Selecione o tipo de erro abaixo

Todo o país estava em um estado de desordem.

Foi apenas uma reação natural ao fato de que o Primeiro Príncipe tentou matar o Imperador, mas foi pego em flagrante pelos cavaleiros imperiais.

Os nobres também ficaram inquietos.

Nesse ínterim, aqueles que estavam pedindo favores a Astana ficaram pasmos e ansiosos para serem vistos bem por Perez.

Embora ele tenha sido o primeiro e legítimo príncipe gerado pela Imperatriz, tudo era inútil em face das temíveis acusações de tentativa de assassinato e traição.

— Há nobres fazendo fila em frente ao Palácio Poylac do Segundo Príncipe todos os dias.

Bate se reportou a mim.

— Mesmo agora, eles ainda estão tentando ganhar o favor e seguir Perez. Mas não sei se posso dizer isso.

Perez não os afastará.

Ele não é um príncipe herdeiro que exclui aqueles que decidem o seguir.

Mas ele definitivamente cortará as cabeças de alguns daqueles que se opuseram a ele.

— Quantas pessoas ainda permanecem do lado da Imperatriz atualmente?

— Há muito mais do que esperávamos.

Bate respondeu à minha pergunta encolhendo os ombros.

— Em primeiro lugar, agora, o poder das poucas famílias leais restantes, incluindo Angenas e suas famílias vassalos, ainda é bastante forte. Também há muitos que se casaram com a família Angenas através do arranjo da Imperatriz.

— Você está dizendo que aqueles que não podem mais cortar suas conexões com o Primeiro Príncipe ainda estão firmes.

— Corre o boato de que o Primeiro Príncipe estava louco quando tentou matar o Imperador. A quantidade de pessoas que também querem levar em conta os fatores externos também não é pequena.

— Então, ele não estava em seu juízo perfeito?

Ainda me lembro claramente do rosto de Astana daquele dia, quando ele avançava com uma faca.

Ele definitivamente devia ter estado louco.

Com certeza.

Bate balançou a cabeça.

— Ele estava bêbado de magia. A ponto de não ser capaz de reconhecer sua mãe ou pai.

— Mas provavelmente não é fácil para alguém ficar tão bêbado com magia a esse ponto. Estou certa?

Bate acenou com a cabeça desta vez.

Mesmo se fosse à Floresta do Homem Louco ou pegando um monstro, não era fácil para a magia se espalhar a esse ponto.

Além disso, por estar perto da entrada da Floresta do Homem Louco também.

— Será que ele possivelmente tomou algum tipo de medicamento que pudesse absorver magia…

O fato de Bate dizer isso significa que ele não pode revelar a fonte exata, mas definitivamente havia informações sobre isso.

— Remédio, você diz…

Foi Perez.

Desde o início, foi ele quem se propôs a realizar uma competição de caça na Floresta do Homem Louco.

Preparar a armadura de ouro para o imperador também foi um de seus pedidos.

— Você identificou o monstro de que falei da última vez?

— Sim. Kangpara é um monstro com garras longas e, como os corvos, tem o hábito de coletar itens que brilham.

Como sempre. Correu de acordo com minhas expectativas.

Perez havia conduzido deliberadamente o imperador por esse caminho a fim de trocar sua própria armadura.

— Parece que finalmente começou.

A vingança de Perez.

Em sua vida anterior, sua vingança foi longa e completa.

Começando com o príncipe e subindo a partir daí, ele devolveu toda a dor que havia sofrido.

No entanto, nunca pensei em parar Perez.

Não, em vez disso, estava planejando ajudá-lo.

Eu me virei para olhar para Clerivan e disse.

— Clerivan. Parece que a hora de usar ‘isso’ está se aproximando. Certifique-se de que você se preparou para isso adequadamente.

— Sim. Vou movê-lo para a mansão Lombardi.

Clerivan respondeu com um sorriso relaxado no rosto.

• • •

O imperador Yovanes, sem conseguir dormir, derramou álcool em um copo de pele abatida.

Ele bebe até perder a consciência e adormece sob a influência do álcool.

Então, quando ele se levanta na manhã seguinte, ele pega a garrafa de bebida novamente.

Era a rotina diária recorrente do Imperador após retornar da competição de caça.

Por fim, chegou a um ponto em que um servo tomou a iniciativa de contatar Rulak separadamente.

— Tome um copo.

Disse Yovanes, colocando um copo de licor na frente de Rulak.

— Você está bebendo esse tipo de bebida forte todos os dias?

Rulak perguntou enquanto franzia a testa.

— Eu não consigo dormir bem a menos que eu beba isso.

Um Yovanes fraco respondeu impotente.

Mesmo assim, ele rapidamente derramou o licor dourado em sua boca e engoliu em um gole só.

— Eu gostaria de poder transmitir algumas boas notícias a Vossa Majestade, mas…

Rulak quebrou o silêncio e começou a falar, baixando a taça de vinho sem saboreá-la.

— Você precisa prestar atenção ao sentimento público que está acontecendo fora do palácio.

O imperador Yovanes franziu a testa com a verdade nas palavras de Rulak e fez uma careta, pressionando sua têmpora.

Isso significava que ele não queria ouvir.

Mas Rulak continuou a falar, ignorando as ações do imperador.

— O boato sobre a tentativa de assassinato do Primeiro Príncipe contra você se espalhou, deixando o público ansioso. Além do mais…

Rulak prolongou deliberadamente o final de sua frase para incitar a curiosidade de Yovanes.

— A história da família Brown se tornou um assunto quente novamente.

— A família Brown?

Yovanes, que já estava servindo sua segunda taça, de repente ergueu os olhos.

— O que exatamente é o boato?

— Era o velho boato sobre a família Angenas atacando a família Brown e matando o Patriarca Brown há mais de quarenta anos.

— Então, o que exatamente é esse velho boato…!?

Rulak lançou um olhar para Yovanes que parecia perguntar, ‘você realmente quer saber?’

Após um momento de silêncio, Rulak abriu a boca.

— Não é o Primeiro Príncipe, que é o herdeiro legítimo, enlouquecendo e tentando matar o Imperador, uma punição e retribuição por trair e abandonar a família Brown, que eram súditos leais há muito tempo…? Bem, esse é o boato.

— Que bobagem!

Yovanes ficou indignado.

— Mas isso não é algo que eu fiz, é?! Isso é algo que o falecido imperador fez!

Yovanes se sentiu injustiçado.

Foi decisão do falecido imperador apoiar a casa Angenas, da qual ele havia permanecido próximo desde o tempo em que era um príncipe.

Então, de alguma forma, eles fizeram vista grossa para a expulsão dos Browns e o estabelecimento dos Angenas no oeste, juntando seus filhos, Yovanes e Lavigne em casamento depois.

Tudo tinha sido escolha do falecido imperador! Por que o próprio Yovanes deveria ser o alvo dessa maldição?

Já oprimido por constantes aparições em seus sonhos e problemas para dormir, ele não podia acreditar que também havia passado por algo tão incômodo.

Ele era como um homem que ficou no caminho de seu filho, mesmo em sua morte.

— Como o ignorante saberia melhor?

Rulak pareceu ficar do lado de Yovanes suavemente e disse.

— São apenas os sussurros abafados que dizem que a família real está recebendo retribuição por abandonar a família Brown. A família Brown, que é famosa entre os plebeus por sua esgrima imperial.

— Hmph.

Yovanes bufou.

— Eu entendo por que seu pai se sentiu tão ressentido com a família Brown. A família Brown, cuja esgrima imperial empolgou a população, a família Brown, que visão.

O ciúme do imperador é assustador.

Para a família Brown, o preço desse ciúme foi a destruição de sua família.

— Mas, nas atuais circunstâncias, não haveria ninguém que pudesse acabar com esses rumores tão rapidamente quanto a família Brown.

— O que você quer dizer?

Yovanes, o imperador que odiava receber ódio, animou os ouvidos.

— Reintegrar a família Brown. Se você fizer isso, os rumores fúteis sobre os Angenas também se acalmarão.

— A família Brown, você diz…

Yovanes perguntou a Rulak enquanto esfregava seu queixo.

— Não seria difícil? Quer dizer, reintegrando-os agora, depois de algumas décadas já se passaram.

— Contanto que Sua Majestade traga a família Brown como assunto de conversa na próxima reunião aristocrática, todo o resto vai se encaixar.

O Segundo Príncipe atrás dele, aquele cachorro selvagem cuidaria disso.

Deve ter havido um plano nesse sentido quando a família Brown foi abatida.

— Pelo menos enquanto discutia a família Brown, a conversa sobre a família imperial não seria perdida?

Rulak sorriu vagarosamente.

Yovanes, que vinha agonizando com o problema por um tempo, respondeu logo em seguida.

— Certo, vou fazer o que você diz.

Acontece que uma reunião nobre também foi agendada para dentro de alguns dias, então o momento também tornou a decisão apropriada.

— O que você está planejando fazer sobre o assunto referente ao Primeiro Príncipe?

Diante da pergunta de Rulak, Yovanes bebeu mais um copo.

Foi porque os olhos injetados de sangue do falecido imperador, que havia trazido uma maldição de repente, vieram à sua mente.

Yovanes, que apenas encolheu os ombros, perguntou a Rulak em resposta.

— Você sabe por que deixei o Segundo Príncipe nas mãos da Imperatriz?

Rulak já havia respondido a essa pergunta em sua mente, desde o dia em que vira o Segundo Príncipe pela primeira vez, vivendo em um palácio separado em ruínas.

— Provavelmente porque o Segundo Príncipe se parece muito com o falecido imperador.

— Está certo. É por isso que o mantenho longe de mim, desde que ele era criança.

A verdade é que, na verdade, foi o Primeiro Príncipe o produto dessa maldição.

Yovanes, como se não quisesse mais pensar nisso, apertou uma das mãos em um movimento de golpe e disse.

— Eu pretendo deixar este assunto para o Segundo Príncipe. Afinal, ele estava lá comigo quando aconteceu, então ele poderá investigar os detalhes adequadamente. Eu não quero me preocupar com isso.

Oh querido, abençoe sua alma.

Rulak cerrou os punhos com força em um esforço por conter sua súbita vontade de rir.

O idiota dono de uma peixaria estava deixando a porta aberta para o gato entrar bem na sua frente.

Ele sentiu como se seus lados fossem explodir de tanto rir.


Um estrondo veio da sala onde o Primeiro Príncipe estava sendo detido.

— Remédio! Traga-me o remédio! Ahhhhh!

Gritos desesperados também vazaram pelas fendas da porta.

Por volta do início da noite, quando Astana acordou, desde então, ele começou a gritar daquele jeito sem parar.

— Oo que devemos fazer…

Um príncipe ainda era um príncipe, mesmo que estivesse preso por um pecado imperdoável.

Duas criadas que foram designadas para limpar a bagunça de tal príncipe ficaram ansiosas e sem saber o que fazer quando ouviram os sons que vazaram de dentro.

— Eu já dei todos os remédios…

— D- Devo informar o palácio?

Foi quando as empregadas cujos olhos tremiam de nervosismo porque não aguentavam, que alguém disse.

— Não há necessidade.

Uma voz baixa foi ouvida atrás deles.

— Vossa Alteza, o Segundo Príncipe!

Os rostos das criadas iluminaram-se imediatamente assim que viram Perez com os cavaleiros imperiais.

— Você pode voltar amanhã de manhã.

Ao comando de Perez, as empregadas saíram correndo como se estivessem fugindo e não quisessem ser apanhadas novamente.

— Vamos.

Lorde Sloan os estava liderando.

Assim que a porta se abriu, gritos de Astana começaram.

— Ei! Você! Você acha que pode me amarrar assim e sair com o pescoço intacto?! Me deixe ir! Agora! Argh!

Astana, que tinha um pé amarrado à cama, contorceu todo o corpo e gritou.

— Eu vou te matar por me insultar assim…!

A gritaria de Astana parou logo depois que Perez entrou na sala.

— Astana Nerempe Durelli. Começaremos o interrogatório referente à sua tentativa fracassada de assassinato contra o imperador e traição.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥