Selecione o tipo de erro abaixo

Plague Doctor – Volume 1 – Capítulo: 100 – Folhas


>> Tradutor: Metal_Oppa <<


Xue Ba entregou os objetos embrulhados em um pano limpo para Gu-Jun. “É isso. Cinco deles parecem ser pedaços de papel pergaminho. Eles têm caracteres estrangeiros neles.”

Gu-Jun os aceitou e desembrulhou o pano com cuidado. Eles revelaram uma pequena pilha de papel amarelado. O papel era da civilização estrangeira. Eles foram feitos do mesmo material que as páginas de referência de Landon e o diário de Raybundy. Pareciam pergaminhos, mas não eram. Seu polegar esfregou suavemente o papel. Parecia estranho sob seu toque. Parecia que ele havia entrado em contato com algo familiar de seu passado. Como quando ele estava segurando o bisturi Carlot, ele tinha certeza de que essas coisas vinham da civilização estrangeira.

O bisturi foi ‘supostamente’ encontrado enterrado atrás da parede de pedra. Em seguida, ele foi mantido dentro da bolsa de primeiros socorros que o enfermeiro da equipe carregava consigo. Quando Gu-Jun estava lançando o feitiço, apenas Xue Ba estava consciente o suficiente para perceber que Gu-Jun parecia estar segurando o bisturi enquanto o fazia. Com relação a isso, a explicação de Gu-Jun foi que ele havia acionado alguma memória subconsciente através do contato com o bisturi, e isso o ajudou a quebrar a prisão do feitiço.

“Você consegue entender o que está escrito aqui?” – Xue Ba perguntou. “Mas pare imediatamente se sentir algum desconforto, senão vou receber uma bronca do tio Dan de novo.”

Xue Ba foi encurralado. Não que ele não estivesse preocupado com a segurança de Gu-Jun, mas se a saída ainda não fosse encontrada, todos os Caça-Demônios morreriam.

“Esses símbolos são encantamentos para feitiços?” – Lin Mo espreitou o caminho com interesse. Parecia que toda a coletânea de conhecimentos o interessava muito. As outras pessoas ainda estavam ocupadas vasculhando todo o campo de batalha. Lou Xiaoning, que ainda estava sob supervisão medica, só conseguiu ficar de lado entediada enquanto ela observava tio Dan e Zhang Huohuo conduzirem a autópsia.

“Provavelmente não…” – Gu-Jun folheou a primeira página e chegou a essa conclusão. “Eles parecem conter informações sobre as figueiras.”

Os pergaminhos eram extremamente antigos. As palavras eram legíveis embora embaçadas. Ficou claro que não foi escrito pelo povo do Seita da Pós-Vida, então a questão era como eles caíram em suas mãos. Atualmente, Gu-Jun tinha um vocabulário de mais de 1.500 termos estrangeiros. Isso foi o suficiente para ele compreender o conteúdo dos pergaminhos. Portanto, ele se agachou, leu e traduziu na hora para o português.

Os papeis continham frases descontínuas, pareciam mais um registro de viagem. Não parecia haver uma conexão clara entre cada frase, mas todas se referiam à mesma coisa. Uma corrente profunda de caos e fanatismo pode ser lida nas entrelinhas. O escritor deve ter entrado num estado bastante instável quando escreveu isto.

「Existem apenas figueiras-de-gralha e pedras nesta cidade, mas o que eu esperava? A cidade é famosa pelas árvores, especialmente a do centro da cidade.」 – O termo ‘Figueira-de-Gralha’ era naturalmente uma tradução liberal. Gu-Jun acreditava que eles realmente se referiam às árvores gigantes com os galhos retorcidos ao redor do santuário, mas para os seres humanos, ‘Figueira-de-Gralha’ seria a tradução mais próxima.

Depois de ouvir a primeira frase, Lin Mo não pôde deixar de fazer uma pergunta. “A cidade em questão poderia se referir ao espaço anormal cercado por altos muros? A Figueira-de-Gralha no centro da cidade é o tronco daquela árvore morta?”

“Temo que sim.” – Gu-Jun acenou com a cabeça com contemplação.

Xue Ba voltou-se para dar um sermão para Lin Mo. “Por favor, não interrompa até que Jun termine de ler.”

Gu-Jun continuou a leitura em voz alta.

「O caminho de pedra está coberto de sangue. Eles sangraram por quatro dias e ainda estão sangrando.」

「Será que a árvore tossirá? A árvore irá sangrar?」

「Percebo que no solo consagrado da Deusa da Vida, a montanha de carcaças derreteu para formar uma nova forma de vida.」

「O santuário foi destruído. Os cidadãos que foram os primeiros a escapar e bloquear a saída não conseguiram escapar da morte.」

「Muitos personagens famosos da Academia Carlot realizaram sua cerimônia de maioridade aqui. Riker sempre foi um berço para gênios médicos.」

“Academia Carlot?” – Desta vez, foi Xue Ba quem não seguiu seu próprio conselho porque se lembrou de outra coisa. “Você não disse que o bisturi tem a marca de Carlot?”

“Sim, eles deveriam apontar para a mesma coisa…” – Gu-Jun franziu a testa. Os papeis descreviam claramente uma tragédia horrível, mas faltava arrependimento ou tristeza no tom. Quanto mais ele lia, mais inquieto ficava.

「Além de ser a capital, Riker é famosa por seus estudos medicinais. Todos dizem que a Deusa da Vida abençoou este lugar.」

「As pessoas sempre valorizaram as pedras de Riker, mas e a Figueira-de-Gralha?」

「Por que as pessoas não podiam gostar das figueiras?」

「Uma espécie de doença relacionada às figueiras, uma nova forma de vida como as criadas a partir da montanha de carcaças, que soa maravilhoso. Tenho certeza de que será lindo.」

「Deve ser interessante criar a doença aqui.」

「Um novo tipo de forma de vida.」

「”Haverá dor? O nascimento da vida não pode ser separado da dor.」

Neste ponto, Gu-Jun parou, seu rosto empalideceu. ‘Criar a doença’. Xue Ba ficou tenso e Lin Mo colocou os óculos. Seus rostos estavam abatidos.

A Peste da Figueira Deformada foi criada por alguém.

Descobrir uma doença não era algo novo. Ao longo da história humana, as civilizações usaram doenças para derrubar seus inimigos. Na era moderna, a guerra bioquímica era o melhor exemplo. Mas… como alguém criou uma doença tão estranha como a Peste da Figueira Deformada, e quem foi o criador?

Gu-Jun tinha uma hipótese em seu coração porque já tinha visto a ilusão das pessoas adorando a Figueira-de-Gralha. Seu coração apertou e ele continuou a ler.

「Se o passado decadente não desaparecer, o novo capítulo não chegará.」

「A doença trará mudanças porque a mudança levará à vitalidade.」

「Há muitas figueiras grandes ao redor do santuário. Elas existem há várias dezenas de milhares de anos. É hora de mudar.」

「As pessoas dizem que a doença é ruim. Como podem ser tolas? Só abrindo os olhos é que se vê a verdade.」

「Nascimento, velhice, doença, morte – o ciclo da vida. Se alguém não aceitar a doença, nunca entenderá a verdade da vida.」

「Os seres humanos consomem outras vidas para crescer, então outras vidas também podem consumir seres humanos para crescer. Isso é justo.」

Enquanto Gu-Jun lia as frases, suas veias estavam pulsando com calafrios. Ele sentia um tom de familiaridade falando com ele no meio dessas palavras. Para tornar as coisas ainda mais confusas… de certa forma, ele podia ver o raciocínio por trás dessas afirmações.

「A semente da doença foi espalhada. Vou sentar-me dentro da Figueira-de-Gralha para admirar os resultados.」

「Arranque seus galhos para substituí-los pelos galhos e folhas da Figueira-de-Gralha.」

「Essas figueiras podem permitir que mundos diferentes testemunhem a mesma luz.」

「A doença é uma espécie de salvação, a morte é um conceito banal.」

「Apenas a dor pode levar à criação, apenas a ruína pode levar a ascensão.」

「Eles criaram luz.」

「Eu criei a luz.」

Gu-Jun viu a assinatura no final da página e seu rosto empalideceu ainda mais. Ele deveria ter esperado isso. As pessoas da Seita da Pós-Vida adoraram a Figueira-de-Gralha, o colocaram dentro do buraco da árvore e espalharam a Doença da Figueira Deformada, tudo isso para invocar o demônio.

Gu-Jun pressionou as mãos contra a cabeça pulsante. Ele se lembrou da primeira vez que viu aquelas estranhas mutações da Figueira-de-Gralha humana dentro do estádio. O brilho cegou seu mundo como um raio. A beleza grotesca, como uma pintura complexa…

‘Uma forma de vida que pode se tornar seu próprio ecossistema vivo, uma grande torre construída sobre uma ruína… É essa a luz mencionada no papel?’

“Gu-Jun? Gu-Jun?” – Vendo o estado em que estava, Xue Ba perguntou rapidamente: “Você está bem?”

“Capitão, é melhor trazermos o tio Dan aqui” – disse Lin Mo com urgência.

Gu-Jun olhou para as árvores grandes e sinistras ao seu redor, e elas o encararam sem vida de volta. Ele se virou para olhar as assinaturas nas várias páginas.

「Filho da Desgraça.」

Olá, eu sou o Urso!

Olá, eu sou o Urso!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥