Selecione o tipo de erro abaixo

Foi realmente gratificante ver o rosto contorcido de Chanton Sushou ao me cumprimentar.

— Não desperdice seu tempo com palavras inúteis. É uma questão de vida ou morte para este lado.

— É uma palavra inútil? Você é muito duro.

Eu disse como se estivesse seriamente magoada.

— Logo será outono, e eu estava prestes a perguntar se você está bem preparado para o inverno.

— …

É claro que Chanton Sushou não pôde responder.

Eu também não esperava uma resposta mesmo.

A situação no Sul era óbvia, e já estávamos cientes disso pelo relatório.

— O que há de errado? A colheita não está indo bem?

Eu queria esfregar sal na ferida algumas vezes mais, mas pensei que ele poderia chorar daquele jeito.

Sentei-me na minha cadeira de escritório e disse:

— Você recebeu minha carta?

— … estou aqui para conferir pessoalmente. Sério…

Chanton Sushou perguntou com um rosto mais firme do que o normal.

— Você realmente encontrou uma cura para a doença?

— Os danos no Sul estão bastante sérios agora, não é? Ouvi dizer que a exportação da agricultura de grãos de Sushou parou imediatamente.

Ah não, eu só vou cutucar mais uma vez.

— Foi o que eu disse. Você será punido por ser tão mesquinho.

— De jeito nenhum…

A voz de Chanton Sushou ficou mais baixa.

— Essa doença…

Isso é ursinho preto?

— Você está suspeitando que eu a espalhei, agora?

— Não é?

— Nem vale a pena falar sobre isso. Saia.

Apontei para a porta do escritório e falei friamente.

Chanton Sushou, que estava consciente dessa mudança na minha atitude, se desculpou, cerrando os punhos.

— Cometi um erro, Matriarca Lombardi, por favor.

— Fico feliz que saiba que foi um erro.

Ainda falei sem liberar minha expressão.

Na verdade, eu não estava realmente brava, então não importava.

Se algo parecido acontecer a Lombardi um dia, suspeitarei de Chanton Sushou primeiro.

Acima de tudo, o fato de o ursinho preto, que é como uma pedra de madeira e não pode entender seus próprios pensamentos, cometer um erro desse tipo, deve significar que sua guarda estava baixa.

Por isso, finjo ficar mais zangada de propósito.

Isso era para garantir uma posição vantajosa em negociações futuras.

Peguei um monte de papéis da gaveta e os coloquei deliberadamente na mesa para fazer um barulho.

Era um relatório de pesquisa enviado pelos acadêmicos de Lombardi de Luman.

O olhar de Chanton Sushou seguiu rapidamente.

— Se eu te der isso, o que Sushou pode me oferecer?

Chanton Sushou respondeu à minha pergunta como se estivesse esperando.

— Se for uma cura certa para a doença, é um bom preço…

— Não, não.

Balancei a cabeça, pegando um monte de papéis.

Como se pudesse guardá-los na gaveta a qualquer momento.

— Acha que Lombardi carece de dinheiro?

Não esqueci de clicar a língua.

— Mostre sua sinceridade, Patriarca Sushou, pense com cuidado. O que eu quero.

Depois de um momento de silêncio pesado, Chanton Sushou abriu a boca.

— … vou parar a construção topográfica da região de Tamal.

Eu não reagi de propósito.

Isso significava que ainda não era suficiente.

— Também prometo não abrir um porto na região de Tamal sob o nome de Sushou.

— E?

— O que mais você quer…?!

— A Arcádia.

Os olhos de Chanton Sushou se tornaram ferozes com o que eu disse.

Arcádia era o território de Sushou, que fazia fronteira com Lombardi e estava localizado na estrada que levava a Chesail.

— Minha condição é parar a construção na região de Tamal e entregar a Arcádia ao meu pai, Gallahan Lombardi, o Senhor de Chesail.

Sem Arcádia, Chesail não está mais isolada, e naturalmente Chanton Sushou não pode mais interferir no comércio oriental de Chesail.

— Isso é!

— Por quê? Você não pode fazer isso pelos moradores locais que tanto preza? Não disse que é uma questão de vida ou morte?

Ele ficou em silêncio por um tempo.

Apenas apertou os punhos com mais força.

Aproveitei o silêncio, deixando Chanton Sushou sozinho.

Porque a resposta para voltar já era óbvia de qualquer maneira.

— … vou fazer isso.

Venci.

Sorri e peguei o contrato que havia preparado antecipadamente.

Exatamente o que eu disse há pouco estava escrito antes.

Naquele momento, o rosto de Chanton Sushou mostrou uma expressão de ‘caí nessa’, mas já era tarde demais, no mínimo.

Depois disso, o processo correu tranquilamente.

De qualquer forma, era apenas uma questão de assinar duas cópias do contrato e carimbar o selo do chefe de família.

— Você pode consultar esses dados detalhados da pesquisa, e o medicamento final será enviado para a mansão de Sushou amanhã. Pode ir agora.

Falei, acenando com uma das mãos.

Apresse-se e vá embora.

Preciso aproveitar esse tempo.

Chanton Sushou ficou alto, segurando uma cópia do contrato e o relatório dos acadêmicos em uma mão.

Mas isso também foi só por um tempo.

Ele hesitou enquanto estava prestes a sair e virou-se, esfregando a testa com força, com um rosto cansado.

— Tenho que reescrever o contrato.

— O contrato? Por quê?

— Aqui, falta a cláusula de não abrir um porto na região de Tamal.

Reli onde Chanton Sushou está apontando.

No contrato, havia apenas frases escritas: ‘Vou parar e nunca retomar a topografia da região de Tamal’ e ‘Vou entregar todos os direitos de Arcádia para Gallahan Lombardi’.

— Hmm, isso é surpreendente, Patriarca Sushou.

Pensei que ele passaria como uma cobra travessa.

— Não seria melhor usar seus erros para corrigir o futuro?

Então Chanton Sushou franziu a testa como se estivesse descontente.

— Não faço nada covarde nas promessas feitas sob o nome da minha família. Porque o nome de Sushou não é tão leve.

— Para mim é a mesma coisa.

— O que isso significa?

Chanton Sushou, que ainda não tinha entendido minhas palavras, parecia precisar de uma explicação.

— Significa que a cláusula de não construir um porto em Tamal está intencionalmente excluída. Significa que não depende de mim se Sushou vai ou não construir um porto em Tamal.

— Mas então…

— Acha que Lombardi terá medo da competição?

Adicionei gentilmente a Chanton Sushou, que ainda está chocado.

— Tamal é bom em localização, mas não será fácil construir um porto porque o rio é estreito e a corrente é forte. Na próxima vez, recomendo contratar a Construção Lombardi, que tem experiência na construção de portos.

Não é porque é a empresa da minha família, mas realmente não há lugar melhor do que a construção Lombardi para construir um porto.

— Então já terminei com o que tinha para dizer, então saia.

No entanto, Chanton Sushou não se moveu do lugar como se tivesse sido pregado.

E ele de repente me perguntou.

— Se eu não aceitasse o acordo, o que você faria então?

— … não é da minha conta, não importa como serão as colheitas no Sul.

Dei de ombros e respondi.

Chanton Sushou me olhou assim.

Então ele de repente riu fraco.

— Você não é honesta.

Do que está falando?

— O que aconteceu com a sua cabeça? … você perdeu a Arcádia.

— Isso mesmo, Matriarca Lombardi.

… será que fui pega?

Na verdade, se o acordo não desse certo, eu estava pensando em distribuir a cura em nome de Lombardi gratuitamente.

Claro, enquanto explicava que descobri por acidente.

Porque é impossível deixar pessoas inocentes do Império sofrerem na luta pelo poder dos chefes de família.

— Não fale besteira e saia. Estou ocupada.

Então Chanton Sushou fez uma saudação formal e começou a dar passos.

Diferente de antes, depois de se curvar educadamente para mim.

— Então nos veremos na próxima conferência, Matriarca Lombardi.

Como se não estivesse cansado, os passos pesados das botas que ele ainda estava usando se afastaram.

Foi só então que o silêncio tranquilo caiu novamente no escritório.

— Isso significa que não nos devemos nada porque fizemos um acordo.

Levantei-me da minha cadeira de escritório, lembrando das últimas palavras de Chanton Sushou.

E caminhei lentamente em direção à janela.

Uma vista panorâmica de Lombardi entrou em vista.

Quando eu era jovem, este era o lugar onde meu avô costumava ficar quando eu olhava para cima enquanto brincava no jardim.

Agora olho para baixo da janela, que também é meu lugar favorito no escritório.

Foi então que vi Chanton Sushou entrando na carruagem.

— Não faço nada covarde sob o nome da minha família.

Foi o que Chanton Sushou disse.

— Não teria te deixado ir embora assim.

É tão ingênuo quanto um ursinho de pelúcia.

— É por isso que não posso te odiar.

Foi um prazer para mim ser uma concorrente que conhece os limites que não devem ser ultrapassados.

O poder sem controle está fadado a apodrecer.

— Bem, vamos voltar ao trabalho?

Depois de esticar alto, sentei-me novamente à minha mesa.

Não sei por que um sorriso permaneceu nos meus lábios assim.


— Você está atrasado, Chanton.

Perez disse olhando pela janela enquanto a chuva caía.

Já faz muito tempo desde que a escuridão caiu.

Com apenas algumas luzes acesas, uma sombra escura se projetou em seu rosto.

— Houve um acidente a caminho daqui.

— Um acidente?

— Sim.

Uma resposta curta foi o suficiente, mas Perez olhou para Chanton Sushou com olhos frios.

Há alguns anos, ele, que se resignou como comandante dos Cavaleiros Imperiais, nunca falava palavras inúteis.

— É algo que eu deveria saber?

— Eu atingi uma pedestre bêbada com uma carruagem, e quando verifiquei a identidade da mulher, descobri que ela é a filha ilegítima dos Lombardi.

Nas palavras de Chanton Sushou, Perez torceu os cantos da boca.

Foi hoje que ele finalmente conseguiu fechar a porta dos Lombardi.

Então ele pensou que o nome Lombardi nunca mais seria ouvido.

Era como se Lombardi, que foi persistente até o fim.

— Viege Lombardi teve um caso extraconjugal?

— Dizem que ela é a filha ilegítima de seu irmão mais novo, Gallahan Lombardi, não Viege.

— Não ouvi falar de Viege tendo um irmão mais novo além de Laurels.

Perez disse, lembrando do segundo filho impiedoso dos Lombardi.

— O terceiro filho de Lulac Lombardi, parece que morreu há muito tempo. O nome da filha ilegítima é Florentia Lombardi…

— Pare.

Perez interrompeu o relatório de Chanton Sushou com um gesto único.

— Não preciso saber disso. Por favor, compense bem a família enlutada.

— Parece que ela morava sozinha no centro de Lombardi sem nenhum vínculo, então acho que não precisamos nos preocupar com a compensação.

— Então é ainda melhor. Mesmo com a queda dos Lombardi, uma filha ilegítima se envolveu em um acidente de carruagem que escapou de grande raiva. Parece que o assunto é o mesmo que a vida e a morte da família.

Com essas palavras, Perez finalmente expressou seus sentimentos sobre a filha ilegítima dos Lombardi.

Em seguida, ele se levantou da cadeira em que estava sentado e perguntou a Chanton Sushou.

— Houve alguma mudança em sua decisão de ir?

— Apenas sou grato por você me dar a chance de ver o fim de Angenas com meus próprios olhos.

Perez tomou a dianteira, assentindo em silêncio.

Seus passos passaram rapidamente pelos corredores mal iluminados do Palácio Imperial e entraram na estrada iluminada do Palácio Imperial.

No entanto, apenas o som da chuva desolada fluía entre os dois homens.

Ao chegar ao destino, Perez pausou por um momento e admirou a vista do Palácio da Imperatriz.

Ele ficou muito satisfeito com a aparência do Palácio da Imperatriz, com todas as luzes apagadas e ninguém circulando, assim como sua proprietária.

Tum, tum.

O som de dois passos molhados ecoou pelos corredores do Palácio da Imperatriz, mas ninguém os bloqueou ou os recebeu.

O palácio deveria estar vazio, exceto pelos dois cavaleiros guardando do lado de fora do quarto onde a Imperatriz está aprisionada.

Era o comando do digno Príncipe Herdeiro, Perez, que detinha o poder do Império de Lambrew em uma mão.

Enquanto os dois homens estavam na frente da porta do quarto, um grito foi ouvido com um som estourando de dentro.

Clinc!

— Abra! Abra esta porta agora mesmo!

No entanto, os cavaleiros que estavam na frente da porta não responderam ao rugido choroso da Imperatriz.

Eles apenas olharam para o Príncipe Herdeiro com um rosto tenso.

— Abra.

Apenas uma palavra.

Com o breve comando de Perez, a porta do quarto da Imperatriz, que não havia sido aberta na última semana, foi aberta.

Swish-!

Perez deu um passo para dentro e pegou o que voava em sua direção.

Agarrou!

Era um relógio de mesa meio quebrado que chegou a suas mãos.

A pessoa que o lançou foi a Imperatriz Lavini Angenas, que estava respirando pesadamente com o cabelo desarrumado.

Ela perdeu tudo em seu passado ao ponto de ser uma vez elogiada como a mulher mais bonita do império, e agora estava obscurecida e era apenas uma pecadora miserável.

— Maldito! Onde você está?

Lavini Angenas gritou como se estivesse em um frenesi.

Porém, sua voz, que havia perdido toda sua força e ainda estava malévola, já havia descansado por muito tempo, e o quarto luxuoso estava um caos nas mãos da dona que não conseguia superar isso.

Perez, que olhava ao redor do quarto com um rosto impassível, se aproximou de Lavini Angenas, que mal estava de pé em uma mesa redonda.

Craque, craque.

A cada passo, cacos afiados de vidro eram esmagados mais finamente sob as botas pesadas.

— Você tomou uma decisão?

Com as primeiras palavras que Perez disse, o corpo magro da Imperatriz deu um salto.

Alguns dias atrás, Perez, que visitou o Palácio da Imperatriz, lhe deu uma opção.

— Veneno ou corda, como quer morrer, Lavini Angenas.

Foi por volta desse tempo que a loucura da Imperatriz, que manteve a dignidade até então, começou.

— Isso…!

Lavini Angenas, cujo rosto ficou pálido, logo colocou uma veia no pescoço.

— Eu sou a Imperatriz do Império de Lambrew! Sua Majestade está vivo e bem, como se atreve!

— Bem?

Perez riu com um sorriso irônico.

Já fazia alguns dias desde que ele nem sequer conseguia abrir os olhos, então a palavra — bem — é demais, Lavini Angenas.

— Sua- Sua Majestade…

Lavini Angenas, que não sabia da situação do lado de fora porque estava confinada no quarto, tropeçou em um grande choque.

— Você, diabo! C-como, com seus pais…!

— Pais?

Perez perguntou de volta.

— Eu tinha pais? Minha mãe está morta há muito tempo pelas mãos do Imperador, e nunca tive um pai.

O aluno de olhos vermelhos, que havia sido lentamente fechado uma vez, encarava Lavini Angenas.

— Não ouse dizer que é como minha mãe, Lavini Angenas.

A imperatriz não conseguia nem respirar à vontade, quanto mais responder, pois a vida estava sendo atirada contra ela.

Havia apenas o som de sua respiração ofegante fluindo por seu quarto bagunçado.

— Entrem.

Foi Perez quem quebrou o silêncio que havia durado por um momento.

Com o comando baixo, os dois cavaleiros que estavam guardando a porta entraram no quarto e fecharam a porta firmemente.

— O- o que você está tentando fazer…!

Lavini Angenas, sentindo a atmosfera incomum, recuou.

Mesmo assim, a única coisa que tocou suas costas foi a parede miserável do quarto.

Foi somente depois de ver a corda na mão do cavaleiro que a Imperatriz, que estava contemplativa, começou a implorar com as mãos juntas.

— Por favor, me salve! Você não pode fazer isso! Você não pode fazer isso comigo, a Imperatriz!

— Apenas me salve. Ficarei trancada em um palácio separado em algum lugar e viverei como se estivesse morta. Então, por favor…

— Minha mãe costumava implorar assim.

Perez, que cortou o apelo de Lavini Angenas assim, perguntou casualmente a Chanton Sushou.

— Pretende permanecer?

— Sim, farei isso.

Ao ouvir a resposta de Chanton Sushou, Perez virou-se.

Não havia tempo para assistir ao fim de Lavini Angenas.

Clique.

Um grito maligno pôde ser ouvido atrás da porta fechada, mas Perez não olhou para trás.

Caminhando tranquilamente pelo mortal e deserto Palácio da Imperatriz, ele seguiu em direção ao palácio do Príncipe Herdeiro.

Então ele parou.

Parado, sob a chuva torrencial, ele logo se virou.

A estrada bem conservada desapareceu, as árvores aumentaram, e uma densa floresta apareceu.

Ele caminhou assim por um tempo.

O passo de deixar uma marca na terra estéril parou apenas quando alcançou o palácio separado, meio em ruínas.

Um vento amargo varreu suas costas.

Subindo as escadas rangentes, ele bateu a porta de vaivém com força.

Neste vasto palácio imperial, era o único lugar que ele ocasionalmente visitava.

Uma cadeira foi colocada em um assento de frente para a janela e uma garrafa de vinho foi colocada ao lado.

Era o seu lugar.

Uma nuvem de poeira se ergueu enquanto ele se sentava, mas Perez derramou silenciosamente sua bebida no copo.

Quando a insônia causada pelo veneno que ele vinha ingerindo desde a infância, devido ao esquema de Lavini Angenas, piorou, ele passou uma longa noite engolindo essa bebida forte.

Um líquido marrom, tão forte que não tinha lugar para ser produzido, desceu pelo esôfago.

Apesar da intensa dor, seu rosto impassível não mudou.

Como se estivesse molhado pela chuva, seus olhos vermelho-escuros capturaram o palácio do Imperador ao longe.

— É complicado fazer dois funerais, então talvez dois dias depois.

Assim, a data da morte do Imperador Yovanes foi definida.

No final, Perez, que havia esvaziado todo o seu álcool após dois goles, abriu repentinamente a boca.

— Agora está satisfeita, mãe?

Mas nenhuma resposta veio.

Perez olhou para baixo para o copo vazio, sem conteúdo, e fechou os olhos por um longo tempo.

A vingança acabou.

Em breve ele ascenderá ao trono do imperador.

Ele se sentia vazio.

Ele sentia que estava faltando algo grande atrás de sua cabeça.

Era familiar e desagradável.

O que diabos é isso?

O que eu perdi?

Ele

se perguntou.

Claro, como sempre, ele não encontrou uma resposta.

— A filha ilegítima dos Lombardi.

Uma mulher cujo rosto ele nunca tinha visto antes, que havia falecido com Lombardi hoje, cruzou sua mente por um momento.

Mas foi só isso.

Perez abriu os olhos novamente e olhou pela janela empoeirada.

Ainda chovia na escuridão.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥