Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 213: Sendo Esperto


Tradutora: Pam pam


Quando percebeu que o telefone foi desligado na sua cara, Gu Jun suspirou resignado. No fim das contas, ele havia falhado…

Ao se virar, viu outros clientes, Malaquita e o resto do grupo que ainda estavam apontando para a televisão, e em um canto afastado da loja estava Kathlyn, mexendo no celular.

Ela precisava ligar tanto para a sua família quanto para a do Tom, afinal de contas, os dois estavam desaparecidos há mais de 10 dias, era necessário avisar que ambos estavam bem e pedir para cancelarem as buscas.

“O que devo fazer?”

Gu Jun estava prestes a largar o telefone quando algo veio à sua mente.

“Espera, ela se lembrou de mim naquela hora, e vividamente. Não havia motivos para Yu de mente suja trazer algo como um filme de terror clichê do nada, especialmente em uma situação dessas.”

Havia duas possibilidades. Primeiro, não era nada demais e aquilo veio a sua mente por nenhum motivo em particular, o que não fazia muito sentido já que seu treinamento foi há muito tempo e a conversa sobre filmes de terror foi só um dos vários tópicos que discutiram naquela época… era muito conveniente para ser verdade. A outra opção era a sua conexão ESP!

“Foi porque a chamei pelo nome internamente e isso a fez lembrar da nossa conversa?”

O coração de Gu Jun bateu feito louco com tal possibilidade. Ele olhou ao redor. O lugar era agitado e barulhento, isso deve ter afetado sua conexão, e enfraquecido seu efeito.

— Kathlyn! — chamou ao vê-la encerrar a ligação. — Leve-nos para a pousada mais próxima, de preferência um lugar tranquilo.

Além de contatar Wu Siyu, ele também precisava lidar com Malaquita e os outros. O plano era hipnotizar cada um deles e trazer de volta suas personalidades originais.

— Ok! — respondeu.

Ela também precisava descansar após a longa caminhada pelo deserto. Antes de sair, a garota foi pegar um pouco de comida no balcão da lanchonete, pediu  latas de coca-cola, uma para cada um deles.

— Pessoal, bebam! Tenho certeza que vocês vão gostar disso. — exclamou feliz. 

Ela colocou o canudinho na lata e tomou um grande gole. Instantaneamente, Pavão suspirou:

— Ah! Isso é…

Malaquita, Gold, Esotérico e Aquamarine que estavam mais receosos tomaram uma quantidade menor. Golden quase cuspiu o que acabadou de beber, Aquamarine fez uma careta e Esotérico não conseguia parar de tossir. Essa coisa era ainda mais pungente que o vinho de centeio de Dylath-Leen. Não era picante, mas com certeza quem a bebesse teria uma experiência única.

— Aqui chamamos isso de coca-cola. — Gu Jun bebeu um gole. — Bem-vindos a era de ouro. 

Ele costumava tomar uma garrafa inteira após cada cirurgia. Mas, quando sentiu o sabor adocicado em sua língua novamente, fez com que essas memórias parecessem tão distantes, como se tivesse sido em outra vida. 

Eles saíram da loja de conveniência e foram até a pousada mais próxima dali, já que um carro Ford não comporta 6 pessoas e 1 pedra.

A cidade era um lugar bem simples, mas por ser a parada entre o interior e o litoral, havia algumas lojas e hotéis para turistas.

Quando passaram por uma butique, Kathlyn entrou na loja rapidamente com seu cartão de crédito em mãos, a fim de comprar para todos um conjunto de roupas casuais e confortáveis. Quando eles chegaram ao hotel de 2 andares, foi também ela que lidou com tudo. Seguindo as instruções do Homem Pesadelo, ela pediu 2 quartos, 1 pequeno e 1 grande. Se registrando em ambos com seu cartão.

Felizmente, não era uma época com muito turismo para que a mulher idosa na recepção não pedisse mais informações e documentos, só precisavam fazer o mínimo de barulho possível.

O som da água caindo vinha do banheiro. A água quente e limpa chorava do chuveiro, levando a sujeira do seu corpo para longe.

Gu Jun presenteou a si mesmo com um bom banho. O nível de sua corrupção mental estava acima de 24,68% —- as missões que fez secretamente alguns dias atrás, reduziram apenas 0,1%. — Apesar de tudo, ele ainda se sentiu mais revigorado após o banho. As videiras ao redor de suas pernas haviam murchado, deixando para trás apenas algumas cicatrizes superficiais. No entanto, todo o seu corpo e rosto estavam cobertos de cicatrizes vermelho-arroxeadas…

Quando viu seu próprio reflexo no espelho, Gu Jun ficou assustado. O homem que o encarava de volta não era ele, ao menos, não parecia ser. Quanto mais o observava, mais ansioso ficava…

“Vou ficar assim por quanto tempo? Existe alguma forma de eu conseguir me recuperar?”

Por mais ansioso que estivesse agora, Gu Jun precisava lidar com coisas mais importantes para resolver.

Ele experimentou as roupas que haviam comprado naquela loja, uma camiseta de mangas compridas e calças cáqui, usou um elástico para amarrar seu cabelo em um rabo de cavalo, e saiu do banheiro. 

Kathlyn e o resto do grupo estavam no quarto. Os viajantes da terra tinham visto o homem pesadelo em pessoa antes, mas esta foi a primeira vez que Kathlyn o viu sem máscara e, obviamente, isso a afetou bastante.

— Sinto muito… — ela rapidamente balançou a cabeça e se desculpou. — É só que… eu não  estava esperando por isso.

— Tudo bem. — sorriu Gu Jun. — Eu costumava ser um cara bastante atraente, então estou acostumado com as pessoas me encarando, mas acho que agora vai ser por outra razão.

Ele deixou Kathlyn cuidando dos outros enquanto ia para o quarto menor, que não tinha um banheiro anexo. Depois de entrar naquele lugar humilde e que tinha um piso de madeira, Gu Jun sentou-se na cadeira perto da cama. Havia um velho telefone fixo preto em cima da cômoda. 

O jovem médico ficou lá, tentando se lembrar de seu momento telepático nas Terras Oníricas e na voz de Wu Siyu quando estava semi-consciente, até que algo veio à sua mente.

— Yu de mente suja, espero que receba a mensagem dessa vez. — disse em voz alta ao pegar o telefone. 

Ele fez a mesma ligação de antes… Com um clique, a chamada foi conectada. 

— Alô? — disse a voz preguiçosa do outro lado da linha, o tom era o mesmo de antes.

Gu Jun ficou em silêncio, mas naquele momento ele fechou seus olhos e tentou formar uma conexão mental. Internamente, ele gritou:

“… Wu Siyu, Yu de mente suja, Tamarine! Eu, Gu Jun, não estou morto. Eu voltei!”

Isso durou cerca de 10 segundos até que ouviu-se um bocejo do outro lado da linha. 

— Quem é? Tem alguém aí?

Gu Jun começou a respirar com mais força para mostrar que havia alguém do outro lado da linha. Ele murmurou silenciosamente:

“Gu Jun, Gu Jun, Gu Jun, Gu Jun…”

— Pervertido, é você? — disse Wu Siyu bocejando de novo. — Bem, fique à vontade, é você que está ligando de todo jeito. Então a conta de telefone que vier depois é toda sua.

Ele estava ficando desesperado, dava para ouvir o som da televisão ao fundo e o de alguém comendo salgadinho. Esta jovem tinha claramente colocado o telefone de lado, enquanto voltava a assistir o seu C-drama… De acordo com a lenda, ela teria morrido enquanto dormia, foi por ter entrado nas nas Terras Oníricas como os viajantes da Terra achavam, ou poderia ser algo mais mundano, algo como o nível de colesterol alto devido à obesidade?

“Como é possível ela ter tanto tempo livre?”, então algo veio a sua mente, “A não ser que… tenha feito transferência para o departamento recreativo”.

Foi então que ouviu um som de um arroto. Gu Jun ainda estava tentando chamá-la, mas não funcionou. Até que algo chamou sua atenção, a televisão. Talvez a chave não fosse ela ouvi-lo, mas vê-lo. Afinal de contas, eles atingiram 100% de precisão no Experimento Ganzfeld. 

“Eu devia ter usado imagens desde o início. Esse método é bem mais eficiente.”

Ele ainda continuou com o telefone conectado enquanto pegava o de Tom e pesquisou por fotos de sal.

“Minha conexão mental com Yu de mente suja deve ser forte o suficiente, ainda devem ter alguns traços da nossa telepatia na gente, essa distância não será um problema!” 

Gu Jun se concentrou naquela imagem no celular e assim como fez várias vezes no treinamento de Ganzfeld, enviou a foto. Após 10 segundos, de repente, Wu Siyu disse:

— Hmm… Que gosto é esse…sal?

“Funcionou!”

Exclamou internamente, mas rapidamente suprimiu suas emoções. Afinal de contas, ele não podia ficar distraído.  

Gu Jun repetiu o mesmo processo, só que dessa vez enviou a foto de um bisturi. 

— Jun de mente suja?

Olá, eu sou o Urso!

Olá, eu sou o Urso!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥