Selecione o tipo de erro abaixo

“Que legal, será porque ainda é adolescente?”

A carta longa pode ser resumida assim:

[Querida Lady Floyen,

Hoje está um dia bem quente e ensolarado. Desde que ouvi que a bela e elegante Lady Floyen aceitou meu convite, tenho estado de bom humor desde então.

Também adorei receber uma carta tão linda e cuidadosamente decorada.

Estou ansiosa pelo meu aniversário para te ver, Senhorita!

Ah, e se Lady Floyen concordar, adoraria que me chamasse simplesmente de “Rose” quando nos encontrarmos. No entanto, se minhas palavras te deixaram desconfortável, me perdoe com teu coração cheio de graça.

Estou ansiosa pelo dia em que nos encontraremos.

Atenciosamente, Rose]

Rose me escreveu quase três páginas de elogios e descreveu, com muitos detalhes, como seria magnífica sua próxima festa.

“Ao ver como ela escreveu sobre suas expectativas com tanta franqueza, não há dúvida de que ela espera algo de mim.”

Deixei escapar um suspiro e guardei cuidadosamente a carta antes de me virar para Marilyn.

— Por favor, se prepare para sair, preciso ir ao centro.

— Perdão? Havia algo que você precisava? Se nos der a ordem, podemos chamar e trazer um comerciante aqui, minha Senhorita.

— Não, é porque quero ir e escolher algo pessoalmente.

Embora Marilyn continuasse me olhando com curiosidade, fui teimosa.

“Rose certamente ficará desapontada se eu conseguir algo sem pensar muito, então mesmo que seja irritante, terei que ir escolher algo por conta própria.”

Nem éramos tão próximas, então a intenção por trás de seus elogios exagerados era clara.

“Provavelmente ela quer que eu traga um presente especial.”

Devido à minha condição como filha de um Duque, não era estranho as pessoas terem certas expectativas de mim. É apenas que essas expectativas eram um pouco pesadas.

Saí de casa enquanto refletia sobre que tipo de presente seria apropriado.

A alta sociedade voltou a fofocar com os últimos boatos sobre a Juvelian.

— Oh, não é uma notícia chocante que essa arrogante Lady Floyen não tenha ignorado um convite dessa vez?

— Sim, é bastante fascinante… com exceção da Família Imperial, nunca antes aceitou um convite de ninguém.

— A filha do Conde Arlo me pareceu bastante normal, me pergunto que tipo de charme ela tem que fez Lady Floyen agir assim.

— Sem mencionar que muitas mulheres começaram a decorar suas cartas com flores prensadas e fitas.

— Me pergunto se Lady Floyen sabe que foi ela quem começou essa tendência.

Um jovem, que ouvia em silêncio as conversas entre as mulheres, se virou e saiu.

“Lady Arlo, não é?”

Ao sair do salão de banquetes, ele rapidamente entrou em uma carruagem que o esperava.

— Vá para casa.

O lugar onde a carruagem chegou não era outro senão a propriedade do Marquês Hessen.

— Ele chegou, milorde?

Em vez de responder, o jovem tirou o casaco e entregou ao servo. O servo baixou rapidamente a cabeça e pegou o casaco.

— Deixe o mordomo saber…

Houve um momento de silêncio, talvez de hesitação, mas uma voz firme continuou falando sobre a cabeça abaixada do servo.

— Que irei à festa da Lady Arlo.

— Sim, jovem mestre.

Antes que seu servo pudesse sair do quarto, o jovem acrescentou rapidamente.

— Ah, também… houve alguma carta para mim?

O criado balançou a cabeça.

— Receio que não, milorde. Havia uma carta que estava esperando?

O jovem ignorou a pergunta de seus servos, optando por enviá-lo em seu lugar.

— Não importa. Você pode ir embora.

No momento em que o criado saiu do quarto, o homem apertou os dentes, com um brilho penetrante em seus olhos.

“Então é assim que você vai ser, Juvelian!”

Não importa o quanto ele pensasse, sua única conclusão era que tudo isso era um ato. Ele enviou uma carta com o carinho de um ex-namorado, mas até o final, a mulher, que sempre foi como um cachorrinho irritante, nunca respondeu.

Ele não podia aceitar que a mulher o estivesse ignorando assim.

“Não me diga… você está insatisfeita com a quantidade de atenção que estou te dando agora? Você quer mais?”

Ele tentou racionalizar suas ações, mas parecia queimá-lo ainda mais por dentro.

“Juvelian, o que você está tramando?”

“Ah, tudo o que eu queria era viver e fazer meu dia tranquilamente, mas parece que será bem difícil de conseguir.”


Revirando os olhos, olhei para as pessoas que me seguiam.

“Gerald, Owen, Castro, Todd…”

Dez dos cavalheiros da minha família, todos de primeira linha em termos de habilidade, me cercavam em uma formação de guarda.

“Pensar que eu teria tantos grudados em mim para uma simples saída às compras.”

Foi um pouco pesado, mas não havia nada que eu pudesse fazer sobre isso. Era a condição que tive que aceitar para receber a permissão do meu pai para sair hoje.

“Só um ou dois guardas teriam sido mais do que suficientes…”

Pensei que teria uma saída de compras tranquila desde que não causasse nenhum tipo de problema. Não pensei que haveria algo que me destacasse, mas pensar que uma variável como essa surgiria.

“Bem, pelo menos não há muita gente agora. Agora… onde está a oficina?”

Enquanto estava acompanhada pelos meus guardas, olhei ao meu redor. Havia três oficinas nas proximidades que lidavam com artesanato para mulheres. A mais famosa das três era a Oficina de Kerrin, mas esse não era o lugar que eu tinha escolhido.

“Serei amaldiçoada mais tarde se conseguir um presente de lá.”

A oficina de Kerrin logo receberia uma reação violenta do público por esconder o fato de que o material utilizado para seus produtos era prejudicial para ocorpo.

Se Rose ficasse doente por causa de um presente que recebesse de mim, eu me tornaria a inimiga pública do Conde Arlo. Nem mesmo sabia se meu relacionamento com Rose se tornaria ruim como aconteceu no passado ou não, então seria melhor evitar essa rota.

Enquanto envolvia meus pensamentos, comecei a andar novamente.

“Oh, vejo a placa.”

Dois ateliês apareceram.

O Ateliê de Fyodor, que tinha uma longa tradição, mas agora estava prestes a fechar, e o Ateliê de Grada, que reunia vários artesãos para produzir produtos de forma sistemática.

Dei um passo em direção ao meu primeiro destino.

Quando finalmente parei, o líder dos meus guardas, Gerald, soltou um suspiro.

— Minha Senhorita, está tentando entrar aqui?

Era natural que sua voz tivesse dúvidas. O lugar para onde meus pés me levaram não era outro senão o prédio desgastado do Ateliê de Fyodor.

“Definitivamente é este lugar.”

Uma pessoa normal, se estivesse por dentro dos boatos, evitaria um lugar como o de Fyodor, prestes a afundar. Mas eu, Juvelian, decidi vir aqui mesmo consciente desses rumores.

— Sim, estou.

Depois de responder a Gerald, entrei na loja. Observei ao meu redor, notando os produtos indesejáveis ao redor da loja e a figura de um homem sentado com tanta indiferença.

Uma pessoa normal teria recuado diante da vista, mas fiz o contrário e me aproximei do homem.

O cabelo do homem era longo e desarrumado o suficiente para distinguir seu rosto. Parecia jovem com suas roupas desgastadas, mas seus olhos fundos o faziam parecer sem vida.

— Peço desculpas, mas atualmente não estou em condições de fazer nada neste momento. Não sei de quem és, bela dama, mas peço que encontres outro ateliê.

Suas palavras nem mesmo foram suficientes para serem um cumprimento. Em vez disso, foi claramente uma rejeição.

Apesar de sua negativa, ri com convicção.

“Na verdade, vim ao lugar certo.”

Outras pessoas teriam ido embora enquanto estavam em um ataque, mas eu fiz o contrário e me aproximei do homem.

“Ele está enfrentando uma depressão devido à pressão que recebeu ao herdar o negócio familiar.”

O dono da Oficina de Fyodor, Ian Fyodor, estava sob uma tremenda pressão para se sair tão bem quanto seu pai e avô, ambos artesãos reconhecidos. Em algum momento, Fyodor não conseguia mais fazer nada, o que fez com que sua oficina estivesse à beira do colapso.

— Gostaria que fizesse algo para mim, Ian Fyodor.

— Por que eu?

A voz impotente de Ian tinha um forte senso de desconfiança.

“Bem, entendo. Uma pessoa normal definitivamente não me veria como normal, mas tenho uma razão para ser tão inflexível.”

“Isso é porque você, Ian Fyodor, se tornará um artesão distinto!”

Em seis meses, a Princesa usaria um colar único em sua festa de aniversário, que depois sacudiria a alta sociedade e seria muito comentado. O homem por trás do colar, Ian Fyodor, seria elogiado como o melhor artesão do Império.

“Suas obras se tornarão mais caras então, então seria bom se eu comprasse muitos de seus produtos agora e estabelecesse uma conexão antes.”

E assim, vim fazer alguns investimentos para meu luxuoso futuro. Meus olhos brilharam quando olhei para Ian.

— Você é o único que pode fazer o que quero.

— Então, você está me ameaçando agora?

— Hein? O que você quer dizer com “ameaçando”?

— Quero dizer, agora…

Ao ver que ele nunca terminou suas palavras, virei-me e estreitei os olhos para meus cavaleiros, pensando que eles eram a causa por trás da vacilação de Ian. No entanto, os cavaleiros pareciam preocupados, cada um fazendo sua própria coisa.

“Não há como esses ladrões de salário fazerem tal coisa.”

— Há algum tipo de problema?

Fiz uma pergunta, mas Ian apenas me respondeu com frieza.

— Por que você é tão persistente?

— Bem, é porque acredito que você será capaz de fazer algo muito melhor do que ninguém.

Ao ouvir a sinceridade em minhas palavras, os lábios de Ian se contraíram.

— Você acredita em mim?

— Sim.

Estava imaginando o quanto poderia ganhar vendendo seus produtos no futuro quando uma voz baixa interrompeu meus pensamentos.

— Você poderia me dizer que tipo de trabalho quer que eu faça?

Era uma voz rígida, mas com permissão de qualquer maneira.

“Consegui finalmente conseguir os produtos do artesão?”

Pondo meu entusiasmo de lado, dei a ele ideias do que queria que ele fizesse.

“Tudo isso deveria ser bastante simples para ele, não é?”

— Sua excelência, aqui está a lista finalizada de possíveis candidatos ao casamento.

Pegando o documento de Derrick, Regis escaneou e confirmou o conteúdo, soltando um pequeno franzir de sobrancelhas no processo.

“Por que o nome desse moleque está aqui…?”

O Duque apertou os dentes, circulou o nome e chamou Derrick.

— Derrick, tire esse nome e…

Nesse momento, a porta de seu escritório se abriu. Era seu assistente, Roy Hamilton.

— O que é?

Tinha que ser algo de grande preocupação se fosse suficiente para que Roy irrompesse sem aviso prévio.

Seu assistente engoliu em seco nervosamente antes de responder,

— O Imperador enviou um mensageiro. Ele quer que vá ao Palácio imediatamente.


A cada cap vou colocar uma imagem da Juvel, a de hj é:

Juvel ratin
Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥