Capítulo 25: Treino de Luta

— Formem um quadrado! — grita o treinador.

Todos o obedecem. O pessoal está um pouco confuso tentando se organizar, mas não leva tanto tempo até que formem um quadrado. Como a quantidade de alunos é gigantesca, o quadrado é equivalente de tamanho. O treinador entra no quadrado e fica no meio dele, enquanto olha para a gente em silêncio.

— Venha cá você. — Kayatos aponta para um aluno que sai do quadrado receoso. — Você também. — Aponta para outra aluna. — Vocês vão para lá. Os dois andam até o local onde são falados para ir e ficam lá esperando as próximas ordens.

Fico olhando ele nos observando atentamente, ao redor de outros esperando quem irá chamar dessa vez,

— Você. — Dessa vez sinaliza para outro. O menino que sai é o mesmo que arranjou briga comigo. Ele para ao lado do Kayatos.

Quando observa os alunos, vejo seu olhar em mim por alguns momentos, só que depois continua vagando seus olhos nos outros.

— Venha. — Outro é escolhido. — Vocês dois vão para lá. — Ele aponta para o outro lado do quadrado.

O Kayatos escolhe mais dois, então começa a falar.

— Isso aqui vai ser simples, vocês vão apenas lutar com quem eu escolher. Nada de golpe em partes vitais, como os olhos. Genitais estão liberadas. O primeiro que for imobilizado ou desmaiar perde. — Ele se afasta lentamente do centro do quadrado e diz. — Podem lutar.

As duplas ficam confusas por um momento, porém logo percebem o que tem que fazer e ficam em posição para lutarem. Ninguém ataca inicialmente, apenas ficam andando em círculos esperando o outro atacar. Só que, inesperadamente, alguém faz um movimento. O Maksi. Bem, eu esperava que fosse o primeiro a atacar

O Maksi avança contra seu oponente. Consigo ver seu olhar de surpresa pelo movimento repentino. Esse oponente tem uma altura mediana, provavelmente ambos têm a mesma altura, seu físico tem alguns pequenos músculos, nada que se sobressaia tanto e veste roupas cinzas. O oponente recua quando o vê atacando, mesmo assim, avança ainda mais contra ele. Não é uma luta, é só alguém fugindo e o outro atacando. Percebo que o Maksi se irrita e vai com ainda mais ímpeto contra o garoto. O oponente parece estar cansado e não consegue fugir. Acho que a corrida esgotou sua energia.

O Maksi não para sua investida e vai com tudo para cima do menino. Quando chega perto o suficiente para atingir o seu oponente, o vejo preparando uma postura para usar toda sua força, é bem aberta e cheia de abertura, porém parece ser de propósito isso. Talvez saiba alguma arte marcial. Seu punho se move rapidamente até o rosto do garoto, o soco é tão forte que ambos se desequilibram, o menino cai no chão e o Maksi apenas tropeça um pouco. Sangue voa, manchando o chão, e o oponente fica norteado. Será que ele vai se levantar? Depois dessa, eu acho difícil.

A plateia foca sua atenção nessa dupla vendo o rápido embate. Até os outros dois confrontos pararam momentaneamente por causa do soco, só que o treinador dá uma encarada neles, então voltam a lutar, melhor dizendo, a andar em círculos.

— Um dos confrontos acabou, o vencedor e perdedor pode voltar. Os outros continuem a lutar — fala o Kayatos.

Por causa da luta do Maksi, os que faltam para terminar a luta começam a realmente brigar. Não é algo unilateral como o último confronto, então fica mais interessante de se assistir. Eles lutam por um tempo até cansarem e um terminar com o outro. Os ganhadores são uma menina e outro garoto aleatório.

A feição do Maksi, incrivelmente, não é de arrogância, e sim indiferente, é mais como se isso fosse natural. Os outros que ganharam tem seus peitos estufados e olhar de confiança.

— Certo. Agora que, finalmente, terminaram, vamos para outra rodada. — O treinador faz o mesmo processo anterior de chamar cada pessoa individualmente.

O Kayatos já chamou duas duplas, só falta mais uma.

— Venha você. — Ele aponta para mim.

Ando lentamente em sua direção, então fico ao seu lado. Ele é maior que eu. Sinto os vários olhares dos outros alunos me perfurarem, acho que chamei muita atenção logo no meu primeiro dia. O treinador chama um garoto um pouco menor que eu, cabelo negros, alguns músculos no corpo, além de um olhar de confiança. Outro arrogante? Kayatos manda nós dois para o local e grita para lutarmos.

Mantenho minhas mãos no bolso esperando ele fazer um movimento. Observo ele que está com as mãos levantadas e uma postura boa, esse teve pelo menos algum treinamento de combate. Seus olhos não me tiram da sua visão e seu rosto é sério, mas consigo ver uma pequena parte da sua boca levantada.

O rapaz avança até mim rapidamente, eu apenas fico parado esperando ele. Suas sobrancelhas se franzem um pouco. Movo meus pés para uma posição confortável e o encaro. Simplesmente não consigo me amedrontar com ele, a besta que enfrentei quando esse corpo era uma criança foi mais assustadora.

Sua movimentação é leve, seus pés pisam com cuidado no chão, deve estar calculando a nossa distância para um ataque. Seus passos diminuem de velocidade e começa a andar a minha volta me examinando. Ele acha que estou escondendo algo? Só me ataca logo para eu ficar em paz.

Dessa vez vem rapidamente me atacar, já deve ter decidido sua estratégia. Me movo de acordo com ele, arrumo minha postura e contraio o abdômen com as mãos ainda no bolso. Ele entra no meu alcance, então o vejo se preparando para dar o soco. Como estou com as minhas mãos no casaco, ele não se preocupa na defesa e me ataca com tudo.

Rapidamente, pulo para o lado me esquivando dele, fico ao seu lado e seu punho passando colado a mim, após isso solto o ar pela boca, enquanto chuto suas canelas com toda a força que tenho. Como apliquei muita força, puxo suas pernas do chão para trás, o tirando do chão. Boto a mesma perna que chutei no chão e fixo ela lá, então viro meu corpo e dou outro chute nas suas costas com ele ainda no ar. Seu corpo que cai no chão faz um barulho alto e levanta poeira, me afasto para não sujar o casaco que a Matys fez para mim com terra.

Que silêncio… Olho em volta e vejo todos me olhando. Acho que chamei mais atenção para mim. Espero tranquilamente o treinador falar para eu ir, enquanto os vários olhares continuam me examinando.

— A dupla que terminou pode voltar! Os que faltam continuem! — Kayatos continua a agir normalmente.

Ando até onde estava antigamente, no caminho percebo as cabeças dos outros virando a cada passo que dou. Chego no meu lugar fico observando os outros lutando, dessa vez ninguém correu, talvez, seja a vergonha de fugir após ver as lutas que tiveram antes, mas mesmo não fugindo, eles demoram bastante para dar cada golpe pelo medo.

Essa rodada acaba e o Kayatos volta a escolher a dedo os próximos. Por que ele escolhe assim? Ele pega cada um aleatório? Bem, não faz diferença. Não é como se importasse isso. Com a próxima rodada, ele escolhe outras pessoas aleatórias, mas quando o treinador chama uma menina, ela me chama atenção, porque está vestindo uma roupa que cobre seu corpo, como uma túnica e um capuz escondendo seu rosto.

Ela caminha lentamente para o lugar que vai batalhar e espera as próximas ordens. Enquanto isso, ouço uma conversa estranha de alguém ao meu lado.

— Essa não é uma maga? — uma voz diz.

— Sim é ela! Parece que ela é um demônio — outra voz diz.

Oh, parece que essa vai ser uma luta interessante.

 

Banner PC Vulcan Novel
Facebook
Twitter
WhatsApp
Email
Criado Por Metal_Oppa! <3
Letras
16
Tema
Fundo
Fonte
Texto