Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

As outras duas batalhas também terminaram rapidamente.

Além do Mestre Druida, que conseguiu escapar do cerco com alguns dos druidas, os elfos restantes caíram nas mãos dos adeptos.

Isso incluía os três unicórnios.

Afinal, não tinham asas. Eles não podiam se transformar em pássaros e voar para longe como os druidas podiam. A única opção deles era atravessar o cerco em terra.

No entanto, as linhas defensivas que Greem estabeleceu eram densas e concentradas. Ele até sacrificou ativamente três máquinas mágicas de espada e escudo para resistir ao ataque desesperado dos unicórnios. Ele então reuniu o poder de fogo das Bruxas do Destino e derrubou os unicórnios.

As estatísticas do campo de batalha surgiram rapidamente com a dispersão da fumaça e das chamas da guerra.

A batalha em Jintha’Alor rendeu aos adeptos duzentos e quarenta e um elfos comuns, seis elfos com classes de combate (Primeiro Grau), um Mestre Druida (Masculino, Segundo Grau), dois unicórnios jovens – um macho e uma fêmea (Segundo Grau) – e um Unicórnio Filhote (Primeiro Grau), um Mestre de Armas (Masculino, Segundo Grau) e um Pistoleiro (Fêmea, Segundo Grau) e assim por diante.

O número de elfos da floresta assassinados totalizou duzentos.

Não houve escolha. Os guerreiros e arqueiros não desistiriam facilmente de suas armas enquanto ainda pudessem revidar. Além disso, seus corpos eram muito frágeis. Mesmo uma bala perdida passando por eles causaria ferimentos graves.

Quando os feridos eram elfos com classes de combate, as bruxas não se importavam em curá-los para garantir que mantivessem seu valor. Quanto aos elfos comuns? Foram deixados para terem uma morte dolorosa e agonizante.

Afinal, o preço do teletransporte entre planos era alto demais. As vidas e o custo desses elfos podem nem valer a poção de cura usada para salvá-los. Assim, em consideração aos seus lucros, as bruxas apenas salvariam os “despojos de guerra” mais lucrativos!

Como um campo de treinamento montado pelos elfos perto da costa sudoeste, Jintha’Alor também tinha muitas armas de elfos de alta qualidade em seu armazenamento, além desses elfos. Em particular, aquelas flechas explosivas encantadas que detonavam ao entrar em contato eram extremamente numerosas.

Os adeptos não precisariam de tal item, mas eram armas letais decentes quando distribuídas entre seus seguidores e guardas. Entre as armas, a que mais surpreendeu Greem foi uma espécie de arco longo. O arco foi encantado com dois efeitos mágicos – Ventania e Perfuração.

O primeiro permite que as flechas disparadas do arco voassem mais rápido e mais longe, enquanto o último permitiu que perfurassem armaduras grossas e pesadas.

Tinha vinte desses arcos longos!

Era uma evidência clara de que os elfos de Garan tinham um talento excepcional e uma visão única sobre encantar itens.

É claro que, além das armas, os Adeptos Carmesim também encontraram uma semente de planta única dentro dos armazéns dos elfos. Após a avaliação, várias bruxas concordaram que esta era uma lendária semente de poço lunar.

Um Poço Lunar era tanto uma planta quanto uma construção!

Eles poderiam reunir luar puro durante a noite e combiná-lo com a aura de seu ambiente para condensar e produzir a milagrosa Água da Lua.

Aqui em Garan, um reservatório mágico tão maravilhoso quanto o poço lunar normalmente só apareceria em cidades. Serviria como planta companheira para as imponentes Árvores da Vida.

Jintha’Alor era apenas um campo de treinamento e não uma cidade. Normalmente, uma construção do tipo planta, como um poço lunar, não deveria aparecer aqui. O aparecimento desta semente de poço lunar era provavelmente uma reserva logística estratégica que os elfos haviam preparado.

Assim que a costa sudoeste entrasse em guerra, Jintha’Alor, como base avançada, poderia imediatamente plantar a semente e cultivá-la em um verdadeiro poço lunar. Isso forneceria aos elfos feridos um método para se recuperarem rapidamente dos ferimentos!

No entanto, o que os elfos nunca esperariam era um esquadrão de adeptos cruzando quinhentos quilômetros de florestas extensas, ignorando sete ou oito aldeias, tudo para atacar Jintha’Alor. Caso contrário, os elfos da floresta nunca teriam deixado aqui um recurso vital tão valioso para os adeptos colocarem as mãos!

Obter tantos elfos e despojos em uma única batalha fez com que as bruxas explodissem de felicidade instantaneamente. Em particular, aquela semente de poço lunar continha segredos misteriosos e profundos dos elfos da floresta que os estrangeiros não conheciam. Se pudessem analisar minuciosamente a semente, parte dos segredos dos elfos da floresta – embora não todos – seriam expostos aos olhos das bruxas.

Ainda assim, as Bruxas das Trevas nunca ousariam romper seu relacionamento amigável com as Bruxas do Destino por causa deste tesouro, independentemente do quanto o desejassem. Afinal, ainda precisavam da ajuda das Bruxas do Destino e de seu navio voador para transportar tantos prisioneiros de volta à sua zona segura.

As Bruxas das Trevas não teriam problemas em destruir uma aldeia sozinhas com sua força esmagadora. O único problema era a incapacidade de digerir os despojos, mesmo que pudessem devorar uma cidade inteira.

Elas não podiam transportar dezenas ou mesmo centenas de elfos pela vasta Floresta Fantasia, cheia de ouvidos e olhos de elfos. Essa… essa era uma tarefa impossível!

Foi por isso que, durante o último mês ou mais, as Bruxas das Trevas não tiveram escolha senão dar mordidas nos elfos e receber pedaços de despojos a qualquer momento.

Já era bastante difícil encontrar os elfos nesta vasta floresta de árvores. Era ainda mais improvável levar todos os elfos quando os descobriram. Era um problema que atormentava as bruxas das trevas há muito tempo. No entanto, todos esses problemas sumiram.

Sorrisos raros finalmente apareceram nos rostos das bruxas quando viram tantos elfos escoltados até o navio voador pelas máquinas mágicas.

Além dos prisioneiros e itens, o grupo também trouxe dois pégasus e um hipogrifo usados ​​para treinamento.

Estas eram as unidades de apoio mais comumente vistas no exército dos elfos; descobrir suas características raciais e construção biológica o mais rápido possível seria de grande ajuda em batalhas futuras.

Era natural que Greem felizmente pegasse todos esses despojos para si.

É claro que Greem até soltou o Espírito da Pestilência e o Golem Fantasma Costurado perto do final da batalha anterior.

Eles estavam apenas no nível pseudo-adepto atualmente e não o ajudaram em batalha. No entanto, ambos eram criações mágicas com potencial de crescimento que Greem havia criado meticulosamente. Enquanto estivesse disposto a se esforçar e investir recursos neles, seu poder acabaria aumentando.

Foi por isso que Greem os liberou na floresta próxima para procurar os elfos sobreviventes escondidos. Eles só poderiam melhorar e desenvolver-se ainda mais através de sacrifícios de sangue, carne e matança.

No momento em que todo esse trabalho foi concluído, o grande e brilhante disco da lua havia subido ao céu, lançando seu luar nítido para todos os cantos da Floresta Fantasia.

Alice já havia se retirado para o navio voador com a desculpa de convidar Uzzah para tomar chá. Neste momento, apenas um dos dois que foram atingidos pela Maldição Sombra da Lua – Greem – estava sobre Jintha’Alor. Ele estava silenciosamente esperando por qualquer mudança.

O luar brilhante e frio caiu sobre a floresta. Mudanças misteriosas começaram a ocorrer quando o suave luar passou pelo corpo de Greem.

Camadas de luar envolveram Greem. Parecia a superfície brilhante da água enquanto a luz ondulava e tremia.

Greem ficou orgulhosamente sob o luar, usando o Chip para monitorar todas as mudanças dentro de si. Ele podia sentir claramente ondas fracas de energia mágica entrando na misteriosa runa em sua testa ao lado do luar.

Com a nutrição da essência do luar, a runa divina foi ativada repentinamente!

Na verdade, de repente ganhou vida!

A runa divina que permaneceu imóvel por tantos dias sem sequer um movimento estava agora queimando como uma marca em brasa. Ela se projetava sob a testa de Greem, parecendo tão escarlate quanto impressionante. Junto com a runa divina veio um fluxo divino sutil, obscuro e estranho.

[Beep. Detectando fluxo de energia desconhecido.]

[A fonte do fluxo de energia é identificada como a runa divina. O método de disseminação de energia é desconhecido. O método de ressonância de energia é desconhecido. A natureza da energia é desconhecida.]

[Lembrete adicional: Esse fluxo de energia atingiu o nível das leis. Pertence à categoria de conhecimento planar avançado. Nenhum dado correspondente pode ser encontrado no banco de dados…]

Greem ouviu a série de notificações do Chip. Ele não tinha intenção de interromper essas estranhas mudanças de energia.

Na verdade, esta era a primeira vez que experimentou pessoalmente como funcionava o poder divino. Como tal, o valor de investigação desta experiência era sem precedentes, significativo para Greem!

Greem sabia o que estava acontecendo devido à sua compreensão das funções primárias da runa divina obtida de Alice. Ele havia abandonado todas as preocupações irrelevantes. Neste momento, estava trabalhando em total cooperação com o Chip e estendendo o monitoramento detalhado deste processo da runa divina desde o silêncio até a ativação.

O poder divino era uma força que poderia ser comparada com as forças da lei no Mundo Adepto.

Em sua essência, as características de seu poder eram muito superiores às habilidades Elementium que Greem usava atualmente.

Embora o poder divino sempre tenha estado em desacordo com a magia, e Greem não pudesse mudar de classe e se tornar um espiritualista, o poder divino ainda tinha valor de pesquisa insubstituível como uma forma superior de energia.

Foi por isso que Greem permaneceu impassível mesmo quando foi colocado em perigo pela runa divina, que lentamente o empurrou para uma armadilha mortal. Ele concentrou toda a sua atenção na sensação de calma e no monitoramento de cada mudança na runa.

Um estranho fluxo de energia agitou as leis do plano e ondulou para fora no nível das leis.

Movimentos como esses eram totalmente imperceptíveis para os seres comuns. Somente indivíduos talentosos e certos espiritualistas poderiam decifrar com sucesso esses movimentos através das leis do plano, tomando emprestada a força dos Deuses.

…………

Continente Garan, Montanhas Centrais.

O templo principal da Deusa do Luar.

Um intenso brilho dourado emanou de repente da estátua da Deusa parada na plataforma branca como a lua dentro do espaçoso salão.

A Oficial do Templo Aurora e as duas sacerdotisas que estavam ajoelhadas diante da estátua ergueram a cabeça surpresas.

“Há atividade da runa divina.” Uma das sacerdotisas não pôde evitar em falar. Seu rosto brilhava de alegria.

“Apresse-se e informe a Mensageira da Deusa Xenia”, a Aurora virou a cabeça e ordenou sem qualquer hesitação: “Além disso, reúna todos os guardas do templo no templo principal aqui. Preparem uma cerimônia de oração em grande escala. A Deusa usará pessoalmente seu poder divino para abrir um corredor no espaço para esses hereges. Então será a nossa hora de servir a Deusa!”

Com a última frase, uma paixão fervorosa se uniu ao tom desta oficial geralmente fria.

Pouco tempo depois, os arredores do templo da Deusa do Luar ficaram animados!

[Combo: 21/200]

Olá, eu sou o Otakinho2!

Olá, eu sou o Otakinho2!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥