Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 15/50


“Você realmente me conhece? Isso significa que o Sr. Isengard Stanton frequentemente me menciona como amigo, ou significa que a Igreja do Deus do Conhecimento e da Sabedoria sabe que eu estava envolvido na Grande Poluição de Backlund?” Klein sorriu enquanto assentia de maneira imperturbável.

— Sim, sou Sherlock Moriarty.

O rapaz de olhos azuis acinzentados gesticulou calorosamente para que ele entrasse.

— Sr. Stanton esteve preocupado com você esse tempo todo. Ele estava com medo de que você encontrasse problemas. Ele agora pode estar em paz.

Klein entregou-lhe o guarda-chuva enquanto tirava o chapéu e o casaco ao entrar. Nesse momento, Isengard Stanton, que havia pressentido algo, largou os papéis e o cachimbo e saiu da cadeira reclinável para dar uma olhada.

— Oh, meu Deus, Sherlock, você finalmente voltou. Já faz tanto tempo, meu amigo. — O magro Isengard com as laterais acinzentadas revelou um sorriso ao se aproximar com braços acolhedores na tentativa de lhe dar um abraço de saudação.

Klein não estava acostumado com esse costume, então se forçou a retribuir e sorrir.

— Sr. Stanton, isso não é algo que um crente da Sabedoria faria.

Os bispos e sacerdotes do Deus do Conhecimento e da Sabedoria tinham orgulho e raramente davam abraços de saudação.

Mas, na verdade, com exceção do grosseiro Império Feysac e do liberal Reino Intis, tal forma de etiqueta era rara em outros países e regiões. Isso só aconteceu entre amigos muito familiares.

Isengard deu dois passos para trás e riu.

— Não, Sherlock. Nunca somos mesquinhos com respeito e simpatia para com amigos inteligentes.

— No meu coração, você é um dos cinco melhores detetives de Backlund.

“Eu gosto disso!” Klein sorriu interiormente enquanto respondia em tom de brincadeira: — Então você é um dos três melhores detetives?

Ser elogiado como tendo a verdadeira sabedoria por um crente de Sequência 7 do Deus do Conhecimento e da Sabedoria era realmente encantador.

— Desejo que você compartilhe os mesmos pensamentos que eu, — respondeu Isengard com habilidade e gentileza. Depois, convidou-o para a sala e para o sofá.

Ele se recostou em uma cadeira reclinável e pegou seu cachimbo. Com uma respiração profunda, ele exalou.

— Estou muito feliz que nada de ruim aconteceu com você. Você parece especialmente bem, tanto no corpo quanto na mente.

— Como foi? Baía de Desi foi divertida?

Klein já havia preparado uma desculpa enquanto sorria calmamente.

— Na verdade, não fui para a Baía de Desi. Acabei indo para Constant. Heh heh, eu já estava envolvido em alguns problemas em Backlund, então só consegui encontrar um lugar para me esconder.

Sherlock Moriarty era um cavalheiro de Midseashire com um leve sotaque. Foi uma escolha muito normal retornar à sua cidade natal depois de causar problemas. Constant era a capital de Midseashire.

— Eu sei, — respondeu Isengard pesadamente.

Ele não perguntou sobre o problema em que Sherlock havia se envolvido. Em vez disso, disse com um sorriso: — Em suma, bem-vindo de volta a Backlund. Venha até mim se precisar de ajuda.

Klein não fez cerimônia quando disse imediatamente: — O objetivo da minha visita foi primeiro porque já faz um tempo desde a última vez que nos encontramos e, segundo, desejo que você possa vender minhas ações na Companhia de Bikes de Backlund no meu em nome. Heh heh, todos os documentos estão em ordem e não há necessidade de realizar nenhum outro procedimento.

Para agir como um magnata misterioso e retribuir a Srta. Mensageira com as 10.000 moedas de ouro, ele não apenas planejou vender itens que pouco lhe servia, mas também planejou abrir mão dos últimos 10% de suas ações no Companhia de Bikes de Backlund. Afinal, Sherlock Moriarty não conseguiu aparecer de forma legítima por um longo período de tempo.

— Você realmente vai vender? — Isengard acariciou seu cachimbo e disse: — Embora nunca tenha sido empresário, posso dizer que a bike é um produto de grande valor e que pode ser promovida em larga escala. O seu futuro comercial é como o sol recém-nascido e ainda não atingiu os seus limites. Você estará perdendo muito dinheiro vendendo-o agora.

— É por isso que um comprador estará muito disposto a aumentar significativamente o preço por causa desse valor esperado. — Klein riu. — Acredito que as pessoas que podem avaliar o valor da bike e o seu futuro não são minoria. E Framis e Leppard não estão definitivamente dispostos a reduzir qualquer parte das suas participações nesta fase. Não deveria haver problema em vender minhas ações de 10% pelo dobro ou triplo do preço normal. Isengard, o preço das ações não tem a ver com o presente, mas com o seu futuro.

“Ilustrar uma história atraente para o comprador e investidor e imaginar um futuro lindo é muito necessário! É claro que o valor e o futuro da bike não exigem informações adicionais de minha parte. Qualquer pessoa com algum senso de negócios pode dizer. O único problema está na produção de borracha…” Klein acrescentou silenciosamente internamente.

— O preço das ações não tem a ver com o presente, mas com o seu futuro… — Isengard repetiu suavemente as palavras de Klein e, depois de um momento, suspirou sinceramente. — Sherlock, talvez você devesse se envolver no mundo dos negócios. No entanto, sempre haverá muitos acidentes presentes.

— Ousar correr riscos equivale ao cavalheirismo nos negócios. Bem, admito que recentemente precisei urgentemente de grandes somas de dinheiro, — respondeu Klein com um sorriso.

Isengard pegou seu cachimbo enquanto o chupava satisfatoriamente.

— Você me convenceu.

— Vou contratar especialmente um advogado e um contador para confirmar o valor de mercado da Companhia de Bikes de Backlund. Em seguida, acrescentarei uma estimativa dos lucros esperados e venderei esses 10% seus. As taxas e impostos correspondentes serão deduzidos do valor recebido.

— Oh… Como devo entrar em contato com você? Parece que o seu contrato de aluguel da casa na Rua Minsk expirou.

Klein obviamente não exporia sua identidade atual. Ele disse, tendo se preparado para isso: — Você pode postar notícias no Notícias de Tussock, no Tribunal DIário de Backlund e em outros jornais sobre a venda das ações para que mais pessoas saibam. Somente quando houver concorrência haverá melhores negociações de preços. Quando for vendido, você poderá publicar um aviso para indicar que o negócio foi fechado e que novas consultas não serão atendidas.

— E quando eu ver esse aviso, irei visitá-lo.

Isengard não era estranho quando se tratava de comunicar anúncios publicados nos jornais. Ele assentiu e disse: — Sem problemas. Claro, todas as despesas serão deduzidas do valor final recebido.

Com seu objetivo principal alcançado, Klein levantou-se e estendeu a mão.

— Obrigado pela sua ajuda, Isengard.

— Eu preciso sair. Podemos conversar no futuro.

Isengard não o segurou e o acompanhou direto para fora da porta.

Klein circulou até uma rua próxima e pegou uma carruagem até o Bar dos Corajosos enquanto admirava a vista noturna do Bar dos Corajosos sob a garoa.

Ele planejava restabelecer todos os canais de notícias e recursos que Sherlock Moriarty costumava ter!

Depois de entrar no bar barulhento, ele não se dirigiu ao balcão para pedir cerveja e fazer perguntas. Em vez disso, circulou ao redor do ringue de boxe, preparando-se para sair, para poder esperar que a Srta. Sharron aparecesse na carruagem do lado de fora.

Neste momento, a porta de uma sala de bilhar se abriu. Ian, com um casaco velho, saiu com jornais nas mãos.

Seus olhos vermelhos fizeram uma varredura superficial quando de repente ele notou uma figura familiar. Ele abriu a boca, mas não disse seu nome. Ele cumprimentou com agradável surpresa: — Boa noite, senhor. Há algo em que eu possa ajudá-lo?

— Por enquanto não. Só estou aqui para visitar um velho amigo. Klein sorriu calorosamente.

Enquanto falava, ele percebeu que o papel nas mãos de Ian era Notícias do Mar. Nele havia uma manchete impressionante: “Chocante! Aventureiro louco virou fugitivo!”

“Aventureiro louco…” Klein intuitivamente acreditava que não tinha nada a ver com ele.

Ian percebeu seu olhar e ergueu os jornais com um sorriso.

— Este é um dos raros relatórios atualizados do Notícias do Mar porque as recompensas já apareceram em vários lugares.

— O aventureiro maluco, Gehrman Sparrow, conspirou para prejudicar a Cidade da Generosidade e foi comprovado que ele é membro de um culto. Neste incidente, graças à Igreja das Tempestades e aos militares, ninguém de Bayam ficou ferido. Mas o Almirante de Sangue Senor, que estava envolvido no assunto, desapareceu como resultado. Suspeita-se que ele tenha sido morto por Gehrman Sparrow.

— Adivinhe quanta recompensa eles estão oferecendo por Gehrman Sparrow.

— 50.000 libras!

— Excedeu o do Almirante de Sangue e quase alcançou o do Almirante Infernal!

“50.000 libras…” O coração de Klein agitou-se.

Ele acalmou as palpitações em seu coração ao responder com um sorriso: — Infelizmente, poucas pessoas podem reivindicar tal recompensa.

Ele apontou para a entrada do bar e disse: — Voltarei procurá-lo quando tiver tempo.

— Tudo bem. — Ian não perguntou mais nada ao mencionar de passagem: — O Sr. White da Igreja da Colheita é seu amigo?

“Aquele sujeito, Emlyn, finalmente está disposto a sair de casa? Para aqueles crentes da Lua Primordial?” Klein assentiu.

— Isso mesmo.

Depois de dizer isso, ele se espremeu no meio da multidão e abriu a porta para sair do Bar dos Corajosos.

Depois de entrar em uma carruagem alugada, Klein olhou para fora, aguardando a aparição da Srta. Sharron.

Claro, ele não tinha certeza de que ela estava aqui. Meses se passaram, então era bem possível que esta mulher e Maric tivessem mudado de área de atuação.

Silenciosamente, a percepção espiritual de Klein foi acionada quando ele se virou para olhar pela janela. No vidro que refletia a visão noturna, uma jovem com chapéu preto e vestido preto de estilo gótico aparecia claramente.

Virando a cabeça, Klein viu a Srta. Sharron sentada à sua frente. Seu cabelo loiro claro, olhos azuis e expressão pálida não pareciam diferentes de antes.

— Boa noite. — Klein, que não precisava mais atuar como Gehrman Sparrow, cumprimentou primeiro.

Sharron levantou-se um pouco e fez uma reverência.

Percebendo que ela poderia ter lido Notícias do Mar, ele foi momentaneamente incapaz de encontrar um assunto para conversa fiada. Ele limpou a garganta e disse diretamente: — Eu matei o Senor.

— OK. — Sharron assentiu levemente, indicando que ela estava ciente.

Klein sorriu enquanto continuava: — Se Maric ainda precisar da característica de Beyonder de um Espectro, ele pode esperar e preparar o dinheiro necessário. Assim que encontrar um substituto, venderei Senor para ele.

Sharron não perguntou o que significava substituto, mas respondeu: — Depois de ver essa notícia, ele estava aguardando seu retorno.

— Muito bom. — Klein riu. Ele estendeu a mão para o colarinho, tirou um colar de prata e disse: — O item da sorte de Senor. Você deveria saber disso, certo?

Sharron respondeu laconicamente enquanto esperava Klein continuar.

— Pretendo vender isto ou o Frasco de Veneno Biológico. Você ou pessoas do seu círculo estariam interessados? — Klein tomou a iniciativa de perguntar.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥