Selecione o tipo de erro abaixo

— Porque sim.

Respondi rapidamente antes de mudar de assunto rapidamente.

— Aliás, você é bem rápido. Fiquei surpresa em te ver aparecer do nada na minha frente.

Não estava apenas falando palavras vazias para mudar de assunto, era a pura verdade. Ele apareceu ao meu lado tão rapidamente, quando estava a uma distância considerável há apenas um momento. Era o suficiente para deixar qualquer um sem palavras.

— Ficar surpreso com algo assim, que patético.

No entanto, esse homem arrogante estava zombando de mim.

— Sua habilidade com a espada também deve ser excelente, como a dos Cavaleiros Imperiais.

Ele zombou um pouco do meu comentário sarcástico.

— Sou muito mais forte que eles.

Como esperado, definitivamente era o aprendiz do meu pai… não, isso não está certo. Meu pai pode ser indiferente e frio, mas não era arrogante como essa pessoa.

“Como sua personalidade acabou assim?”

O aprendiz do meu pai continuou me olhando enquanto eu lamentava sua pobre personalidade.

— Então, por que você chorou há um momento?

Realmente, ele deveria saber quando parar, que persistente. Eu estava um pouco chateada e senti vontade de dizer a verdade, mas fui interrompida por um golpe repentino.

— Senhorita, sou eu, Derrick.

Se fosse Marilyn, eu teria dito para ir embora e voltar mais tarde, mas suspirei quando reconheci a voz do nosso mordomo.

“Eles não teriam vindo me ver se fosse algo trivial.”

Normalmente, os servos eram designados para servir os homens na casa, enquanto as criadas eram designadas para as mulheres. Derrick vindo até o meu quarto ele mesmo, algo que raramente fazia, significava que era um assunto importante.

Me virei para o aprendiz do meu pai e fiz um gesto em direção ao armário.

— Hm, se não se importa, poderia entrar lá novamente e se esconder?

Ele tinha uma expressão descontente em seu rosto, mas se levantou e se dirigiu silenciosamente para o armário.

“Fico feliz que esteja cooperando agora.”

Assim que ele desapareceu no armário, me aproximei da porta do meu quarto e girei a maçaneta.

— O que é?

— Senhorita, acabou de chegar um mensageiro do Marquês Crocus. Eles disseram que gostariam de entregar uma mensagem do filho mais velho dele, Lorde Ronald, diretamente a você. Está tudo bem?

A família Crocus era uma casa bastante prestigiosa. Além disso, o fato de enviarem um mensageiro significava que era um assunto bastante importante. Era uma situação em que eu teria que descer e me encontrar com eles eu mesma, no entanto, estava nervosa demais para deixar o aprendiz do meu pai sozinho.

“Se uma criada o encontrasse enquanto eu não estou… não tenho outra opção no momento.”

Deixei escapar algumas tosses de propósito antes de responder.

— Derrick, temo que não esteja me sentindo muito bem. Você se importaria de receber a mensagem por mim?

— Entendo. Por favor, descanse, Senhorita.

Derrick respondeu com uma expressão preocupada antes de sair. Deixei escapar um suspiro de alívio enquanto olhava para o armário.

“Ele não vai me perguntar mais sobre isso, né?”


Embora tentasse evitar, Max ainda pensava no que acabara de presenciar: grandes olhos cheios de lágrimas.

“Por que ela estava chorando?”

Contrário às expectativas de Juvelian, Max ficou chateado com suas lágrimas e estivera refletindo sobre isso o tempo todo que estivera no armário.

“Por que ela poderia estar tão triste a ponto de ter que cobrir a boca…?”

De repente, ele se lembrou do que ouvira de seu ajudante próximo não faz muito tempo.

— Aparentemente, Lady Floyen estava completamente apaixonada por Lord Mikhail. Ouvi dizer que ela o seguia por toda parte, sem se preocupar com sua reputação que só piorava… acho que finalmente caiu em si.

“Não me diga que ela ainda não superou isso…”

Max cerrou os punhos, seu rosto instintivamente carrancudo. Logo ele ouviu a voz do mordomo.

— Senhorita, é Derrick novamente.

Ao abrir a porta, Juvelian imediatamente notou o rosto radiante de Derrick.

— O que disse o mensageiro? Por que está tão feliz?

O mordomo rapidamente endireitou sua expressão.

— Senhorita, Lorde Crocus enviou uma mensagem expressando que gostaria de ser seu acompanhante no próximo baile de Lady Arlo.

Juvelian abriu os olhos surpresa.

“Por que alguém de renome como Lorde Crocus quereria ir com alguém como eu…?”

O filho mais velho do Marquês era uma estrela em ascensão que iria liderar o Ministério das Relações Exteriores no futuro.

“Pensar que alguém como ele está solicitando ser meu acompanhante… me sinto um pouco desconfortável.”

Juvelian pensou que a situação parecia muito irreal.

— O que gostaria de fazer, Senhorita?

“O que eu devo fazer?”

Juvelian se perguntou se deveria ou não dar uma resposta imediatamente; sua mente ficou confusa com pensamentos contraditórios.

Então, houve um som abrupto de um baque. Para ser exata, parecia vir da direção dovestiário.

“Ah… não me diga…”

Juvelian sentiu o sangue fugir de seu rosto e estremeceu com a ideia de ser pega.

— Senhorita, agora há pouco… você ouviu um som vindo do seu armário?

— Não? Você ouviu algo?

Ao falar calmamente, fingindo ignorância, Derrick olhou para Juvelian desconfiado.

— Tenho certeza de que ouvi algo há pouco… talvez seja outro rato?

— Haha… não tem como. Não seja ridículo.

Refutando a terrível insinuação do mordomo, Juvelian tentou mudar de assunto, falando com serenidade.

— Derrick, não estou me sentindo muito bem. Você se importaria de me deixar descansar? Quanto à resposta… diga ao mensageiro que enviarei uma carta em breve.

— Ah, claro. Então, por favor, descanse.

Não querendo contrariá-la, Derrick não insistiu mais no assunto. Em vez disso, simplesmente inclinou a cabeça antes de sair.

“Ah, pensei que meu coração fosse sair pela boca, foi por pouco.”

Juvelian se aproximou do vestiário e abriu a porta do armário, encontrando o aprendiz de seu pai sentado no chão com um olhar vazio.

— Desculpe, foi você que fez o barulho antes, não foi?

Max virou-se para olhá-la, o olhar vazio em seu rosto rapidamente se transformando em um olhar furioso.

— Você vai acompanhá-lo no baile?

“Por que você está curioso sobre isso?”

Juvelian estava confusa sobre por que ele estava perguntando isso, mas não era algo que ela não pudesse responder.

—Estou considerando.

Lorde Crocus. Certamente não era alguém que carecia de potenciais parceiros. Sua aparência era comparável à de Mikhail e era bastante popular por sua eloquência.

“Não faço ideia por que alguém como ele pediria para ser meu acompanhante; me sinto um pouco desconfortável.”

Juvelian, sem perceber, soltou um suspiro e então notou que o aprendiz de seu pai a encarava com uma carranca.

— Pense bem sobre isso. A cara de um homem não é tudo.

Juvelian ficou surpresa ao ouvir tal comentário saindo de sua própria boca. Ele era um homem com uma personalidade complicada além de suas terríveis habilidades sociais, o que tornava difícil para ele se dar bem com os outros. Era uma sorte que pelo menos tivesse um rosto bonito.

“Pensar que ouviria essas palavras de alguém cujo rosto é tudo o que ele tem.”

Então, Max virou bruscamente a cabeça.

— O que você estava olhando.

— Que tipo de som você fez antes?

Juvelian tinha uma leve carranca enquanto os lábios de Max se contraíam ligeiramente antes de responder com firmeza.

— Isso não é da sua conta.

— Você sabe que quase fomos pegos por sua causa?

— Mas não fomos, não é? Está tudo bem.

Juvelian balançou a cabeça diante de seu comentário descarado.

— Não, não está tudo bem. Não deveria dizer algo assim tão facilmente. Se nos tivessem pego, teria havido um escândalo. O mensageiro do Marquês teria ouvido e então estaríamos envolvidos em um escândalo.

Na alta sociedade, escândalos envolvendo pessoas de diferentes estatus sociais significavam um suicídio social: seria um desperdício de sua reputação social.

Falando sinceramente, a Juvelian não se importava particularmente com o que os outros diziam, o único problema era que ela ainda não havia se independizado de seu pai. Se cometesse o menor erro, seu pai a odiaria e, no pior dos casos, a expulsaria sem absolutamente nada.

Se isso acontecesse, ela perderia qualquer tipo de proteção e, em última análise, se encontraria em grande perigo.

— Estou arriscando meu futuro ao te dar um lugar para ficar. Gostaria que pelo menos mostrasse um pouco de consideração.

Max virou para olhá-la com seus olhos vermelhos penetrantes, mas Juvelian manteve o olhar, recusando-se a ceder. Nenhum dos dois estava certo de quanto tempo haviam estado travados em um confronto de olhares, até que, finalmente, Max desviou o olhar, falando baixo.

— Entendo.

Juvelian ficou aliviada ao saber que pelo menos ele tinha um pouco de consciência.

— Então, apresse-se e saia daí.

— Se acontecesse algum acidente… assumirei a responsabilidade.

Max moveu-se para segurar suas mãos, sua voz soando decidida.

“Oh… não posso acreditar que ele tenha levado minhas palavras tão a sério…”

Bem, Juvelian realmente não acreditava que ele assumiria a responsabilidade, mas sua expressão séria era muito engraçada para ela não rir inadvertidamente.

— Tudo bem, faça isso. Embora eu tenha certeza de que uma situação como essa não vai acontecer.

Ele a olhou nos olhos, apertando sua mão com mais força.

Seus olhos brilhantes que continuavam a olhá-la eram estranhos. Juvelian não conseguia desviar o olhar, olhando aturdida, até que ele falou enquanto puxava levemente sua mão.

— Nunca se sabe.

Neste momento, Juvelian pensou que quase parecia que o aprendiz de seu pai realmente queria que isso acontecesse.

“Falando nisso, quando meu pai vai voltar? Preciso me apressar e entregá-lo…”

Normalmente, Juvelian nunca sentia curiosidade sobre o retorno de seu pai, mas à medida que começou a viver com seu aprendiz, começou a sentir mais e mais curiosidade.

Embora ordenado a manter em segredo, os rumores de que o duque de Floyen estava no Palácio atuando como guarda do Imperador tinham escapado. Naturalmente, esses rumores também chegaram aos ouvidos do primeiro-ministro.

“Se isso continuar, haverá outro alvoroço do povo. Como naquela época…”

Vinte anos atrás, quando o Império estava perdendo a guerra contra o Reino de Tezeria, o jovem Imperador abandonou o Palácio Imperial. Ao descobrir que o dono do Palácio havia fugido, o povo do Império ficou muito angustiado, vendo a derrota como inevitável.

No entanto, um recém-chegado, um único cavaleiro novato, apareceu e liderou a defesa do império.

Seu nome era Regis.

Ele era apenas um cavaleiro comum do Palácio Imperial e o herdeiro do ducado de Floyen. Todos pensaram que ele falharia, que estava louco e que deveria fugir, mas no final, o jovem senhor derrotou os invasores inimigos e trouxe uma grande vitória ao Império.

Inteligente e perspicaz. Um grande cavaleiro que também era herdeiro de uma família nobre com uma longa linhagem, recusando-se a se intimidar por seus poderosos oponentes. Todo o Império louvou seu nome e o chamou de herói.

Mas onde há luz, sempre há sombras.

O Imperador Charles, que havia abandonado o Palácio e fugido, foi rotulado como “covarde” aos olhos de muitos. As pessoas criticaram o Imperador e argumentaram que ele deveria ser deposto. As brasas do ressentimento foram rapidamente apagadas quando Regis, o herói do Império, expressou seu apoio ao Imperador.

Não seria exagero dizer que o apoio atual do público ao Imperador era sustentado apenas pelas vitórias que seu filho, o Príncipe Herdeiro, trouxe na fronteira.

“Terei que informar Sua Majestade.”

O primeiro-ministro, sentindo a crise na situação do Império, entrou no Palácio para uma audiência com o Imperador.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥