Selecione o tipo de erro abaixo

Calabouço era escuro e úmido.

Entre as celas, a Imperatriz Lavigne estava sentada no lugar mais profundo.

— Não parece tão confortável.

Perez disse, lançando uma longa sombra escura feita de tochas no corredor da prisão para dentro da cela.

A Imperatriz no escuro era como uma flor murcha.

A aparência glamorosa que antes chamava a atenção de todos agora perdeu sua luz.

Ela ainda estava sentada com a coluna firmemente ereta, fingindo ser nobre e confiante, mas no olhar da pessoa que estava fora das barras de ferro, ela era apenas uma pecadora imunda.

Não havia lugar para a beleza intervir sob seu cabelo bagunçado, roupas sujas e olhos que ficaram pretos por falta de sono.

O motivo era fácil de prever.

— Os ratos não são criminosos tão asquerosos?

Como se até mesmo um segredo fosse captado pelas palavras tranquilas de Perez, o corpo da Imperatriz vibrou muito.

— Se você quiser fechar os olhos e adormecer, é fácil espremer até mesmo as menores lacunas e comer o que quiser, e o som de rastejar ao redor da cama como se algo estivesse mirando em carne humana provavelmente vai deixar alguém louco.

Masmorras ou o castelo abandonado.

Era o lar perfeito para animais que viviam longe dos olhos humanos.

— Abra a porta.

Perez disse ao guarda:

Alguns fechos pesados ​​soaram e Perez entrou na cela.

— Você está aqui para me matar?

Imperatriz Lavigne perguntou a Perez com seus olhos brilhantes.

— Ainda não. No entanto, não há sinal de remorso no pecador.

— Ha!

A Imperatriz Lavigne bufou.

— Eu não fiz nada de errado. Você e eu apenas travamos uma guerra por nossas vidas. Eu perdi e você está destruindo Angenas. É como se eu já tivesse pago pelos meus pecados.

A Imperatriz disse, erguendo o queixo com seu rosto desavergonhado.

— Eu paguei o preço culpado.

Perez olhou para a Imperatriz com olhos frios.

— A pessoa que foi punida não tem intenção de ser perdoada, mas pagou um preço culpado. Essa é uma maneira estranha de dizer.

Todas as noites, por mais que tentasse tapar os ouvidos, a voz da mãe, que ouvia, continuava tão clara.

— Você está muito longe de seguir a dor pela qual minha mãe passou, Imperatriz.

Perez acrescentou brevemente.

— Você ainda não está me implorando para matá-la?

Quando ele viu os olhos azuis tremendo de medo instintivo, ele sentiu a raiva que tinha estado forte para enviar a Imperatriz à morte se acalmar um pouco.

Não vai ser tão fácil.

Claro, ele não pretendia deixar a balança inclinada para a Imperatriz por muito tempo.

— Traga-me.

Por ordem de Perez, o guarda que guardava a porta moveu-se rapidamente.

Pouco depois, a masmorra silenciosa tornou-se barulhenta com o som da porta.

— Ei! Me solte! Me solte! Hiik! Não me bata! Eu estava errado!

A voz era familiar para Perez e a Imperatriz Lavigne.

— … Astana?

— Uh, mãe!

Astana, que havia sido arrastado pelos soldados, reconheceu a Imperatriz Lavigne e chorou como uma criança.

Embora ele fosse estritamente o Primeiro Príncipe do Império, a aparência miserável de Astana era mais a de um vagabundo.

Mesmo se você lavar os olhos, não conseguirá encontrar a nobreza natural do Príncipe.

Enquanto Perez olhava em silêncio, os soldados soltaram a mão cativa de Astana.

— Mãe!

Astana correu para a Imperatriz Lavigne e agarrou a bainha do vestido dela, e sua aparência já adulta era surpreendentemente imatura.

Se Astana fosse o imperador, todos saberiam quem realmente teria o poder do imperador.

Eles sabiam sem ter que pensar muito.

Os guardas que estavam assistindo ao lado de Perez também sentiram isso, e silenciosamente se entreolharam e franziram a testa.

— Oh, o que há de errado com o seu rosto…?

A Imperatriz olhou para o rosto machucado de Astana com as mãos trêmulas.

— Eles são…! Uh!

Astana disse, apontando o dedo para os soldados que o arrastaram.

— Ele não queria vir… não pude evitar.

O soldado rapidamente deu uma desculpa para Perez.

— Se o pecador não escuta as ordens, é inevitável.

— Seu desgraçado!

Lavigne gritou com Perez.

— Astana é o Primeiro Príncipe do Império! Não importa o quão poderoso você seja, você não pode tratar o sangue de sua Majestade assim!

A Imperatriz Lavigne abraçou Astana com um braço.

Perez respondeu friamente à aparência triste.

— É um comando para identificar completamente os pecados restantes, independentemente de seu status.

— … Yovanes!

A Imperatriz cerrou os dentes, furiosa.

Foi bem diferente daquele que disse há pouco: ‘Nós apenas lutamos na guerra’.

E ela gritou enquanto olhava adagas para Perez.

— Você é um demônio!

Astana, que foi abraçada pela Imperatriz, começou a chorar.

— Mãe! Eles me trataram mal! Como ousam me tratar como um animal!

— Está tudo bem, Príncipe. Está tudo bem.

A Imperatriz agia como uma pobre mãe protegendo seu filho.

E a figura tocou em algo dentro de Perez.

A cor de seus olhos vermelhos, quando ele olhou para os dois se abraçando com a cabeça ligeiramente inclinada, ficou ainda mais escura.

Ela disse que eu era um demônio?

Nesse caso, terei de corresponder a essa expectativa.

— Astana.

Astana ergueu a cabeça para o chamado de Perez e fungou.

— O que, o que!?

— Vossa Majestade confiou-me todas as investigações desta rebelião e da tentativa de homicídio.

As palavras de Perez chegaram a Astana através das paredes frias da prisão.

— É por isso que você está trancado em uma prisão ao invés de em seu palácio.

— Como esperado, voce…!

— E ainda assim o verdadeiro culpado por trás do que aconteceu na Floresta do Homem Louco não foi revelado.

Astana parou de falar.

Sua cabeça estúpida se virou ferozmente, tentando descobrir o significado das palavras de Perez.

Perez disse que o destino de Astana estava tranquilo.

— Vou tornar mais fácil para você. Em suma, você ou sua mãe serão os culpados.

— Bem então…

— Mas, como a Imperatriz disse, você é um corpo precioso que herdou o sangue do Imperador, então eu lhe darei uma escolha.

Perez disse com um sorriso em um lado da boca.

— Neste momento, admita que sua mãe, a Imperatriz Lavigne, deu a você uma adaga e ela disse para você matar o Imperador.

— O que, o que…?

— Então levarei em consideração sua cooperação com a investigação e o tirarei da prisão imediatamente.

E Perez fez mais uma sugestão.

Ao longo dos dias na prisão, Astana chamou a comida que seus guardas lhe deram de lixo, e ele nunca tocou em nada.

— Se você escrever uma confissão detalhada da situação na época com sua própria letra, eu lhe darei tudo o que você deseja comer.

Todo o incidente na Floresta do Louco ocorreu conforme planejado por Perez.

Astana teve que sair da prisão e fabricar coisas que não aconteciam com a condição de comida.

Perez esperou pela resposta de Astana de forma relaxada.

Isso é ridículo.

Lavigne zombou da sugestão de Perez no fundo.

Não era uma proposta para garantir a sobrevivência, nem uma proposta para garantir direitos mínimos como um príncipe herdeiro.

Nesta situação, onde a vida pode ser perdida devido à traição imediata, a oferta de Perez em troca era inútil.

Quem aceitaria…

O ridículo da imperatriz parou quando Astana soltou a mão da sua e se afastou.

— … príncipe?

Surpreso, Lavigne chamou por Astana, mas Astana evitou seu olhar.

Ao mesmo tempo, havia um sorriso de escárnio nos olhos de Perez.

A Imperatriz se assustou e tentou impedir Astana.

Ela estava tentando aconselhá-lo a não cair nas palavras de Perez, que nem mesmo garantem sua vida.

— Príncipe! Se você passou por tal sugestão…!

— Não foi minha culpa desde o início.

Astana murmurou, ainda incapaz de olhar para Lavigne.

— É tudo culpa da minha mãe, e não é justo eu me envolver.

Lavigne desistiu de tentar ajudar Astana.

Em vez disso, ela tremeu com a traição.

— Uh… Como… Como você ousa fazer isso…

— Não é tudo porque minha mãe e Angenas eram gananciosas além de suas possibilidades?

Astana apertou o braço de Lavigne, ainda o segurando. E gritou enquanto pulava de seu assento.

— Se uma nobre da parte ocidental do país tivesse se tornado uma imperatriz, ela teria ficado satisfeita com isso! Como você ousa me colocar em tal lugar!

Astana agora condenou Lavigne.

E ele disse com um sorriso brilhante para Perez.

— Você e eu somos irmãos. Irmãos do mesmo pai e compartilham o mesmo sangue.

E então ele surgiu com um balanço.

— O que quer que você diga, farei o que você me disser para fazer. O que quer que minha mãe e Angenas façam, não tem nada a ver comigo, irmão.

Com uma mão estendida, Perez deslizou para evitá-lo.

Em vez disso, ele deu uma ordem aos guardas.

— Solte-me! Eu andarei com meus próprios pés!

Astana disse, olhando para os soldados, e correndo para fora da prisão.

— Eu quero comer pão e carne recém-casados! É melhor você ter tudo pronto!

Astana, que estava se afastando, olhou para Lavigne no final.

Mas foi só isso.

Deixando sua mãe sozinha no chão frio da prisão, Astana escapou da masmorra como se estivesse fugindo.

Essa pessoa estúpida.

O bem-estar de Astana está garantido apenas até que ele receba sua confissão.

Embora ele não pareça saber ainda.

Perez zombou das costas de Astana.

— Hahaha…

A Imperatriz sentou-se e riu em vão.

Não há foco em seus olhos e aparentemente olhando sem expressão para o chão da prisão.

— Como… como pode…

— Estou feliz por ter atendido às suas expectativas.

Perez disse em uma voz de riso.

Então, Lavigne gritou.

— Você deve estar feliz por ter sua vingança! Mas isso é só por um momento! Logo você será consumido pela vingança!

Então, como se ela percebesse algo, ela agarrou sua barriga e riu.

— Haha! Sim! Já funcionou! Você conseguiu assumir o trono para se vingar de mim! É por isso que você não pode viver com aquela garota!

— Hahahahaha!

A risada louca da Imperatriz soou alto na cela.

— Isso é ótimo! Muito bom! Continue vivendo infeliz!

No entanto, lágrimas escorriam dos olhos da Imperatriz.

Mesmo no momento em que ria loucamente, a Imperatriz batia em seu peito com o punho como se estivesse de luto.

O som da risada de repente tornou-se um grito como o de um animal e, a certa altura, tornou-se uma risada louca.

E depois de algum tempo, a risada da Imperatriz estalou.

— Mate-me. Como a imperatriz que ousou matar o Imperador, coloque-me na mesa de execução. Você não deveria ter que completar sua vingança?

Era uma voz exausta, quebrando em pedaços.

Mas Perez balançou a cabeça.

— Você me subestimou de novo. Não é algo que você ouse completar minha vingança com apenas a sua morte.

Com um tom distintamente diferente, Perez jogou um pedaço de papel aos pés da Imperatriz.

— É a desolação da Imperatriz. Isso significa que você não é mais a Imperatriz do Império Lambrew. Quero dizer, você não pode morrer na mesa de execução.

As mãos secas de Lavigne mal pegaram o papel usado.

Perez mais uma vez confirmou a Lavigne.

— Você não é mais nada.

O corpo de Lavigne começou a tremer, como se ela fosse atingida por um raio.

— Não, você não pode… eu não posso, não…

Lavigne balançou a cabeça negando a realidade.

Perez se aproximou de Lavigne bem ao lado dele e baixou sua postura.

Então ele disse baixinho, olhando diretamente para os olhos azuis injetados de sangue, salpicados de lágrimas, sem erro.

— Deixe-me ser claro. Você vai morrer aqui. Pode ser hoje, pode ser amanhã.

Os lábios rachados de Lavigne tremeram.

— Você vai morrer.

No entanto, não evocou nenhuma emoção em Perez.

— Alguém pode entrar e atacar você, ou eles podem cortar sua garganta enquanto você está dormindo. Ou talvez a comida servida pelo guarda esteja envenenada.

O rosto de Lavigne foi lentamente tingido de medo.

— Então viva cada dia no inferno, sentindo que todo dia será seu último dia. Esquecida e apodrecendo neste lugar onde ninguém te salvará, Lavigne Angenas.

Perez, que disse isso, levantou-se e saiu da cela.

— Não desse jeito! Ahhhhh! Mate-me, sim! Mate-me! Não!

Lavigne correu para matar Perez assim, mas ela foi rapidamente pega nas mãos dos soldados.

Perez finalmente ordenou aos guardas friamente.

— Se a pecadora quiser se matar, amordace-a e amarre seus membros.

Os passos de Perez para fora da masmorra foram enterrados no grito de Lavigne.

Mas isso também é por um tempo.

Quando a porta grossa se fechou atrás das costas de Perez, do lado de fora da prisão, tudo o que ele pôde ouvir foi um vento silencioso.

Tudo sobre Lavigne está trancado na masmorra assim.

Perez caminhou pelo palácio imperial sem olhar para trás.


— Não tenho visto Perez nos últimos dias.

Quando saí da mansão Angenas, disse a Clerivan.

— Tenho certeza de que é agitado. Ele é o responsável por todo o trabalho do imperador.

— Oh, isso mesmo.

A condição do imperador ainda não está melhorando hoje e provavelmente até amanhã.

Alguém terá que cuidar do trabalho acumulado.

— Eu preciso me acostumar com isso.

Perez ficará cada vez mais ocupado.

O mesmo aconteceu comigo.

Portanto, no futuro, não serei capaz de ir e voltar com a mesma frequência que antes.

Mesmo sabendo disso, meu coração ainda estava dolorido.

Ignorando a dor, falei com Clerivan.

— Vamos andar na carruagem juntos. Vou deixá-lo no caminho.

— Obrigado.

O interior da carruagem voltando da Eclíptica para a propriedade Lombardi estava silencioso.

Eu acho que está na hora.

— Bem, Lady Florentia.

Como esperado, Clerivan abriu cuidadosamente sua boca.

— Diga-me, Clerivan.

Foi Clerivan quem disse que queria dizer algo da última vez.

O assunte de Angenas está chegando ao fim.

Eu estava certa quando pensei que era hora de Clerivan trazer à tona o que ele disse da última vez.

— Haa…

Depois de um breve suspiro, Clerivan olhou para mim e puxou algo de seus braços.

— O que é isso?

Abri o papel perguntando assim.

E parecia que meu coração estava batendo e afundando.

— Este…

— Este é o contrato vitalício que escrevi no dia da criação da Pellet Corporation.

Clerivan tossiu alto mais uma vez, e ele disse.

— Por favor, termine este contrato.

Que?

— Eu acho que tenho que retirar meus direitos de Pellet, Lady Florentia.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥