Selecione o tipo de erro abaixo


Combo 35/50


— Há perigo na pousada.

Klein entoou suavemente a declaração de adivinhação, entrou em Cogitação e depois jogou uma moeda de ouro.

Clang!

Um som fraco, mas nítido, ecoou na sala silenciosa. A moeda de ouro tombou e caiu, caindo na palma da mão de Klein.

Foi coroa, indicando uma resposta negativa.

“Não há perigo…” Franzindo a testa, Klein olhou em volta e tirou um frasco de óleo essencial repelente de insetos de seu casaco no cabide.

Ele espalhou um círculo ao seu redor e rapidamente deu quatro passos no sentido anti-horário, entrando na névoa cinzenta para fazer uma adivinhação para confirmação.

Em cerca de dez segundos, ele recebeu uma revelação: ainda não havia perigo.

Voltando ao mundo real, Klein balançou a cabeça; colocou a moeda de ouro e o frasco de volta; vestiu casaco, calças e botas antes de se sentar na beira da cama, recostando-se no travesseiro enquanto tomava muito cuidado com o rumo dos acontecimentos.

Ele ainda se lembrava de seus princípios de Vidente, especialmente aquele sobre a adivinhação não é todo-poderosa, então mesmo que as respostas que recebeu indicassem que era seguro, ele não ousou relaxar e voltar ao sono.

Isso não quer dizer que não acreditasse na capacidade da névoa cinza de protegê-lo de interferências, mas sim que havia muitas possibilidades. Sua declaração de adivinhação poderia não ser precisa o suficiente para cobrir todas elas, resultando em sua interpretação errônea.

Ele já tinha um palpite sobre o que acabara de acontecer. Acontece que os quatro aventureiros do restaurante realmente encontraram o antigo templo abandonado e esquecido na floresta primitiva da Ilha Symeem. Eles obtiveram riqueza ou relíquias culturais, mas também agitaram os espíritos malignos que mal sobreviveram, fazendo com que fossem atormentados por maus pensamentos e maldições.

O tempo passou e Klein de repente sentiu uma sutil flutuação de espiritualidade espalhando-se pela sala e rapidamente se misturando à escuridão circundante.

A ondulação oculta que ele mal havia sentido desapareceu e a tranquilidade da noite voltou.

“Como esperado… É resultado dos poderes do Beyonder… Foi resolvido assim? Vou esperar mais um pouco. De qualquer forma, amanhecerá em uma ou duas horas… Mesmo que realmente haja um problema, este lugar tem uma catedral e uma equipe de Punidores Mandatários…” Klein semicerrou os olhos e começou a se envolver em Cogitação.

Bayam, Bar Folha de Amyris.

Danitz, determinado a enganar qualquer monitoramento, carregava uma xícara de Lanti Proof e observava bêbado enquanto as garotas no ringue de boxe dançavam uma dança quente e sexy.

— Porra! Já faz tanto tempo que elas não perderam uma única peça de roupa! — ele gritou com os outros bêbados.

Então, ignorando se receberam alguma resposta, riram alto, brindaram e beberam.

— Você leu os jornais? — um homem que estava brincando no bar tarde da noite arrotou e disse aos companheiros.

— Seu cérebro foi comido por um burro? Você acha… Você acha que eu consigo ler aquelas letras torcidas e giradas do alfabeto? Santo Senhor das Tempestades, só estou interessado neste tipo de notícia! Hahaha! — Seu companheiro ergueu a taça e apontou para as dançarinas, rindo do que considerou uma resposta humorística.

O homem que havia falado antes bateu na nuca.

— Steel está morto!

— Ele foi morto por Blazing!

O vizinho Danitz ficou atordoado por um momento, depois sentou-se, virando ligeiramente a cabeça.

Ele limpou a garganta e tomou um gole da bebida, agindo como se nada tivesse acontecido, mas secretamente se aproximou para ouvir o que os outros tinham a dizer sobre o assunto.

O aventureiro e pirata de meio período que o trouxe para esse trabalho disse uma vez que a vida no mar não teria sentido sem bebidas alcoólicas, mulheres e ostentação.

— Steel? Que Steel? Deixe-me dizer, quando eu era jovem, uma vez derrotei um cano de aço! — outro bêbado interrompeu.

— O que você fez com o cano de aço? Devo dizer algo como uau, o seu com certeza é magro! — O primeiro homem a falar revelou um sorriso conhecedor.

Ele não esperou por uma resposta enquanto continuava: — Steel Maveti está morto! O segundo imediato do Almirante do Sangue está morto!

A última metade de suas palavras saiu em um grunhido baixo. Isso assustou um dos sujeitos que já estava hesitante ao escorregar para o fundo da mesa enquanto delirava de horror: — Não fui eu, não fui eu…

“Porra! Um bar é sempre tão caótico! Apresse-se e vá direto ao ponto! Estou esperando você louvar Lorde Blazing!” O disfarçado Danitz mal podia esperar para quebrar o copo de álcool em sua mão no grupo.

— Os jornais mencionam que foi feito em conjunto pela Marinha e pela Igreja. Steel está morto, Hendry está morto. Até Calm Squall está morto. John Smith e aquele bando de idiotas também foram pegos! — Um bêbado ainda um pouco lúcido se aproximou e entrou na conversa.

— Não não não! Essa não é a verdade! — O homem que levantou o assunto primeiro balançou a cabeça com um sorriso. — Tenho um amigo que trabalha na agência de notícias. Ele me disse que possui informações verificáveis ​​que não podem ser publicadas. A Marinha e a Igreja foram apenas peões. O verdadeiro assassino é Blazing Danitz e um aventureiro misterioso, experiente e poderoso, um caçador de recompensas.

— Impossível! Não há absolutamente nenhuma maneira de Blazing Danitz derrotar Steel! Mesmo que seja um ataque furtivo, não há como ele acabar com Steel! — Alguns bebedores compartilharam pontos de vista semelhantes.

— O ponto crucial é aquele aventureiro poderoso. Suspeito que ele seja um aventureiro próximo ao posto de almirante pirata! — enfatizou o homem que iniciou a conversa. — Não tenho ideia de como Danitz conheceu aquele cara. Heh, ele contribuiu no assunto. Aparentemente, Hendry foi liquidado por ele! Você não percebeu? A recompensa de Blazing aumentou para 4.200 libras!

— Isso mesmo!

— Sério?

— Com certeza não é simples!

— Que pirata feroz, não, um grande pirata!

— Grande pirata? Eu realmente não sabia qual foi a última vez que bebi com ele!

“Puft! Seu filho da puta, quando foi que eu bebi com você? Eu nem te conheço!” Em meio às exclamações, Danitz pensou zangado.

“4.200 libras! Se esses sujeitos soubessem, com certeza acordariam à noite para limpar o convés de inveja. Hahaha, agora posso ser considerado o contramestre mais forte do Sonho Dourado!”

Neste momento, Danitz desejou poder voar de volta para o navio de sua capitã e beber e se gabar com caras como o Pele de Ferro e Barril, contando-lhes tudo sobre os acontecimentos emocionantes no Porto Bansy — como ele derrotou o bispo corrompido, como habilmente escapou de a emboscada de Steel e dos outros, como ele montou uma armadilha para acabar com todos os seus inimigos e como nunca mais seria capaz de jogar o jogo de cartas da vida.

“Infelizmente, pelo bem da Capitã, ainda tenho que continuar a ser o servo de Gehrman Sparrow, aquele maluco… Fuuu, já sou um grande pirata de 4.200 libras!” Danitz suspirou, permitindo-se continuar paralisado pelo álcool.

Enquanto os sinos da catedral da Tempestade tocavam, o sol laranja nascia no céu. Os arredores ainda estavam tão silenciosos que apenas o som da água podia ser ouvido.

Sem encontrar nada de anormal, Klein exalou de alívio e tirou a roupa, voltou para a cama e compensou a falta de sono dormindo mais duas horas.

Sua considerável espiritualidade lhe permitiu acordar no horário marcado, às 8h30. Lavou-se devagar, trocou de roupa e foi ao primeiro andar comprar um pão com castanhas cozidas e um copo de Gurney Sap. Ele comeu enquanto caminhava para o cais.

Como já havia comprado as passagens de volta para o transatlântico das 9 horas, Klein acompanhou o horário e se preparou para embarcar no navio.

Naquele momento, viu a mulher de olhos cinza-esverdeados, assim como os três aventureiros de sua equipe.

Eles estavam comprando passagens na bilheteria.

“O transatlântico está prestes a partir. Eles definitivamente não conseguiriam chegar a tempo para a viagem das 9 horas… Eu me pergunto o que eles conseguiram no templo abandonado, mas ontem à noite atraíram uma existência semelhante a um espírito maligno. Por favor, não deixe nada inesperado acontecer quando eles viajarem no transatlântico…” Klein usou seu corpo para bloquear a linha de visão dos aventureiros, tirou uma moeda de ouro e fez uma adivinhação.

Sua revelação foi que o transatlântico posterior não estaria em perigo.

Klein hesitou por dois segundos, olhou para os passageiros que esperavam o navio das dez horas perto da bilheteria, esfregou os dedos em silêncio e acendeu a passagem na palma da mão.

Voltou à bilheteria como se nada tivesse acontecido e comprou a passagem do navio das dez horas por quatro solis.

Depois, foi ao banheiro do cais, passou por cima da névoa cinza e rapidamente adivinhou suas preocupações.

Ele sabia muito bem que se os resultados mostrassem que havia grandes perigos, não correria o risco de embarcar no navio. Em vez disso, encontraria uma maneira de impedir que o navio navegasse e destruí-lo, se necessário, para evitar a morte de inocentes.

Se a revelação fosse a mesma que a adivinhação de antes, ele iria embarcar normalmente, mantendo-se atento a quaisquer acidentes.

No final, ele ainda recebeu uma resposta negativa.

Klein ficou aliviado e voltou ao mundo real. Ele ajustou a posição da bexiga do murloc para acesso rápido.

Se um acidente realmente acontecesse, este ingrediente Beyonder se tornaria muito importante no vasto oceano.

Este ingrediente Beyonder também poderia ser usado de maneira simples e rudimentar, assim como o Olho Todo Preto que foi contaminado pelo Verdadeiro Criador.

Dez horas em ponto.

Klein, em sua aparência de Gehrman Sparrow, pegou sua mala, seguiu os aventureiros e embarcou no transatlântico.

Ao longo do caminho, parecia cochilar ou ler jornais e revistas antigos do navio, mas, na verdade, estava de olho na mulher de olhos cinza-esverdeados e em seus companheiros.

Essa cautela continuou até o porto de Bayam, mas nenhum acidente ocorreu no meio.

“Eles resolveram todos os problemas? O que eles realmente conseguiram?” Klein parou na beira da estrada, comprou o último jornal de um jornaleiro e observou os quatro aventureiros pelo canto do olho até eles desaparecerem.

Ufa…  Klein decidiu não pensar mais nisso. Contanto que isso não colocasse em risco a situação geral, não estava preocupado com o que aquelas pessoas haviam feito. Ele estava um apenas pouco curioso.

Ele pegou sua mala, folheando os papéis enquanto caminhava pela Rua Limão Ácido como um transeunte comum.

De repente, com uma risada, ele disse para si mesmo: “A recompensa por Danitz subiu para 4.200 libras…”

Se as coisas continuassem assim, ele suspeitava que conseguiria resistir ao impulso de enviar o sujeito ao gabinete do governador-geral.

Caminhando de volta para a Pousada do Vento Azul, Klein ouviu roncos ondulantes que lentamente alcançavam seus ouvidos antes mesmo de ele pegar as chaves.

“Ele não escapou?” Klein ficou um pouco surpreso, mas também não ficou muito surpreso.

Ele já havia mexido no Manto das Sombras, então enquanto Danitz partisse, ele poderia usar métodos de adivinhação para localizá-lo e encontrar a Contra-Almirante Iceberg.

“Embora tímido, ele ainda é cauteloso…” Klein abriu a porta e entrou, olhando para Danitz, que acordou assustado. Ele sorriu um pouco.

— Parabéns, Sr. 4.200 libras.

Danitz acordou instantaneamente, querendo rir secamente em resposta, mas não conseguiu.

Neste momento, sentiu que sua vida poderia estar em perigo.

Picture of Olá, eu sou o Vento_Leste!

Olá, eu sou o Vento_Leste!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥