Selecione o tipo de erro abaixo

No mesmo dia, um pouco antes.

A Imperatriz Lavigne estava na frente do quarto do Imperador.

A porta do quarto estava bem fechada, mas o rosto de Lavigne estava brilhante.

Logo depois, a empregada de cabelos pretos saiu e curvou a cabeça educadamente.

— Entre, Imperatriz. Sua Majestade estava esperando.

Os cantos vermelhos de sua boca de Lavigne se ergueram silenciosamente.

Não muito tempo atrás, ela foi parada na porta.

Mas ela recebeu permissão para entrar hoje.

— Sim, obrigada.

A dama de honra, saudada pela imperatriz, baixou ainda mais a cabeça sem fazer contato visual. A visão fez a Imperatriz Lavigne se sentir ainda melhor.

— Sua Majestade.

Entrando no quarto, a Imperatriz chamou Yovanes em voz amigável.

— Você está aqui.

Como se tivesse acabado de acordar, Yovanes, que ainda estava de pijama e sendo atendido pelas empregadas, respondeu silenciosamente

Em troca de ter bebido álcool por um tempo, a sombra negra sob seus olhos estava bem visível e também sua cara exausta.

— Fiquei preocupada em saber que você não estava em paz. Fico feliz que você esteja se sentindo melhor.

A frase ‘não estou bem’ que Yovanes usou é apenas uma desculpa porque ele não queria ver o rosto da Imperatriz.

Ela não saberia disso.

A Imperatriz falava com Yovanes em tom amigável, como se estivesse genuinamente preocupada.

— Por que você está aqui, Imperatriz?

Yovanes perguntou com uma voz irritante, farto de Lavigne.

— Se você quiser perguntar sobre o trabalho de Astana…

— Eu vim aqui por causa do trabalho do Segundo Príncipe, Perez.

Yovanes, que olhou para Lavigne por um momento, inclinou-se sobre a água que sua empregada havia trazido.

Lavigne, que assistiu à cena, ficou convencida.

O imperador já conhecia os negócios de Perez e Florentia Lombardi.

Mas parecia que ele ia fingir que não sabia, então ela teve que jogar junto.

— Você ainda não ouviu? Dizem que esta manhã, o Patriarca de Lombardi nomeou Florentia, que estava noiva do Segundo Príncipe, como a próxima sucessora oficial do Patriarca, Vossa Majestade.

— … foi o que aconteceu.

Yovanes falou devagar e jogou água no rosto.

Assim que o Imperador se levantou, ele ouviu a decisão de Rulak.

No início, foi um absurdo.

Ele também estava com raiva porque foi enganado.

Mas ele ponderou, e não foi tão ruim para o próprio Yovanes.

A relação entre Lombardi e a família imperial era inseparável.

Isso significa que o imperador deve compartilhar o poder absoluto que ele merece.

Yovanes odiava insuportavelmente.

No entanto, até agora, nenhum imperador escapou dessa algema.

Até o terrível imperador anterior e o próprio Yovanes.

Ele tentou escapar das mãos de Lombardi, mas só foi confrontado com uma retaliação maior.

— Você está bem, Sua Majestade?

Lavigne se aproximou de Yovanes com uma voz preocupada para ver como ele reagiu.

O rosto por trás da toalha estava sorrindo.

Florentia Lombardi, uma jovem sem experiência política.

Seria muito mais fácil de lidar do que Rulak Lombardi.

— Estou bem.

Yovanes respondeu, mas a Imperatriz Lavigne balançou a cabeça.

— Você não parece bem, Majestade.

Ah não.

Agora, Yovanes mal conseguia conter a risada que ameaçava sair.

Esta é uma grande oportunidade para quebrar o espírito de Lombardi.

Mas para fazer isso, Angenas ainda era necessário.

Se Angenas desaparecesse imediatamente, eles não sabiam quanto tempo levaria para criar a peça central dos nobres que iria se inclinar para Lombardi.

— Eu também estava furioso com o trabalho do Segundo Príncipe.

Yovanes olhou pelo espelho para a Imperatriz, que continuava a dizê-lo.

Ele ainda tinha pesadelos todas as noites por causa da imagem de Astana, que ainda estava vindo para cima dele com uma faca.

Mas se ele empurrasse o nariz de Lombardi, ele não poderia fechar os olhos para Astana, que fez isso.

Acontece que Astana estava louco naquela época e que ele foi incriminado por alguém.

— Isso não significa que ele pode simplesmente esquecer.

É traição.

Alguém teve que pagar por esse crime.

— Haa… Eu me sinto desconfortável estes dias, Sua Majestade.

Lavigne disse, suspirando.

— O Primeiro Príncipe não está muito ferido? Mas o Segundo Príncipe não me deixou, sua mãe, ver seu rosto…

Como se lesse o coração de Yovanes, a Imperatriz chorou e trouxe à tona a história de Astana.

— O pobre Primeiro Príncipe deve ter sido incriminado, Sua Majestade.

— É apenas uma suspeita incerta.

— Mas e se for verdade, Sua Majestade?

A Imperatriz Lavigne tirou o lenço e enxugou as lágrimas.

— Há quantos dias o Primeiro Príncipe foi preso? E ele perdeu a mão direita também.

A voz da imperatriz estava desesperada, como se estivesse genuinamente preocupada com Astana.

— Claro, é verdade que ele cometeu um pecado imperdoável contra Vossa Majestade, mas ele já não pagou muito por tal ofensa?

— Imperatriz.

Yovanes finalmente olhou para Lavigne e pagou.

No entanto, não foram as palavras que condenaram a imperatriz.

Em vez disso, havia algo no tom sutil que fazia o ouvinte ouvir.

— Como pai, também sinto pena do sofrimento de Astana, mas isso não muda o fato de que temos que encontrar o culpado.

— O criminoso…

A Imperatriz olhou fundo nos olhos de Yovanes e perguntou, confirmando.

— Se descobrirmos quem é o verdadeiro culpado, Astana será libertada da custódia?

— Não há razão para que ele não pudesse ser libertado.

— É assim mesmo?

A Imperatriz Lavigne acenou com a cabeça.

Então ela deu alguns passos para trás.

— Vou esperar que os preparativos de Sua Majestade sejam concluídos.

Assim que as palavras de Yovanes caíram, a Imperatriz saiu do quarto temendo que ele retirasse suas palavras.

Ele se perguntou para onde ela estava indo, mas o imperador não perguntou.

Ele riu secretamente.

— O primeiro imperador a domar Lombardi.

Foi uma conquista muito agradável.


— Assuntos pessoais de Velsac Lombardi…

Perez olhou para mim e murmurou baixinho.

— Por que não mudamos para um local diferente e temos uma conversa adequada, Vice Patriarca de Lombardi?

— Vamos fazer isso.

Eu concordei com a sugestão de Perez.

— Por aqui.

Perez me conduziu até o prédio dos Cavaleiros.

Chegamos a um pequeno escritório que Perez parecia estar usando temporariamente.

— Aqui está.

Eu entrei primeiro.

Então ouvi Perez falando atrás de mim.

— Nem pense em entrar.

— Mas, Alteza…

— Afaste-se da porta.

— Mesmo assim…

— É uma ordem.

— … sim, Sua Alteza.

Eventualmente, os Cavaleiros que perderam para Perez recuaram e fecharam a porta.

Só nós dois ficamos na sala.

Perez, que se aproximou, estava apenas olhando para mim com um leve sorriso.

O que há de errado com ele?

Com a atmosfera um pouco estranha fluindo, falei primeiro.

— Vossa Alteza o Segundo Príncipe, estou aqui para cumprir os deveres oficiais, e a razão pela qual os cavaleiros não estavam comigo é porque…

— Você dormiu bem?

Quando restamos apenas nós dois, o tom de Perez tornou-se confortável.

O que… de repente.

Eu respondi reflexivamente, ligeiramente carrancuda.

— Claro, eu dormi bem…

Um momento se passou.

— Ontem… Você veio ao meu quarto…?

— Sim.

— Bem… Então… Isso é… Isso…

Não era um sonho?!

Eu tropecei, dando um passo para trás.

Mas Perez apenas deu um passo à frente.

— Eu não disse ‘tchau’ quando saí porque você estava dormindo bem. Eu não queria te acordar.

— Eu pensei que era um sonho!

— Foi definitivamente um momento de sonho para mim. Flore disse que gosta de mim.

— Perez!

Que cachorro! O que você quer dizer com não foi um sonho?

Senti meu rosto ficar vermelho.

Não, vamos ficar calmos. Acalmar!

Respirei fundo e disse:

— Não estou aqui para falar sobre nada pessoal hoje. Entregue Velsac Lombardi.

Só quero fazer meu negócio rapidamente e evitar essa situação.

Se Perez se recusar, preparei muitas palavras para convencê-lo.

— Leve-o, Vice Patriarca.

Mas Perez respondeu com uma cara calma.

— Eu preparei com antecedência. Um pouco atrás, ele estava fazendo as malas antes de eu sair.

— … Parece que você sabia que eu viria hoje.

— Quando você se tornasse Vice Patriarca, pensei que assumiria a responsabilidade por toda a família Lombardi.

Perez respondeu com um leve sorriso às minhas palavras.

— Obrigada pelo elogio.

Se você é tão bonito, vale a pena pagar um preço.

Olhei um pouco para Perez e disse:

— Então vou levá-lo imediatamente, sem perder tempo. Onde está Velsac Lombardi?

— Lá em cima.

Parecia ser a sala de onde Perez saiu há pouco.

— Por favor, assuma a liderança.

Eu disse isso e tentei abrir a porta.

— Antes disso.

Antes que a porta se fechasse novamente ao toque gentil de Perez.

— O lenço foi afrouxado, Vice Patriarca.

Perez estendeu a mão para mim, falando baixinho.

— Ah …

Como ele disse, as alças do xale estavam ligeiramente afrouxadas.

Em seguida, um colar de rubi vermelho foi revelado entre os xales tortos.

— Isso…

Naquele momento, fiz contato visual com Perez.

Meu coração está acelerando.

Foi porque Perez estava sorrindo.

A sensação dele brincando com o rubi fez cócegas sob minha clavícula.

— De ontem à noite até hoje. O que devo fazer se você continuar me dando presentes como este? …

Os olhos vermelhos olharam para mim como se estivessem me queimando.

— Vice Patriarca de Lombardi.

Picture of Olá, eu sou o Babi.Bia!

Olá, eu sou o Babi.Bia!

Comentem e Avaliem o Capítulo! Se quiser me apoiar de alguma forma, entre em nosso Discord para conversarmos!

Clique aqui para entrar em nosso Discord ➥