi para a rua.

Com um guarda-chuva, ele circulou até outra rua. Aproveitando o distante poste de luz e a garoa, de repente voltou a ser Sherlock Moriarty.

Olhando para suas calças amassadas, Klein parou uma carruagem e planejou ir para a casa de Isengard Stanton no Burgo Hillston.

Meia hora depois, o edifício um tanto antigo e escuro apareceu diante dos olhos de Klein.

Ele pagou 2 solis pela viagem enquanto caminhava com firmeza em torno das poças em meio à garoa que refratava a luz amarelada do crepúsculo antes de chegar à porta do famoso detetive.

Guardando o guarda-chuva, estendeu a mão para tocar a campainha e esperou um momento antes de ver um homem de rosto largo abrir a porta.

O homem tinha cabelos cor de malte, olhos azul-acinzentados e maçãs do rosto salientes. Ele tinha traços de alguém de Lenburg ou Masin.

“O novo assistente do Sr. Isengard Stanton? Alguém da Igreja do Deus do Conhecimento e da Sabedoria?” Klein tirou o chapéu e disse com um sorriso: — Boa noite, o Sr. Isengard Stanton está em casa?

— Sim. Ele acabou de jantar depois de um dia agitado de trabalho, — respondeu o rapaz cor de malte educadamente. — Posso saber quem você é?

Klein riu e disse: — Diga ao bom detetive que um amigo dele voltou das férias.

O jovem ficou surpreso ao deixar escapar: — Sr. Sherlock Moriarty?

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥