Selecione o tipo de erro abaixo


『 Tradutor: Otakinho 』

Continente Garan, Montanhas Centrais.

O templo principal da Deusa do Luar.

Quando a vontade de uma Deusa extraordinariamente massiva desceu sobre a imponente estátua no centro do templo, todo o lugar foi banhado por um aglomerado de sombras lunares fracas e silenciosas.

A Oficial do Templo, Aurora ajoelhou-se com medo diante da estátua, suportando silenciosamente o olhar arrepiante que sua Deusa estava lhe dando. Mesmo que a Deusa não tivesse aberto a boca, Aurora podia sentir a intensa insatisfação e acusação muda em seus olhos.

“Ó Reverenciada Deusa, a notícia da queda da Srta. Xenia foi confirmada?” Aurora reuniu coragem e perguntou com voz suave.

A autoridade e a posição da mensageira estavam muito acima de uma oficial do templo como ela. Era por isso que precisava confirmar pessoalmente a notícia sobre Xenia com a Deusa.

Após um longo período de silêncio, a voz doce e fria da Deusa do Luar finalmente ecoou nas mentes de todos os sacerdotes do templo.

“Xenia está completamente morta! Sua alma não retornou ao reino dos Deuses. Em vez disso, foi totalmente capturada pelo inimigo.”

A resposta da Deusa surpreendeu a todos.

Eles haviam concebido muitos cenários terríveis, mas ainda não imaginavam que a situação fosse tão grave quanto era. Este… este era o pior cenário que nem ousaram pensar!

O Templo do Luar era apenas uma pequena facção em todo o panteão. Uma mensageira de Terceiro Grau já era a força mais forte que poderiam reunir. Se Xenia tivesse realmente morrido em Jintha’Alor, o impacto no Templo do Luar seria, sem dúvida, horrível. Era tão terrível que uma “mera” oficial do templo como ela não ousaria nem imaginar!

O Templo do Luar há muito descobriu os detalhes sobre esta Calamidade das Bruxas.

A única potência de Quarto Grau que as bruxas malvadas enviaram estava na Ilha das Sombras. Ela não havia entrado em Garan. Os vários templos já haviam posicionado seus guardas de elite e poderosos mensageiros nas linhas de frente para ficar de olho nos movimentos do inimigo e lidar com esta Bruxa Pálida de Quarto Grau.

Sob tais circunstâncias, o número de esquadrões de bruxas que o inimigo poderia enviar a Garan para causar estragos e ataques era limitado não apenas em quantidade, mas também em qualidade.

Foi devido a sua compreensão perfeita da situação que a Oficial do Templo Aurora relatou apressadamente a destruição de um dos assentamentos de seus seguidores à Deusa do Luar. Ela pretendia usar esta operação de exterminar as bruxas para demonstrar o poder da Deusa do Luar a todos os seus seguidores em todo o continente, bem como o amor e preocupação da Deusa pelos seus seguidores.

De acordo com os cálculos originais da Aurora, um exército de cem combatentes já era um exército poderoso. Acrescente a isso uma mensageira de Terceiro Grau que possuía o poder divino da Deusa, e você teria um grupo que já era suficiente para lidar com qualquer bruxa malvada que se infiltrasse em Garan.

Infelizmente, independentemente de como calculou e estimou, nunca teria imaginado que um exército deste nível seria derrotado na Floresta Fantasia. O que tornou as coisas ainda piores foi que não apenas perderam, mas também conseguiram uma derrota quase completa.

A notícia da derrota foi trazida por alguns sobreviventes afortunados. Todos alegaram ter testemunhado pessoalmente a queda da Mensageira Xenia.

A única Mensageira de Terceiro Grau, Xenia, morreu devido aos ataques combinados de uma bruxa malvada de Terceiro Grau e de um dragão do trovão de Terceiro Grau. Seu corpo quebrado se tornou até mesmo despojo do inimigo, e os elfos não conseguiram recuperá-lo.

Esta notícia terrível imediatamente deixou todo o templo em estado de choque e pânico!

Mesmo que Aurora soubesse que a Deusa iria puni-la, ainda pressionou e contatou a Deusa do Luar, distante no reino divino. Esta última escolheu pessoalmente descer a estátua do templo ao obter a notícia.

A descida da Deusa!

Tal evento nunca aconteceu nos sete mil anos desde a construção do Templo do Luar.

Se alguém encontrasse um relato completo, a última vez que a Deusa desceu pessoalmente ao mundo foi durante as antigas guerras entre os panteões de elfos e humanos. No entanto, hoje a Deusa do Luar, em seu reino divino, escolheu descer mais uma vez para uma mensageira de Terceiro Grau. As circunstâncias e implicações por trás de suas ações eram evidentes para todos, mesmo sem uma única palavra dela!

O impacto no Templo do Luar desta vez era severo e avassalador.

A perda de mão de obra e força militar era secundária. Mais crucial foi o severo abalo da fé e confiança que os elfos depositaram na Deusa do Luar. Este último era sem dúvida o alicerce e a base do primeiro!

Perder mais de cem crentes combatentes não era nada para uma grande organização como o templo de um deus. No entanto, uma perda como essa era semelhante a uma espinha quebrada para um pequeno grupo como o Templo do Luar. Era uma dor que podia ser sentida até os ossos. A queda da mensageira de alto grau também significou que o Templo do Luar perderia qualquer influência entre os elfos da floresta.

Antes que um novo mensageiro fosse cultivado, a força mais forte que o Templo do Luar tinha no exterior teria que ser enfrentada por um grupo de elfos de Segundo Grau! E que tipo de status um mensageiro de Segundo Grau teria diante dos mensageiros de Terceiro Grau ou mesmo Quarto Grau? Quem levaria suas palavras a sério!?

Além disso, a alma de Xenia não voltou. Isso significava que as bruxas poderiam obter segredos internos do Templo do Luar que ela conhecia. Quando isso acontecesse, as bruxas malvadas usariam essa informação para causar problemas e causar o caos. Isso seria, sem dúvida, uma perda ainda mais significativa e uma preocupação maior para o Templo e Deusa do Luar.

Foi porque percebeu a gravidade da situação que a Deusa do Luar escolheu descer pessoalmente ao seu templo principal.

Dessa forma, poderia rapidamente afirmar a fé abalada de seus crentes, ao mesmo tempo que tornaria conveniente para ela organizar o ataque subsequente contra as bruxas malvadas.

Na verdade, queria organizar outra batalha imediatamente e usar uma vitória gloriosa para lavar a sombra que esta derrota havia lançado sobre eles. Porém, antes disso, ela precisou pegar algumas coisas emprestadas de um ‘amigo’.

Não há necessidade de ficar surpreso. Mesmo no reino dos deuses, havia todo tipo de relacionamentos estranhos e diferentes graus de intimidade entre os deuses. Assim como os mortais, os Deuses superiores teriam aliados e inimigos inexplicáveis ​​dependendo de sua profissão e personalidade.

Dentro do panteão dos elfos, Meve, a Deusa do Luar, tinha um relacionamento especialmente próximo com Yurga, o Coração da Floresta; eles eram quase como irmãos. Yurga era o irmão mais velho e Meve a irmã mais nova. Os dois Deuses podem não ter laços de sangue, mas a intimidade de seu domínio de autoridade fez com que os dois se sentissem atraídos um pelo outro naturalmente.

Yurga, o Coração da Floresta, era um Deus que todos os druidas do reino dos elfos adorariam. Foi por isso que era um verdadeiro Deus de Quinto Grau com um grupo estável de crentes. Seu domínio de autoridade divina também incluía a ‘floresta’, além da natureza, druidas e afinidade com a flora e a fauna.

Meve, por outro lado, também tinha a “floresta” sob sua própria autoridade divina.

Se este fosse um reino dos deuses maligno, um choque de domínios dessa maneira teria desencadeado uma batalha terrível e sangrenta dos Deuses. Seria uma batalha que só terminaria quando uma das partes tivesse controle total sobre aquele domínio específico do mundo. No entanto, dentro do panteão dos elfos que amavam a paz, a sobreposição de reinos divinos não só não resultou em conflito entre Yurga, o Coração da Floresta, e Meve, a Deusa do Luar, mas também fez com que os dois Deuses desenvolvessem uma relação inexplicavelmente íntima.

De acordo com algumas lendas antigas, Yurga, a encarnação do Coração da Floresta, foi o primeiro Grande Druida de Quarto Grau nascido no Plano Faen. Para permitir-se continuar protegendo e contribuindo para a Floresta Fantasia após a morte, fez com que seus juniores enterrassem seu cadáver sob o maior carvalho da floresta.

Seus feitos, enquanto estava vivo, comoveram profundamente muitas pessoas que vieram depois dele e ele se tornou um alvo de adoração dos novos druidas que viriam.

Finalmente, após milhares de anos, a imensa quantidade de fé acumulada sob aquele imponente carvalho, deu origem a Yurga, o Coração da Floresta.

Meve, a Deusa do Luar, por outro lado, apareceu dois a três mil anos depois de Yurga.

Parecia que sua aparência tinha sido ativamente guiada até certo ponto por Yurga. Foi por isso que Meve naturalmente tratou Yurga como seu irmão depois que sua vontade e consciência foram formadas. O relacionamento deles era ainda mais próximo e puro do que o dos outros Deuses.

Suas verdadeiras formas necessariamente repousavam no alto de seus reinos divinos. Suas interações e comunicação normais eram por meio de conexões mentais ou da visita de um clone. Era extremamente raro visitarem suas formas reais. Nenhum Deus jamais entraria no reino divino de outro deus verdadeiro com seu verdadeiro corpo, a menos que tivessem confiança absoluta entre eles.

Isso porque o reino divino de um deus verdadeiro era equivalente a uma extensão do domínio de seu poder divino. Mesmo um Deus verdadeiro, vários graus acima do Deus em questão, seria incapaz de comprometer a autoridade e o poder desse deus enquanto estivesse em seu domínio. Foi por isso que um Deus de Sexto Grau, ao entrar no reino divino de um Deus do Quinto Grau, estava praticamente entregando sua vida e alma ao oponente.

O enorme risco envolvido nisso não era algo que qualquer Deus ousasse tentar!

A Deusa do Luar, ao descer em seu Templo do Luar, só precisou controlar um pouco sua mente e já estava conectada com outra terra druida sagrada nas montanhas centrais – Sonho Esmeralda.

Era um pedaço misterioso e pacífico de vegetação.

Um carvalho grande e alto ficava no meio do campo.

A altura e o tamanho desta árvore antiga estavam além da imaginação dos mortais. Apenas o velho e envelhecido tronco da árvore tinha várias dezenas de metros de espessura. O enorme dossel em forma de guarda-chuva era jade e verde-esmeralda, cheio e abundante de folhas. Um olhar e a única coisa que você podia sentir era a aura avassaladora da vida.

Sendo o local onde nasceu Yurga, o Coração da Floresta, este alto carvalho tornou-se naturalmente a área onde os druidas mais gostavam de se reunir e viver. Várias centenas de druidas de diversas idades e classes estavam espalhados na floresta ao redor do carvalho.

Quando um traço da vontade divina de Meve chegou aqui e se transformou em uma linda elfa, a antiga árvore tremeu ligeiramente. Um velho vestido com roupas tecidas de videiras e grama saiu da árvore.

“Bem vinda, estimada Srta. Meve!”

O velho segurava uma bengala de carvalho nas mãos. Seu rosto estava murcho, sua pele tinha um tom bronzeado e sua cabeça estava cheia de tranças. Uma semente ou dente de animal – mesmo algo simples como uma pequena pedra – era amarrado na ponta de cada trança.

“O seguidor mais devoto de Lorde Yurga, Fandral, presta seus respeitos!”

[Combo: 33/200]

Olá, eu sou o Otakinho2!

Olá, eu sou o Otakinho2!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥