Selecione o tipo de erro abaixo

Dentre as quatro Brigadas da Quinta Divisão, apenas a Nona Brigada Provisória parecia diferente.

Cinco gigantescas caixas, cada uma arrastada por dois Bulais em uma carroça de ferro, estavam sendo transportada bem ao centro. O próprio Major e seus homens andaram ao lado, como se estivessem a protegendo.

Caixas de Transporte? 

Fernando conhecia bem aquele item, apesar de ser relativamente maior, definitivamente eram Caixas de Transporte. Uma vez ele havia usado uma para levar recursos para a Vila Lunar em Vento Amarelo e outra quando esteve na Cidade das Mil Flores.

O que estão guardando dentro? Alimentos? Não deve ser… Se esse fosse o caso, não precisaria de um Major aqui. Não sei do que se trata, mas parece ser importante. pensou, com curiosidade.

Em pouco tempo, a Nona Brigada avançou, alinhando-se as demais na Quinta Divisão, numa gigantesca formação de batalha. No total, haviam três Brigadas, totalizando seis mil homens além da Nona.

“Marchem!” Vozes ecoaram, de uma ponta a outra, nas várias fileiras.

Thud! Tum!

Dum! Dum!

As trombetas soaram, e os tambores de guerra começaram a tocar.

Tum! Tum! Tum!

Os passos de milhares de soldados soaram ao mesmo tempo, marchando conforme o ritmo das batidas.

Do ponto de vista de Fernando, que liderava o Batalhão Zero, era impossível ver todas as tropas e as outras Divisões, mas mesmo o pouco que ele pôde observar, fez seu coração acelerar.

Não importa para onde ele olhasse, havia milhares e milhares de soldados, isso somado ao poderoso tremor de seus passos causava uma sensação de imponência e grandeza. Mesmo aqueles mais pessimistas e covardes, sentiram-se encorajados ao ver o poder desse exército.

Uma grande nuvem de poeira levantou-se, conforme eles avançavam. Vários Majores, Capitães e Tenentes combatentes, que não lideravam, voavam nos céus acima, prontos para repelir qualquer ataque as tropas terrestres.

Ao longe, acima da Quinta Divisão, Fernando viu uma figura envolta em arcos elétricos levantar voo, clareando os céus.

“O General Dimitri assumiu o comando da Quinta Divisão, qualquer ordem dele é absoluta, estejam cientes!” O Major Jack Vigari anunciou na comunicação de toda a Nona Brigada Provisória. Apesar dele ter demonstrado algum desgosto pelo homem, não ousou demonstrar isso oficialmente, a hierarquia no exército era absoluta.

Fernando ficou surpreso ao ouvir isso, ele não imaginava que Dimitri, um novo General, assumiria uma das Divisões. Mas ao pensar com cuidado, percebeu que isso fazia sentido.

A autoridade de Dimitri vinha sendo rotineiramente questionada pelo alto escalão, principalmente os Majores e muitos rumores ruins vinham sendo espalhados a respeito. Entretanto, Wayne, o General Comandante, havia pessoalmente recrutado ele para a facção, então não iria permitir que a situação continuasse assim.

Então, de certa forma, dar o comando da Quinta Divisão passava uma mensagem a todos, que ele deveria ser respeitado como um verdadeiro General. Ao mesmo tempo, também era uma prova de fogo.

Se Dimitri se saísse bem nessa batalha, sua posição como General seria consolidada. Por outro lado, se ele falhasse, cairia no ostracismo público, se isso acontecesse mesmo Wayne não poderia ajudá-lo, fazendo com que sua posição ficasse em risco.

Aos poucos, as formações de batalha cobriram as planícies, parte dos bosques e mesmo as colinas.

As tropas nos céus estavam em alerta, esperando emboscadas na parte das florestas, mas ao contrário de suas expectativas, os Orcs não vieram.

“A colina a sudeste esta vazia, se eles planejam nos emboscar, deve ser na mata mais ao norte.”

“Sem sinais no leste!”

“Eles recuaram para Garância!”

A todo momento, Majores e alguns Capitães mandavam informes nas comunicações dos Altos Oficiais da Quinta Divisão. Como um Tenente, Fernando obviamente tinha acesso a esse canal de comunicação.

Isso é um pouco incomodo… pensou, ao ouvir as várias comunicações pela sua Pulseira de Armazenamento que tiravam sua atenção. 

Atualmente, O jovem Tenente estava com três canais de comunicação ativos em seu Cubo, conectado à pulseira. A primeira era a do Batalhão Zero, a segunda da Nona Brigada Provisória e a última da Quinta Divisão.

Se pudesse, ele preferia usar apenas seu canal de comunicação privado, do Batalhão Zero, mas como um Tenente, era sua obrigação estar ciente de tudo que acontecia ao redor. Qualquer detalhe, qualquer informação ou falta dela, poderia influenciar no que aconteceria.

Olhando para o Major, Fernando imaginou se ele carregava uma das Redes de Mana de Wayne. Talvez por ser um item estratégico, informações sobre quem as possuía não foram divulgadas.

Tum! Tum! Tum!

O grande exército, de mais de quarenta mil homens, avançou em uma marcha acelerada, sob o som dos tambores. Em pouco tempo as grandes muralhas de Garância ficaram a vista.

“Preparem suas tropas, estejam prontos para o combate!” A voz do Major Jack Vigari soou.

A cada rodada de batidas dos tambores, mais próximos ficavam da cidade. Logo o terreno começou a ficar cada vez menos irregular e fácil de marchar. A vegetação e árvores também sumiram.

Isso ocorria, porque o entorno das cidades humanas era comumente aplainado antes da construção, com as árvores derrubadas e pequenos montes nivelados. Era uma estratégia dos humanos, para evitar dar qualquer tipo de vantagem para inimigos.

Com a área ao redor limpa, sem obstáculos, eles poderiam avistar tropas hostis muito antes delas chegarem a seus portões, dando tempo de se prepararem. Além disso, sem montes e pequenas colinas, o inimigo não teria muitos locais para se proteger e sem árvores no entorno para serem usadas, dificultaria a invasão pelas muralhas.

Agora, porém, essa vantagem estava contra eles. Sem muita dificuldade, os Orcs Dobats já haviam visto o exército Humano, quando este preencheu grande parte das planícies do entorno de Garância.

Pouco a pouco, conforme se aproximavam, Fernando finalmente pôde ver melhor.

No topo das muralhas da cidade, estavam posicionados Orcs e mais Orcs, mas os verdadeiros números estavam abaixo, com dezenas de milhares deles em frente aos portões.

Isso causou um estranhamento no Jovem Tenente.

“Eles não vão lutar de dentro das muralhas?” perguntou-se, perplexo. “Por que eles abririam mão do terreno vantajoso?”

Era de conhecimento comum, que o defensor sempre tinha a vantagem. Devido à altura das muralhas, isso proporcionava um longo alcance de ataque, ao mesmo tempo, também dificultava para o atacante atingi-los, devido ao desnível desfavorável. 

Uma flecha, ou magia, quando lançada de baixo para cima, precisaria de muito mais força, energia e precisão para atingir o seu alvo. Já o oposto, quando uma flecha fosse lançada de cima para baixo, não precisaria ser usada muita força ou energia no lançamento, pois a própria gravidade faria o trabalho.

Não só isso, mas o defensor quase sempre teria armas de guerra instaladas em suas muralhas, proporcionando uma grande capacidade ofensiva.

Por causa de todos esses fatores, no meio militar era comum dizer que para tomar uma cidade, era necessário que o atacante tivesse pelo menos o dobro de tropas que o lado defensor.

“Orcs não são bons na defesa. Além de que, a maioria das armas nas muralhas, bem como sua matriz de defesa, devem ter sido destruídas quando tomaram a cidade. No lugar de insistirem em algo que não sabem fazer, provavelmente escolheram lançar uma contra-ofensiva frontal.” Ilgner, que estava ao lado do jovem Tenente, explicou.

Ouvindo isso, Fernando finalmente entendeu.

Apesar de não gostar da ideia de uma batalha direta com os Orcs, pensou que isso seria melhor do que uma luta de exaustão.

Quanto mais as tropas avançavam, mais facilmente era possível observar o número de inimigos. Quando finalmente tiveram uma visão clara, todos não puderam deixar de ficar chocados.

Haviam pelo menos dezenas de milhares de cabeças verdes, cobrindo toda a área a frente e nas laterais das muralhas de Garância. Mas o que mais chamou a atenção foram algumas centenas de criaturas enormes, com pelo menos três vezes o tamanho dos Orcs.

“Os números estimados são de cerca de cinquenta mil Orcs Dobats do lado de fora e alguns milhares dentro da cidade. Também estimamos que haja mais de quinhentos Ogros.”

Quando os Capitães que sobrevoaram o céu deram seu relatório, a expressão de muitos membros do alto comando caiu. Fernando percebeu que mesmo o Major Jack Vigari parecia sombrio após ouvir sobre isso.

“Eles disseram que tem Ogros lá, vocês sabem o que são isso?” perguntou em direção a Theodora e Ilgner, que eram mais versados nas raças e criaturas do mundo de Avalon que ele.

“Aquilo são Ogros?! Porra, isso não é bom.” Ilgner falou, parecendo incomodado. “Ogros são uma raça submissa aos Orcs. Dizem que eles descendem de uma mistura de Ciclopes e Orcs, eles possuem uma alta regeneração, força e mana, mas ao contrário dos Ciclopes, são muito mais inteligentes e dominam magias de Terra. Quanto ao motivo pelo qual são um problema, você pode ver por si mesmo.”

Após dizer isso, Ilgner apontou para cima, ao longe. Fernando voltou seu olhar na mesma direção, apenas para ficar chocado.

No céu, centenas de rochas foram lançadas do lado dos Orcs, mesmo estando a pelo menos um quilômetro de distância, os projéteis avançaram em grande velocidade em direção ao exército humano.

“Interceptem!” Gritos foram ouvidos na comunicação, quando centenas de magias levantaram-se a partir do solo e das tropas aéreas.

Sha! Swish!

A visão era como se o apocalipse estivesse ocorrendo, com clarões e luzes cobrindo grande parte do espaço aéreo.

Magias de fogo e vento, que naquela situação eram mais adequadas para acertar as rochas, eram a maioria nos céus, mas também era possível ver projéteis de gelo, rochas, eletricidade e outras diversas.

BOOM! BOOM! BOOM!

Baque! Baque!

As centenas de magias colidiram no ar, explodindo por todos os lados, o som era aterrador, como se fossem verdadeiras bombas.

Fragmentos voaram por todo o lado, muitas das magias erraram o alvo e os projéteis passaram por eles, obrigando alguns Majores que comandavam as tropas no solo a subirem para o alto para defender.

Bang! Bang!

“Ah!”

As rochas foram explodidas, enquanto outras foram defendidas, com apenas algumas poucas chegaram ao solo, ferindo e matando alguns poucos soldados. Mas antes que pudessem comemorar a defesa, uma nova leva de rochas foi jogada.

Nesse momento, Fernando finalmente entendeu porque os Ogros eram tão temidos. A maior fraqueza dos Orcs era sua falta de poder ofensivo de longa distância, mas com essas criaturas gigantescas dando suporte, sua maior falha havia sido corrigida!

“Você deve estar achando que o bombardeio deles é a pior coisa, né?” Ilgner falou, ao ler a expressão de Fernando. “Mas esse nem é o maior problema. A questão é que se há Ogros aqui, seus mestres não devem estar longe, os Urukkans!”

Olá, eu sou o Glauber1907!

Olá, eu sou o Glauber1907!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥