Selecione o tipo de erro abaixo

Capítulo 209: Mão Invisível


Tradutora: Pam pam Editora: Pam pam


Antes que encontrasse respostas para suas perguntas, outras surgiram. 

Gu Jun olhou para o céu sem estrelas e sentiu certo conforto em seu coração ao saber que as coisas não haviam mudado e nem à terra havia deixado de existir. Pavão, Malaquita e o resto do grupo vieram da terra e talvez até os viajantes da terra dos últimos 30 anos também.

Naquele momento, Pavão gemeu de dor. Ela ergueu a cabeça para encará-lo. Seus olhos estavam vazios e sem vida.

— Eu, Eu… Sr. Pesadelo, eu não entendo. — levantando-se, olhou ao arredor, seus olhos encheram de lágrimas. — O que aconteceu com a Cidade das Centelhas?

O coração de Gu Jun disparou.

 — Você finalmente pode ver?! — exclamou — Tem mais alguém por aqui?

— A Cidade das Centelhas… — murmurou Pavão tentando dar o primeiro passo, mas caindo de joelhos logo em seguida. — Onde está a cidade? E o templo?

Gu Jun explicou:

— Como tudo desapareceu em um passe de mágica? Não tenho certeza, mas do meu ponto de vista, isso é o que tenho visto desde que cheguei aqui.

Contudo, durante a conexão mental, ele parece ter tido um vislumbre da Cidade das Centelhas, não parecia ser uma mera ilusão.

— São os ossarianos? Mas, nem mesmo eles conseguiriam remover os traços de um feitiço tão rápido… ou viemos ao lugar errado? Mas… — murmurou Pavão. Ela avistou às duas relíquias sagradas que o homem pesadelo estava segurando. — As relíquias estão aqui… 

A jovem subitamente correu até o lago. Ao chegar na margem, avistou um aglomerado de rochas e viu o selo cravado na pedra. Era tão simples, não havia nem mesmo uma estátua, era apenas um monte de rochas empilhadas. 

Pavão retornou desamparada. Quando passou por Malaquita, o rapaz parecia não tê-la notado. Ela pegou o bicho de cerâmica que estava largado na areia e o afagou com carinho. 

Gu Jun decidiu não deixar as coisas como estavam.

— Kathlyn! — disse em inglês. — Você pode me ouvir? Seu nome não é Pavão… Kathlyn!

Ele tinha certeza que havia outra personalidade dentro de Pavão e essa outra persona devia ter informações úteis.

A mente de Pavão se tornou um caos novamente.

— Ah… Quem são vocês? Ah… Kathlyn Lee… — resmungou em inglês. Suas feições e voz haviam mudado. — Que lugar é esse? Eu enlouqueci? Pelo visto, enlouqueci de vez.

Uma hora ela fala em inglês, e na outra estava falando na língua dos viajantes da terra.

— Quem é você? Sai da minha cabeça! 

Às duas consciências estavam lutando pelo controle. Fazendo-a agarrar a própria cabeça como se quisesse arrancar às duas personalidades de dentro de si.

Gu Jun a encarou por um momento e andou em sua direção, vendo ela se acalmar lentamente. 

— Sr. Homem Pesadelo. — suspirou Pavão. — Me lembro dela agora. Kathlyn… está aqui.

Ela parecia estar em transe, logo em seguida, seus olhos perderam o foco e de alguma forma mudaram para algo novo, algo menos maduro.

— Droga, mas que porra… Ei! Sr. Mascarado, você realmente existe? Ah, meu Deus, o que são essas coisas?! Ratos?

— Calma. — confortou Gu Jun. — Você é Kathlyn Lee, certo?  Qual é a data mais recente que consegue se lembrar? Responda!

Kathlyn estava com muito medo daquele homem, mas conseguiu controlar suas emoções e atordoada respondeu:

— Por volta de Junho.

— Houve alguma grande mudança na terra? — prosseguiu. — Alguma coisa aconteceu na China? Epidemia? Tragédia sobrenatural? Você ouviu qualquer coisa sobre isso?

 — Não… eu acho. — confusa, Kathlyn negou com a cabeça. — As coisas estão como sempre foram antes.

Gu Jun suspirou aliviado, seu coração angustiado finalmente poderia relaxar. Se ela não estivesse mentindo, deveria ter se passado meio ano desde que embarcou no navio branco rumo às terras Oníricas. A doença do pesadelo deve ter sido erradicada, não houve uma epidemia dela no leste do estado, China ou no resto do planeta.

 — Qual é a última coisa que você se lembra?  — perguntou  Gu Jun.

— N-Não tenho certeza. — admitiu abertamente. — Eu tenho alguns problemas psicológicos, sabe, o tipo em que você precisa tomar medicamentos para ficar bem. Tom, meu namorado, tem o mesmo problema. Mudando de assunto, por que ele está ali parado feito um idiota? Tom! Sei que soa estranho, mas aparentemente somos capazes ver coisas estranhas.

— Que tipo de coisas?!

— Uma cidade no deserto. — deu de ombros. — É como uma miragem. Há casas, estradas e pessoas. De acordo com Pavão, é chamado de Cidade das Cinzas. Enfim, não faço ideia de quem ou o que é essa garota. Esse tipo de ilusões começou quando fui para uma festa de aniversário, eu tinha apenas 16…

— A festa de aniversário de Judy? — perguntou Gu Jun ganhando um olhar assustado de Kathlyn.

— Como você sabe disso? Você também é um dos meus amigos imaginários?

— Não. — respondeu. — Consegue se lembrar de como chegou aqui? Além de Tom, havia mais alguém com você?

— Não tenho certeza. — franziu as sobrancelhas ao refletir, mas acabou balançando a cabeça. — Tudo que consigo lembrar é que eu e Tom teríamos um encontro, íamos ao cinema, mas quando estava saindo do meu apartamento… De repente, como em um passe de mágica, eu estava aqui.

Gu Jun fez mais algumas perguntas, mas não conseguiu nenhuma informação útil. De acordo com Kathlyn, ela e Tom eram apenas pessoas normais.

Ele tentou organizar seus pensamentos. Comparado com esquizofrenia, ambos provavelmente tinham múltiplas personalidades1. Havia uma alma extra em seus corpos… uma alma dos viajantes da terra que aparentemente vieram do futuro. 

Tudo começou anos atrás, na festa de aniversário de Judy até pouco tempo atrás, quando eles inesperadamente vieram às Terras Oníricas através de algum método desconhecido. Havia cinco deles. Então, Pavão e as outras personalidades passaram a controlar os corpos dessas pessoas, viram e vivenciaram outras coisas.

Nossa mente recebe diversas informações através da visão, audição e outros sentidos, através desses estímulos e experiências nosso caráter e personalidade são formados. Essas informações/estímulos não precisam vir necessariamente do mundo real, eles também podem ser implantados através do nosso mundo interno2. Por exemplo, pessoas que estão tendo uma alucinação reagem apenas ao seu mundo imaginário, sem qualquer consciência da realidade. Esses indivíduos não conseguem diferenciar o que é real e o que é ilusório.

Tanto Kathlyn quanto Pavão, antes disso, não sabiam da existência uma da outra e possuíam memórias completamente diferentes. Era como se elas fossem as peças de um tabuleiro de xadrez e nem soubessem disso. 

Nesse caso, quem está controlando as peças do tabuleiro? Como foi que eles conseguiram arquitetar isso? Qual é o seu objetivo? E de onde veio essas relíquias sagradas? Quem colou elas aqui, e quando? Os viajantes da terra do passado?

Quanto mais Gu Jun pensava nisso, mais sua dor de cabeça piorava. 

Quanto mais Gu Jun pensava nisso, maior a dor de cabeça. Uma rajada de vento soprou desfazendo uma duna e cobrindo todos de areia. 

Essas informações sobre o futuro eram reais ou falsas? O caos dentro de Phecda, o traidor, a doença dos pulmões sangrentos, a doença da escama mutante, a doença da petrificação, o colapso… 

E o que o selo antigo e os Manuscritos Pnakóticos tinham a ver com tudo isso…

Gu Jun decidiu perguntar ao velho Zoog.

— O que aconteceu com os primeiros viajantes da terra? Você sabe?

— Hmph! Mesmo nós, os Zoogs, não perderíamos nosso tempo com esses zés-ninguém.

— Sr. Homem Pesadelo. — disse Pavão. Kathlyn havia desaparecido. — Esse é um dos pesadelos que você conjurou?

Enquanto isso, os Zoogs cochichavam entre si. O velho Zoog bateu palmas para interromper a conversa e ansioso anunciou: 

— Sr. Pesadelo, acho que você deveria saber disso. O canal está ficando instável, com base na nossa experiência, ele pode entrar em colapso a qualquer momento.

  1. Múltiplas personalidades, ou Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) como é conhecido na psicologia, ocorre quando uma pessoa passa por uma experiência traumática e desencadeiam um mecanismo de defesa para lidar com o trauma (assédio sexual, maus-tratos na infância, etc.), eles desenvolvem múltiplas personalidades.
  2. Mundo Interno: Muitas pessoas que têm múltiplas personalidades possuem um mundo interno onde eles e/ou suas personalidades podem se manifestar e interagir entre si (Tipo Naruto e Kurama, Itadore e Sukuna). Aliás, pessoas que não sofrem desse transtorno também possuem um mundo interno… no começo, achei que mundo interno e subconsciente eram a mesma coisa, mas pelo visto estava errada. Pois, quando fui pesquisar descobri que existem o mundo interno, mundo externo, mundo do subconsciente, etc…).
Olá, eu sou o Urso!

Olá, eu sou o Urso!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥