Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 219: Os Efeitos Milagrosos do Selo Antigo


Tradutora: Pam pam


As cortinas do pequeno palco se fecharam, anunciando o fim do doce sonho. A figura de Wu Siyu foi ficando cada vez mais vaga, até voltar a ser uma simples sombra. Ela levantou-se do seu assento roboticamente e se dirigiu até a saída. Após sair, a porta do teatro se fechou e a consciência de Gu Jun também foi embora.

Ao entrar no seu espaço interno, o rapaz percebeu que a bolha de sonhos em que estava havia mudado, ela não era mais uma esfera colorida, mas havia se transformado em uma nuvem de algodão-doce. Ele percebeu que a bolha havia crescido e ficado mais forte graças ao poder mental de Yu.

“O sonho se tornou dela, e agora pode ser usado várias vezes. Isso é…ótimo!”

°°°°

Gu Jun abriu os olhos e guardou o telefone, ele ainda estava dentro daquele pequeno quarto de hotel. Haviam se passado 20 minutos, semelhante a quanto tempo se passou dentro do sonho.

Os 20 minutos de conexão ESP não fizeram Gu Jun se sentir mentalmente exausto, não era atoa que se chamava doce sonho. Ele imediatamente clicou naquela nuvem de algodão-doce, em uma tentativa de falar com Wu Siyu novamente, não aconteceu nada. Foi então que percebeu que talvez não tenha dado certo porque não havia força ESP suficiente e a conexão deles não era tão forte. Isso seria compensado no futuro, provavelmente, quando a nuvem ficasse mais forte. Em todo caso, a boa notícia era que agora ele poderia se comunicar com Wu Siyu sem correr o risco de ser rastreado.

Ainda havia duas bolhas de sonhos, ele deve conseguir entrar em contato com mais duas pessoas usando o mesmo método. No entanto, é bem provável que não seja tão fácil quanto foi com a Yu de mente suja. Ambos tinham feito treinamento ESP juntos, então o vínculo deles com certeza era mais forte. Mesmo assim, essas bolhas eram ferramentas valiosas. 

“Será que devo entrar em contato com o velho Tong? Mas, como seria o doce sonho daquele velho? Ganhar na loteria?”

Gu Jun ficou um bom tempo pensando nisso, até voltar a sua atenção para os sete livros criptográficos de Hasan.

“Qual será a origem do poder dessa coisa? O deus da terra? Ou será que é algum outro tipo de poder sombrio…a mudança de personalidade não deve ser uma coisa boa.”

Gu Jun teve um bom pressentimento a respeito daquele livro porque não pertencia ao culto R’lyeh, nem ao culto da vida após a morte, além de ter algum vínculo com aquela antiga civilização, mas agora ele não tinha mais tanta certeza. Felizmente, outros cultivadores como o grupo de Atal e Pavão pareciam bem. Por mais estranhos que sejam, eles ao menos não haviam sucumbido à escuridão. Na verdade, aquele estranho grupo parecia estar inclinado para o lado da luz mais do que as pessoas normais, e eles eram totalmente devotados à sua tribo.

Tendo muitas perguntas esperando para serem respondidas, Gu Jun voltou para outro quarto. Pavão/Kathlyn e os outros estavam esperando por ele, alguns estavam de pé, outros sentados.

— Pavão, eu tenho algumas dúvidas.

Gu Jun perguntou sobre os sete livros criptográficos de Hasan e se eles tinham algum dos sintomas da síndrome causada pelo livro. Afinal, o que é essa coisa? Ele não perguntou a Pavão e Malaquita sobre isso durante sua jornada por Ulthar e pela Cidade da Centelha porque estava com medo de ficar preso nas Terras Oníricas.

Os cinco se entreolharam, algumas dessas informações eram supostamente para ser confidenciais mas, agora eles tinham uma nova missão…

No fim das contas, eles decidiram contar tudo o que sabiam e Kathlyn era a tradutora, mesmo que não tivesse ideia do que essas pessoas estavam falando. Gu Jun obteve a resposta que queria, nenhum deles tinha preferência pela cor amarela, ninguém da tribo teve sua personalidade alterada e não sofreram nenhum distúrbio psicológico.

“Por que? Eles possuem a mesma fonte de poder, então por que isso está acontecendo? O conteúdo do livro é diferente de alguma forma?”

°°°°

— Quando você chegar ao final do terceiro capítulo, você entrará em contato com a fonte do poder do livro. — disse Pavão. — É como…um poder que pode conectar alguém com o céu e a terra…os Professores realizaram um ritual em torno das estátuas dos Heróis Phecda. O Selo Phecda ajudará a manter nossa mente estável enquanto tentamos concluir o quarto capítulo.

A saudade na voz de Pavão era perceptível e acabou deixando Gold, Malaquita e os outros cabisbaixos.

— O que quer dizer?

Gu Jun franziu o cenho, ele havia notado que talvez esse ritual seja a solução, e o tão famoso “Selo Phecda” deve ser o selo antigo.

—  Hum… — murmurou Pavão tentando explicar. — A terra nutre tudo, tanto coisas positivas quanto negativas, ela não sabe distinguir entre os dois. Por isso, qualquer poder que venha da terra também possui as mesmas características. Cabe ao conjurador saber enxergar o que é bom e o que é mal. No entanto, ao entrarmos em contato com a energia “negativa” emitida pela fonte de poder, somos terrivelmente afetados. O Selo Phecda nos abençoa nesses momentos e nos protege, temporariamente, de sermos corrompidos por essa energia. O selo impede o ataque da energia maligna por um tempo, ou seja, à medida que avançamos para o quarto capítulo.

Gu Jun entendeu imediatamente. Pavão estava orgulhosa enquanto falava sobre como o Selo Phecda era uma bênção, ela não estava falando no sentido figurado, mas literalmente. O que Atal havia lhe dito naquele dia veio a sua mente também: 

— Barzai, o sábio, costumava acreditar que o selo contém algum tipo de poder que o ajudará a ascender mais que os deuses…

Além disso, se não lhe falha a memória, Barzai havia concluído os sete livros criptográficos de  Hasan e os Manuscritos Pnakóticos. Mas, será que o que Atal disse estava mesmo certo? Realmente não há qualquer ligação entre as duas obras? Tinha que haver alguma razão para aquele velho maluco acreditar que poderia superar os deuses através de sua inteligência e força de vontade. Gu Jun olhou para o grupo de pavão e depois para a velha rocha sobre o sofá. Não, ele agora tinha quase certeza, havia alguma conexão entre os escritos…

Atal disse que os Manuscritos Pnakóticos não era um livro de feitiços, o que foi confirmado quando Gu Jun o folheou algumas horas atrás. Na verdade, ele sentiu que o que tinha naqueles papéis eram técnicas para lutar contra feitiços através da lógica humana, que de acordo com Pavão servia para “afastar todo o mal”. Talvez Barzai tenha descoberto uma forma de usar os manuscritos sem ser afetado pela síndrome dos sete livros de Hasan… deve ser por isso que aquele cara é tão arrogante.

As duas obras possuem diferentes fontes de poder. No entanto, isso acidentalmente contribuiu para que ambos tivessem naturezas opostas mas, ao mesmo tempo complementares.

— Esse Selo Phecda… — disse Gu Jun. —  Como é que vocês usam?

— Há um ritual e… — Pavão hesitou. — E… um feitiço é entoado em voz alta. O selo é usado para ajudar a mente sombria.

“Mente sombria?”, ele refletiu e então arregalou os olhos ao perceber. “Isso deve ser outro nome para corrupção mental.”

— Sr. Homem Pesadelo, eu estou dizendo a verdade. — disse Pavão rapidamente.

Todos na sala ficaram angustiados ao verem o olhar de Gu Jun.

— Então… você poderia fazer uma demonstração, não é mesmo? — insistiu sem rodeios. — Obrigado.

Pavão não se atreveu a perder tempo. Ela colocou a mão sobre o selo e disse: 

— Você só precisa pressioná-lo dessa forma. Use seu poder mental para sentir o selo e o desenhe em sua mente. A limpeza é dolorosa, mas provou ser eficaz. No entanto, o senhor precisa saber que já não temos tanta certeza de nada agora.

Gu Jun nunca havia entrado em contato com aquela pedra antes, mas sempre que estava perto dela, sentia um forte sentimento de repulsa. Ele ponderou se Pavão havia percebido.

— Sim. — disse Pavão orgulhosa. — Porque a justiça do Herói Phecda repele a energia maligna dentro de nós.

— Então vou tentar.

Gu Jun levantou-se e foi se sentar ao lado da pedra. Gold e Aquamarine rapidamente se levantaram.

Atualmente, sua taxa de corrupção mental era de 24,68% e logo as missões do sistema seriam atualizadas à meia-noite. Como se isso fosse um gatilho em sua mente, ele abriu o guia do sistema e aceitou a missão abissal.


>>>> MISSÃO ABISSAL! <<<<

Objetivo: Eliminar 10% da taxa de corrupção em uma semana

Recompensa: Desconhecida


“Aceitar missão!”

— Sr. Homem Pesadelo, segundo as regras da nossa tribo, uma pessoa só pode aceitar a limpeza uma vez a cada 3 dias e o ritual precisará da ajuda de outras pessoas. O número de pessoas varia dependendo da situação — Pavão explicou ansiosa. — Sr. Homem Pesadelo, a limpeza da mente corrompida é algo muito perigoso. Não há estátuas do Herói Phecda por aqui e sem a proteção do nosso herói, não temos certeza do que vai acontecer.

— Eu sou o herói Phecda. — disse Gu Jun pressionando sua mão sobre o selo antigo e fechou os olhos enquanto desenhava o selo em sua mente…

De repente, ele sentiu uma forte dor de cabeça. A dor crescia, latejava e o consumia gradualmente.

Olá, eu sou o Urso!

Olá, eu sou o Urso!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥