Selecione o tipo de erro abaixo

Era hora de olhar para Astana, que começou a beber com vontade, com olhos felizes.

Cada vez que Astana se movia, eu via quatro pessoas o seguindo.

Eles eram cavaleiros imperiais.

Além disso, os outros cavaleiros foram vistos montando guarda totalmente armados em todo o salão de banquetes ao ar livre.

— Como esperado.

Eu olhei para eles e bufei levemente.

Era porque a presa que eu estava procurando hoje era a imperatriz e aqueles cavaleiros imperiais.

Também coloquei Cavaleiros de Lombardi em todo o salão de banquetes e os coloquei ao lado de Astana.

Então, como se não fossem perder, eles guardaram a área ao redor do salão de banquetes e começaram a seguir Astana e protegê-lo.

— Minha previsão estava certa.

Os cavaleiros imperiais e os cavaleiros de Lombardi eram uma espécie de rivais.

Isso acontecia porque não havia famílias nobres comuns de Cavaleiros comparáveis ​​aos Cavaleiros Imperiais, e a capacidade dos Cavaleiros Imperiais estava diminuindo.

Alguns até disseram que foi causado pela. Esgrima Imperial — que os Cavaleiros Imperiais treinaram.

Eles disseram que há um problema com a própria esgrima, que limita o alcance dos Cavaleiros.

No entanto, muitos deles também criticaram a falta de competência dos Cavaleiros Imperiais, tudo começou quando a família Brown caiu.

O motivo é a ausência da família Brown, que serviu como comandante dos Cavaleiros Imperiais de geração em geração.

Seja qual for a razão.

O fato de que os Cavaleiros Imperiais enfrentaram uma crise sem precedentes foi um fato que todos concordaram.

— Então, todo mundo está em uma necessidade desesperada.

Naturalmente, quem empunha a espada deseja ser forte.

Sorri ao olhar para os Cavaleiros Imperiais que protegiam Astana.

— Flore.

— Você está aqui?

Sem olhar para trás, pude ver que foi Perez quem veio atrás de mim.

— Você fica bem em suas roupas.

Olhei para as roupas vermelhas que Perez usava e disse.

— Claro, você escolheu para mim.

— Isso é verdade.

Eu ri enquanto tirava a poeira das roupas de Perez.

— As roupas que você usará para o banquete de hoje são vermelhas, e o equipamento de proteção que usará amanhã é vermelho.

Como eu disse humildemente, Perez sorriu, cruzando ligeiramente os olhos.

— Você não acha que as coisas estão indo muito bem de qualquer maneira?

Como se o destino estivesse do nosso lado.

— Sua Majestade de repente parece estar participando de uma competição de caça, e Astana…

Eu e Perez olhamos para Astana à distância ao mesmo tempo.

Eu dei o vinho Caloga a ele.

Diante de Astana, cujos olhos estavam ligeiramente perdidos, já havia vários copos vazios.

— Como esperado, você está destinado a conseguir o que deseja, Perez.

Vingança e ascende ao trono.

Perez, que pensei que contra-atacaria com palavras leves, ficou em silêncio.

Quando me virei, ele olhou para mim com olhos estranhos.

— Por que você me olha assim?

— Flore, às vezes você é estranha.

— Estranha?

— Às vezes você fala como se conhecesse o futuro.

Ele tem um bom palpite.

— … e assim mesmo?

Eu me afasto de seu olhar e confundo minhas palavras.

— E uma coisa está errada.

Perez disse.

— É graças a você, não a mim. Graças a Flore que estou aqui agora.

Seus olhos vermelhos me pegaram.

Então ele se aproximou lentamente e beijou minha bochecha.

Foi uma expressão cheia de carinho.

Eu podia sentir a atenção das pessoas ao nosso redor, mas Perez olhou para mim como se não soubesse de tal coisa.

— Você não está evitando isso.

— Porque as pessoas estão assistindo.

— É realmente por isso?

A voz de Perez estava cheia de risos.

— … Pense como quiser.

Quando eu respondi um pouco envergonhada, Perez agora sorriu humildemente.

Então a figura de Ramona entrou em minha visão.

— Oh, você aqui.

Eu disse, dando meio passo para trás.

Perez virou a cabeça e olhou para Ramona.

— Você está ótima com o uniforme de Cavaleiro, Ramona.

— Obrigado, Sua Alteza, o Príncipe.

Ramona respondeu com um sorriso ligeiramente tímido.

E olhou para mim e disse.

— Nunca usei um uniforme de cavaleiro tão bonito. Obrigado, Lady Lombardi.

— Não mencione isso, e você pode me chamar confortavelmente. Não há muita diferença de idade.

— Não.

Ramona balançou a cabeça e disse.

— Como posso fazer isso a Lady Lombardi?

Ramona parecia ter muitas dívidas comigo.

Bem, isso não pode ser evitado.

Também é rude forçar alguém a falar de uma maneira diferente.

Suspirei suavemente e disse a Perez.

— Vá agora, Perez, se você estiver perto de mim…

Astana vai estar me evitando.

Perez, que entendeu minhas palavras engolidas pela metade, acenou com a cabeça brevemente.

E pegou minha mão e beijou as costas da minha mão.

— Chame-me se precisar de mim. Eu estarei por perto.

— Tudo bem. Vá em frente e faça seu trabalho.

Eu acenei minha mão para Perez, me afastando, e verifiquei Ramona.

Ramona não estava prestando muita atenção ao comportamento de Perez, apenas conferindo sua roupa com uma cara nervosa.

— Você está pronta, Ramona?

— Sim, Lady Lombardi.

Ramona respondeu rapidamente à minha pergunta.

— Espero que você tenha polido bem o preto.

Ramona sorriu levemente enquanto eu falava meio brincando.

— Oh, parece que Lorde Brown chegou.

Eu disse quando vi pessoas correndo para um lado do salão de banquetes, uma por uma, depois de ouvir algo.

— Vamos também.

Eu assumi a liderança primeiro e disse.

— Você não pode perder uma boa vista, não é?

Eu realmente quero ver o rosto envergonhado da Imperatriz.

Vou ver na primeira fila.

Eu e Ramona caminhamos até a metade do caminho para a multidão.


— Oh, vamos lá!

Astana olhou para Velsac e gritou irritado.

Seu rosto já estava vermelho de álcool.

— Saia daqui!

Astana ergueu a voz enquanto Velsac e os filhos e filhas de outros aristocratas se reuniam ao seu lado.

Caras irritantes.

Para outros, eles eram chamados de ‘o ajudante próximo do Primeiro Príncipe’, mas para Astana, eles eram nada mais nem menos como insetos voando em volta de suas orelhas.

Porém, por mais irritado que ele estivesse, eles apenas hesitaram, e Astana acabou tomando outro gole de sua bebida enquanto os observava, que não pretendia recuar.

À medida que o álcool subia, a irritação que enchia sua cabeça pareceu sumir um pouco.

— Coisas como parasitas…

Astana murmurou, enxugando o álcool da boca com a manga.

Coisas que ele planejou jogar fora quando se tornasse imperador.

Ninguém ficou ofendido, embora seu murmúrio pudesse ser ouvido.

Era porque eles estavam acostumados com os maus tratos de Astana.

— É irritante de qualquer maneira, não fique comigo e vá embora!

Astana disse, e empurrando Velsac no ombro.

Então, um olho embaçado e sem foco tocou uma floresta negra à distância.

À noite, a floresta sempre densa e nebulosa do Homem Louco parecia assustadora ao vento.

Astana engoliu a saliva em tensão.

Ele nunca pensou que fosse uma competição de caça como esta.

Se ele soubesse antes, não teria blefado para Perez.

— Velsac, você deveria ter sido informado de antemão que esta competição de caça em Lombardi era algo assim!

Astana estava furioso com Velsac, que estava ao lado dele.

— Bem, eu também não sabia.

— Você é um inútil.

Ele percorreu todo o caminho com o imperador.

Além disso, havia tantas pessoas que não podiam imaginar isso como uma competição de caça.

Se ele perder aqui, não haverá nada mais humilhante do que isso.

Além disso, já se ouviu entre os nobres que há uma aposta entre o Primeiro Príncipe e o Segundo Príncipe, qual deles vai ganhar.

— Isso é tão injusto!

Astana tinha uma língua atrevida.

— Aquele cara humilde é o mestre espadachim que pode lidar com Aura! Mas eu não posso acreditar que ele está competindo comigo.

Já na mente de Astana, o fato de ele ter apresentado os argumentos foi perfeitamente apagado.

— Traga-me mais bebidas!

Astana gritou para Velsac.

— Sim, sua Majestade.

Foi só quando Velsac acabou de se virar para chamar os criados, respondendo assim.

— O que está acontecendo?

Um dos assessores de Astana inclinou a cabeça.

Astana também ergueu os olhos vagamente desfocados e olhou para a multidão.

— O que é toda essa confusão?

O que chamou a atenção de Astana foram alguns aristocratas cobrindo a boca com as mãos e ficando muito surpresos.


— Quem é esse alguém que você deseja apresentar?

O imperador Yovanes perguntou a Rulak.

Era um rosto cheio de curiosidade.

Rulak sugeriu a Yovanes, que falava na sala dos fundos como em qualquer banquete.

Ele disse ‘Eu tenho alguém para apresentar a você, então vamos sair um pouco.’

Então, mesmo quando solicitado a apenas chamá-lo para dentro, Rulak apenas deu uma resposta direta, dizendo: ‘Há várias pessoas’.

Enquanto caminhava em direção ao centro do salão de banquetes sob a orientação de Rulak, a curiosidade do imperador Yovanes crescia.

E foi no meio de um espaço ao ar livre onde Rulak finalmente parou de andar.

Era também um lugar onde muitas senhoras e senhores já estavam sentados, bebendo vinho e conversando.

— Sua Majestade?

A Imperatriz Lavigne também se aproximou e se perguntou.

— Como você saiu de novo?

— Porque o Senhor de Lombardi disse que tinha alguém para apresentar…

— Oh, aí está.

Rulak disse com um grande sorriso.

Naturalmente, os olhos do imperador Yovanes foram direcionados dessa forma.

— Eles são…

Yovanes semicerrou os olhos.

Era um grupo de homens vindo para cá.

Eles não eram rostos familiares.

No entanto, uma sensação indescritível caiu sobre as costas de Yovanes.

O rosto de um homem de meia-idade na linha de frente era estranhamente familiar.

Também foi impressionante vê-lo andar orgulhoso.

E à medida que se aproximavam, uma coisa em comum apareceu.

— Todos não tem uma mão direita.

O imperador Yovanes murmurou sem saber.

Ele poderia dizer no momento, sua identidade.

— … a família Brown.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥