Selecione o tipo de erro abaixo

Na minha pergunta, Perez juntou seus pensamentos por um momento e então começou a falar.

— Aquele sonho…

Ainda era cedo de manhã, e sua voz era suave o suficiente para me fazer querer voltar a dormir.

Mas quanto mais a explicação continuava, mais eu acordava.

— Uh… Então você quer dizer que viu a árvore do mundo em seu sonho, certo?

— Em vez de ver, estendi a mão e toquei. Mas a sensação…

Perez segurou sua mão direita imóvel e depois a abriu.

Como se a sensação ainda estivesse clara.

Como foi a sensação?

— Hmm.

Um sorriso surgiu lentamente no rosto de Perez.

— Era quente. Era reconfortante.

— Eu- Eu entendi.

Isso é um sonho de concepção.

Perez teve um sonho de concepção.

— Tia?

Quando eu não disse nada, Perez chamou, virando o rosto na minha direção.

— Oh, nada.

Eu disse, deitando na cama novamente para controlar minha expressão facial.

— Vamos voltar a dormir. Ainda é muito cedo.

— … podemos?

Depois de verificar Perez deitado ao meu lado, olhei para o teto e pisquei sem rumo.

Não há conceito de sonho de concepção neste mundo.

Existem lendas que são inventadas em contos de fadas que às vezes as crianças leem, como quando um herói nasceu, uma estrela adivinhação da Bíblia apareceu.

Mas não era eu, era Perez que teve um sonho de concepção.

— Então esse sonho de concepção da criança se torna a árvore do mundo?

Eu estava confusa.

O sonho de concepção era a árvore do mundo, que era grandiosa e parecia com meu filho.

Acima de tudo, a árvore do mundo é o símbolo de Lombardi.

Enquanto olhava para o assento ao meu lado, os olhos de Perez estavam um pouco apagados nesse meio tempo. Hesitei por um momento e disse.

— Hey, Perez.

— Sim, Tia.

— Se o cronograma correr bem, você gostaria de ficar em Lombardi amanhã, ou até mesmo hoje à noite?

— Hoje também?

— Sim. Acho que estarei ocupada preparando o casamento durante o dia de qualquer maneira, e vamos ter uma refeição adequada à noite que não pudemos compartilhar ontem.

Como se nunca tivesse pensado que eu faria uma oferta dessas, Perez fez uma expressão surpresa.

Então ele sorriu amplamente como uma criança que recebeu um presente.

— Sim, vamos fazer isso.

— Vou pedir ao chef para preparar comida reconfortante.

— Tia.

Perez se aproximou lentamente de mim.

Conforme ele se movia, ouvi o som de lençóis de cama amassados ao redor dos meus ouvidos.

— Obrigado por me dar a chance de compensar.

Lábios quentes tocaram minha testa.

Era o calor que sempre me tranquilizava.

Eu disse de propósito em um tom que não era grande coisa, perguntando-me se eu seria pega com meu coração batendo.

— Não foi porque eu queria que você ficasse doente, mas apenas descanse um pouco mais.

— Sim, entendi.

Às minhas palavras, Perez fechou gentilmente os olhos como uma criança obediente.

O rosto, que geralmente era sério, gradualmente relaxou tranquilamente.

Olhei silenciosamente e pensei que era uma sorte.

Na minha vida anterior, Perez sofreu de insônia severa.

Mas agora, diante de mim, há apenas um cara como um menino que adormece cedo de manhã sem saber de tal coisa.

Usando aquele som de respiração regular como uma canção de ninar, também fechei lentamente os olhos.

Amanhã, todos os preparativos para o casamento serão concluídos.

Então devemos sentar frente a frente e jantar, e contar a ele na hora.

Um presente veio um pouco cedo para nós.

Então, que tipo de reação Perez terá? Gradualmente, me entreguei ao sono com pensamentos agradáveis disso e daquilo.

— Matriarca, está na hora de experimentar um vestido.

— Caitlyn.

— Sim, Matriarca.

— Já houve noivas que morreram de tanto trabalhar enquanto se preparavam para o casamento? Se não, acho que serei a primeira.

Murmurei, meio deitada no sofá.

Então Caitlyn e vários funcionários ajudando nos preparativos do casamento riram quietamente.

Mas eu realmente não estou brincando.

— Ah, caramba. Estou morrendo.

Não havia tal imposição.

A agenda, que começou assim que o sol nasceu pela manhã, continuou até o pôr do sol.

— Se estiver muito difícil, devemos fazer uma pausa?

Perez, que estava ao meu lado, varreu ansiosamente minha franja que estava caindo e perguntou.

É uma proposta muito tentadora, no entanto.

— Não. Vamos terminar rapidamente.

Desse jeito, eu vou ter um lanche tarde da noite ao invés do jantar.

Eu realmente me levantei do meu lugar, espremendo minhas últimas forças restantes.

— Caitlyn, o vestido está pronto?

— Está sim.

— Sim, só experimente uma vez e acabou.

Eu disse a Caitlyn, mas na verdade era algo que eu disse para mim mesma.

Como se ela soubesse como eu me sentia, Caitlyn assentiu com um olhar determinado.

— Voltarei, então espere aqui, Perez. É meu vestido, então você também deve conferir.

Éramos nós que estávamos preparando os casamentos no Palácio Imperial e em Lombardi, respectivamente.

Em resumo, significava que era a primeira vez que Perez me via em um vestido de noiva.

— Vou vesti-lo logo.

Acenei para Perez, que tinha olhos brilhantes em algum lugar, e segui para a próxima sala.

Graças a todos os preparativos já feitos, a prova terminou rapidamente.

Mas não é o fim.

— Ah, sinto toda vez que visto, mas esse vestido é muito pesado.

A união do Imperador e da Matriarca de Lombardi é sem precedentes na história do Império.

Como resultado, o vestido estava carregado de poder.

Não havia maneira mais fácil de mostrar o poder da família imperial e da família Lombardi à primeira vista do que um vestido de noiva deslumbrante.

— Vou ajudar você, Matriarca.

Caitlyn se aproximou cuidadosamente e segurou minha mão.

Enquanto era escoltada por ela e começava a andar, os funcionários abriram a porta como água fluindo.

Chalang, chalang.

A cada passo que eu dava, as joias do meu vestido faziam um som bonito.

Ao sair da sala em um vestido, vi Perez me esperando.

Como se ele não pudesse ficar parado, o homem que estava vagando parou assim que me viu.

Ele nem piscava.

Ele não está quebrado?

— Perez, como estou?

Perez ainda permanecia em silêncio apesar da minha pergunta insistente.

Seus olhos vermelhos não se moviam, fixos em mim, como se estivessem congelados.

Acho que ele está realmente quebrado.

— Perez?

Soltei a mão de Caitlyn e dei um passo mais perto dele.

— O quê? Você pode dizer alguma coisa… Ugh!

Eventualmente, o vestido pesado atingiu o trabalho.

Eu dei apenas alguns passos a mais, mas tropecei sem conseguir lidar adequadamente com o peso das joias e do vestido em camadas.

Oh, eu não deveria ter hematomas no rosto no dia do casamento.

Foi quando eu estava pensando assim, vendo o chão se aproximar.

— Tia.

Uma voz suave ecoou em meu ouvido enquanto um braço forte me sustentava.

— Ai- isso me assustou. Eu pensei que fosse cair. Obrigada, Perez.

Eu pensei que deveria dizer para reduzirem as joias no vestido.

Afaguei o braço que segurava minha cintura como um gesto de gratidão. E ergui a cabeça.

— Tia.

O rosto de Perez estava muito próximo.

Muito mais perto do que eu pensava.

— Você está bem?

Tenho certeza de que não me machuquei em lugar nenhum, mas é uma voz doce perguntando pelo meu bem-estar.

Por que isso soa tão perigoso?

— Sim. Estou bem.

— … que alívio.

Mesmo com essa resposta, Perez não me soltou.

Havia um clima estranho no ar.

— Ei, Perez.

Você não pode soltar esse braço agora?

Que clima é esse?

Por que a Caitlyn e as pessoas estão saindo quietamente?

Eventualmente, a porta fechou, deixando apenas nós dois.

— Estou bem agora…!

O rosto de Perez, que esteve sempre próximo, se aproximou imediatamente.

Os lábios se uniram como se se encaixassem.

Uma mão grande envolveu suavemente minhas bochechas.

Perez de repente me segurou pela cintura com apenas um braço.

— Euh.

É por causa do vestido desconfortável ou por causa de Perez, que não dá nem um respiro?

Eu rapidamente fiquei sem ar, mas nem conseguia expeli-lo.

— Aquilo… haa, Perez.

Até mesmo o nome que mal consegui pronunciar foi engolido por sua boca.

— Tia.

Perez, que se moveu repentinamente de meus lábios para meu pescoço, chamou meu nome repetidas vezes.

A cada vez, o hálito quente, que se tornou muito quente, toca minha pele.

Uma grande mão agarrou meu braço e o envolveu em torno de seu pescoço.

A sensação familiar, mas tonta, fez minha cabeça ficar dormente.

— … Perez.

Como se seu nome que eu sussurrava em seu ouvido tivesse se tornado um gatilho, o movimento lento do homem se tornou urgente em um instante.

Tuk, tuk.

Atrás das minhas costas, ouvi o som de nós sendo desamarrados impotentes, que vários funcionários entraram correndo e amarraram novamente.

‘Isso está certo?’

Essa pergunta surgiu de repente em minha mente, mas passou rapidamente.

Eu me entreguei e fechei os olhos.

Chalang.

Mais uma vez, houve o som de joias batendo umas nas outras.

Ao mesmo tempo, as palavras que Estella me perguntou várias vezes alguns dias atrás ecoaram alto em minha mente.

— Você deve evitar dormir por enquanto. O início da gravidez ainda é um período instável.

— Oh, não!

Eu empurrei Perez sem perceber.

— Isto não é certo.

Foi por pouco.

Era impossível colocar a criança em perigo sendo levada pelo clima.

Assim que entrei em pânico, sentei-me meio caminho em uma cadeira próxima e respirei aliviada.

Então, de repente, percebi que Perez estava muito quieto.

Eu pensei que ele viria com um sorriso relaxado.

O homem ainda estava lá, como se estivesse pregado ao chão.

— Perez?

— Eu.

Meus ombros tremeram com a voz terrivelmente baixa.

Os olhos vermelhos que me olhavam estavam afundados, como se estivessem aquecidos.

Era tão desconhecido, mas familiar ao mesmo tempo.

Era infinitamente vazio. Eu senti como se pudesse ouvir o som da chuva ao longe.

E com uma voz mais sombria do que essa, Perez perguntou.

— Você não gosta mais de mim?

— … o quê?

Não houve resposta para a pergunta.

Perez deu passos trôpegos.

— Mas você não pode, Tia.

Uma sombra se ergueu sobre a minha cabeça.

— Agora, mesmo que se arrependa, você não pode.

Uma mão grande se estendeu em minha direção.

— Perez, se acalme por um momento…

Eu não pude terminar minhas palavras.

Com um som de impacto, o corpo de Perez abaixou.

Ele se ajoelhou na minha frente.

E a mão que se estendeu para mim pegou minha mão em meu colo.

Sua mão, que parecia abraçar a coisa mais preciosa do mundo, tremia terrivelmente.

— Casa comigo, Tia.

Foi como se eu tivesse voltado ao dia em que fui pedida em casamento.

Mas Perez naquela época não estava tremendo assim.

— Por favor, me ame de novo.

Ele nem implorou por afeto assim.

— Me dê uma chance. Porque eu, eu vou trabalhar duro. Por favor.

Isso não está certo.

Voltei a mim como se tivesse sido atingida por uma tempestade de água.

— O que você está falando agora?!

— … Tia?

— Você não vê que eu estou usando meu vestido de noiva agora mesmo? Se eu não casar com você, com quem eu vou casar?

Eu segurei seu rosto com ambas as mãos.

— Perez Brivacau Durelli! Você não vai se casar comigo?

— … eu- eu vou.

— Mas o que é isso agora? Explique direito.

— Eu, quer dizer.

Perez tateou minha mão como se não acreditasse.

— Tia, eu pensei que você estava se arrependendo de se casar.

— O quê?

— Acho que é a Onda Azul…

— Que besteira é essa?! Quem é, quem é? Não. São os três idiotas sem nada para fazer, certo? Certo?

Perez assentiu perplexo em vez de responder.

Eles não teriam dito isso do nada. Por que você pensou isso?

— Tia, você não estava com uma boa aparência e evitava olhar nos meus olhos na reunião, então…

— Então?

— Então suspirou…

Oh, meu Deus.

Isso foi realmente ‘Oh, meu Deus’.

Tudo isso aconteceu porque eu estava com enjoo matinal.

— Ah.

Um suspiro profundo escapou.

Ah, nem eu sei.

— Bem, olha.

Eu segurei a mão de Perez e o conduzi até minha barriga.

— Aqui.

Era a mão que tocou a árvore do mundo.

— Aqui está meu filho.

Eu não pretendia contar isso.

No entanto, não tenho escolha a não ser resolver o enorme mal-entendido de Perez.

— Tia, o que você está dizendo…

— Estou grávida.

Desta vez, para que ele não se confunda, eu disse palavra por palavra.

— Aqui está você, eu e nosso bebê.

— … be- bebê?

— Sim. Talvez metade entre você e eu, como o bebê.

Dizendo isso, eu peguei sua palma para que pudesse tocar completamente minha barriga.

— Escute atentamente. Você vai saber se está lá.

Era Perez quem ultrapassava os limites humanos e sentia coisas que os outros não podiam.

— Eu tive enjoo matinal severo. Todos os seus mal-entendidos foram porque eu não estava me sentindo bem por causa do enjoo.

— Ah…

— No dia em que suspirei, de repente tinha comida na sala de reuniões.

É ridículo.

Como você pode errar por tanto tempo, não importa o quanto esteja errado?

O trio da academia é o problema.

Eu vou ter que chamá-los em algum momento e educá-los.

— Então, não se preocupe estranhamente, certo? Se você disser que não vai se casar depois de ter um bebê assim, o mais difícil é dizer que eu sou… Perez?

Algo estava estranho.

Perez não disse nada.

Uma mão ainda estava presa ao meu baixo ventre, e ele apenas abaixou a cabeça silenciosamente.

— De jeito nenhum.

Ei, talvez.

Eu lentamente segurei Perez pelo queixo e o levantei.

A cabeça que não resistiu virou-se lentamente na minha direção.

Eu espero que ele não esteja realmente.

— Perez, você… você está chorando?

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥