Selecione o tipo de erro abaixo

Combo 38/50


“Alguém se infiltrou aqui?” Klein não se sentou imediatamente. Tudo o que fez foi virar o corpo para o lado e colocar a palma da mão esquerda sob o travesseiro. Ele secretamente segurou o Sentença de Morte e, ao mesmo tempo, abriu lentamente a mão esquerda, preparando-se para ativar a Fome Rastejante.

Depois de saber que era difícil encontrar comida para a Fome Rastejante em Backlund, ele se infiltrou nas prisões da Cidade de Conant, na Baía de Desi, encontrou um preso no corredor da morte e confirmou que não houve nenhum erro no julgamento antes de alimentá-lo à luva.

“A Escola de Pensamento Rosa se concentrou em mim? Não, é impossível para eles serem tão rápidos. Além disso, se fossem eles, não viriam apenas, mas esperariam por uma oportunidade. Eles aproveitarão a oportunidade quando eu estiver passando por um local isolado e atacarão para não alarmar as organizações oficiais de Backlund… Doei muito dinheiro na Missa da Lua, fazendo com que os criminosos me atacassem? Hmm, um magnata generoso que acabou de chegar a Backlund vindo de uma terra estrangeira é realmente um alvo fácil… Claro, não posso descartar as investigações de rotina dos Falcões Noturnos…” Enquanto pensamentos passavam por sua mente, Klein ouviu um ruído suave vindo da varanda da sala contígua entreaberta.

Logo depois disso, ouviu-se o som de uma fechadura girando quando a janela do chão ao teto foi aberta quase silenciosamente.

Klein ouviu atentamente e sentiu os passos passarem pela sala entreaberta e chegarem ao corredor.

Após uma pausa, os passos caminharam em direção ao quarto principal antes de passar por ele, girando a maçaneta do quarto de seu valete.

“Ele entrou no quarto errado? Ou será que ele está aqui para encontrar Richardson?” O coração de Klein agitou-se quando ele soltou o Sentença de Morte. Então estendeu a mão para a cigarreira de ferro que não estava muito longe.

Depois que ele removeu a parede da espiritualidade, uma figura ilusória com um casaco vermelho escuro e um velho chapéu triangular apareceu ao lado dele. Em seguida, entrou no espelho de corpo inteiro.

Quando Senor, o Espectro marionete, saltou para a janela de vidro do quarto de Richardson, ele viu uma figura com pele amarelo-alaranjada, cabelo preto como um corvo e traços faciais suaves sair da sala. Quanto a Richardson, ele estava sentado em silêncio na beira da cama, com o corpo inclinado para a frente. Suas costas estavam curvadas como se ele estivesse fundido na escuridão.

O horror coloriu seu rosto enquanto ele mostrava uma expressão fraca e perplexa. Finalmente, ele ficou em silêncio.

“A pessoa realmente está aqui por Richardson… Seus traços lembram os de alguém do Continente Sul… Ele é ágil e habilidoso. Ele provavelmente não é uma pessoa comum… Este é um amigo que Richardson conheceu na mansão no Continente Sul, ou poderia ser um parente materno? Richardson é apenas um valete com um salário anual de 35 libras. Que assunto precisaria de sua ajuda?” Klein adivinhou enquanto usava a visão de Senor para observar.

Naquele momento, ele de repente percebeu por que Richardson era bom em observação e muitas vezes ficava na varanda para avaliar qualquer pedestre.

Ele estava com medo de ser encontrado!

“Espero que não seja um problema muito grande e não afete meus planos… Mais tarde adivinharei o assunto… Se Richardson não conseguir resolver o problema, terei que encontrar uma desculpa para encerrar seus serviços…” Vendo seu valete dormir de novo, Klein puxou sua marionete.

Enquanto isso, Leonard Mitchell, que morava na Rua Pinster nº 7, mais uma vez entrou na Backlund imersa em neblina.

Ele já havia questionado o repórter do Observador Diário, Mike Joseph, e recebeu a notícia de que Sherlock Moriarty não se envolveu proativamente no assunto de Lanevus. Em vez disso, participou de uma discussão após ser contratado. Isso fez com que qualquer suspeita em relação a ele diminuísse drasticamente.

Se não fosse porque esse detetive estava levemente envolvido no caso de Capim, e como ele tinha um relacionamento próximo com Emlyn White da Igreja da Colheita, Leonard Mitchell teria pensado em desistir da investigação para continuar sua busca por Ince Zangwill.

Como Sherlock Moriarty não tinha muitos amigos no Clube Quelaag, um deles morreu no assunto envolvendo o Príncipe Edessak enquanto o outro era o Repórter Mike Joseph; portanto, Leonard só tinha um alvo: Dr. Aaron Ceres.

“Pelos dossiês, esse médico já esteve envolvido em um assunto Beyonder do caminho do Monstro… Depois que o item foi trocado, ele parou de ter azar ou ter pesadelos. Sua vida voltou aos trilhos… Heh, a maioria das pessoas que Sherlock Moriarty conhece estão envolvidas em assuntos Beyonder. Este detetive com certeza não é uma pessoa comum…” Quando Leonard pensou, tocou a campainha no sonho de Aaron Ceres.

Ao entrar no sonho, ele casualmente encontrou um sofá para sentar e disse ao Dr. Aaron que estava à sua frente: — Conte-me em detalhes como você conheceu Sherlock Moriarty.

No sonho, Aaron não mentiu. Ele começou contando como a Sra. Mary apresentou Sherlock Moriarty ao Clube Quelaag e como ele foi um dos recomendadores. Ele continuou até que o detetive sugeriu que ele informasse o bispo da Igreja da Deusa da Noite Eterna sobre seus assuntos anormais.

“A verdade está descrita nos dossiês. Sherlock Moriarty parece bastante amigável com as organizações Beyonder oficiais, e ele foi endossado por Isengard Stanton…” Leonard olhou para o bigodudo Sherlock que o Dr. Aaron conjurou e retraiu seu olhar enquanto ouvia atentamente.

Depois que Aaron terminou de contar tudo em detalhes, ele disse: — Ele foi passar férias no sul e não voltou. Fiquei preocupado com ele esse tempo todo.

— No entanto, ele é um detetive cheio de sabedoria e um coração bondoso. Acredito que nada de ruim acontecerá com ele. Eu só desejo que ele possa participar da celebração do nascimento do meu filho.

“Talvez…” Leonard suspeitava que Sherlock Moriarty nunca mais retornaria a Backlund.

Ele então se despediu educadamente e saiu do sonho do Dr. Aaron.

Depois de dar alguns passos à frente, subconscientemente olhou para trás e viu que dentro da casa com jardim, luzes esféricas borradas que representavam diferentes sonhos preenchiam todo o espaço. Tudo estava bem.

“Foi um erro da minha parte? Continuo sentindo como se algo em mim estivesse mudando…” Leonard murmurou enquanto se virava para voar para a Rua Pinster.

Todos os lugares que ele podia ver estavam cobertos por uma névoa densa. As lâmpadas da rua eram sombrias e pálidas.

De repente, Leonard parou de voar ao olhar para um prédio.

Naquela casa, havia cerca de cinco luzes esféricas flutuando em silêncio, fazendo com que parecesse diferente dos outros edifícios.

No entanto, a percepção espiritual de Leonard lhe disse que aparentemente havia uma mancha preta na casa que poderia absorver toda a luz.

Além disso, descobriu que não reconhecia a rua em que estava.

Ele se sentiu alarmado, suspeitando que se tivesse visto algo que não deveria ver. Ele rapidamente retraiu o olhar enquanto se preparava para sair e seguir para sua residência.

Naquele momento, o prédio que parecia comum soou com uma voz provocadora:

— Por que você não entra para tomar uma xícara de chá?

Pensamentos surgiram na mente de Leonard enquanto ele voava em alta velocidade sem sequer pensar.

Em sua percepção espiritual, as casas com terraço que revestiam os fundos, o jardim e os pequenos edifícios cresciam em tamanho à medida que as janelas e portas se transformavam em bocas que o mordiam!

Os postes de luz pretos próximos se estendiam em altura, fazendo com que os arredores parecessem uma floresta de aço que pareceu deter Leonard.

Leonard não parou nem voltou atrás. Ele sentiu um arrepio nas costas quando se tornou mais óbvio e profundo!

Seu corpo enrijeceu lentamente como se estivesse sendo agarrado por inúmeras mãos invisíveis.

Assim que sentiu que não aguentaria mais, viu uma casa familiar onde havia uma janela e luzes familiares.

Ele prendeu a respiração, mergulhou abruptamente e voltou do sonho!

Ufa…  Ele acordou de repente e se viu encharcado de suor frio.

— Velho, o que eu realmente encontrei? — Leonard retraiu as pernas da beirada da mesa e perguntou com uma sensação de medo persistente.

A voz um pouco envelhecida em sua mente respondeu depois de alguns segundos, — Não tenho certeza.

A pálpebra de Leonard caiu imediatamente, pois ele não deu continuidade ao assunto.

Ele então olhou pela janela e viu luzes por toda parte no céu noturno de Backlund. Era tranquilo.

Rua Böklund, nº 160. Dentro da mansão de Dwayne Dantès.

— Senhor, Madame Wahana Heisen está aqui, — Richardson entrou na sala e disse a Klein.

Klein largou os papéis e ergueu os olhos, olhando para o valete. Descobriu que ainda era um homem apreensivo, de poucas palavras, silencioso e reservado. Não havia nada de estranho com ele.

“Se não fosse porque o resultado da adivinhação foi bom… Demitir repentinamente um funcionário gerará suspeitas…” Klein murmurou silenciosamente. Ele se levantou como se nada tivesse acontecido e pediu a Richardson que o ajudasse a vestir o casaco.

Quinze minutos depois, ele abraçava sua professora de etiqueta, Wahana Heisen, enquanto começava a aprender outra dança comum usada em eventos sociais.

— Sinto como se fosse perder meu emprego em alguns dias. — Depois de um tempo, Wahana elogiou Dwayne Dantès pelo seu progresso. Quando terminou, ela acrescentou: — No entanto, você ainda está um pouco contido. Embora você não precise agir como os homens Intis que se apegam às mulheres, você não precisa manter distância constantemente. É muito normal fazer contato ocasional. A maneira como você está se comportando agora faz você parecer rígido e chato.

Klein puxou-a um pouco e respondeu com um sorriso: — Eu estava com medo de ser rude.

“Isso significa que estar muito próximo de mulheres é um ato de grosseria? Isso também implica que sou cheia de charme e que ele pode ficar envergonhado se estiver muito perto? Esta é uma forma bastante eufemística de elogio…” Wahana pensou e disse com um sorriso: — Você aprendeu bem.

A dança continuou enquanto Klein olhava para o rosto de Wahana Heisen enquanto perguntava calorosamente de maneira casual: — Madame, você parece frustrada?

Wahana abaixou a cabeça e riu.

— Não é nada sério. Meu marido é empresário e recentemente teve alguns pequenos conflitos com algumas pessoas. Podemos resolver o assunto.

— Oh, sua pergunta foi muito direta. Antes de ambas as partes estabelecerem uma amizade, é melhor não perguntar sobre seus assuntos, a menos que ela tenha deixado isso óbvio.

“Comparado a você que vai e vem nas famílias da alta sociedade; portanto, conhecendo muitas mulheres, como um magnata que acabou de chegar em Backlund, não tenho as conexões sociais necessárias…” Klein assentiu gentilmente e disse com um sorriso: — Achei que não éramos mais estranhos.

Ele então pulou o assunto e começou a falar sobre suas próprias experiências e de seus vizinhos. Wahana mencionaria algumas coisas em resposta, permitindo que Klein compreendesse melhor as características e preferências de seus vizinhos.

Depois que Wahana saiu, Klein ficou na porta por algum tempo antes de se virar para dizer ao mordomo: — Walter, descubra que problemas a Madame Wahana está enfrentando. Se ela não conseguir resolver o problema, forneceremos assistência oportuna.

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥